O Arquivo Público do RS é uma instituição que preserva, através de sua documentação, a história da comunidade gaúcha e desde 1906, ano de sua criação, o APERS se preocupa com a divulgação de seu acervo. Esta postura é comprovada através das Revistas do APERS, publicadas durante a década de 20 e início da década de 30, com o objetivo de divulgar as memórias relativas à história e a geografia do Rio Grande do Sul.

   A Revista do APERS era publicada trimestralmente e foi um dos primeiros instrumentos de pesquisa criados para facilitar o trabalho do pesquisador e cada edição abordava assuntos específicos. O destaque das edições de 1921 é a publicação de abril, que menciona a importância de estabelecer os limites do nosso Estado com Santa Catarina. Este exemplar traz ainda registros relativos à criação dos primeiros municípios do Estado: Porto Alegre, Rio Grande, Rio Pardo e Santo Antônio da Patrulha.

    Um dos assuntos tratados na edição de março de 1922 é uma sinopse das sesmarias, concedidas, em sua maioria, por Dom Diogo de Souza e o Marquês do Pombal, em 1814 e 1815. Esta mesma temática foi abordada nos anos seguintes e faz-se a mesma sinopse até 1820. Consta também nesta edição um catálogo geral das medições de terra processadas pelas varas da capital, que datam da segunda metade do século XVIII. Cabe ressaltar que em junho do mesmo ano, foi publicado o Catálogo de inventários de Porto Alegre e o Catálogo da segunda vara de órfãos da cidade de Rio Grande, onde o documento mais antigo é de 1768.

   No ano de 1923 houve a continuação dos catálogos de inventários da segunda e terceira varas cível da capital, sendo o documento mais antigo de 1766. Na edição de setembro há um catálogo dos testamentos de Porto Alegre e em dezembro consta um catálogo dos inventários processados, entre 1778 e 1915, pelas duas varas de órfãos da cidade de Pelotas.

    O exemplar de junho de 1925 traz um quadro comparativo das denominações antigas e modernas das ruas de Porto Alegre. Sem dúvida um excelente material de pesquisa para os interessados na origem dos nomes das ruas da capital.

    A publicação da Revista do APERS foi suspensa em 1925 e somente em 1927 foram retomadas as edições. Houve uma mudança na estrutura da revista e foram explorados assuntos variados relativos á história do Estado como geologia, botânica, paleontologia, antropologia e arqueologia. No acervo da Memória Institucional do APERS encontramos também algumas edições da revista do ano de 1928 e 1930.

   A partir da década de 90 o APERS voltou a produzir instrumentos de pesquisa, mantendo assim a tradição de difundir a história da população rio-grandense. São algumas publicações do APERS: Anais da Mostra de Pesquisa, Catálogos dos Documentos da Escravidão (Cartas de Liberdade, Registros de Compra e Venda, Inventários, Processos Crime e Testamentos), Fontes para a História Administrativa do Rio Grande do Sul e Jornada de Estudos sobre Ditaduras e Direitos Humanos.

Exemplares da Revista do APERS

Synopse sobre Sesmarias (Edição Junho 1925)

Comparativo dos nomes das ruas de Porto Alegre (Edição Junho 1925)