conteudoimagem_1414158428_1_1_Untitled-1

Entre os dias 27 e 31 de julho a historiadora Clarissa Sommer participou do XXVIII Simpósio Nacional de História, realizado na UFSC, em Florianópolis. Além da participação ser encarada como um momento de formação profissional continuada, para a troca de ideias e experiências, também foi uma importante maneira de difundir o trabalho do Arquivo Público, e de agregar conhecimentos para qualificá-lo.

A servidora apresentou o trabalho intitulado “O Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul e as caixas pedagógicas AfricaNoArquivo: história, memória e patrimônio para a igualdade étnico-racial”, no Simpósio Temático “Ensino, memória e patrimônio: as África (s) e suas representações na cultura e identidade dos negros e negras brasileiras”, compartilhando a construção do projeto AfricaNoArquivo, a produção das caixas pedagógicas, seus desdobramentos e reflexões críticas. Confira aqui o resumo da comunicação. O artigo completo para publicação nos anais do evento será produzido até o dia 17 de agosto, de forma a poder incorporar as discussões e contribuições recebidas no Simpósio. Divulgaremos o texto assim que estiver pronto.

Com Flávia Rocha Prof do Acre

Ao final da apresentação, com a grande receptividade e demanda dos colegas, Clarissa sorteou entre os presentes no Simpósio o exemplar da caixa pedagógica que havia levado para mostrar durante a fala. A ganhadora foi Flávia Rocha, com nossa servidora na foto ao lado. Ela é professora e coordenadora do curso de especialização UNIAFRO, na Universidade Federal do Acre, e professora e coordenadora pedagógica na rede pública de ensino do mesmo estado. É uma alegria saber que o projeto AfricaNoArquivo chegou tão longe!

Além da participação no Simpósio referido, Clarissa pode participar também de debates no Simpósio “Arquivos como objeto: materialidade, temporalidade e trajetórias dos acervos documentais”, e nas mesas “História, verdade e ética”, “O lugar das historiadoras: feminismos e relações de gênero”, “Formação de professores e processos de ensino aprendizagem” e “Os historiadores e os arquivos”. Espaços que certamente contribuíram para aprofundar conhecimentos e bases teóricas, para refletir sobre as ações desenvolvidas no APERS e sobre como qualificá-las.

Certamente a participação em eventos da área é fundamental para garantir a atualização das servidoras e servidores, e para conectar o APERS com instituições e profissionais que possam contribuir para sua valorização e efetivação de seu papel social.

Anúncios