Atenção: no dia 31/12 não haverá expediente no APERS.

Deixe um comentário

2015.12.29 Ponto facultativo 31.12

Boas Festas e Ótimo 2016!!

Deixe um comentário

Mensagem APERS 2015

Publicada nova legislação que reorganiza o Sistema de Arquivos do Estado do Rio Grande do Sul – SIARQ/RS: Decreto nº 52.808/2015

Deixe um comentário

2015.02.25 SIARQRS

Decreto     O Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul (APERS), Órgão Gestor do SIARQ/RS, tem grande satisfação de informar que foi publicado, no Diário Oficial do Estado do dia 21 de dezembro, o novo decreto que reorganiza o Sistema de Arquivos do Estado do Rio Grande do Sul (SIARQ/RS): Decreto nº 52.808, de 18 de dezembro de 2015.

     Esta nova versão buscou atualizar a legislação estadual referente à gestão de documentos arquivísticos e resultou do trabalho do APERS, Órgãos Executivos, e Comitê Consultivo do SIARQ/RS, que, em suas reuniões, analisou as demandas recebidas dos Órgãos do Poder Executivo e, após consulta pública, finalizou a redação para este instrumento legal, remetendo-o aos trâmites para publicação.

     Ressaltamos que a constante qualificação da legislação arquivística estadual garante a continuidade do desenvolvimento da gestão documental nos órgãos e o fortalecimento do Sistema de Arquivos do Estado.

APERS terá horário de expediente diferenciado neste fim de ano: programe-se!

Deixe um comentário

2015.12.23 Expediente

Ciclo de Cinema e Debates “Mulher, Mulheres: História(s), Gênero(s) e Feminismo(s)”, no APERS

Deixe um comentário

cartazO Ciclo de Cinema e Debates teve seu encerramento no dia 12 de dezembro, no Auditório Marcus Justo Tramontini, no APERS, com as apresentações de Marcelli Cipriani, Cientista Social pela UFRGS, e Sophia Starosta, integrante do Nupsex e voluntária do CRDH da UFRGS, com a temática “Mulheres trans”.

O encerramento teve a fala da mestranda em História pela UFRGS, Camila Albani Petró, com o debate a partir da questão “Para que(m) serve o(s) gênero(s), a(s) história(s), o(s) feminismo(s)?”.

O evento ainda contou com a presença da Professora Ana Maria Collig, apresentando o Dicionário Crítico de Gênero, que organizou com o Professor Lisandro Antônio Tedeschi.

Confira abaixo algumas fotos do evento.

Ação Educativa em Arquivos VIII: serviço educativo no “The National Archives”, do Reino Unido

Deixe um comentário

Chegamos ao último texto do ano na série Ação Educativa em Arquivos, que abordará as experiências do The National Archives, ou Arquivos Nacionais do Reino Unido. Suas ações são bastante complexas, densas e bem estruturadas, certamente interessantes para motivar uma reflexão qualificada a respeito do potencial e do papel educativos dos arquivos públicos.

TNA 0

Ele é responsável pela documentação do Reino Unido, composto pelos países da ilha da Grã-Bretanha – Inglaterra, Escócia e País de Gales – e a Irlanda do Norte. Interessante notar que é uma instituição jovem, fundada em 2003 a partir da fusão de quatro organizações: o Public Record Office, criado em 1838 para ocupar-se dos arquivos de governo produzidos pela Inglaterra, País de Gales e Reino Unido; a Royal Commission on Historical Munuscrip, comissão criada em 1869 pelo poder real para identificar a localização e conteúdos de registros privados de interesse à história do Reino; o Her Majesty’s Stationery Office, que desde 1786 era responsável pelos documentos e publicações oficiais de autoria da Coroa e do Parlamento; e o Office of Public Sector Information, criado em 2005 por diretiva da União Europeia, para tratar e utilizar as informações reproduzidas e recolhidas pelo setor público do âmbito da UE.

Esta diversidade e amplitude faz com que o The National Archives reivindique o posto de maior arquivo organizado do mundo, detentor de documentos que permitem a análise de mais de 1.000 anos de história, desde a ocupação daquele território insular até a atualidade, passando pelo “tombo feudal”, pelas obras de Shakespeare até chegar nos recentes documentos desclassificados e disponibilizados ao público pelos governos do Reino Unido. A fundação contemporânea da instituição se deu a partir de uma concepção moderna de arquivo, enquanto espaço vivo, acessível, responsável pela gestão de documentos públicos, mas especialmente amplamente conectado e voltado à comunidade. Uma breve navegação pelo site da instituição evidencia isso: um programa consolidado voltado ao atendimento de professores e estudantes, instrumentos de pesquisa descomplicados, serviço de atendimento especial e personalizado aos pesquisadores, de todas as áreas, faixas etárias e níveis de formação – desde estudantes das escolas até pós-graduandos.

Obviamente não é possível comparar diretamente a realidade dessa instituição com a do APERS, ou com outros arquivos públicos brasileiros. É um universo bastante diverso do nosso, não só por ser uma instituição de caráter nacional, enquanto nos colocamos em uma posição estadual, mas também por questões históricas, econômicas e políticas. No processo de desenvolvimento da Revolução Industrial o Reino Unido constituiu-se enquanto a maior potência mundial imperialista, cuja riqueza permitiu alto grau de desenvolvimento econômico e social – em grande parte às custas da exploração de outras regiões do planeta – e onde a educação e o acesso à cultura puderam efetivar-se em outro patamar. Entretanto, reconhecendo tais diferenças ou desigualdades, nada impede que nos inspiremos com o trabalho desenvolvido por lá, sempre buscando aprofundar as relações entre sociedade e arquivo!

Nesse sentido, é um prazer navegar pela sessão “Education”, em destaque no portal institucional. Seria inviável desenvolver qualquer análise mais aprofundada de cada proposta, pois são muitas, então nosso principal objetivo, mais uma vez, é incentivar que nossas leitoras e leitores sintam vontade de navegar por lá também! Podemos encontrar uma grande variedade de ações educativas:

  • Longa série de propostas pedagógicas para uso em sala de aula, disponíveis para baixar, tratando de temáticas diversas e sobre todos os períodos históricos contemplados no acervo da instituição. Em geral, em cada uma delas são disponibilizados textos introdutórios, documentos digitalizados com suas respectivas transcrições, e propostas de questões para análise. Também há conteúdos maiores, ou mais aprofundados, voltados aos professores, para que possam preparar suas aulas a partir de uma gama de documentos e conhecimentos – podemos comparar com as propostas pedagógicas de nosso projeto “APERS? Presente, professores!“;
  • Workshops, ou oficinas, que podem ser agendadas para turmas escolares nas dependências do Arquivo, oportunizando o trabalho a partir de documentos originais – também podem ser comparadas com as oficinas oferecidas a partir de nosso Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS (PEP);
TNA 6 Workshops

Página de acesso às oficinas oferecidas pelo Arquivo.

  • Videoconferências, que também podem ser agendadas para “levar” os arquivos até as escolas. Nessas atividades um profissional do setor educativo apresenta a instituição, seus serviços, espaços e acervos, em uma visita virtual interativa;
Conhecendo as opções de videoconferências.

Conhecendo as opções de videoconferências.

  • Virtual classrooms, ou aulas virtuais, em que um educador do Arquivo interage com as turmas apresentando, analisando e debatendo contextos históricos e documentos que são disponibilizados em alta resolução através de um ambiente virtual;
  • Professional development, ou programa de desenvolvimento profissional voltado para professores. Nesta área, são oferecidas atividades e formações que tem como foco oportunizar que eles tenham acesso aos fundos e coleções do Arquivo, e desenvolvam suas próprias pesquisas e planos de ensino a partir deles – neste tópico, também é justo destacar os cursos de formação para professores oferecidos anualmente através do PEP. O programa realiza encontros de treinamento para grupos de professores mediante agendamento; desenvolve propostas pedagógicas em parceria entre a equipe de educação do Arquivo e pesquisadores universitários; mantém um curso de formação online, Making History: Using archives in classroom, em que compartilham com professores sua experiência com a utilização de fontes arquivísticas nas salas de aulas; e realizam anualmente um curso de formação, sempre em parceria com universidades, sobre o qual cabe dizer algumas palavras a mais.

Chamou-nos a atenção a última proposta de formação de professores mencionada, por buscar desenvolver algo que nos parece central: a habilidade de manuseio, leitura, interpretação e produção de conhecimento em parceria entre professores da educação básica, educadores do arquivo e professores universitários. O curso desenvolve-se a partir de palestras, atividades práticas, encontros no Arquivo e na sede da Universidade parceria, e tem como principal resultado a produção de pesquisa voltada ao ensino de história a partir de documentos arquivísticos, com a apresentação de novas propostas pedagógicas criadas pelos professores, que são publicadas pelo The National Archives. Certamente é um avanço em um longo e necessário caminho que visa desconstruir abismos ou hierarquias entre professores acadêmicos, professores da educação básica, e profissionais das instituições de memória. Muitas vezes ainda percebemos o acadêmico como aquele que produz e detém conhecimento, os professores do Ensino Fundamental ou do Ensino Médio como aqueles que vão “traduzir” para uma linguagem “simples” o conhecimento produzido pelos primeiros, e os historiadores, arquivistas de demais profissionais de arquivo como técnicos que devem simplesmente organizar e dar acesso às fontes para que outros “pensem-nas”. Nessa perspectiva, deixamos de lado a importante compreensão de que o processo de ensino-aprendizagem exige e envolve complexa produção de conhecimento, assim como ocorre nos processos de gestão documental, descrição, difusão e educação em arquivos.

Encerramos as postagens de 2015 sobre ação educativa em arquivos, felizes por difundir esse caminho de valorização, tanto da educação quanto dos arquivos, e de todos os profissionais que podem ser responsáveis pela construção de uma sociedade mais informada, preparada, ciente de seus direitos e de sua história, capaz de se apropriar do patrimônio cultural que a cerca, de questioná-lo e preservá-lo. Que em 2016, apesar das crises que vivenciamos e que lutaremos para superar, possamos seguir abrindo caminhos nessa perspectiva por aqui.

Pesquisando no Arquivo: Prontuários médicos

Deixe um comentário

    Durante o ano de 2015, elaboramos postagens acerca de processos que estão em nosso acervo e podem ser utilizados como fonte de pesquisa. Nosso objetivo é difundir a documentação e incentivar produções intelectuais a partir de fontes primárias que sirvam de suporte a estudo e pesquisa que levem a reflexões sociais e políticas, que possibilitem debates, seja de forma pública, com eventos e publicações, seja de forma privada, com autorreflexão por meio do conhecimento de histórias particulares, ricas de detalhes.

     Sabe-se que o acesso à informação é um direito fundamental do cidadão, garantido pelo governo do Estado, mas o direito à sua privacidade também o é. Por isso, em nossa última postagem de Pesquisando no Arquivo deste ano, nossa indicação, Prontuários médicos do Hospital Psiquiátrico São Pedro, provavelmente despertará mais interesse em pesquisadores de áreas, como das Ciências: da Saúde, Sociais, Humanas, Letras e Artes.

     O prontuário médico é um documento sigiloso e de manutenção permanente pelos estabelecimentos de saúde. A resolução CFM nº 1.638/2002 o define como:

documento único constituído de um conjunto de informações, sinais e imagens registradas, geradas a partir de fatos, acontecimentos e situações sobre a saúde do paciente e a assistência a ele prestada, de caráter legal, sigiloso e científico, que possibilita a comunicação entre membros da equipe multiprofissional e a continuidade da assistência prestada ao indivíduo”. (Art. 1º)

     Esta resolução se apoia nos principais documentos que disseminaram declarações e diretrizes sobre pesquisas que envolvem indivíduos, como: o Código de Nuremberg (1947); a Declaração dos Direitos do Homem (1948); a Declaração de Helsinque (1964 e suas versões posteriores de 1975, 1983 e 1989); o Acordo Internacional sobre Direitos Civis e políticos (ONU, 1966, aprovado pelo Congresso Brasileiro em 1992); as Propostas de Diretrizes Éticas Internacionais para Pesquisas Biomédicas Envolvendo Seres Humanos (CIOMS/OMS 1982 e 1993); e as Diretrizes Internacionais para Revisar Ética de Estudos Epidemiológicos (CIOMS, 1991).

     Ao disponibilizarmos os prontuários médicos do Hospital Psiquiátrico São Pedro, como instrumento restrito de pesquisa, buscamos incentivar o interesse científico e histórico, sem jamais deixar de salvaguardar a identidade de cada interno. Por isso, esta documentação possui restrição de acesso, e será necessário submeter seu projeto de pesquisa ao Conselho de Ética do Hospital Psiquiátrico São Pedro.

     Todo hospital que desenvolve pesquisa, ou permite que outros se utilizem de seu material para estudos e pesquisa, deve ter um Comitê de Ética em Pesquisa (CEP), cujos objetivos estão em:

  • facilitar a pesquisa médica no interesse da sociedade;
  • proteger os sujeitos da pesquisa dos possíveis danos;
  • preservar seus direitos e assegurar à sociedade que a pesquisa seja feita de forma eticamente correta.

     O Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Psiquiátrico São Pedro foi criado em 08 de junho de 1998, Portaria 35/98, para atender as normas da Resolução nº 196/96 do Conselho Nacional de Saúde (CNS), do Ministério da Saúde, que trata das diretrizes e das normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Foi credenciado pelo Conselho Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP) no mês de julho do mesmo ano, sendo o primeiro hospital psiquiátrico no país a ter um CEP registrado no CONEP.

     Cabe ao Comitê:

  • assessorar os envolvidos nas atividades de pesquisa;
  • analisar as denúncias de abusos ou notificação sobre fatos adversos que possam alterar o curso normal do estudo, decidindo pela continuidade, modificação ou suspensão da pesquisa, devendo, se, necessário, adequar o termo de consentimento;
  • manter a comunicação regular e permanente com a Conselho Nacional de ética em Pesquisa do Ministério da Saúde.

     Em nosso acervo, há cerca de 67943 prontuários médicos, que vão, com algumas variantes de tempo, de 1884 a 1973. Se você tiver interesse em pesquisar estes documentos, envie um e-mail para saladepesquisa@smarh.rs.gov.br e solicite seu atendimento!

Fontes:
http://www.cremers.org.br/
http://www1.saude.rs.gov.br/wsa/portal/index.jsp?menu=organograma&cod=2855
http://hospitaisestaduais.blogspot.com.br/2015/04/e-nomeado-novo-comite-de-etica-em.html

Atendimento APERS – 18 de dezembro

Deixe um comentário

2015.12.09 atendimento

Ciclo de Cinema e Debates “Mulher, Mulheres: História(s), Gênero(s) e Feminismo(s)” no APERS

Deixe um comentário

2015.11.11 cartaz final - GT Genero

    Nesta semana, dia 12 de dezembro, das 14h às 17h30min, no APERS, Auditório Marcus Justo Tramontini (Rua Riachuelo, 1031 – Centro Histórico), o Ciclo de Cinema e Debate terá sua continuidade com as apresentações de Marcelli Cipriani, Cientista Social pela UFRGS, e Sophia Starosta, integrante do Nupsex e voluntária do CRDH da UFRGS, com a temática “Mulheres trans”.

    O encerramento ocorrerá logo após as palestras, às 17h30min, com a mestranda em História pela UFRGS, Camila Albani Petró, que provocará o debate com a questão “Para que(m) serve o(s) gênero(s), a(s) história(s), o(s) feminismo(s)?”. Participe!

Confira abaixo algumas fotos do evento realizado no dia 28 de novembro.

Realizado evento de lançamento do livro “Primitivos Digitais: uma abordagem arquivística” no APERS

Deixe um comentário

     O Arquivo Público do Estado, em parceria com a Associação dos Arquivistas do Rio Grande do Sul, promoveu na última quinta-feira, dia 03, o lançamento do livro “Primitivos Digitais: uma abordagem arquivística” de Charlley Luz.

   O evento iniciou com uma palestra de Charlley, que contou com a participação do professor do Curso de Arquivologia da UFRGS Moisés Rockembach, onde abordaram conteúdos do livro, reflexões sobre teorias arquivísticas, as novas tecnologias do mundo da informação e as plataformas digitais.

     Ao final, o autor autografou exemplares do livro e o público presente pode desfrutar de um coquetel no jardim do APERS. Confira abaixo algumas imagens!

Atividades SIARQ/RS – Novembro/2015

Deixe um comentário

Durante o mês de novembro os servidores participaram das seguintes reuniões e assessorias técnicas do SIARQ/RS:

  • No dia 03/11 o arquivista Jonas Ferrigolo Melo realizou visita técnica ao arquivo da Companhia Rio-Grandense de Artes Gráficas (CORAG). A servidora Márcia Senna apresentou as atividades do arquivo e iniciativas para Gestão Documental na empresa foram estabelecidas.
  • Dias 04 e 17/11: os servidores do Arquivo Público, Débora Flores, Jonas Ferrigolo e Denise Nauderer Hogetop, participaram da Sala de Gestão do PROA, no Centro de Treinamento da PROCERGS. A Sala de Gestão consiste em explicar aos Administradores do PROA em cada órgão do Estado, como se atribui assuntos no Sistema de Processo Eletrônico – PROA e como funcionará a gestão documental de documentos híbridos (papel e eletrônico). Além disso, os servidores explicam a classificação documental segundo os instrumentos do SIARQ/RS.
  • Nos dias 04 e 24/11 ocorreram reuniões do Comitê Consultivo do Sistema de Arquivos do Estado – SIARQ/RS. Nas pautas estiveram em discussão: verificação das modificações sugeridas ao Plano de Classificação e Tabela de Temporalidade de Documentos; cujas demandas vieram da Receita Estadual/SEFAZ, PGE, COGEPOL/Polícia Civil e DETRAN. Além disso, teve início o estudo para tratativas sobre o corte temporal para documentos do Poder Executivo Estadual; foram propostas pautas e elaboração de um cronograma de trabalho do Comitê para o ano de 2016. Participantes: Everton Hagen (PROCERGS), Luis Otávio de Castro Silveira (SEFAZ), Natalia de Azevedo Morsch (PGE), Priscila Garcia Nunes (Polícia Civil), Clarissa Sommer Alves, Débora Flores, Jonas Ferrigolo Melo, Nôva Marques Brando, Renata Pacheco de Vasconcellos, Silvia de Freitas Soares e Viviane Portella de Portella (APERS).
  • Dias 05 e 25/11: servidores do Arquivo Público estiveram prestando assessoria na Secretaria de Educação (SEDUC). Primeiramente reuniram-se para tratar de metodologia para mapeamento de assuntos para o Sistema de Processo Eletrônico – PROA; e dia 25, a Diretora Débora Flores e o arquivista Jonas Ferrigolo participaram do treinamento PROA aos servidores, sendo os temas abordados: atribuição de assuntos no PROA e Gestão Documental.
  • Nos dias 05, 12, 19 e 26/11, reuniu-se, na Sala de Gestão da SMARH, o Comitê PROA para tratar de assuntos referentes a implantação do Sistema de Processos Eletrônicos. Nos encontros deste mês foi debatida a metodologia e a redação das resoluções que serão emanadas pelo Comitê Gestor do Processo Eletrônico.
  • 2015.11.06 SIARQ Parque Jardim Zoo (FZB) (1)Dia 06/11: o SIARQ/RS se reuniu com os servidores da Parque Jardim Zoológico (FZB), no município de Sapucaia do Sul, para tratar de questões da gestão de documentos, estudo para criação do Plano de Classificação (atividade-fim) e Tabela de Temporalidade Documental. Na reunião estavam presentes: Inês de Oliveira, Márcia Weber, Maria Teresa, Marco Antonio Squeff, Paulo Roberto Salerno (FZB), as arquivistas Iara Gomide e Marta Helena Araujo (APERS).
  • Dia 10/11: Foi realizada uma reunião com a Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (FASE) para propor a implementação da gestão documental, com assessoria do SIARQ/RS. Participantes: Artur Neto, Bruno Xavier Selinger, Eliane Mombach, Idalisa Klug, José Reus (FASE), Débora Flores, Jonas Ferrigolo Melo, Silvia de Freitas Soares (APERS).
  • Dia 12/11: a arquivista do APERS esteve na Secretaria do Planejamento e Desenvolvimento Regional (SEPLAN) dirimindo dúvidas quanto à classificação de expedientes administrativos, de acordo com o Plano de Classificação de Documentos. Na oportunidade, também, conversou com a Diretora do Departamento Administrativo, que expôs a necessidade de organizar os documentos referentes às pastas funcionais de servidores inativos. Participantes: Silvia de Freitas Soares (APERS), Bianca Pereira Zotti, Leocadia Nunes Jung, Vânia Caetano. (SEPLAN).
  • Dia 13/11: as arquivistas estiveram reunidas, primeiramente na Farmácia de Medicamentos Especiais/SES e, após, foram acompanhadas até o Ministério da Saúde para verificar informações quanto à custódia de documentos identificados como registros do Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social (INAMPS), acumulados em um pavilhão no Hospital Colônia de Itapuã (HCI). Participantes: Maria Carmen Remia Mikoleiczak (Farmácia de Medicamentos Especiais/SES), Renata Vasconcellos, Silvia de Freitas Soares (APERS), Nistely Luiza Grellmann Pacheco, Oswaldo Silvino Filho (Ministério da Saúde).
  • Dia 17/11: foi realizada assessoria técnica, sobre os procedimentos para realizar a eliminação de documentos, na 1ª Delegacia de Polícia para a Criança e o Adolescente Vítima (DECA/PC). Participantes: Augusta Höehr (DECA/PC), Renata Pacheco de Vasconcellos, Silvia de Freitas Soares (APERS).
  • No dia 17/11 o Arquivo Público recebeu os servidores da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul (FAPERGS) para tratar da continuidade do projeto de gestão documental da instituição. Ficou encaminhado que a Fundação fará um estudo, com seus servidores, para propor a atualização da Tabela de Temporalidade Documental – TTD do órgão, existente desde 2005. Em concomitância ao estudo, os servidores promoverão a eliminação de documentos segundos os prazos já estabelecidos pela TTD em vigor. Estiveram presentes na reunião: Joannes Paulus Pinto Soares, Daniela Schuller Barcellos, Rafael Monte Maior de Oliveira, Renato Santiago (FAPERGS), Jonas Ferrigolo (APERS).
  • Dia 19/11 os arquivistas Débora Flores, Jonas Ferrigolo e Viviane Portela de Portela, visitaram um dos acervos da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) para compreender a documentação com vista na atualização da temporalidade daquela tipologia produzida pela PGE. A procuradora Natalia Morsch, representante da PGE no Comitê Consultivo e o servidor Renato Abech, recepcionaram a equipe.
  • Dia 19 e 24/11: o SIARQ/RS se reuniu com as servidoras da Fundação de Proteção Especial (FPE) para tratar sobre gestão documental. Os assuntos tratados nas reuniões foram a análise tipológica dos documentos encontrados nos Prontuários Sociais, e o treinamento dos servidores da Fundação para a organização física dos prontuários. Participantes: Andréa Palliano, Clarisse Hossen, Daniela Fernandes, Vitiana Witti (FPE), Jonas Ferrigolo, Renata Vasconcellos, Silvia Soares (APERS).
  • No dia 20/11 as arquivistas do APERS, Iara Gomide Machado, Renata Pacheco de Vasconcellos e Silvia de Freitas Soares, se deslocaram até o Hospital Colônia de Itapuã (HCI) para verificar a massa documental acumulada (tipologias, condições de preservação e acesso), a fim de esclarecer sobre a custódia destes documentos identificados como registros do Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social (INAMPS).2015.11.20 HCI Iara, Renata, Silvia
  • No dia 30/11, foi publicado no Diário Oficial do Estado, página 21, a Portaria nº 139/2015 da SMARH, que institui o Grupo de Trabalho de Prontuário Eletrônico vinculado ao Departamento de Perícia Médica e Saúde do Trabalhador (DMEST) e coordenado pelo seu Diretor. Tem o objetivo de promover o debate sobre o uso do prontuário eletrônico visando aumentar a eficiência da gestão pública por meio das novas tecnologias da informação, sendo de competência do GT contribuir no processo de modernização, informatização e digitalização dos processos administrativos. O Grupo de Trabalho é composto pelos seguintes servidores: Débora Flores, Jonas Ferrigolo Melo (SIARQ/RS); Antonio Henrique Abrahão Ribeiro, Fabio Nobre Zimmer, Carmem Colman, Kleber Rocha, José Gonçalves de Araujo e Sidêmia Kleber (DMEST); Alexandre Rovinski Almoarqueg (SGG) e, como convidado, Everton Hagen (PROCERGS – Analista de Negócios da SMARH).

Para solicitar assessoria ao SIARQ/RS, visando implementar as normativas e os instrumentos de gestão documental, pode entrar em contato pelo e-mail siarq-apers@smarh.rs.gov.br ou telefone (51) 3288-9114.

APERS em Números – Novembro 2015

Deixe um comentário

Confira alguns dados referentes aos serviços realizados no APERS durante o mês de novembro:

  • Usuários atendidos: 1026
  • Atendimentos aos usuários: 555
  • Busca e rearquivamento: 448
  • Indexação Sistema AAP: 2572
  • Oficinas de educação patrimonial: 17 oficinas com 349 estudantes
  • Reprodução de documentos: 1331
  • Visitas guiadas: 08
  • Visualizações blog institucional: 11161

Veja abaixo gráfico com os quantitativos diários de atendimento aos usuários referente ao mês de novembro:

2015.12.02 APERS em Números

Saiba mais sobre os serviços que o APERS presta a comunidade.

Visitas guiadas ao APERS – Novembro 2015

Deixe um comentário

No mês de novembro foram realizadas 7 visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público do RS. Visitaram nossa instituição:

Dia 07: 38 alunos do Curso de História da Universidade de Caxias do Sul acompanhados pela professora Katani Montein.

Dia 09: Mogar Tapir Machado de Souza, Técnico Tributário da Receita Estadual responsável pelo Arquivo Central da Secretaria da Fazenda Estadual.

Dia 11: 35 alunos do Curso de Museologia da UFRGS, acompanhados da professora Giane Vargas Escobar.

Dia 12: 30 alunos do Curso de Biblioteconomia da UFRGS, acompanhados da professora Giane Vargas Escobar.

Dia 13: José Almeida da ASCAR/EMATER-RS; que teve interesse em conhecer o APERS para ter uma noção do processo de administração do acervo, pois estão planejando a reorganização da documentação do setor em que trabalha.

Dia 20: 15 Alunos do SENAC do Curso de Assistente em Administração (PRONATEC) e a professora Cíntia Rebello.

Dia 30: Adriana Weber, pesquisadora APERS e estudante de História da UNIASSELVI.

Guias: Aerta Grazzioli Moscon, Caroline Acco Bassegio, Giglioli Rodrigues, Nôva Brando, Roberta Capelão Valença Scholz, Viviane Portella.

Oferecemos, semanalmente, visitas guiadas ao conjunto arquitetônico, com duração de 1h30min, nas segundas-feiras às 14h30min e nas sextas-feiras às 10h. Também é possível agendar sua Visita Guiada pelo e-mail visitas@smarh.rs.gov.br ou pelo telefone (51) 3288 9112. Estamos esperando sua visita!

Os Caminhos da Matriz – Novembro 2015

Deixe um comentário

Na tarde de sábado do dia 28 de novembro, cerca de 30 pessoas participaram da última edição do ano de “Os Caminhos da Matriz”. O tempo colaborou com um calor agradável e sem chuvas!

O grupo encontrou-se com os organizadores na Praça da Matriz, às 14h e logo após seguiu para conhecer o Palácio Piratini, o Arquivo Público do Estado e o Memorial do Judiciário.

No Arquivo Público do RS foram guias da visita, as servidoras Caroline Acco Bassegio e Giglioli Rodrigues. Confira algumas imagens abaixo!

Este slideshow necessita de JavaScript.

PreservAPERS – Treinamento de Combate a Incêndios

1 Comentário

    No dia 27 de novembro de 2015, foi realizado no APERS, um Treinamento de Combate a Incêndios, que foi ministrado pelo Senhor Coronel da Legião Altiva da BM/RS, Sérgio Pastl, de forma voluntária.

    O evento faz parte do conjunto de ações do PreservAPERS e participaram da atividade todos os servidores, estagiários e terceirizados, lotados no Arquivo Público. O treinamento teve atividades práticas com bastante envolvimento dos participantes, como mostram as fotos anexas.

Servidora do APERS participa do Curso de Elaboração de Projetos Sociais e SICONV

Deixe um comentário

Escola de GovernoA Escola de Governo (EG), por meio da Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH), promoveu, de 10 a 13 de novembro e de 23 a 27 de novembro de 2015, o Curso de Elaboração de Projetos Sociais e SICONV (Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse, que tem como uma das finalidades facilitar as apresentações de projetos aos programas ofertados pelo Governo Federal).

Este curso se deu pela necessidade de capacitação dos servidores públicos para atuação no planejamento e na elaboração de projetos sociais, tendo em conta os aspectos mensuráveis, específicos, temporais, alcançáveis e significativos, de monitoramento e avaliação, visando captar recursos disponíveis e estratégicos para desenvolvimento e implementação de políticas públicas via construção de parcerias entre Estado e sociedade civil.

Foram disponibilizadas 30 vagas para servidores públicos e agentes sociais, das quais 05 foram de livre concorrência e 25 foram por indicação do Comitê de Recursos Humanos da Escola de Governo, na seguinte distribuição: Assembleia Legislativa (3), DAER (1), Defensoria Pública (3), FDRH (2), IPERGS (3), SDR (1), SEAPA (1), SEMA (1), SEPLAN (1), SETEL (2), SMARH (2), TJ (1), UERGS (2).

Participantes do curso SICONV

Pelo Arquivo Público do RS (APERS/SMARH), esteve participando deste curso a servidora Angelita Santos da Silva, Técnica em Assuntos Culturais; com o objetivo de aprender a utilizar as ferramentas corretas e ter conhecimento específico para atuar em planejamentos e em elaboração de projetos sociais, a partir da compreensão geral do portal de convênios – SICONV.

Para tal, o curso de 40 horas foi dividido em duas etapas:

  • Teórica, ministrada por Stella Bittencourt, cujo objetivo era o de apresentar os itens necessários para a elaboração e o planejamento de projetos voltados para as Políticas Públicas do Rio Grande do Sul, dando a conhecer tanto o que é um projeto social e as metodologias adequadas quanto a captação de recursos alinhados aos PPAs.
  • Prática, ministrada por Joanez Woschnack, cujas aulas foram desenvolvidas em ambiente virtual de treinamento, disponibilizado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, que introduziu o SICONV e possibilitou, a partir de usuário e senha disponibilizados para treinamento, uma simulação de execução, liquidação e prestação de contas de um projeto a ser avaliado.

No curso, mostrou-se desde o planejamento de um projeto, partindo da visualização de um problema e da estrutura da proposta, até o cadastramento no sistema e sua execução. O sistema é bastante complexo, mas também é uma possibilidade de se obter verba para implementação de projetos.

Oficinas de educação patrimonial – Novembro 2015

Deixe um comentário

Imagem para post Oficinas

Confira as escolas que participaram das Oficinas de Educação Patrimonial oferecidas pelo APERS durante o mês de novembro:

Dia 03: os alunos do 2º ano, turma 201, do Colégio Ignácio Montanha participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” no turno da manhã, acompanhados pela professora Raquel Braun. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Dia 03: os alunos do 6º semestre do Curso de Museologia da UFRGS participaram de uma vivência da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” no turno da tarde, acompanhados pela professora Zita Possamai. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Dia 03: os alunos do EJA do Colégio de Aplicação UFRGS participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” no turno da noite, acompanhados pelo professor Valderlei Machado. Clique aqui para acessar o álbum de fotos. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Dia 04: os alunos do 1º ano da Escola Estadual de Ensino Médio Professor Oscar Pereira participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” no turno da manhã, acompanhados pela professora Adriana Costa. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Dia 05: os alunos do 2º ano, turma 202, do Colégio Ignácio Montanha participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” no turno da manhã, acompanhados pela professora Raquel Braun. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Dia 10: os alunos do 2º ano, turma 203, do Colégio Inácio Montanha participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, pela manhã, acompanhados pela professora Raquel Braun. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Dia 11: os alunos do 2º ano, turma 204, do Colégio Inácio Montanha participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, pela manhã, acompanhados pela professora Raquel Braun. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Dia 11: os alunos do 6º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Theodoro Bogen participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Guilherme B. De Fraga. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Dia 12: os alunos do 9º ano, turma 93, do Escola Municipal de Ensino Fundamental Hebert José Souza participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, pela manhã, acompanhados pelo professor Marcelo Rios. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Dia 17: os alunos do 9º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Justino Camboim, de Sapucaia do Sul, participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: historiador por um dia”, no turno da manhã, acompanhados pela professora Ana Paula Madruga. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Dia 18: os alunos do 6º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Alberto Santos Dumont, de Sapucaia do Sul, participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo”, no turno da manhã, acompanhados da professora Ana Paula Madruga. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Dia 18: os alunos do 6º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Décio Martine Costa participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo”, no turno da tarde, acompanhados da professora Caroline Petrini. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Dia 19: os alunos do 2ª ano da Escola Estadual de Ensino Médio Padre Nunes, de Gravataí, participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, no turno da manhã, acompanhados pelo professor Rafael Policeno. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Dia 24: os alunos do 6º ano, turma 61, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Getúlio Vargas, de Cachoeirinha, participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo”, no turno da tarde, acompanhados pela professora Tanise Chaves Amaral. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Dia 25: os alunos do 7º ano, turma 7D, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Alberto Santos Dumont participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo”, no turno da manhã, acompanhados pela professora Ana Paula Madruga. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Dia 25: os alunos do 8º ano, da Escola Municipal de Ensino Fundamental São Pedro participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: historiador por um dia”, no turno da tarde, acompanhados pelo professor Paulo Sérgio da Silva. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Dia 26: os alunos do 3º ano, turma 303, do Colégio Estadual Augusto Meyer, de Guaíba, participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, no turno da manhã, acompanhados pelo professor Alfredo C. Ranzan. Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Para saber mais sobre nossas oficinas acesse aqui.

%d blogueiros gostam disto: