PEP UFRGS-APERS convida: Mesa Vozes que não se calam! Direitos Humanos, Democracia, Liberdade.

Deixe um comentário

No Dia Internacional dos Direitos Humanos, no ano em que se celebram os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, dia 10 de dezembro, segunda-feira, às 14:30h, realizaremos a atividade de encerramento das ações do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS em 2018. A mesa “Vozes que não se calam! Direitos Humanos, Democracia, Liberdade” será realizada com testemunhos de Claudio Gutierrez, Ignez Serpa e Nilce Azevedo Cardoso, ex-presos políticos que têm seus processos de indenização salvaguardados pelo APERS. Tais documentos são utilizados com as turmas escolares que participam da oficina “Resistência em Arquivo: patrimônio, ditadura e direitos humanos”.

Nosso objetivo é oportunizar um espaço de encontro e escuta sensível, em que estudantes e professores que leram e debateram sobre sus histórias – marcadas pela repressão, tortura e resistência à ditadura civil-militar – possam conhecê-los pessoalmente, prestar-lhes a homenagem merecida e aprofundar conhecimentos.

Cremos que será uma tarde muito significativa não apenas para pensarmos as relações entre passado e presente, mas também para reafirmarmos nosso compromisso com o livre acesso à informação e aos arquivos, com o direito à memória e com a democracia.

Informações podem ser obtidas pelo e-mail acaoeducativa@smarh.rs.gov.br ou pelo fone (51)3288-9117. O evento é aberto à comunidade, entretanto o público prioritário são os estudantes e professores que participaram das oficinas do PEP em 2018. Nesse sentido, as inscrições devem ser feitas por e-mail informando nome completo, telefone para contato e escola/instituição de vinculação, de forma que possamos confirmar as vagas oportunamente antes do evento.

Cartaz Vozes que não se calam PEP 2018 final

Associação dos Amigos do APERS tem nova diretoria para a Gestão 2018-2020

Deixe um comentário

 

A Associação dos Amigos do Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul (AAAP) reuniu-se em Assembleia Geral no dia 23 de novembro, às 17 horas, na ocasião em que, com a presença dos associados, foi aclamada a nominata formada para a nova gestão da entidade, para o próximo biênio 2018/2020.

A Associação tem por finalidade conduzir o interesse da comunidade na suplementação de carências administrativas, técnicas e culturais do Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul – APERS.

A nominata eleita é composta por:

Diretoria

Presidente: Anderson Fiori Portella
Vice-presidente: Rosani Feron
Primeira Secretária: Sonia Sisto Burnett
Segundo Secretário: Romilda Raeder
Primeira Tesoureira: Iara Gomide Machado
Segunda Tesoureira: Clara Marli Scherer Kurtz

Conselho Fiscal

Titulares

Clarissa de Lourdes Sommer Alves
Cléo Belicio Lopes
João Guilherme Burnett
Suplentes

João Alberto Licht Teixeira
Maria Isabel Ferreira Garcia
Minervina Garcia

Faça parte desse grupo de amigos! Associe-se! Informações: aaaprs@gmail.com ou (51)3288-9134.

Encontro dos Arquivistas e Apresentação Musical

Deixe um comentário

Na última sexta-feira, dia 23 de novembro, tivemos o Encontro dos Arquivistas, com relatos sobre o VIII Congresso Nacional de Arquivologia de 2018, pelo arquivista Jonas Ferrigolo, e sobre as ações para criação do Conselho Profissional de Arquivologia, pela arquivista Clara Kurtz. Como encerramento das atividades da 1ª Semana do Arquivista e do Servidor Público – 1ª SAS, desfrutamos de uma apresentação musical do quarteto Camila Paes, Daniela Amaral, Carlos Dinarte e Mauro Amaral, evento aberto à participação dos profissionais da área.

 

Ação Educativa do APERS e o “Caso X” no III Encontro Discente de História da UFRGS

Deixe um comentário

Pensando na ampliação dos usos de seu acervo para além das pesquisas acadêmicas e técnicas já habituais ao Arquivo, o APERS tem investido na elaboração de ações educativas que visam utilizar o patrimônio documental nele salvaguardado de uma maneira mais lúdica e didática, mas sem deixar de lado todo o aspecto crítico e investigador inerente ao campo da História e da Arquivologia.

Já compartilhado no XIV Encontro Estadual de História da ANPUH-RS e no XIII Salão de Iniciação Científica e Extensão do IPA sobre o processo de elaboração da Jogoteca Educativa do APERS e a criação de seu primeiro jogo, “Caso X: investigando um crime da ditadura em Porto Alegre”. No dia 19 de novembro foi a vez de compartilhá-los no III Encontro Discente de História da UFRGS.

O trabalho intitulado “Fontes documentais e ensino de História: o uso do Caso X em sala de aula” foi apresentado no eixo temático “saberes, práticas e ensino de história” pelos estagiários e estudantes de História da UFRGS, Gustavo Ziel e Jéssica Gomes de Borba. Deu-se atenção à criação do jogo, mas o enfoque recaiu sobre a fase de testes através de quatro partidas realizadas em três escolas de Porto Alegre, debatendo-se a eficiência do projeto, relatando as discussões obtidas a partir dele e os conceitos que foram trabalhados. Nestes momentos os alunos trouxeram para as partidas e discussões um pouco de suas vivências, visões de mundo e temas trabalhados pelos seus professores em sala de aula.

As escolas visitas foram: Institudo de Educação Flores da Cunha, EEEF Imperatriz Leopoldina e EEEM Oscar Pereira. Agradecemos às professoras Laura Montemezzo, Isadora Librenza e Adriana Santos pela receptividade e parceria com toda equipe do PEP e parabenizamos pelo excelente trabalho com as suas turmas.

A experiência conectou a equipe de Ação Educativa do APERS e a disciplina Estágio de Docência em História III – Educação Patrimonial, ministrada pelas professoras Carmem Gil e Caroline Pacievitch. A medida em que dois de seus estudantes-estagiários puderam realizar suas 40h de observação e prática inseridos no projeto da Jogoteca, participando da finalização do jogo Caso X e realizando as práticas nas escolas. Que estes espaços de troca sigam florescendo!

Jogoteca Educativa do APERS é difundida no XIII Salão de Iniciação Científica e Extensão do IPA.

Deixe um comentário

Quais os usos possíveis para os documentos de arquivo? Como difundi-los e ampliar seu alcance social? Em geral costuma-se pensar as instituições arquivísticas como espaços de pesquisa acadêmica ou técnica, lugares “habitados” por historiadores, genealogistas, graduandos, mestrandos, doutorandos… Certamente estes são usuários potenciais e importantes, mas os arquivos pertencem a todos e todas nós, podem ser acessados por diversos grupos sociais, para diversas finalidades e em múltiplos contextos.

Nesse sentido o APERS tem investido na formulação de ações educativas em vários formatos, oportunizando a ampliação dos usos de seu acervo em ambientes escolares ou espaços não formais de educação. Entre essas propostas está a Jogoteca Educativa do APERS, projeto criado em 2018 e que vem se desenvolvendo para a partir de 2019 viabilizar o empréstimo de jogos para educadores. A ação já tinha sido divulgada em evento de lançamento realizado no Arquivo, em junho, e no XIV Encontro Estadual de História da ANPUH-RS, em julho. Em outubro foi a vez de ser compartilhada no XIII Salão de Iniciação Científica e Extensão do Centro Universitário Metodista – IPA pela estagiária Jéssica Gomes de Borba, que atualmente cursa o Bacharelado em História na UFRGS e já é licenciada em História pela FAPA. Jéssica deu visibilidade à Jogoteca dando enfoque ao processo de construção de seu primeiro jogo, “Caso X: investigando um crime da ditadura em Porto Alegre”.

A apresentação da comunicação “Os usos educativos do patrimônio documental do APERS: a criação do jogo ‘Caso X’” ocorreu na tarde de 26 de outubro. O resumo expandido será publicado em breve. Informações a respeito do projeto podem ser obtidas através do e-mail acaoeducativa@smarh.rs.gov.br.

Arquivo Público esteve presente no XIV Encontro Estadual de História!

Deixe um comentário

Entre os dias 24 e 27 de julho a PUC-RS sediou o XIV Encontro Estadual de História da ANPUH-RS, com o tema Democracia, Liberdades e Utopias. Com o intuito de difundir as ações do APERS a equipe de seu Núcleo de Ação Educativa inscreveu trabalhos no evento, que foram apresentados no dia 26/06.

Os estagiários e Paulo Eduardo Fasolo Klein, com orientação da servidora Clarissa Sommer, inscreveram o pôster “Que os jogos comecem!”: Caso X e a formação da Jogoteca Educativa do APERS. A partir desse trabalho compartilharam a criação do novo projeto educativo da instituição e divulgaram o primeiro jogo autoral produzido em seu âmbito pela equipe. “Caso X: investigando um crime da ditadura em Porto Alegre” foi inspirado no jogo Detetive e ambienta-se na cidade de Porto Alegre no contexto da ditadura civil-militar. O desafio é desvendar um crime cometido pelos agentes da repressão percorrendo lugares de memória da cidade. As biografias dos personagens foram inspiradas nas histórias de vida registradas pelos processos de indenização a ex-presos políticos salvaguardados no Arquivo, com os quais as escolas terão contato ao locar o jogo.

Já a servidora Clarissa inscreveu a comunicação “Pelo olhar de uma historiadora do Arquivo, reflexões sobre escrita da história e História Pública”, que foi aceita junto ao Simpósio Temático Teoria da História e Historiografia: Democracia, Liberdades, Utopia. Neste espaço apresentou reflexões preliminares a partir de seu trabalho de mestrado desenvolvido junto ao Programa de Pós-Graduação em História da UFRGS, que versa sobre a atuação de historiadores em instituições arquivísticas estaduais. Buscou dialogar com os pares a respeito do cenário de atuação profissional encontrado a partir dos levantamentos realizados e da aplicação de questionários, sobre os desafios enfrentados por ela enquanto historiadora que é servidora de um Arquivo Público, e sobre as múltiplas potencialidades para a escrita da história e a história pública percebidas neste percurso.

Os resumos de ambos trabalhos podem ser acessados aqui.

 

1ª Semana do Arquivista e do Servidor Público – 1ª SAS

Deixe um comentário

    O Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul – APERS, no intuito de valorização e reconhecimento de seu quadro funcional na realização de pequenas ou grandes tarefas, que juntas se consolidam no funcionamento da Instituição, como no atendimento à comunidade em geral e no cumprimento das obrigações de arquivista e de servidor público, para o alcance do sucesso dos objetivos institucionais, abre as comemorações, em homenagem aos dias do Arquivista (20/10) e do Servidor Público (28/10), com a 1ª Semana do Arquivista e do Servidor Público – 1ª SAS.

   A 1ª edição da SAS foi planejada com diversas atividades, como oficinas e palestras, que envolvem seus colaboradores como participantes ou ministrantes dos eventos. A programação teve abertura dia 25 de outubro com fala da Diretora Aerta Grazzioli Moscon, seguido de um café da manhã preparado com muito esmero e carinho pela colega Nilza Teresinha de Mello Escalante, acompanhado de atração musical ao violino, e brincadeiras de confraternização entre os servidores, estagiários e terceirizados do APERS.

    No dia 26 de outubro pela manhã, teve o workshop Redação de E-mail Institucional ministrado pela colega Denise Nauderer Hogetop e, à tarde, foi realizada a Oficina de Fuxico, ensinada com muita maestria pela colega Renata Pacheco de Vasconcellos, ambos muito apreciados pelos participantes.

    Em 30 de outubro foi realizado o workshop Momento Beleza, com ensinamentos sobre limpeza de pele e maquiagem, ministrado pela instrutora Sandra Denis Kotowski Doring, da empresa Mary Kay, com o objetivo de fazer nossas meninas ficarem ainda mais bonitas. Imaginam como ficaram? Lindíssimas!

    Já no dia 09 de novembro, foi realizada a palestra Psicologia no Arquivo: Comunicação assertiva e relacionamento interpessoal no trabalho, com os formandos em Psicologia Márcia Vanessa Assis dos Reis e José Lucas Duarte.

    Hoje, dia 14 de novembro, acontece a Feira do Desapego, com exposição para doação, troca ou venda de objetos, roupas, acessórios e calçados que os servidores, estagiários e terceirizados queiram desapegar.

E para finalizar as comemorações da 1ª SAS, no dia 23 de novembro, teremos o Encontro dos Arquivistas, com relatos sobre o VIII Congresso Nacional de Arquivologia de 2018, pelo arquivista Jonas Ferrigolo, e sobre as ações para criação do Conselho Profissional de Arquivologia, pela arquivista Clara Kurtz, além de apresentação musical dos arquivistas Carlos Dinarte e Mauro Amaral, evento aberto à participação dos profissionais da área.

 

Abaixo, confira algumas fotos dos eventos.

Pesquisando no Arquivo: Secretaria da Justiça VIII

Deixe um comentário


Os processos de solicitação e revisão de pensão vitalícia integram um acervo com cerca de 83 caixas pertencentes ao Poder Executivo da Secretaria da Justiça (1975 – 1991). Estes processos são ações movidas contra o Estado por viúvas e/ou dependentes de falecidos funcionários do Estado que pleiteiam a obtenção do benefício de pensão por morte. Neste texto, levantaremos algumas sugestões de potencialidades de pesquisa histórica que os documentos do acervo propiciam ao pesquisador. Entre os diversos processos, selecionamos três deles referentes a agentes penitenciários mortos em objeto de serviço que podem revelar interessantes elementos para pesquisas condizentes à história do crime no Estado, vida prisional e relações entre agentes penitenciários e detentos nos presídios do Estado do Rio Grande do Sul nas décadas de 1960 a 1980.

O marco temporal em que se desenrolam os fatos é contextualizado no período de ditadura civil-militar, permeando entre a segunda metade da década de 1970 e o início da década de 1980, ou seja, entre o período de combate aos grupos de luta armada e o início do processo de reabertura política e volta à democracia. Cabe aqui ressaltar que ao longo da década de 1970 era comum as penitenciárias serem utilizadas para a detenção de presos políticos, que dividiam o mesmo espaço com as detenções pelo crime comum em severas situações de maus tratos. Há uma mudança de panorama prisional ao longo da década de 1980, quando a vida nas penitenciárias passa a ser marcada pelas iniciativas de rebelião de detentos e reivindicações de melhores condições de cárcere (incluindo alimentação, higiene, ocupações, entre outros) e de protesto à superlotação e maus tratos aos detentos. Tal atmosfera é resultante do momento histórico de retomada de direitos democráticos e esperança de iminente reabertura política.

Através do processo de solicitação e revisão do benefício de pensão vitalícia recebido pela viúva Marlene, podemos conhecer a história de seu falecido esposo, Jardecy, agente penitenciário do Presídio Central de Porto Alegre. Em seu incipiente segundo ano de exercício da função, em 1965, Jardecy foi esfaqueado sete vezes pelo detento Antonio, vulgo “Baiano”, condenado a uma pena superior a 100 anos. Ao tentar conter a tentativa de rebelião promovida por Baiano, Jardecy sofreu o ataque e, apesar de sua tentativa de defesa, não resistiu aos ferimentos e veio a óbito em seguida. Em reportagem do jornal Folha da Tarde, anexada ao processo, foi relatado que o Presídio Central, lotado com mais de 700 detentos, era assegurado por apenas quatro agentes penitenciários, fragilizando assim a segurança do local na contenção de motins. Consta ainda que a agitação se deu a partir da suposta tentativa de suicídio do preso, apesar de não haver mais elementos que confirmem a referida afirmação.

Outro processo, movido por dona Dioides, viúva de Dionísio, também agente penitenciário do Presídio Central, pleiteia a obtenção de pensão. A morte de Dionísio ocorreu enquanto trabalhava em uma madrugada de agosto de 1976. Enquanto participava do translado de um detento (não identificado nos documentos) do Presídio Central para a Justiça de Santo Augusto, o ônibus em que o estavam fez uma parada em um restaurante na estrada para refeição. Nesse momento, foi abordado por dois indivíduos, também não identificados, que em uma intensa troca de tiros, conseguiram libertar o preso que estava sendo conduzido, desaparecendo os três em fuga. No conflito, Dionísio foi atingindo e, socorrido para o hospital mais próximo, não resistiu e veio a óbito dias depois.

Nosso outro agente penitenciário falecido em objeto de serviço dessa vez não inclui o quadro de funcionários do Presídio Central, mas do Presídio Municipal de Santo Angelo, numa curiosa demonstração de relação entre detento e agente. Hugo, administrador daquela penitenciária, foi assassinado a tiros pelo preso Pedro, vulgo “Monteirinho”, que escondia uma arma em seu colchão. O processo contém uma sindicância que apura as circunstâncias do assassinato de Hugo, recolhendo termos de depoimento de testemunhas do incidente no Presídio. Ao longo dos depoimentos, diversos elementos saltam aos olhos do leitor, como o relato de frequentes fugas dos detentos, Monteirinho e seu espírito persuasivo para com os funcionários do presídio, a relação quase amistosa entre Hugo e o detento, bem como a reconhecida “malandragem” de Monteirinho, sua embriaguez frequentemente inconveniente e personalidade explosiva.

A curiosa relação entre Hugo e Monteirinho é perceptível nos depoimentos em que ambos saíram juntos para caçar, tomar cerveja, ou quando Hugo saía para visitar a filha do preso, que achava-se frequentemente baixada no hospital – fato que explica as frequentes dispensas de Monteirinho emitidas por juízes a fim de permitir a visita aos seus familiares. Inclusive, em reportagem anexada ao processo, é noticiada a boa relação entre ambos, tanto que Hugo acreditava na recuperação de Monteirinho, o que não se concretizou a tempo de evitar o pior.

O fatídico acontecimento do assassinato se deu quando, depois do retorno à penitenciária vindo de uma de suas dispensas, Monteirinho passou a noite ingerindo bebidas alcoólicas e provocando incômodos barulhos com suas cantorias etílicas, ao som de um rádio portátil a todo volume na prisão. Ao ser repreendido por Hugo por conta da inconveniência e alertado de que seria detido em celas de segurança por causa de seu mau comportamento, furioso, dirigiu-se a sua cama, sacou duas armas de fogo e, batendo na porta do quarto do administrador, desferiu-lhe dois tiros, causando assim a morte de Hugo. Um ponto interessante, também, se concentra na informação de que o agente penitenciário foi assassinado no dia em que planejava matar um boi para fazer um churrasco aos detentos.

Através dos processos de solicitação de pensão vitalícia aqui citados, é possível estabelecer uma linha de raciocínio na qual as relações estabelecidas dentro do sistema prisional entre agentes penitenciários e detentos, bem como a própria relação de solidariedade entre os presos, refletem a insuficiência do Estado em garantir tanto a segurança dos presidiários como a segurança dos servidores que lá trabalham. Dessa forma, os processos de solicitação de pensão se mostram ricos em potencialidades de pesquisa tanto pelas mais diversas histórias de relações sociais e familiares, quanto pelos documentos que integram o corpo dos processos, que incluem certidões de nascimento, casamento, óbito, sindicâncias, pareceres, portarias de decretos, processos de autuação, autos de necropsias, termos de depoimentos, entre tantos outros. Os elementos neles contidos fornecem aportes para pesquisas nas áreas de genealogias, relações familiares, jurisprudência e, nos exemplos aqui citados, ricas fontes para pesquisas históricas no que diz respeito às relações estabelecidas em âmbito carcerário, à história do crime em anos ditatoriais, e ao cotidiano da vida prisional nas décadas de 1960 a 1980.

Para saber mais, continue lendo nosso blog ou solicite os documentos através do e-mail saladepesquisa@smarh.rs.gov.br agendando seu atendimento!

Fonte: SALLA, Fernando. As rebeliões nas prisões: novos significados a partir da experiência brasileira. Porto Alegre: Sociologias, ano 8, n° 16, jul./dez. 2006. p. 274-307.

 

Notícias relacionadas:

Pesquisando no Arquivo: Secretaria da Justiça VII

Pesquisando no Arquivo: Secretaria da Justiça VI

Pesquisando no Arquivo: Secretaria da Justiça V

Divulga APERS – Novidade!

Pesquisando no Arquivo: Secretaria da Justiça IV

Pesquisando no Arquivo: Secretaria da Justiça III

Pesquisando no Arquivo: Secretaria da Justiça II

Pesquisando no Arquivo: Secretaria da Justiça I

Acervo disponível para pesquisa: Secretaria da Justiça

APERS sedia banca de qualificação de mestrado de servidora da instituição

Deixe um comentário

Na manhã do dia 28 de setembro, sábado, o auditório do APERS recebeu uma atividade diferente: a banca de qualificação de mestrado em História da servidora Clarissa Sommer, que atua como historiadora na instituição desde 2010 e vem desenvolvendo junto ao PPG em História da UFRGS o projeto intitulado “Operações historiográficas em Arquivos? Uma análise sobre o ofício do historiador em arquivos públicos estaduais brasileiros na atualidade”, sob orientação do prof. dr. Benito Bisso Schmidt.

A realização da banca de qualificação faz parte dos pré-requisitos exigidos para a obtenção do grau de mestre, e tem lugar ao longo do processo de produção da dissertação. Em geral é feita dentro do campus da Universidade, mas por questões de agenda dos membros da banca, considerando o tema da pesquisa e o vínculo da mestranda, abriu-se exceção para que fosse realizada nas dependências do Arquivo Público. Os avaliadores convidados foram o prof. dr. Arthur Lima de Ávila (PPG em História UFRGS) e o prof. dr. Paulo Staudt Moreira (PPG em História Unisinos).

Para esta etapa a servidora apresentou a introdução e o primeiro capítulo da dissertação, assim como um planejamento para os próximos capítulos, com previsão de fontes e de questões a serem tratadas.

A introdução apresenta o problema de pesquisa, os objetivos e justificativas para a mesma e seu referencial teórico geral. Ali Clarissa demonstra como as inquietações oriundas do trabalho cotidiano no APERS ao longo destes anos fizeram-na desejar refletir sobre que tensões e pressupostos do fazer historiográfico se expressam no exercício do ofício do historiador em arquivos públicos estaduais na atualidade, considerando que no campo da teoria e metodologia da história as reflexões têm sido muito centradas na atuação das historiadoras e historiadores como pesquisadores dos arquivos, ocupando um lugar em suas salas de pesquisa, mas não sobre o fazer historiográfico no “lado de dentro do balcão” do arquivo, trabalhando no tratamento técnico de acervos, em sua gestão, difusão ou promoção do acesso.

O primeiro capítulo, intitulado “Arquivos Públicos Estaduais e Historiadores: entendo o lugar social de atuação profissional”, traz primeiramente uma reflexão teórica sobre os conceitos de documento, memória e arquivos relacionados às áreas da história e da arquivística, entre as quais se estabelece uma relação longa e intrínseca. Também apresenta a constituição do corpo documental da pesquisa compartilhando o percurso e apontamentos metodológicos, para em seguida tecer o cenário dos arquivos estaduais enquanto campo de atuação profissional de historiadores a partir do mapeamento e de questionários aplicados nas instituições de todo o país, abordando o ano de criação, a vinculação institucional, as condições físicas gerais e os acervos salvaguardados, o envolvimento com processos de gestão documental nos respectivos estados, assim como o perfil dos quadros de servidores e o perfil de formação dos historiadores que deles fazem parte.

De acordo com a previsão levada à banca e por ela corroborada, a servidora pretende desenvolver mais dois capítulos: “Historiadores em Arquivos: experiências de trabalho e percepções de si enquanto profissionais da história”, elaborado a partir dos questionários coletados por e-mail, de entrevistas presenciais e de observações de campo realizadas em alguns arquivos, enquanto amostras; e “Operações historiográficas em Arquivos? Reflexões a partir de produtos do fazer de historiadores em instituições arquivísticas”, escrito a partir da análise de uma amostra de produtos – publicações, exposições, catálogos, projetos, relatórios, etc. – que são fruto da atuação dos historiadores entrevistados dentro das instituições arquivísticas em questão.

Com este trabalho a servidora pretende contribuir para o (re)conhecimento dos lugares de atuação profissional dos historiadores debatendo as potencialidades e limitações legadas a estes profissionais por sua formação acadêmica quando pensamos no trabalho em arquivos, assim como problematizar as formas de diálogo interdisciplinar e as tensões que se colocam na relação com arquivistas, bibliotecários, administradores e demais profissionais com os quais compartilham o fazer cotidiano, buscando aproximar-se das atribuições que lhes são próprias ou das lacunas nessa definição. Objetiva, também, lançar luz sobre os possíveis produtos do trabalho desses historiadores nos arquivos em diálogo com a história pública, e perceber se e como os imperativos da memória na sociedade contemporânea podem incidir sobre a produção de conhecimentos e a construção de narrativas críticas por parte deles.

Como bem destacou o prof. Paulo Moreira, o local para a realização da banca de qualificação não poderia ter sido mais adequado e simbólico, afinal, trata-se de uma profissional dos arquivos dedicando um esforço intelectual para (re)pensar seu fazer e consolidar entendimentos na área. Que a sequência de seu trabalho seja marcada pela mesma qualidade e pelo mesmo olhar desnaturalizador e humano apontados pelos avaliadores até esta etapa.

Atendimento APERS: horário diferenciado na Sala de Pesquisa

Deixe um comentário

APERS em Números – Outubro 2018

Deixe um comentário

Confira alguns dados referentes aos serviços realizados no APERS durante o mês de outubro:

– Assessorias SIARQ/RS: 22

– Usuários atendidos: 292

– Cidadão: 190

– Usuários internos: 02

– Pesquisadores: 100

– Novos pesquisadores: 32

– Atendimentos aos usuários: 690

– Cidadão: 219

– Usuários internos: 17

– Pesquisadores: 454

– Indexação Sistema AAP: 956

– Oficinas de educação patrimonial: 15

– Visitas guiadas: 13

– Visualizações blog institucional: 14.097

Veja abaixo os gráficos de usuários atendidos e atendimentos realizados por dia no mês de outubro:

Gráficos de usuários atendidos e atendimentos realizados por dia no mês de outubro.

Clique aqui para saber mais sobre os serviços que o APERS presta a comunidade.

Oficinas de educação patrimonial – Outubro 2018

Deixe um comentário

Confira as escolas que participaram das Oficinas de Educação Patrimonial oferecidas pelo APERS durante o mês de outubro:

  • Dia 03: Os alunos do 3° ano do ensino médio, turma 301, da EEEM Setembrina participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, acompanhados pela professora Neima Fonseca. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 04: Os alunos do 9° ano, turmas 901 e 902, da EMEF Tiradentes do município de Nova Santa Rita, participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Dionysius Mattos. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 09: Os alunos do 3° ano do ensino médio, turma 3MC, da Fundação Bradesco Gravataí participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, acompanhados pelo professor Diego Scherer. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 10: Os alunos da graduação em História da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), em parceria com o Colégio de Aplicação da UFRGS e como parte da programação do 1° Encontro Nacional de Estudos Latino-Americanos, participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, acompanhados pela professora Juliana Balestra. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 10: Os alunos do 3° ano do ensino médio da EEEM Setembrina participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pelo professor Thiago Luiz Cristal. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 11: Os alunos do 3° ano do ensino médio, turma 3MA, da Fundação Bradesco Gravataí participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, acompanhados pelo professor Diego Scherer. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 17: Os alunos do 1° ano do ensino médio, turmas 11A e 11B, do Instituto Estadual de Educação Santo Antônio do município de Santo Antônio da Patrulha, participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, acompanhados pela professora Clarissa Rosa. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 17: Os alunos do 3° ano do ensino médio, turma 303, da EEEM Setembrina participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, acompanhados pela professora Neima Fonseca. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 18: Os alunos do 9° ano da EEEF Leopolda Barnewitz participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, acompanhados pelas professoras Eduarda Soletti e Laura Lehnen. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 19: Os alunos do 9° ano, turma 92, do Instituto Estadual de Educação Flores da Cunha participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, acompanhados pela professora Laura Montemezzo. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 24: Os alunos do 6° ano da EMEF Gonçalves Dias participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo”, acompanhados pela professora Carina Martin. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 24: Os alunos do 3° ano do ensino médio, turma 33B, do Colégio Estadual Júlio de Castilhos participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, acompanhados pelo professor Alfredo Ranzan. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 25: Os alunos do 7° ano do Instituto Estadual de Educação Flores da Cunha participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Relações de Gênero na História”, acompanhados pela professora Laura Montemezzo. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 30: Os alunos do 7° e 8° ano da EMEF Cecília Meirelles do município de Alvorada, participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, acompanhados pelo professor Lúcio Fernandes. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 31: Os alunos do 7° ano, turmas 7A e 7B, da EMEF Theodoro Borgen do município de Canoas, participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Guilherme Fraga. Para ver as fotos clique aqui.

Clique aqui para saber mais sobre nossas oficinas.

Atividades SIARQ/RS – Outubro 2018

Deixe um comentário

O Arquivo Público do RS, enquanto Órgão Gestor do Sistema de Arquivos do Estado do Rio Grande do Sul – SIARQ/RS, atua para efetivar a gestão documental nos órgãos do Poder Executivo. Durante o mês de outubro os servidores participaram de reuniões de assessoria técnica, reuniões de comitês e grupos de trabalho, que listamos abaixo:

  • Dias 03, 10, 17, 24 e 31: arquivistas do APERS, Jonas Ferrigolo Melo, Maria Cristina Kneipp Fernandes e Renata Vasconcellos, estiveram na Secretaria da Educação (SEDUC), Arquivo Central, para prestarem orientações quanto à classificação e avaliação de documentos, na organização do acervo e sobre procedimentos em relação ao PROA para a SEDUC.
  • Dias 05, 09, 16 e 30: as servidoras Ana Karina Uberti Moreira e Renata Vasconcellos estiveram na Sede Complementar do Centro Administrativo Fernando Ferrari (SECOM/CAFF), para a realização das atividades de organização do acervo da Companhia Intermunicipal de Estradas Alimentadoras (CINTEA).
  • Dia 05: as arquivistas do APERS, Maria Cristina Fernandes e Silvia Soares, estiveram na Secretaria do Planejamento, Governança e Gestão (SPGG), para orientar quanto aos procedimentos e normativas de gestão documental à servidora Angela Maria Gades Silva (SPGG).
  • Dia 23: arquivistas da Secretaria da Saúde (SES) estiveram no APERS, em reunião de assessoria técnica sobre gestão documental (Instruções normativas 01/2016 e 04/2009) para organização e eliminação de processos administrativos. Participaram: Carlos Henrique Armani Nery e Lisiane Maurello (SES); Cléo Belicio Lopes, Marta Araujo, Renata Vasconcellos e Silvia Soares (APERS).
  • Dia 24: a arquivista Silvia Soares participou de reunião de assessoria técnica com a servidora Deborah Eunice Pilar Steyer, na Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos (SDSTJDH) sobre as atividades de gestão documental e orientações sobre os procedimentos para eliminação dos processos administrativos no SPI.
  • Dia 31: arquivistas do APERS estiveram na Secretaria do Desenvolvimento Rural (SDR), em reunião de assessoria técnica sobre gestão documental, para realizar eliminação de documentos conforme normativa vigente. Participantes: Emanuelle Cavazini Magiero, João Alberto Rocha e Evandro Dürr (SDR). Marta Helena de Araújo e Cléo Belicio Lopes (APERS).
  • Na Companhia Rio-Grandense de Artes Gráficas (CORAG), os arquivistas do APERS Jonas Melo, Maria Cristina Fernandes e Silvia Soares participaram de nove (09) assessorias técnicas, para orientações e verificação das atividades de gestão documental para transferência e recolhimento de documentos com a servidora Márcia Sena e estagiários.

Em outubro, o Arquivo Público analisou nove (06) Listagens de Eliminação de Documentos visando a aprovação, recebidos por processos administrativos, conforme estabelecido pelo Decreto 52.808/2015, em seu Art. 6º, parágrafo V.

E, neste mês, foram recebidos na caixa do e-mail assuntos-proa@smarh.rs.gov.br, trinta e quatro (34) e-mails de diversos órgãos, referentes a solicitações, esclarecimentos de dúvidas com relação à atribuição de assuntos no Sistema PROA. Além desses, na caixa de correio do SIARQ/RS foram recebidos sete (07) e-mails com questões sobre gestão documental.

Para solicitar assessoria ao SIARQ/RS, visando implementar as normativas e os instrumentos de gestão documental, pode entrar em contato pelo e-mail siarq-apers@smarh.rs.gov.br ou telefone (51) 3288-9114.

Visitas guiadas ao APERS – Outubro 2018

Deixe um comentário

No mês de outubro foram realizadas 14 visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público RS, para conhecer mais informações sobre a história, organização e funcionalidades da nossa instituição. Estiveram por aqui:

  • Dia 02: 27 alunos do SENAC-RS Comunidade, curso Educação Profissional Técnica de Nível Médio (Qualificação e Habilitação Técnica), acompanhados pela professora Elisangela Valente dos Reis.
  • Dia 05: pela manhã, 21 alunos do SENAC-RS Comunidade, curso Educação Profissional Técnica de Nível Médio (Qualificação e Habilitação Técnica), disciplina Almoxarifado e Arquivo do Curso Auxiliar Administrativo, acompanhados pelo professor André Luís de Souza Lima.
  • Dia 05: à tarde, 29 alunos do SENAC-RS Comunidade, curso Educação Profissional Técnica de Nível Médio (Qualificação e Habilitação Técnica), acompanhados pela professora Leandra C. Freitas.
  • Dia 08: 17 alunos do SENAC-RS Comunidade, curso Educação Profissional Técnica de Nível Médio (Qualificação e Habilitação Técnica), disciplina Almoxarifado e Arquivo do Curso Auxiliar Administrativo, acompanhados pelo professor André Luís de Souza Lima.
  • Dia 08: Pela tarde, 10 alunos do SENAC-RS Comunidade, curso Educação Profissional Técnica de Nível Médio (Qualificação e Habilitação Técnica), acompanhados pelas professoras Marina Vershinina e Natalia.
  • Dia 11: 68 alunos do Cesi – Zona Sul, disciplina de história, acompanhados pela professora Tassiana M. P. Saccol.
  • Dia 19:  24 alunos do Colégio Tiradentes da Brigada Militar de Porto Alegre, disciplina: História (1º ano do ensino médio), acompanhados pela professora Carla Xavier dos Santos.
  • Dia 20: aproximadamente 14 visitantes participaram do roteiro de visitas guiadas “Os Caminhos da Matriz”; onde conhecem as instituições culturais que circundam a Praça da Matriz um sábado por mês. O grupo se encontrou na Praça da Matriz e seguiu para uma visita guiada no Arquivo Publico RS, em seguida, Biblioteca Pública do Estado e Museu Júlio de Castilhos.
  • Dia 22: 28 alunos do Colégio Tiradentes da Brigada Militar de Porto Alegre, disciplina: História (1º ano do ensino médio), acompanhados pela professora Carla Xavier dos Santos.
  • Dia 22: Pela tarde, a sargento Rosane Lyra do Colégio Tiradentes da Brigada Militar de Porto Alegre e sua filha visitou o APERS com o objetivo de conhecer sua arquitetura e seu funcionamento.
  • Dia 24: 15 alunos do Instituto Murialdo – Centro de Formação Profissional,  acompanhados por Pedro Leivas, Coordenação Pedagógica Programa Jovem Aprendiz.
  • Dia 24: Ricardo de Araújo Rodrigues visitou o APERS, com o objetivo de conhecer o conjunto arquitetônico e seu funcionamento.
  • Dia 29: 27 alunos do Colégio Tiradentes da Brigada Militar de Porto Alegre, disciplina: História (1º ano do ensino médio), acompanhados pela professora Carla Xavier dos Santos, e a soldada Riela.
  • Dia 30: 15 alunos do Programa INTEGRAR/RS – Programa Jovem Aprendiz, da disciplina de Almoxarifado e Arquivo, acompanhados pela professora Daniela Liciane Oldenburg.

Guias: Iara Gomide e Marta Helena de Araújo.

Confira o álbum de fotos das visitas guiadas do mês de setembro em nosso Facebook, clicando aqui.

Um dos serviços de nossa instituição é a realização de visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público do…

Posted by Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul on Wednesday, November 7, 2018

 

    Lembramos que são oferecidas, semanalmente, visitas guiadas ao conjunto arquitetônico, com duração de 1h30min, nas segundas-feiras às 14h30min e nas sextas-feiras às 10h. Agende sua visita pelo e-mail visitas@smarh.rs.gov.br ou ligue para (51) 3288 9134.

APERS em Números – Setembro 2018

Deixe um comentário

Confira alguns dados referentes aos serviços realizados no APERS durante o mês de setembro:

– Assessorias SIARQ/RS: 21

– Usuários atendidos: 317

– Cidadão: 198

– Usuários internos: 06

– Pesquisadores: 113

– Atendimentos aos usuários: 727

– Cidadão: 198

– Usuários internos: 09

– Pesquisadores: 458

– Indexação Sistema AAP: 736

– Oficinas de educação patrimonial: 06

– Visitas guiadas: 10

– Visualizações blog institucional: 14.028

Veja abaixo os gráficos de usuários atendidos e atendimentos realizados por dia no mês de setembro:

Gráficos de usuários atendidos e atendimentos realizados por dia no mês de setembro.

Clique aqui para saber mais sobre os serviços que o APERS presta a comunidade.

Oficinas de educação patrimonial – Setembro 2018

Deixe um comentário

Confira as escolas que participaram das Oficinas de Educação Patrimonial oferecidas pelo APERS durante o mês de setembro:

  • Dia 13: os alunos do 7º ano da EEEF Leopolda Barnewitz participaram da oficina Os Tesouros da Família Arquivo acompanhados pelos professores Julia Klassmann e Yuri Stelmach. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 18: os alunos do 6º ano da EMEF Moradas da Hípica participaram da oficina Os Tesouros da Família Arquivo acompanhados pela professora Adriana Orlandi. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 19: os alunos do 7º ano da EMEF Moradas da Hípica participaram da oficina Os Tesouros da Família Arquivo acompanhados pela professora Adriana Orlandi. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 26: os estagiários do APERS integrantes do projeto “Organização e Disponibilização do acervo da Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos – FDRH” participaram da oficina Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia, realizada para formação da equipe do Programa de Educação Patrimonial, a partir da vivência e troca de informações com estagiários de outro setor do Arquivo, todos estudantes de graduação em História. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 27: os alunos do 9º ano / Turmas C31 e C32 da EMEF Pepita de Leão participaram da oficina Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos acompanhados pelos professores Rodrigo dos Santos, Diana Bertoglio e Ana Paula Tomasi. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 28: os alunos do 9º ano / Turma 91 do Instituto de Educação Flores da Cunha participaram da oficina Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos acompanhados pelas professoras Laura montemezzo e Heloiza Rabeno. Para ver as fotos clique aqui.

Para saber mais sobre nossas oficinas acesse: http://goo.gl/Jkzihw

Visitas guiadas ao APERS – Setembro 2018

Deixe um comentário

No mês de setembro foram realizadas 10 visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público RS. Visitaram nossa instituição:

  • Dia 01: 29 alunos curso de História (ULBRA), disciplina Formação Docente e Identidade Profissional, acompanhados pela professora Evangelia Aravanis, com o objetivo de conhecer o histórico de fundação e construção do APERS, os espaços físicos do acervo, informações sobre os tipos de documentais, os principais meios de busca da documentação e do espaço disponível para a pesquisa (Sala de Pesquisa).
  • Dia 04:  pela manhã, a procuradora Fernanda D. Louzada, e os servidores do Arquivo Central Alexsandro Witkowski, Marcos Jardim e Franciele G. Dalla Porta, da Procuradoria-Geral do Estado do RS (PGE).
  • Dia 04: à tarde, 18 alunos do Instituto do Murialdo – Centro de Formação Profissional, Coordenação Pedagógica Programa Jovem Aprendiz, acompanhados pela professora Jôse Pereira Martins.
  • DIA 14: 23 alunos do SENAC-RS Comunidade, curso Educação Profissional Técnica de Nível Médio (Qualificação e Habilitação Técnica), acompanhados pela professora Maura Jeisper Fernandes Vieira.
  • Dia 19: 20 alunos do  Instituto de Artes (UFRGS), disciplina da História da Arte, acompanhados pela professora Joana Bosak, com o objetivo de conhecer o conjunto arquitetônico, o acervo e os espaços culturais lincando com o positivismo.
  • Dia 21: Catia R. Salistre, acadêmica do 2 º semestre do curso de Arquivologia (UFRGS), veio conhecer o conjunto arquitetônico, funcionamento, tipos de documentos, técnicas de arquivamento e prática de guarda, conservação e preservação documental.
  • Dia 26: 03 alunos do Instituto Murialdo – Centro de Formação Profissional,  acompanhados por Pedro Leivas da Coordenação Pedagógica Programa Jovem Aprendiz.
  • Dia 26: Pedro Henrique P. Santos, estudante de História (PUC/RS), fez a visita a fim de conhecer as atividades técnicas do arquivo e sua história.
  • Dia 27: 11 alunos do Programa INTEGRAR/RS – Programa Jovem Aprendiz, disciplina de Almoxarifado e Arquivo, acompanhados pela professora Daniela Liciane Oldenburg.
  • Dia 27: a arquivista Daniela Pereira participou da visita para saber sobre técnicas de preservação e conservação do arquivo.

Guia: Iara Gomide.

Confira o álbum de fotos das visitas guiadas do mês de setembro em nosso Facebook, clicando aqui.

Um dos serviços de nossa instituição é a realização de visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público do…

Posted by Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul on Tuesday, November 6, 2018

 

Lembramos que oferecemos, semanalmente, visitas guiadas ao conjunto arquitetônico, com duração de 1h30min, nas segundas-feiras às 14h30min e nas sextas-feiras às 10h. Agende sua visita pelo e-mail visitas@smarh.rs.gov.br ou ligue para (51) 3288 9134.

Atividades SIARQ/RS – Setembro 2018

Deixe um comentário

    O Arquivo Público do RS, enquanto Órgão Gestor do Sistema de Arquivos do Estado do Rio Grande do Sul – SIARQ/RS, atua para efetivar a gestão documental nos órgãos do Poder Executivo. Durante o mês de setembro os servidores participaram de reuniões de assessoria técnica, reuniões de comitês e grupos de trabalho, que listamos abaixo:

  • Dias 04, 06, 10, 18, 27 e 28: as servidoras Ana Karina Uberti Moreira, Maria Cristina Fernandes e Renata Vasconcellos estiveram reunidas com estagiários, na Sede Complementar do Centro Administrativo Fernando Ferrari (SECOM/CAFF), acompanhando e prestando orientações para a realização das atividades de organização do acervo da Divisão de Pessoal (DIPES/DEADM/SMARH).
  • Dia 06: arquivistas do APERS estiveram na Secretaria do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMA), em visita ao novo local do Arquivo e para esclarecimentos sobre a Listagem de Eliminação de Documentos. Participaram: Gladis de Mello Bento, Eva Vilma Soares de Lucca, Bárbara Moraes dos Santos, Andreo Souza Naynayer, Vitória Müller Ferreira (SEMA), Maria Cristina Fernandes e Silvia Soares (APERS).
  • Dias 06 e 27: o arquivista Cléo Belicio Lopes participou de reuniões do Comitê Gestor do PROA, realizadas na Sala de Gestão da SMARH, onde foram analisadas as demandas recebidas dos órgãos usuários e outros temas relacionados à implantação do Sistema.
  • Dia 11: arquivistas do APERS estiveram na Escola Estadual Paula Soares, em reunião de assessoria técnica em gestão documental, visando realizar a eliminação de documentos, referente à massa documental acumulada; explicação conforme as IN 01/2016 e 04/2009. Participaram: Helena Cancela Cattani e Luana Oliveira Mello (E.E. Paula Soares), Iara Gomide e Cléo Belicio Lopes (APERS).
  • Dias 11, 19 e 26: arquivistas do APERS, Maria Cristina Kneipp Fernandes e Renata Vasconcellos, estiveram na Secretaria da Educação (SEDUC), Arquivo Central, para prestarem orientações quanto à classificação e avaliação de documentos, na organização do acervo e sobre procedimentos em relação ao PROA para a SEDUC.
  • Dia 12: arquivistas do APERS estiveram na Delegacia de Roubo de Veículos, do Departamento Estadual de Investigações Criminais da Polícia Civil (DRV/DEIC/PC), em reunião de assessoria técnica em gestão documental, visando realizar eliminação de documentos, conforme a IN 01/2016. Participaram: Fernanda Severo (PC), Iara Gomide e Cléo Belicio Lopes (APERS).
  • Dia 18: representantes do APERS no Comitê Gestor do SIARQ/RS receberam equipe da Secretaria da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer (SEDACTEL), no Arquivo Público, em reunião para análise relativa aos projetos de fomento à cultura, realizados através de renúncia fiscal, por meio da lei nº 13.490, de 21 de julho de 2010, para verificar a possibilidade de redução do passivo documental acumulado, por meio de descarte ou reformulação do dossiê documental, visando qualificar sua organização. Participaram: Alexandre Veiga e Caroline Montagnier Eskenazi (SEDACTEL), Aerta Moscon, Cléo Belicio Lopes, Maria Cristina Fernandes, Renata Vasconcellos e Caroline Baseggio (APERS).
  • Na Companhia Rio-Grandense de Artes Gráficas (CORAG), os arquivistas Jonas Melo, Maria Cristina Fernandes e Silvia Soares participaram de oito (08) assessorias técnicas, para orientações e verificação das atividades de gestão documental para transferência e recolhimento de documentos. Participaram pela CORAG: Márcia Senna e estagiários.

Em setembro, o Arquivo Público analisou dez (10) Listagens de Eliminação de Documentos visando a aprovação, recebidos por processos administrativos, conforme estabelecido pelo Decreto 52.808/2015, em seu Art. 6º, parágrafo V.

E, neste mês, foram recebidos na caixa do e-mail assuntos-proa@smarh.rs.gov.br, vinte e cinco (25) e-mails de diversos órgãos, referentes a solicitações, esclarecimentos de dúvidas com relação à atribuição de assuntos no Sistema PROA. Além desses, na caixa de correio do SIARQ/RS foram recebidos seis (06) e-mails com questões sobre gestão documental.

Para solicitar assessoria ao SIARQ/RS, visando implementar as normativas e os instrumentos de gestão documental, pode entrar em contato pelo e-mail siarq-apers@smarh.rs.gov.br ou telefone (51) 3288-9114.

APERS em Números – Agosto 2018

Deixe um comentário

Confira alguns dados referentes aos serviços realizados no APERS durante o mês de agosto:

– Assessorias SIARQ/RS: 18

– Usuários atendidos: 346

– Cidadão: 226

– Usuários internos: 04

– Pesquisadores: 116

– Atendimentos aos usuários: 920

– Cidadão: 264

– Usuários internos: 05

– Pesquisadores: 651

– Indexação Sistema AAP: 1.054

– Oficinas de educação patrimonial: 04

– Visitas guiadas: 04

– Visualizações blog institucional: 14.430

Veja abaixo os gráficos de usuários atendidos e atendimentos realizados por dia no mês de agosto:

Gráficos de usuários atendidos e atendimentos realizados por dia no mês de agosto.

Clique aqui para saber mais sobre os serviços que o APERS presta a comunidade.

Visitas guiadas ao APERS – Agosto 2018

Deixe um comentário

    No mês de agosto foram realizadas 04 visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público RS. Visitaram nossa instituição:

  • Dia 16: 09 alunos Programa INTEGRAR/RS – Programa Jovem Aprendiz, da disciplina Almoxarifado e Arquivo, acompanhados pela professora Daniela Liciane Oldenburg, com o objetivo de conhecer o funcionamento do Arquivo Público, tipos de documentos, métodos e técnicas de arquivamento.
  • Dia 24: 24 alunos do curso Pedagogia (UFRGS), disciplina História II, acompanhados pela professora Simone Valdete, com o objetivo de conhecer o local como um importante espaço de pesquisa histórica, sua rotina e funcionamento.
  • Dia 30: 16 alunos do Instituto de Artes (UFRGS), disciplina Laboratório e Pesquisa em História da Arte I, acompanhados pela professora Marina Câmara, com o objetivo de conhecer o acervo para futuras pesquisas e o conjunto arquitetônico.
  • Dia 31: Lucas Lumertz, servidor da Junta Comercial, venho conhecer o APERS, saber sobre suas atividades e o conjunto arquitetônico.

Guia: Iara Gomide.

Confira o álbum de fotos das visitas guiadas do mês de agosto em nosso Facebook, clicando aqui.

Um dos serviços de nossa instituição é a realização de visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público do…

Posted by Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul on Monday, November 5, 2018

 

Lembramos que oferecemos, semanalmente, visitas guiadas ao conjunto arquitetônico, com duração de 1h30min, nas segundas-feiras às 14h30min e nas sextas-feiras às 10h. Agende sua visita pelo e-mail visitas@smarh.rs.gov.br ou ligue para (51) 3288 9134.

Atividades SIARQ/RS – Agosto 2018

Deixe um comentário

O Arquivo Público do RS, enquanto Órgão Gestor do Sistema de Arquivos do Estado do Rio Grande do Sul – SIARQ/RS, atua para efetivar a gestão documental nos órgãos do Poder Executivo. Durante o mês de agosto os servidores participaram de reuniões de assessoria técnica, reuniões de comitês e grupos de trabalho, que listamos abaixo:

  • Dias 01, 15, 22 e 29: arquivistas do APERS estiveram na Secretaria da Educação (SEDUC), Arquivo Central, para prestarem orientações quanto à classificação e avaliação de documentos, na organização do acervo e sobre procedimentos em relação ao PROA para a SEDUC. Participantes: Letícia Luiz, João Carlos Silveira e Pâmela Rodrigues (SEDUC); Jonas Melo, Maria Cristina Kneipp Fernandes e Renata Vasconcellos (APERS).
  • Dias 02 e 09: o arquivista Cléo Belicio Lopes participou de reuniões do Comitê Gestor do PROA, realizadas na Sala de Gestão da SMARH, onde foram analisadas as demandas recebidas dos órgãos usuários e outros temas relacionados à implantação do Sistema.
  • Dia 07: as arquivistas do APERS Marta Araújo e Iara Machado prestaram assessoria técnica aos servidores do Departamento de Planejamento Organizacional (DEORG/SMARH), sobre procedimentos e normativa para eliminação de documentos.
  • Dias 07 e 21: o Comitê Gestor do SIARQ/RS esteve reunido no APERS, tendo com pauta análise e aprovação de propostas de prazos de guarda de documentos da Companhia Rio Grandense de Artes Gráficas (CORAG), empresa em extinção. Participantes: Cléo Belicio Lopes, Jonas Ferrigolo Melo, Renata Pacheco Vasconcellos, Maria Cristina Fernandes, Viviane Portella de Portella, Caroline Baseggio e Clarissa Sommer Alves (APERS); Patrícia E. R. Coser (AHRS); Márcia Sena, Vinícius Emer Sartori, Renata Mendes Cidade e Marcos Evangelista (CORAG); Jussara Gabbi e Cristiano De Leon (IGP); Fernanda Delgado Louzada (PGE); Celso Aramis Garcia (PROCERGS); Luís Otávio Silveira (SEFAZ); Priscila Garcia Nunes (SSP); e Luiz Carlos Larratéa (TCE). Para ler os registros das reuniões clique nos links: Registro de Reunião 07/08/2018; Registro de Reunião 21/08/2018.
  • Dias 23, 24 e 28: as servidoras Maria Cristina Fernandes, Ana Karina Uberti Moreira e Renata Vasconcellos estiveram reunidas com estagiários, na Sede Complementar do Centro Administrativo Fernando Ferrari (SECOM/CAFF), acompanhando e prestando orientações para a realização das atividades de organização do acervo da Divisão de Pessoal (DIPES/DEADM/SMARH).
  • Na Companhia Rio-Grandense de Artes Gráficas (CORAG), os arquivistas Cléo Belicio Lopes, Jonas Melo, Maria Cristina Fernandes e Silvia Soares participaram de 10 assessorias técnicas, para orientações e verificação das atividades de gestão documental para transferência e recolhimento de documentos, incluindo esclarecimentos sobre prazos de guarda de documentos. Participaram pela CORAG: Sideni Junior, Vinícius Sartori, Renata Cidade, Márcia Sena e Marcos Evangelista e estagiários.

Em agosto, o Arquivo Público analisou treze (13) Listagens de Eliminação de Documentos visando a aprovação, recebidos por processos administrativos, conforme estabelecido pelo Decreto 52.808/2015, em seu Art. 6º, parágrafo V.

E, neste mês, foram recebidos na caixa do e-mail assuntos-proa@planejamento.rs.gov.br, trinta e sete (37) e-mails de diversos órgãos, referentes a solicitações, esclarecimentos de dúvidas com relação à atribuição de assuntos no Sistema PROA. Além desses, na caixa de correio do SIARQ/RS foram recebidos quatro (04) e-mails com questões sobre gestão documental.

Para solicitar assessoria ao SIARQ/RS, visando implementar as normativas e os instrumentos de gestão documental, pode entrar em contato pelo e-mail siarq-apers@planejamento.rs.gov.br ou telefone (51) 3288-9114.

Oficinas de educação patrimonial – Agosto 2018

Deixe um comentário

Confira as escolas que participaram das Oficinas de Educação Patrimonial oferecidas pelo APERS durante o mês de agosto:

  • Dia 21: os estudantes do 6º semestre, disciplina de Educação em Museus do Curso de Museologia / UFRGS participaram de visita pedagógica com apresentação dos jogos “AfricaNoArquivo” e “Caso X: investigando um crime da ditadura em Porto Alegre” acompanhados da professora Zita Possamai. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 23: os alunos do 3º ano da EEEM Professor Sarmento Leite participaram da oficina Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos acompanhados pelo professor Felipe Popko. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 24: os alunos do 7º ano / Turma 71 do Instituto de Educação Flores da Cunha participaram da oficina Os Tesouros da Família Arquivo acompanhados pelas professoras Heloisa Rabeno e Laura Montemezzo. Para ver as fotos clique aqui.
  • Dia 28: os alunos do 7º ano da EMEF Celina Westphalen Weissheimer participaram da oficina Os Tesouros da Família Arquivo acompanhados pelas professoras Juliana Pozzo e Sheila Lima Nogueira. Para ver as fotos clique aqui.

Para saber mais sobre nossas oficinas clique aqui.

APERS em Números – Julho 2018

Deixe um comentário

Confira alguns dados referentes aos serviços realizados no APERS durante o mês de julho:

– Assessorias SIARQ/RS: 18

– Usuários atendidos: 270

– Cidadão: 204

– Usuários internos: 06

– Pesquisadores: 160

– Atendimentos aos usuários: 1.029

– Cidadão: 252

– Usuários internos: 22

– Pesquisadores: 755

– Indexação Sistema AAP: 895

– Visitas guiadas: 10

– Visualizações blog institucional: 14.769

Veja abaixo os gráficos de usuários atendidos e atendimentos realizados por dia no mês de julho:

Gráficos de usuários atendidos e atendimentos realizados por dia no mês de julho.

Clique aqui para saber mais sobre os serviços que o APERS presta a comunidade.

Visitas guiadas ao APERS – Julho 2018

Deixe um comentário

    No mês de julho foram realizadas 10 visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público do RS, onde os visitantes puderam conhecer sobre o funcionamento, a história, os prédios, acervo e tipos de documentos do APERS. Visitaram nossa instituição:

  • Dia 06: 03 servidores do INCRA, sendo Naíra C. Daubermann, Eduardo S. de Quadros e Vanessa Santos, com o objetivo de conhecer o conjunto arquitetônico e o acervo das Cartas de Liberdade.
  • Dia 10: 30 alunos do SENAC-RS Comunidade, do curso Educação Profissional Técnica de Nível Médio de Qualificação e Habilitação Técnica, acompanhados pela Orientadora de Educação Profissional Melissa Danda.
  • Dia 13: 21 alunos do SENAC-RS Comunidade, do curso Educação Profissional Técnica de Nível Médio de Qualificação e Habilitação Técnica, acompanhados pela Orientadora de Educação Profissional Lilian Rocha de Santana.
  • Dia 17: Pela manhã, 65 alunos da Escola Estadual Bento Gonçalves de Canoas-RS, acompanhados pelas professoras Luciane Brum, Caroline Castro e Cibele Gaspem.
  • Dia 17: Pela tarde, 21 alunos do Instituto do Murialdo – Centro de Formação Profissional, Coordenação Pedagógica Programa Jovem Aprendiz, acompanhados da Professora Jôse Pereira Martins.
  • Dia 19: 13 alunos do Programa INTEGRAR/RS – Programa Jovem Aprendiz, da disciplina de Almoxarifado e Arquivo, acompanhados pela professora Daniela Liciane Oldenburg.
  • Dia 20: 08 participantes do evento Seminário 130 Anos de, Abolição incompleta da Escravidão no Brasil visitaram o APERS.
  • Dia 24: o casal Monica M. Gutierrez (uruguaia) e Miguel A. O. Rodriguez (peruano) visitaram o Arquivo Público.
  • Dia 28: aproximadamente 10 pessoas participaram do roteiro de visitas guiadas “Os Caminhos da Matriz”; onde conhecem as instituições culturais que circundam a Praça da Matriz um sábado por mês. O grupo se encontrou na Praça da Matriz, e seguiu para uma visita guiada no Arquivo Publico RS. Logo após, na Biblioteca Pública do Estado e no Museu Júlio de Castilhos. Foi uma caminhada animada, com um público atento e curioso, com questionamentos e registros fotográficos, que demonstrou interesse em voltar ao APERS para outras atividades.

Guias: Giglioli Rodrigues e Iara Gomide.

Confira o álbum de fotos das visitas guiadas do mês de julho em nosso Facebook, clicando aqui.

Um dos serviços de nossa instituição é a realização de visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público do…

Posted by Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul on Wednesday, October 31, 2018

 

    Lembramos que oferecemos, semanalmente, visitas guiadas ao conjunto arquitetônico, com duração de 1h30min, nas segundas-feiras às 14h30min e nas sextas-feiras às 10h. Agende sua visita pelo e-mail visitas@smarh.rs.gov.br ou ligue para (51) 3288 9134.

Atividades SIARQ/RS – Julho 2018

Deixe um comentário

   O Arquivo Público do RS, enquanto Órgão Gestor do Sistema de Arquivos do Estado do Rio Grande do Sul – SIARQ/RS, atua para efetivar a gestão documental nos órgãos do Poder Executivo. Durante o mês de julho os servidores participaram de reuniões de assessoria técnica, reuniões de comitês e grupos de trabalho, que listamos abaixo:

  • Dias 04, 18 e 25: arquivistas do APERS estiveram na Secretaria da Educação (SEDUC), Arquivo Central, para prestarem orientações quanto à classificação e avaliação de documentos, na organização do acervo e sobre procedimentos em relação ao PROA para a SEDUC. Participantes: Letícia Luiz, João Carlos Silveira e Pâmela Rodrigues (SEDUC); Jonas Melo, Maria Cristina Kneipp Fernandes e Renata Vasconcellos (APERS).
  • Dias 05 e 11: as servidoras Maria Cristina Fernandes, Ana Karina Uberti Moreira e Renata Vasconcellos estiveram reunidas com estagiários, na Sede Complementar do Centro Administrativo Fernando Ferrari (SECOM/CAFF), acompanhando e prestando orientações para a realização das atividades de organização do acervo da Divisão de Pessoal (DIPES/DEADM/SMARH).
  • Dia 10: as arquivistas Maria Cristina Fernandes e Silvia Soares estiveram na Secretaria dos Transportes (ST), em reunião de assessoria técnica para esclarecimento de dúvidas oriundas do trabalho de aplicação da TTD. Participantes: Mário Levin, Rosane Mello e Bruno Cardozo (ST).
  • Dia 12: o arquivista Jonas Melo participou de reunião do Comitê Gestor do PROA, realizada na Sala de Gestão da SMARH, onde foram analisadas as demandas recebidas dos órgãos usuários e outros temas relacionados à implantação do Sistema.
  • Dia 18: arquivistas do APERS estiveram em reunião no Protocolo da Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos (SDSTJDH), para acompanhamento das atividades realizadas de classificação/avaliação e orientação sobre os procedimentos de eliminação de documentos, conforme a IN 01/2016. Participantes: Deborah Eunice Pilar Steyer (SDSTJDH), Maria Cristina Fernandes e Silvia Soares (APERS).
  • Dia 27: funcionários da Companhia Riograndense de Saneamento (CORSAN) estiveram nas dependências do Arquivo Público, em reunião de assessoria sobre gestão documental, visando realizar a eliminação de documentos, referente à massa documental acumulada; explicação conforme a IN 01/2016.
  • Na Companhia Rio-Grandense de Artes Gráficas (CORAG), os arquivistas Jonas Melo, Maria Cristina Fernandes e Silvia Soares participaram de 10 assessorias técnicas, para orientações e verificação das atividades de gestão documental para transferência e recolhimento de documentos. Participaram pela CORAG: Márcia Senna e estagiários.

    Em julho, o Arquivo Público analisou sete (07) Listagens de Eliminação de Documentos visando a aprovação, recebidos por processos administrativos, conforme estabelecido pelo Decreto 52.808/2015, em seu Art. 6º, parágrafo V.

    E, neste mês, foram recebidos na caixa do e-mail assuntos-proa@smarh.rs.gov.br, trinta e três (33) e-mails de diversos órgãos, referentes a solicitações, esclarecimentos de dúvidas com relação à atribuição de assuntos no Sistema PROA. Além desses, na caixa de correio do SIARQ/RS foram recebidos nove (09) e-mails com questões sobre gestão documental.

   Para solicitar assessoria ao SIARQ/RS, visando implementar as normativas e os instrumentos de gestão documental, pode entrar em contato pelo e-mail siarq-apers@smarh.rs.gov.br ou telefone (51) 3288-9114.

PEP UFRGS-APERS participa do X Encontro Nacional Perspectivas do Ensino de História

Deixe um comentário

No dia 17 de julho, a convite da organização do X Encontro Nacional Perspectivas do Ensino de História, o Arquivo Público recebeu um grupo de 13 professores da educação básica e superior de diversas cidades do Rio Grande do Sul (Ijuí, Jaguarão, Osório, Porto Alegre, Rosário do Sul e Santa Maria) e de fora do estado (Minas Gerais e Ceará) para realização da oficina Resistência em Arquivo: patrimônio, ditadura e direitos humanos como parte da programação do evento, que foi realizado na Faculdade de Educação da UFRGS entre os dias 16 e 18 de julho.

A atividade, que é oferecida regularmente para turmas de estudantes do Ensino Médio por meio do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS, debate conceitos como democracia, ditadura, repressão, resistência, tortura e direitos humanos a partir de processos de indenização a ex-presos políticos salvaguardados pelo Arquivo. Nessa oportunidade foi possível trocar experiências com docentes que participavam de um evento cuja intenção era “ampliar o diálogo da história escolar e acadêmica com a diversidade da vida, demarcando não só a pluralidade de todos os sujeitos, saberes, práticas, conhecimentos e técnicas, como também o papel do/a professor/a de História em tempos de cerceamento da liberdade de ensinar”, em ampla conexão com os anseios do PEP. Nossa oficina foi muito elogiada, por garantir o contato direto e a apropriação dos espaços do Arquivo por parte da comunidade, por sua perspectiva lúdica, e por sua capacidade de despertar o interesse em aprender sobre o período tratado, sobre as instituições arquivísticas e seus acervos.

Desejamos que iniciativas como esta sigam florescendo e que o conhecimento crítico sobre o passado siga sendo produzido coletivamente de forma plural em espaços como o Arquivo, em parceria com universidades, escolas e a comunidade em geral.

%d blogueiros gostam disto: