Visitas Guiadas ao APERS – Fevereiro 2020

Deixe um comentário

Visitas Guiadas APERS

No mês de Fevereiro foram realizadas duas visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público do RS. Visitaram nossa instituição:

Dia 12: a família de nosso servidor Alvaro Antonio Klafre: filho André e a esposa Isabel, com a finalidade de conhecer o acervo e o conjunto arquitetônico do APERS.

Dia 19: 29 estudantes acompanhados pelo professor Marcelo da Silva, do Programa Jovem Aprendiz do Instituto Leonardo Murialdo.

Guia: Iara Gomide

Lembramos que semanalmente oferecemos visitas com duração de 1h30min em horários fixos: nas segundas-feiras às 14h30min e nas sextas-feiras às 10h. Para agendamento de grupos em outros horários, contate-nos pelo e-mail visitas@planejamento.rs.gov.br ou ligue para (51) 3288 9134.

Anais da XIV Mostra de Pesquisa APERS

Deixe um comentário

            Conforme previsto no Regulamento da Mostra publicado em fevereiro desse ano, publicamos hoje, com grande satisfação, os Anais da XIV Mostra de Pesquisa do APERS.

            O evento foi realizado nos dias 10, 11 e 12 de setembro e contou com a apresentação de pesquisas nas modalidades de resumo-pôster e artigos, trabalhos hoje disponibilizados em formato de e-book que pode ser acessado aqui.

            Agradecemos aos autores pelo envio dos trabalhos e pela disponibilidade em apresenta-los e discuti-los com o público os resultados de suas investigações. Agradecemos também todos os participantes que prestigiaram o evento.

            Desejamos uma boa leitura e até a XV edição!

XIV Mostra de Pesquisa – Trabalhos Aceitos

Deixe um comentário

    Agradecemos aos autores que encaminharam trabalhos para apresentação na XIV Mostra de Pesquisa. Após passarem pela avaliação da Comissão de Organização e Avaliação, composta por servidores do Arquivo Público e por membros da Associação Nacional de História (ANPUH-RS), da Associação dos Arquivistas do RS (AARS) e da Associação dos Amigos do Arquivo Público (AAAP), e conforme cronograma divulgado no Regulamento, divulgamos hoje a Lista de trabalhos Selecionados para apresentação na XIV Mostra de Pesquisa do APERS e posterior publicação nos Anais do Evento. Para conferir, clique aqui.

    Informamos que tantos os autores dos trabalhos selecionados quanto os autores dos trabalhos não aceitos receberão até o final da semana, por e-mail, as considerações realizadas pelo avaliador sobre o texto enviado para apreciação.

   O evento ocorrerá nos dias 10, 11 e 12 de setembro no Arquivo Público e a programação completa, com cronograma de apresentação de trabalhos, será divulgada no dia 25 de julho aqui no Blog. Seguem sendo realizadas, gratuitamente, as inscrições na modalidade ouvinte. Mais informações pelo e-mail mostradepesquisa@smarh.rs.gov.br ou pelo telefone (51) 3288 9115. Participe!

XIV Mostra de Pesquisa – Inscreva-se!!!

Deixe um comentário

   Já começaram as inscrições na modalidade ouvinte para a XIV Mostra de Pesquisa APERS, evento que acontecerá nos dias 10, 11 e 12 de setembro no Arquivo Público e a participação será certificada. Para se inscrever basta enviar um e-mail para mostradepesquisa@smarh.rs.gov.br com o nome completo e um e-mail para contato.

XIV Mostra de Pesquisa – Prorrogação do prazo para envio de trabalhos

Deixe um comentário

Informamos que o prazo para envio de trabalhos para apresentação no Evento da XIV Mostra de Pesquisa foi prorrogado até o dia 27 de maio!

Todas as informações constam no regulamento, clique aqui para acessar, e ficamos disponíveis para quaisquer dúvidas pelo e-mail mostradepesquisa@smarh.rs.gov.br e pelo telefone (51) 3288 9115.

Este evento é gratuito, tanto para apresentação de trabalhos quanto para ouvintes. Participe!

Notícia relacionada:
XIV Mostra de Pesquisa – Regulamento

XIV Mostra de Pesquisa – Regulamento

Deixe um comentário

Está chegando a 14ª Edição da Mostra de Pesquisa do APERS, um daqueles eventos nos quais o Arquivo Público do RS materializa sua compreensão quanto aos processos de difusão documental e quanto ao necessário diálogo entre as instituições arquivísticas e de memória, as universidades, os centros de pesquisa e a sociedade.

Possui como objetivos: (a) oportunizar espaço para a divulgação e discussão da recente produção intelectual das ciências sociais, humanas e da informação, promovendo a interação entre a comunidade pesquisadora e os órgãos de guarda de acervos; (b) incentivar a utilização de fontes primárias documentais em trabalhos de pesquisa; (c)Incentivar a realização de estudos a respeito de instituições de memória, suas funções e ações; e (d) divulgar locais de pesquisas e seus respectivos acervos documentais.

Dessa forma, lançamos hoje o Regulamento da XIV Mostra de Pesquisa do APERS – para acessar clique aqui. Chamamos atenção para o período de 01 de março a 02 de maio, no qual devem ser submetidos os trabalhos para apresentação no Evento da XIV Mostra, que ocorrerá no mês de setembro. O evento é gratuito, tanto para apresentação de trabalhos quanto para ouvintes.

Todas as informações constam no regulamento e ficamos disponíveis para quaisquer dúvidas pelo e-mail mostradepesquisa@smarh.rs.gov.br e pelo telefone (51) 3288 9115.

Segue baixo, o cronograma do evento. Participe!

Comarca de Vacaria – Indisponível para consulta

Deixe um comentário

O Arquivo Público do RS, visando melhor atender aos usuários da Sala de Pesquisa, informa que a Equipe de Indexação está digitando os dados referentes aos processos judiciais da Comarca de Vacaria, Acervo do Poder Judiciário, no sistema de Administração de Acervos Públicos – AAP, o que acarreta na indisponibilidade de acesso aos documentos para pesquisadores.

A comarca, em levantamento prévio, tem em torno de 230 caixas, que serão analisadas e indexadas, tão logo o trabalho se encerrar, os processos estarão disponíveis para consulta tanto na Sala de Pesquisa, quanto os seus dados via portal do Arquivo e RS móvel.

Transferência do acervo Justiça Federal sob custódia do APERS à Justiça Federal

Deixe um comentário

    No Diário Oficial do Estado de 05 de janeiro de 2017, foi publicada a Portaria com o Termo de Transferência de Documentos que formalizou a transmissão dos processos judiciais findos, produzidos na primeira fase de existência da Justiça Federal no Rio Grande do Sul, no período de 1890 a 1937, que se encontravam sob a guarda do Arquivo Público do Estado do RS à Justiça Federal de 1º Grau – Seção Judiciária do RS.

   Na última segunda feira, dia 09 de janeiro, se deu a efetivação da mudança dos 43,65 metros lineares (291 caixas) de documentos. A partir de agora, os usuários que desejarem pesquisar este acervo devem se dirigir ao Memorial da Justiça Federal do RS. Clique aqui para acessar o processo administrativo que tratou da questão.

Notícias relacionadas:

Acervo Justiça Federal sob custódia do APERS será transferido à JF – 1ª Grau

Transferência acervo Justiça Federal sob custódia do APERS à JF – 1º Grau

Transferência acervo Justiça Federal sob custódia do APERS à JF – 1º Grau

Deixe um comentário

No Diário Oficial do Estado de 27 de dezembro foi publicada a Portaria SMARH nº 175/2016 que constitui a Comissão Especial de Transferência de Documentos, com a finalidade de promover o levantamento e a identificação dos processos judiciais findos, produzidos na primeira fase de existência da Justiça Federal no Rio Grande do Sul, no período de 1890 a 1937, que se encontram sob a guarda Arquivo Público do Estado do RS.

Conforme a Portaria, a entrega do acervo será efetivada mediante publicação de Termo de Transferência de Documentos, chancelado pelos dirigentes máximos das instituições e publicado no Diário Oficial do Estado. Clique aqui para acessar a portaria.

Notícia relacionada:

Acervo Justiça Federal sob custódia do APERS será transferido à JF – 1ª Grau

Anais da XIII Mostra de Pesquisa APERS

Deixe um comentário

capa-anais-mostra

  É com muita satisfação que publicamos os Anais da XIII Mostra de Pesquisa do APERS em formato eletrônico!

   O evento, que foi realizado em setembro desse ano e contou com a apresentação de seis pôsteres e dezoito artigos, que foram socializados e problematizados nas mesas do encontro e que agora são disponibilizados ao público por meio do e-book que pode ser baixado aqui.

  Agradecemos aos autores pela confiança depositada no evento e pela disposição em debater os resultados de seus trabalhos com os demais pesquisadores e participantes da Mostra.

   Desejamos uma boa leitura e reafirmamos o compromisso de seguir promovendo a Mostra de Pesquisa, de forma bianual, como espaço destinado ao compartilhamento de conhecimentos construídos a partir da pesquisa com fontes primárias. Já aguardamos ansiosamente pela XIV edição, que acontecerá no ano de 2018. Até lá!

Post atualizado em 28 de dezembro de 2016: link dos Anais.

Acervo Justiça Federal sob custódia do APERS será transferido à JF – 1ª Grau

Deixe um comentário

Em 30 de setembro último o Arquivo Público do RS, departamento da SMARH, recebeu ofício da Justiça Federal do RS, em que solicita a entrega dos processos judiciais findos, produzidos na primeira fase de existência da Justiça Federal (1890-1937), atualmente sob custódia deste departamento.

A documentação da Justiça Federal do RS referente ao período foi encaminhada ao trâmite e ao acervo do Tribunal de Justiça do RS quando da sua extinção, e, posteriormente, recolhida e, confiada a guarda a este Arquivo Público. Sendo, à época, esse o trâmite natural da destinação da documentação pública do Estado.

A partir desta demanda, a equipe técnica do Arquivo Público do RS, elaborou manifestação justificando a permanência do acervo. A qual foi apresentada em reunião ocorrida dia 09, sexta-feira, pela diretora do departamento, Aerta Moscon, ao secretário da SMARH, Raffaele Marsiaj Quinto Di Cameli e aos representantes da Justiça Federal de 1º grau – Seção Judiciária, Eduardo Tonetto Picarelli, juiz federal, Rita da Rosa, diretora do Centro de Memória, e Tassiara Kich, arquivista.

Na reunião se deliberou que o acervo composto por processos judiciais findos, produzidos na primeira fase da Justiça Federal serão transferidos à Justiça Federal de 1º grau – Seção Judiciária e disponibilizados no Memorial da Justiça Federal do RS. Para tanto, as equipes do Arquivo Público do RS e da Justiça Federal trabalharão em conjunto para a efetivação da transferência e, ao longo dos próximos meses, será emitido ato com tal determinação.

Atualizado em 28.12.2016

Aconteceu o Seminário Políticas Públicas e Gestão do Estado

Deixe um comentário

    Nos dias 01 e 02 de dezembro aconteceu, no Memorial do Rio Grande do Sul, o Seminário Políticas Públicas e Gestão do Estado: preservação de bens e acervos culturais em instituições de memória.

    Foram dois dias de intensas atividades, distribuídas em três turnos. O primeiro dia iniciou com a Mesa Redonda Políticas públicas culturais: formação e atuação profissional no campo da arquivologia e da história, nas quais participaram os professores Moisés Rockembach (Arquivologia/PPG Comunicação e Informação UFRGS) e Paulo Roberto Staudt Moreira (PPG História/Unisinos). Já no período da tarde foram apresentadas sete comunicações na Sessão Políticas Políticas públicas, gestão e patrimônio histórico-cultural. No período da noite, aconteceu Conferência de Abertura com a professora Carla Simone Rodeghero (PPG História/UFRGS) e com o professor José Roberto Severino (PPG História/UFBa).

    No segundo dia, os trabalhos começaram com a Oficina Gestão de risco em acervos, ministrada por Elias Machado (Museólogo UFRGS, COREM/3), seguida pela Mesa Redonda, Políticas Públicas Culturais: formação e atuação profissional no campo da história e da museologia, nas quais participaram os professores Benito Bisso Schmidt (PPG História/UFRGS) e Marlise Giovanaz (Museologia/UFRGS). No período da tarde, mais trabalhos socializados na Sessão de Comunicações Acervos e ações patrimoniais e também a apresentação dos trabalhos desenvolvidos pela Comissão Interdisciplinar de Preservação de Processos Judiciais Aptos à Descarte (COMINTER). E por último, a Conferência de Encerramento, conduzida pela professora Zita Possamai (Museologia e PPG Educação/UFRGS) e pelo professor Ricardo Santhiago (FACOM/Unicamp).

    Temos certeza que as discussões em tornos dos caminhos e descaminhos seguidos pelas políticas públicas na área da cultura e da preservação dos bens culturais foram importantíssimas, sobretudo em um contexto nos quais estão sendo problematizadas as atividades cuja competência recai sobre o Estado. As experiências trocadas e as impressões trocadas a respeito do atual cenário, serviram de combustível para que pensássemos e seguíssemos pensando em possíveis saídas, nas quais as instituições e as atividades vinculadas à cultura possam cumprir seu papel social.

Seguem as inscrições para o Seminário Políticas Públicas e Gestão do Estado

Deixe um comentário

    Continuam as inscrições para o seminário Políticas Públicas e Gestão do Estado: preservação de bens e acervos culturais em instituições de memória. Acesse o site do evento aqui e faça a sua!!!

   Na página do Seminário também são encontradas informações a respeito da Programação, inclusive a divulgação dos trabalhos que serão apresentados nas Sessões de Comunicação.

pagina-do-evento

   Participem, vamos discutir mais sobre o papel do Estado enquanto agente da preservação de bens e acervos culturais.

Seminário Políticas Públicas e Gestão do Estado – Informações

Deixe um comentário

    Divulgamos novamente a programação do evento, que sofreu algumas alterações desde a publicação original, e o novo local onde serão realizadas as atividades, o Memorial do Rio Grande do Sul.

     Acessem o site do evento, inscrevam-se e participem!

Seminário Políticas Públicas e Gestão do Estado: preservação de bens e acervos culturais em instituições de memória

Deixe um comentário

            Nos dias 1 e 2 de dezembro, no Auditório da Faculdade de Biblioteconomia da UFRGS (Auditório 1 Fabico), acontecerá o Seminário Políticas Públicas e Gestão do Estado: preservação de bens e acervos culturais em instituições de memória, evento interinstitucional realizado pelo APERS, Programa de Educação Patrimonial PEP UFRGS|APERS, GT Acervos da Anpuh, Museu da História da Medicina do RS, Programa de Pós-Graduação em História da UFSM, pelo Fórum Permanente em Defesa das Instituições Públicas de Memória do RS e pelo Conselho Regional de Museologia da 3ª Região.

            O evento abordará (a) a produção e a gestão de políticas públicas culturais realizadas pelos agentes do Estado e voltadas às instituições de memória ou responsáveis pela guarda de acervos no Brasil e especialmente no Rio Grande do Sul; (b) as relações entre os agentes que atuam no campo do patrimônio (arquivistas, historiadores, museólogos), levando em consideração as mudanças ocorridas na formação desses profissionais nas últimas décadas; (c) e políticas de financiamento e gestão dos bens culturais resguardados nas instituições culturais.

            Para tantas problematizações, sua programação propõe diferentes espaços como mesas redondas, sessões de comunicação, minicurso, conferências de abertura e de encerramento nos turnos da manhã, tarde e noite desse início de dezembro.

            Para mais informações a respeito da programação e para realização de inscrição, visite o site do evento: https://sempogeeblog.wordpress.com/ .

            E participem!!!

2016-11-16-cartaz_frente-seminario-memorial

2016-10-26-evento-fabico_verso-copia

Atualizado em: 11.11.2016

Aconteceu a XIII Mostra de Pesquisa APERS

Deixe um comentário

            Entre os dias 12 e 14 de setembro, nos turnos da tarde e da noite, foi realizada a XIII Mostra de Pesquisa do APERS. O evento contou com a apresentação de 24 trabalhos entre apresentação de artigos e de pôsteres. Os assuntos abordados passaram pelas temáticas da Escravidão e das relações Étnico-raciais; pelo Patrimônio Documental e Cultural; pelos Golpes de Estado e Ditaduras; pelas discussões ligadas à história das cidades e do estado do Rio Grande do Sul; pela história das profissões e da profissionalização, a partir de aspectos sociais; pelas representações do século XVII e XVIII; e pela análise de biografias.

            Aqueles que acompanharam o evento tiveram a oportunidade de presenciar discussões muito qualificadas a respeito de cada um dos trabalhos, que além das problematizações sobre as diferentes temáticas, também contribuíram com o conhecimento e com a difusão de acervos documentais espalhados pelas cidades e estados do nosso país.

            O Arquivo Público agradece ao apoio da Associação de Arquivistas do RS, da Associação Nacional de História e da Associação de Amigos do APERS, que inclusive esteve presentes nos três dias de evento, pelo apoio destinado a realização de mais uma Mostra de Pesquisa. Agradece também aos autores, pela confiança depositada na Instituição para o compartilhamento de seus trabalhos. E agradece ao público que esteve presente, incluindo os alunos do Curso de Arquivologia da Universidade Federal de Santa Maria que vieram de longe para prestigiar o evento.

            Em dezembro lançamos os Anais da XIII Mostra que será publicada aqui no Blog do APERS. E depois disso, esperaremos todos para a XIV edição.

XIII Mostra de Pesquisa – Alteração na Programação

Deixe um comentário

Infelizmente temos uma modificação na programação da XIII Mostra: a Mesa de Abertura foi cancelada. A historiadora e servidora do APERS, Clarissa Sommer, que iria abrir o evento, está de licença médica. Até o momento, estávamos aguardando pelo diagnóstico e pela previsão de melhora e de retorno da servidora. Entretanto, hoje soubemos que não será possível sua participação no evento.

Por esse motivo, a XIII Mostra de Pesquisa iniciará com a apresentação dos trabalhos da primeira mesa temática, as 15h30 do dia 12 de setembro. Clique aqui para acessar a programação completa.

Contamos com a compreensão de todos e ficamos à disposição para quaisquer esclarecimento pelo telefone 3288 9112 ou pelo e-mail mostradepesquisa@smarh.rs.gov.br.

mostra_programacao-alterada

Revisitando as Mostras de Pesquisa APERS VI – História das Infâncias

Deixe um comentário

            Estamos nos aproximando da XIII Mostra de Pesquisa APERS e, com isso, chegamos à última postagem da série Revisitando as Mostras de Pesquisa APERS. Nela, vamos discutir um pouco mais sobre uma temática recente na historiografia: Infâncias.

2016.08.17 Imagens

            Para isso, vamos comentar as publicações de dois autores. O primeiro deles, Carlos da Silva Cardozo, apresentou trabalhos em quatro edições do evento, partindo de pesquisas em um mesmo acervo. O primeiro artigo foi publicado nos Anais da VII Mostra de Pesquisa e recebeu o título de A criança porto-alegrense na belle époque brasileira através do juízo de órfãos. Nele, o autor investigou a formação da criança porto-alegrense no período denominado de Belle Époque, sobre a influência do processo de modernização da cidade de Porto Alegre. Para isso, debruçou-se sobre a situação das crianças envolvidas nos processos de tutela, documentação produzida pelo Juízo Distrital da Vara de Órfãos de Porto Alegre, 2ª Vara de Família e Sucessão, no período de 1900 e 1930 custodiados pelo Arquivo Público do RS. Segundo o autor, ideias modernizadoras europeias do período influenciaram modificações importantes na instituição família, considerada como alvo para regularização do comportamento social, da remodelação do urbano e da normatização da conduta individual e coletiva. Para ele, o juizado de órfãos essencial para o encaminhamento e para solucionar questões relativas ao abandono e a marginalização de crianças como, por exemplo, a mediação nas relações praticadas pela família, em particular, “o interesse dos órfãos, das suas heranças, das relações entre os menores e seus familiares ou tutores, bem como de sua renda e de seus bens”. Nos processos, encontrou casos que demonstraram “o uso da tutela para a manutenção dos menores em atividades produtivas para a realização de casamentos, para o zelo e educação dos menores, além de mostrar a remodelação do espaço urbano […]”. Com o estudo, Carlos pretendeu apresentar as potencialidades dessas fontes para investigar a família e a criança, no sentido de somar tais conhecimentos às investigações sobre a história da infância no RS e no Brasil.

            Na VIII Mostra, Cardozo apresentou o trabalho O Juizado de Órfãos de Porto Alegre: um reflexo da sociedade. Nele o autor retoma a função do Juizado de órfãos, que teria contribuído “para a regularização social das famílias porto-alegrense que passaram por alguma situação de desagregação familiar envolvendo menores nos anos iniciais do século XX” e defende, como resultado de sua pesquisa, que “os valores sociais e morais possuíam importância nas decisões e desfechos para se tutelar um menor”. Carlos lembra que nos anos iniciais da República, a família burguesa era o exemplo de conformação de grupo familiar a ser seguido e o Juizado de Órfãos seria um dos exemplos de como o poder judiciário intervia de modo a uniformizar a conduta familiar e com a formação do futuro cidadão  – que era o menor, expressão problematizada conceitualmente tanto por Cardozo quanto pela Franciele cujo trabalho vamos abordar mais adiante. De acordo com o pesquisador, cuidou primeiro dos menores de elite, decidindo e normatizando questões que envolviam heranças, familiares e tutores e, com a elaboração de políticas reguladoras, “passou a direcionar uma vigilância distinta para o cuidado (abandono, saúde, educação, etc) da criança pobre”.

            Na IX Mostra, apresentou o trabalho Tutelar ou Adotar: o melhor para quem?, no qual abordou a requisição de tutelas de crianças, forma eleita por muitos adultos para zelar pela saúde, alimentação, moradia e educação de menores órfãos e para administrar heranças.

            E, por fim, na X Mostra, apresentou outro desdobramento de suas pesquisas no acervo: O Gênero na Justiça: o caso do Juízo dos Órfãos de Porto Alegre. Segundo ele, “o gênero estava presente na Justiça e, consequentemente, utilizados pelos sujeitos que pleiteavam a guarda de um menor de idade”. O objetivo de Cardozo, com esse trabalho, foi, a partir da História Social, identificar como se apresentavam nos processos judiciais de tutela (1900-1927) na cidade de Porto Alegre a “situação delicada que a mulher adulta tinha perante o homem adulto quando decidia pleitear a tutela de uma criança ou adolescente” e também “a preocupação que a Justiça e sociedade tinham com as meninas. De modo geral, o autor verificou que o Juízo de Órfãos de Porto Alegre “realizou sua ação de zelar pelas meninas e adolescentes, depreciando, por outro lado, as mulheres adultas como possível tutoras de menores de idade”.

            Na IX Mostra de Pesquisa, tivemos a apresentação do trabalho de Franciele Becher, Conceituando a infância e a juventude: memória, esquecimento e políticas públicas de assistência em Caxias do Sul – RS, que partiu de sua pesquisa de mestrado sobre as políticas públicas voltadas à infância e à juventude pobre de Caxias do Sul-RS, para analisar um conjunto de fontes pertencentes a uma instituição assistencial da cidade de modo a observar a trajetória do conceito de menoridade – conceito também problematizado por Carlos Cardozo nos artigos que mencionamos anteriormente. Além das fontes analisadas, também o período pesquisado pela autora diferem dos trabalhos anteriores. Ela voltou-se para as décadas de 1960, 1970, 1980 e 1990 (Promulgação do Estatuto da Criança e do Adolescente), no interesse de perceber “o quanto mudanças sociais e jurídicas na área da assistência refletiram também em mudanças conceituais a nível documental”. Para isso, parte da ideia de que o significado de infância não foi sempre o mesmo e que o “menor” e a “criança” não seriam meros substantivos, mas sim adjetivos da infância do final do século XIX e início do século XX – o menor seria a criança filha da pobreza, “que exigia ações urgentes do Estado em vias de sua educação, recuperação, vigilância e repressão”. Após consistentes abordagens e problematizações conceituais, a autora segue com a exploração de uma série de legislação e apresentação de instituições que foram criadas no período para dar conta da assistência (e repressão) dessa criança filha da pobreza. E, tomando isso como fonte, lista uma série de nomeclaturas utilizadas para rotular as crianças que apresentavam determinados comportamentos (e chega até a recente expressão meninos e meninas de rua). Entretanto, ressalta que “todas as noções que rondam o conceito de menoridade tinham por finalidade um controle do Estado sobre a vida dessas crianças, tendo elas famílias ou não”. Depois disso, foca na análise de documentos da Comissão Municipal de Amparo à Infância (COMAI) de Caxias do Sul e sintetiza, afirmando que a palavra menor não seria apenas uma categoria jurídica e nem uma expressão para indicar o estágio de desenvolvimento físico-corporal e sim “um conceito a partir do momento em que adjetiva, tutela e impõe controle sobre a população que pretende nomear”. De acordo com Franciele, a análise da trajetória de tal conceito nos documentos oficiais seria um dos caminhos para entendermos a trajetória da institucionalização da infância e da juventude no Brasil.

            Desde a História da Infância e da Família (1960) de Philippe Ariès, passando pela A Construção Social da Infância (1994) de Miguel Gonzáles Arroyo, a infância transformou-se em tema de pesquisa recorrente em diferentes campos do conhecimento, de modo a declararmos a existência de Infâncias. E podemos verificar isso tanto na pesquisa de Carlos Cardozo quando na pesquisa de Franciele Becher que, a partir de diferentes perguntas e fontes, verificaram indícios (classe social e gênero, por exemplo) que apontam para a existência de mais de um tipo de infância.

            Encerramos, sugerindo a leitura da recente publicação Dossiê “Infância, Juventude e Família”, resultado da I Jornada do Grupo de Trabalho Infância, Juventude e Família da ANPUH, realizado em outubro de 2015, disponível em: https://www.rbhcs.com/rbhcs

            Com essa postagem, finalizamos a série de textos Revisitando as Mostras de Pesquisas e aproveitamos para convidar os leitores a participarem da XIII edição do evento, que acontecerá nos dias 12, 13 e 14 de setembro próximo. As inscrições para ouvinte continuam abertas e basta que encaminhe para o e-mail mostradepesquisa@smarh.rs.gov.br o nome e o e-mail completo do interessado ou interessada. Lembramos também, que serão fornecidos certificados de 30 horas para os participantes com, no mínimo, 75% de frequência. Para acessar a programação completa do evento, clique aqui.

Notícias relacionadas:

Revisitando as Mostras de Pesquisa APERS I

Revisitando as Mostras de Pesquisa APERS II

Revisitando as Mostras de Pesquisa APERS III

Revisitando as Mostras de Pesquisa APERS IV

Revisitando as Mostras de Pesquisa APERS V – História da Ditadura Civil-Militar

XIII Mostra de Pesquisa: Programação

Deixe um comentário

   Divulgamos hoje, a programação da XIII Mostra de Pesquisa do APERS, evento que ocorrerá nos dias 12, 13 e 14 de setembro no Auditório Marcos Justos Tramontini e no Espaço Joel Abílio Pinto dos Santos do Arquivo Público do Rio Grande do Sul (Rua Riachuelo, 1031, Centro).

   Serão apresentados 33 trabalhos, distribuídos em oito mesas temáticas, além de uma palestra de abertura com a historiadora da Casa, Clarissa Sommer Alves. Confira aqui a programação completa.

Cartaz Programacao

    Você ainda pode participar como ouvinte!!! As inscrições são gratuitas e continuam sendo realizados pelo e-mail mostradepesquisa@smarh.rs.gov.br .

XIII Mostra de Pesquisa – Trabalhos Aceitos

Deixe um comentário

Mostra de Pesquisa APERS     Agradecemos desde já aos autores que encaminharam trabalhos para apresentação na Mostra de Pesquisa. Após passarem pela avaliação da Comissão de Organização e Avaliação, composta por servidores do Arquivo Público e por membros da Associação Nacional de História (ANPUH-RS), da Associação dos Arquivistas do RS (AARS) e da Associação dos Amigos do Arquivo Público (AAAP), e conforme cronograma divulgado no Regulamento, divulgamos hoje a lista de trabalhos aceitos para apresentação na XIII Mostra de Pesquisa do APERS e posterior publicação nos Anais do Evento. Para conferir, clique aqui.

     Informamos que tantos os autores dos trabalhos selecionados quanto os autores dos trabalhos não aceitos receberão até o final da semana, por e-mail, as considerações realizadas pelo avaliador sobre o texto enviado para apreciação.

   O evento ocorrerá nos dias 12, 13 e 14 de setembro no Arquivo Público e a programação completa, com cronograma de apresentação de trabalhos, será divulgada no dia 20 de julho aqui no Blog. Seguem sendo realizadas, gratuitamente, as inscrições na modalidade ouvinte. Mais informações pelo e-mail mostradepesquisa@smarh.rs.gov.br ou pelo telefone (51) 3288 9112. Participe!

.

Notícias relacionadas:

XIII Mostra de Pesquisa – Modalidade Ouvinte, inscreva-se!!!

XIII Mostra de Pesquisa – Modalidade Ouvinte, inscreva-se!!!

2 Comentários

Já começaram as inscrições na modalidade ouvinte para a XIII Mostra de Pesquisa do APERS, evento que acontecerá nos dias 12, 13 e 14 de setembro no Arquivo Público. Para se inscrever basta enviar um e-mail para mostradepesquisa@smarh.rs.gov.br com o nome completo e um e-mail para contato.

2016.05.25 Inscrição Ouvintes

XIII Mostra de Pesquisa – Prorrogação dos prazos para envio de trabalhos

Deixe um comentário

Informamos que o prazo para envio de trabalhos para apresentação no Evento da XIII Mostra de Pesquisa foi prorrogado para o dia 04 de maio. O evento é gratuito para todos.

Todas as informações constam no regulamento e ficamos disponíveis para quaisquer dúvidas pelo e-mail mostradepesquisa@smarh.rs.gov.br e pelo telefone (51) 3288 9112.

Consulte aqui o regulamento.

Cartaz Prazos Prorrogados

XIII Mostra de Pesquisa – Regulamento

Deixe um comentário

A Mostra de Pesquisa do APERS chega na sua 13ª Edição, consolidando a compreensão do Arquivo Público do RS quanto aos processos de difusão documental e quanto ao necessário diálogo entre as instituições arquivísticas e de memória, as universidades e centros de pesquisa e a sociedade.
Cartaz chamada de Artigos
Desde 2014, transformou-se em um evento bianual, organizado pelo Arquivo, com o apoio da Associação de Amigos dos APERS, da Associação dos Arquivistas do RS e da Associação Nacional de História – Seção RS. Possuí como objetivos: (a) oportunizar espaço para a divulgação e discussão da recente produção intelectual das ciências sociais, humanas e da informação, promovendo a interação entre a comunidade pesquisadora e desta com os órgãos de guarda de acervos; (b) incentivar a utilização de fontes primárias documentais em trabalhos de pesquisa; (c)Incentivar a realização de estudos a respeito de instituições de memória, suas funções e ações; e (d) divulgar locais de pesquisas e seus respectivos acervos documentais.

Dessa forma, lançamos hoje o Regulamento da XIII Mostra de Pesquisa do APERS, para acessar clique aqui, e chamamos atenção para o período de 25 de fevereiro a 20 de abril, no qual devem ser submetidos os trabalhos para apresentação no Evento da XIII Mostra, que ocorrerá no mês de setembro. O evento é gratuito, tanto para apresentação de trabalhos quanto para ouvintes.

Todas as informações contam no regulamento e ficamos disponíveis para quaisquer dúvidas pelo e-mail mostradepesquisa@smarh.rs.gov.br e pelo telefone (51) 3288 9112.

Segue baixo, o cronograma do evento. Participe!

Cronograma Mostra

Anais da XII Mostra de Pesquisa do APERS

Deixe um comentário

2015.11.25 Anais XII Mostra de PesquisaBLOG   É com muita alegria que finalmente lançamos os anais da XII Mostra de Pesquisa do APERS, em formato de livro eletrônico! O evento, que foi realizado em setembro do ano passado, contou com a apresentação de dez pôsteres e vinte e seis artigos, que foram debatidos nas mesas do encontro e agora são difundidos ao público através do e-book que pode ser baixado aqui, e pode ser lido pelo Issuu aqui.

   Agradecemos a cada participante por ter compartilhado os resultados de seu trabalho com o Arquivo Público, com os demais pesquisadores e com a sociedade. Desejamos uma excelente leitura, e reafirmamos o compromisso de seguir promovendo a Mostra de forma bianual, como um espaço para troca de conhecimentos e de experiências em pesquisa com fontes arquivísticas. Estejam atentos ao nosso blog para em breve acessar o regulamento da XIII Mostra de Pesquisa, que ocorrerá em 2016!

APERS sedia a “VIII Jornadas do GT Mundos do Trabalhos” e difunde os “Documentos da Escravidão”

Deixe um comentário

2015.10.21 VIII Jornadas do GT Mundos do Trabalho

Entre os dias 26 e 29 de outubro, o GT Mundos do Trabalho da ANPUH-RS realiza sua VIII Jornada, “Histórias do Trabalho Escravo, Liberto e Livre”. O evento ocorrerá, nos dias 26 e 27, no Campus Porto Alegre da Unisinos (Av. Luiz Manoel Gonzaga, 700, Bairro Petrópolis), e no dia 28 no auditório do Arquivo Público do RS (Rua Riachuelo, 1031, Centro). Já no dia 29 ocorrerá a atividade complementar “O Floresta dos Operários”, na Rua Conde de Porto Alegre, Bairro Floresta.

As atividades realizadas no APERS envolverão sessões coordenadas, mesas, minicurso e lançamentos de livros. Durante a tarde a historiadora do APERS, Clarissa Sommer, coordenará a sessão intitulada “Fontes, Acervos e Historiografia”, e a historiadora do APERS, Caroline Baseggio, falará a respeito das diversas ações do projeto Documentos da Escravidão e guiará uma visita ao conjunto arquitetônico da instituição.

Consulte a programação completa e outras informações aqui. Inscreva-se e participe!

2015.10.21 Cartaz VIII Jornadas GT Mundos Trabalho

Atividades SIARQ/RS

Deixe um comentário

No dia 24 de julho, a diretora do APERS e a equipe de arquivistas do SIARQ/RS realizaram uma visita técnica a administração do Parque Zoológico (Fundação Zoobotânica) em Sapucaia do Sul, para consultoria sobre a organização e a criação de instrumentos arquivísticos. A iniciativa pretende facilitar o acesso e a interligação entre os setores (Hospital Veterinário, Zoologia, Centro de Triagem Animal Silvestre e Administrativo), além de garantir a guarda e a preservação dos documentos existentes.

2015.07.24 SIARQ no Zôo

Marco Antonio Rochedo Squeff, Iara Gomide, Renata de Vasconcellos, Paulo Ricardo Salermo, Silvia Soares, Maria Cristina Fernandes e Débora Flores

No dia 27, a Diretora Débora Flores e a arquivista Maria Cristina Fernandes receberam no APERS os arquivistas Carlos Lucena dos Santos e Anderson Bandeira Machado do DETRAN/RS, para elaboração de um plano de trabalho que vise a guarda, preservação e/ou migração de suporte da documentação dos Centros de Registros de Veículos Automores (CRVA) do Estado.

DSCN7039a

Maria Cristina Fernandes, Débora Flores, Carlos Lucena dos Santos e Anderson Bandeira Machado

As atividades fazem parte da atuação do SIARQ/RS junto aos órgãos do Poder Executivo, vislumbrando implementar as normativas e os instrumentos de gestão documental. Os interessados em solicitar assessoria ao SIARQ/RS podem entrar em contato pelo e-mail siarq-apers@smarh.rs.gov.br ou telefone (51) 3288-9114.

Relatórios 2014 – DIPEP: Descrição de acervos

Deixe um comentário

O ano de 2014 foi bastante produtivo quanto as nossas atividades de descrição de acervos, visando ampliar o acesso às informações salvaguardadas no Arquivo Público do RS. Foi dada continuidade a organização, indexação e disponibilização dos acervos do Poder Judiciário via portal institucional e a outros projetos em desenvolvimento.

No que se refere aos acervos do Poder Judiciário foram indexados no sistema AAP os fundos – Comarcas de: Bagé, Jaguari, São Martinho, Júlio de Castilhos, Porto Alegre, Santa Maria, Santana do Livramento, São Francisco de Assis, São Gabriel e Tupanciretã, totalizando 23.169 itens documentais. As Comarcas de São Gabriel, Bagé, Santana do Livramento, Júlio de Castilhos, Santa Maria, São Francisco de Assis, Jaguari, São Martinho, Tupanciretã e Porto Alegre foram disponibilizadas para consulta via portal institucional.

Quanto ao acervo do Registro Civil – Habilitações de Casamentos, em 2014, continuamos com a revisão dos dados dos itens já indexados no sistema AAP e iniciamos o processo de preparação das imagens dos documentos para indexação. A meta é indexar as imagens de 134. 806 mil processos de habilitação de casamento.

Quanto aos projetos destacamos:

  • Resistência em Arquivo: Memórias e Histórias da Ditadura no Brasil”: este projeto visa a elaboração de um catálogo seletivo sobre o acervo da Comissão Especial de Indenização, a partir da qual o Estado do RS reconheceu a responsabilidade por maus-tratos que acarretaram danos físicos e psicológicos às pessoas presas por agentes ou em órgãos públicos estaduais por motivos políticos entre os anos de 1961 a 1979. Sobre este projeto trataremos em um artigo específico.
  • Memória Institucional do APERS”: em desenvolvimento desde 2011, tem por objetivo a organização e difusão do acervo institucional do Arquivo Público do RS, está em fase de conclusão de sua etapa de indexação no sistema AAP. Sobre este projeto trataremos em um artigo específico.
  • Afinal, onde estão as mulheres no APERS? Gênero, memória e história”: em desenvolvimento desde 2011, este projeto visa, inicialmente, destacar no acervo da Vara de Família e Sucessão processos que possam ser úteis à pesquisa histórica na área de história das mulheres e de gênero, a partir da elaboração de um catálogo seletivo sobre os processos que compõe tal acervo. Devido a outras ações com as quais a equipe se envolveu, em 2014 foi necessário fazer uma pausa no desenvolvimento do projeto. Entretanto, retomamos em dezembro e atualmente estamos em fase de revisão do instrumento de descrição, com previsão de publicação para março deste ano.

As atividades de descrição são morosas e requerem muito empenho de nossa equipe, muitas vezes reduzida e deslocada para outras atividades, porém acreditamos que os projetos, ora foco de atenção, são de representativa importância para que nossos usuários tenham acesso às informações aqui custodiadas.

XII Mostra de Pesquisa

Deixe um comentário

     Nos dias 09, 10 e 11 de setembro ocorreu no Arquivo Público a 12ª edição da Mostra de Pesquisa do APERS, promovida pelo Arquivo com o apoio de sua Associação dos Amigos (AAAP), da Associação dos Arquivistas do RS (AARS) e da Associação Nacional de História – Seção RS (ANPUH-RS). O espaço é organizado para a divulgação de pesquisas produzidas a partir de fontes primárias arquivísticas ou a respeito de instituições arquivísticas, suas funções e ações, oportunizando a troca de experiências e conhecimentos entre pesquisadores dos diferentes níveis de graduação, estudantes e demais interessados.

     O evento foi aberto na noite do dia 09, com as saudações do Prof. do Departamento de História da UFRGS, Fábio Kühn, e a representante da Associação dos Amigos do APERS, Sônia Burnett. Em seguida deu-se início à palestra “O solo de liberdade”, realizada por Jônatas Marques Caratti, que abordou a jornada de sua pesquisa sobre as trajetórias da preta Faustina e do pardo Anacleto pela fronteira rio-grandense em tempos do processo abolicionista uruguaio (1842-1862). Na sequência, passou-se a comunicação de artigos, contando com trabalhos produzidos a partir de documentos relacionados à escravidão.

    As atividades seguiram na noite do dia 09, com a mesa temática intitulada: Patrimônio Documental e Cultural, apresentou reflexões sobre a importância da gestão documental para a viabilização da pesquisa histórica e a análise de políticas públicas de arquivo. Em seguida passou-se a apresentação do acervo do Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore, que abordou o tratamento arquivístico. Após, foi feita a explanação do projeto Arquivo de Memórias com a valorização da história a partir do resgate e organização de documentos em uma escola.

     No dia 10 de setembro, na parte da tarde, a Mostra seguiu com as apresentações de artigos que se utilizaram de revistas e periódicos como fonte de pesquisa. À noite, os artigos estavam relacionados à justiça criminal e os crimes cometidos e julgados no Rio Grande do Sul.

     No último dia do evento, dia 11 de setembro, a parte da tarde teve a temática das relações sociais e familiares nos séculos XVIII e XIX para as apresentações, dentre as quais citamos os casamentos açorianos e a vida celibatária. Na parte da noite, no encerramento do evento, as palestras versaram sobre a História do Brasil e seus distintos olhares, tanto da história recente (Regime de exceção 1964-1984) quanto da visita de Hans Staden em solo brasileiro (século XVI).

     Após o processo iniciado em abril deste ano com o recebimento e avaliação de trabalhos, mais uma vez encerramos a Mostra de Pesquisa com a certeza de ter cumprido um importante papel na difusão de acervos, locais e metodologias de pesquisa. Ao longo do segundo semestre trabalharemos na organização da publicação dos anais do evento, e assim que possível divulgaremos a data de seu lançamento. Agradecemos aos participantes, aos membros da Comissão de Seleção e Organização e servidores do Arquivo envolvidos para viabilizar mais esta edição.

     Veja abaixo algumas fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

XII Mostra de Pesquisa do APERS: inscreva-se!

Deixe um comentário

      A XII Mostra de Pesquisa do APERS acontecerá durante os dias 09, 10 e 11 de setembro, nos turnos da tarde e noite!

     A participação é gratuita; para se inscrever como ouvinte envie email com o seu nome completo para mostradepesquisa@sarh.rs.gov.br. Para aqueles que atingirem 75% de presença será fornecido certificado de 30 horas.

     Participe! Venha prestigiar a apresentação de trabalhos de pesquisa elaborados a partir de fontes primárias! Confira a programação clicando aqui.

XII Mostra de Pesquisa APERS cartaz

XII Mostra de Pesquisa: Programação

Deixe um comentário

2014.07.23 Programacao XII Mostra     Divulgamos a programação preliminar da XII Mostra de Pesquisa do APERS, evento que ocorrerá no Arquivo Público do RS nos dias 09, 10 e 11 de setembro de 2014. Devido ao elevado número de trabalhos aceitos neste ano, acrescentamos um dia na programação para a apresentação dos mesmos. Clique na imagem para ler a programação.

     Participe como ouvinte! A inscrição é gratuita e com certificado. Faça sua inscrição através do email mostradepesquisa@sarh.rs.gov.br

Older Entries

%d blogueiros gostam disto: