Hoje, iniciamos uma série de postagens mensais que tem por objetivo compartilhar experiências e conhecimentos sobre o Programa Caminhos dos Arquivos, no qual encontra-se incluído o projeto de exposição, em módulos virtual e presencial, denominada “Caminhos dos Arquivos: Nossas Histórias, Nossas Heranças”. Este Programa faz parte das ações do Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul – APERS na Semana Nacional de Arquivos – SNA, juntamente com outras instituições gaúchas parceiras.

“Preservar a memória não é somente resgatar o passado, mas também é compreender diferenças e reconhecer limites de cada período, para construir o presente e planejar o futuro” (FUNDACENTRO). Assim, destacamos o Projeto da Exposição em seu módulo virtual, acessível pelo site www.caminhosdosarquivos.com, na qual o tema é “os lugares que preservam a memória de todos os gaúchos”.

Com o objetivo expor acervos e informações sobre as Instituições e seus serviços arquivísticos, além de reunir o maior número de entidades que custodiam documentos arquivísticos no RS, estimular parcerias com o APERS e promover a consciência da importância dos arquivos, como um referencial, um guia de arquivos, na preservação do passado e valorização do patrimônio histórico; assim como também a fim de valorizar seus parceiros nas vivências em grupo, despertar o sentimento de pertencimento, destacar as instituições como locais privilegiados, e seus colaboradores como agentes responsáveis pela difusão junto à sua comunidade.

Assim, falaremos sobre esta experiência de parceria do APERS com as 42 instituições que compuseram esta exposição coletiva, no ano de 2019. Ao fim da 3ª SNA, foi feita a reunião de feedback e o questionário de pesquisa de satisfação, com comentários, sugestões e criticas, dentro das quais destacamos: o bom acolhimento das instituições com intenção de permanência no projeto e no site; o reconhecimento da importância da divulgação e de um lugar de referência dos acervos; a permanência do site no ar, assim como os arquivos das edições anteriores; a divulgação para a próxima edição deverá ser feita a partir de inicio de maio com a indexação dos novos documentos; inserção do mapa de localização das instituições no site; continuação do uso das ferramentas e-mail e WhatsApp para comunicação; os novos e antigos parceiros devem mandar seus arquivos para Exposição virtual até o final do mês de abril; para maior facilidade de navegação aos leigos, evitar atraso na trocas de fotos no site das edições anteriores.

Para continuação de nosso compromisso de divulgação passaremos a publicar, com periodicidade mensal, textos sobre as instituições parceiras, o acesso aos seus acervos documentais, história e serviços prestados. Iniciaremos pela região da serra:

– Museu e Arquivo Histórico Pedro Rossi: fundado no ano de 1976, no Município de Flores da Cunha (RS), com a intenção de valorizar e preservar a memória, a história e a cultura dos imigrantes italianos no município, denominando-se, na época, Museu da Imigração. Pela Lei Municipal 2.322 de 16 de junho de 2003, passou a denominado Museu e Arquivo Histórico Pedro Rossi, em homenagem ao primeiro Prefeito municipal eleito após a abertura democrática de 1946. Seu acervo é composto por centenas de objetos que resguardam a história da imigração italiana, bem como, das vivências e dos saberes que permeiam o período de 1876-1960, no Município. Além dos objetos expostos no museu, o prédio abriga o Arquivo Histórico Municipal, que acondiciona inúmeros documentos e fotografias, tanto produzidos pela Administração Pública quanto pelos munícipes. Situado na Av. 25 de Julho, 1608, bairro Centro; pode ser contatado pelo e-mail neusa.museu@floresdacunha.rs.gov.br; site www.floresdacunha.rs.gov.br. O horário de atendimento é de segunda à sexta-feira, das 8:00 às 17:30.

– Arquivo Histórico Municipal de Nova Petrópolis: idealizado pelo Professor Renato Urbano Seibt e junto com seus colaboradores, seu início ocorreu graças à doação de itens pela comunidade e também pelas histórias orais do Município, que foram gravadas. O arquivo já teve sua sede no Parque Aldeia do Imigrante, no prédio da atual Prefeitura e hoje se encontra no terceiro andar do prédio da Biblioteca Pública. No dia 04 de abril de 1989, sob a Lei Municipal Nº 1.080, de criação do Arquivo Histórico Municipal. Tem como objetivos restaurar, conservar, guardar e preservar a história do município. Seu acervo é composto de, além dos registros orais, documentos, fotografias, livros, mapas, jornais e revistas especializadas. Situado na Rua Tiradentes nº 256, bairro Centro; pode ser contatado pelo e-mail arquivohistorico@novapetropolis.rs.gov.br. Conta com visita agendada. O horário de funcionamento é de segunda-feira à sexta-feira, das 7: 30 às 12h:00 e das 13:15 às 17:30.

– Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami: foi criado em 5 de agosto de 1976, pelo Decreto nº 4047. Em 1997, foi acrescentada à denominação oficial em homenagem ao historiador caxiense João Spadari Adami, por sua importante contribuição para o resgate e preservação da história local. Tem como finalidade receber, guardar, preservar e dar acesso ao patrimônio documental do Município de Caxias do Sul. Composto por três unidades: Arquivo Público, Arquivos Privados e Banco de Memória Oral, a instituição também desenvolve pesquisas e publicações, divulgando seu acervo e contribuindo para o conhecimento da história do Município. Instalado em um prédio do início do século XX, tombado em níveis estadual e municipal, o Arquivo é vinculado à Secretaria Municipal da Cultura. Situado na Av. Júlio de Castilhos, 318, bairro Lourdes; pode ser contatado pelo e-mail: arquivohistorico@caxias.rs.gov.br; site: www.arquivomunicipal.caxias.rs.gov.br. O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 10:00 às 16:00.

– Instituto Federal Farroupilha – Campus São Vicente do Sul – Unidade de Gestão de Documentos: o Campus do Instituto Federal Farroupilha – IFFar, com sede no município de São Vicente do Sul, RS, foi criado em 17 de novembro de 1954, através de Termo de Acordo firmado entre a União e o então município de General Vargas, sob a denominação de Escola de Iniciação Agrícola, em conformidade com os Artigos 2º e 4º do Decreto Federal nº 22.470, de 20 e janeiro de 1947, que instalou o Ensino Agrícola no Brasil, e os dispositivos do Decreto Lei 9.613, de 20 de agosto de 1946; onde são oferecidos cursos técnicos e tecnológicos em três níveis: Médio, Superior e Pós-Graduação. A Unidade de Gestão Documental tem como finalidade dar acesso livre e gratuito dos documentos a todos os cidadãos mediante cadastro. Situado na rua 20 de Setembro, nº 2616, pode ser contatado pelo e-mail ugd.svs@iffarroupilha.edu.br, no horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8:00 às 11:45 e das 13h15 às 17h00, exceto feriados nacionais, estaduais e municipais.

Visitem a Exposição virtual, apropriem-se das instituições. Esse é um patrimônio de todas e todos nós! Até o próximo mês.