APERS recebe a visita do Diretor do Arquivo Nacional

Deixe um comentário

     Dia 03 de junho Jaime Antunes, Diretor do Arquivo Nacional, esteve no Arquivo Público do RS. Em reunião com a Diretora do APERS, Débora Flores, e a historiadora Nôva Brando, foram pautas discussões a respeito da disponibilização de acervos no geral e, em particular, da disponibilização e digitalização dos acervos da Comissão Especial de Indenização e da Comissão Estadual da Verdade do RS via Projeto Memórias Reveladas.

     Em companhia de Débora, Nôva e das arquivistas Maria Cristina Fernandes e Aerta Moscon, o Diretor visitou as dependências do APERS, em especial o Prédio I. E, a seguir, a equipe do APERS pôde assistir uma fala de Jaime Antunes no Auditório Marcos Justo Tramontini, momento no qual foram abordadas questões relativas a políticas públicas de arquivos e a contribuição da Lei de Acesso à Informação para ampliação e consolidação dos trabalhos desenvolvidos pelos arquivos públicos, naquilo que diz respeito tanto as suas funções junto à administração, quanto à garantia de direitos aos cidadãos e à preservação da memória.

Relatórios 2014: Cursos, Eventos e Exposições

Deixe um comentário

2015.02.18 Cursos Eventos e Exposições

O APERS é uma instituição riquíssima que possui, além de vasto acervo documental, um amplo Espaço Cultural composto pela Sala Joél Abilio Pinto dos Santos, o Auditório Marcos Justo Tramontini, a Sala Borges de Medeiros e o jardim. Nossas equipes buscam ocupá-lo promovendo ou apoiando atividades culturais diversas, estimulando os usos sociais do Arquivo, contribuindo para a difusão da instituição e de seu acervo. A Sala Borges de Medeiros foi utilizada ao longo de todo o ano para as oficinas de Educação Patrimonial, sobre as quais falaremos no relatório da próxima semana. Nos demais espaços são realizadas exposições e eventos.

Durante o ano de 2014 a Divisão de Documentação (DIDOC) fez uso do Espaço organizando exposições na Sala Joél Abílio Pinto dos Santos, ocasiões em que contou com parcerias de outras instituições. Confira abaixo um relato cronológico (clique nos links para verificar as notícias postadas no Blog):

  • Janeiro a fevereiro: Em parceria com a Comissão de Cultura do Tribunal Regional do Trabalho da 4° Região, foi elaborada a exposição fotográfica denominada Irlanda. A mostra apresentou imagens capturadas segundo o olhar de Miguel Ângelo, servidor do TRT4.
  • Março a Junho: A Comissão de Cultura do Tribunal Regional do Trabalho da 4° Região organizou, em homenagem ao aniversário de 108 anos do APERS, a exposição fotográfica denominada Olhares. A qual foi constituída de 18 imagens, capturadas nas dependências do APERS, de autoria dos desembargadores Vânia Mattos, João Paulo Lucena e dos servidores Miguel Ângelo e Maria Clara Lucena Adams.
  • Julho: Em decorrência da oficina “Origens – oficina de genealogia”, promovida pela Associação dos Amigos do Arquivo Público com apoio do APERS, houve a exposição denominada Emoções, em que Adriana Weber e Daniel Teixeira Meirelles Leite expuseram parte de suas árvores familiares e ilustraram vivências de seu cotidiano enquanto genealogistas.
  • Agosto a Dezembro: Em parceria com a Comissão de Cultura do Tribunal Regional do Trabalho da 4° Região, foi elaborada a exposição fotográfica denominada Colômbia. A mostra é composta por 32 fotografias capturadas segundo a perspectiva da artista Vânia Mattos.

Em abril a equipe da Divisão de Pesquisa e Projetos (DIPEP) realizou o evento Resistência em Arquivo: Memórias e Histórias da Ditadura no Brasil, atividade de pré-lançamento do catálogo seletivo homônimo que descreve os processos de indenização a ex-presos políticos salvaguardados pelo APERS e oriundos do trabalho da Comissão Especial de Indenização. Contamos com a participação de servidoras da casa que apresentaram o trabalho realizado, de ex-presos políticos e de filhos de ex-presos políticos que compartilharam suas vivências com o público presente.

Entre abril e maio servidoras da DIDOC e da DIPEP contribuíram para a organização do Curso Documento: Paleografia, Diplomática e Preservação, promovido pela Associação dos Amigos do APERS.

Entre maio e setembro ambas as Divisões envolveram-se na construção e realização da XII Mostra de Pesquisa do APERS, desde o recebimento e seleção de artigos e resumos de pôsteres, até a organização e divulgação do evento em que os trabalhos selecionados foram apresentados. Tal evento ocorreu nos dias 09, 10 e 11 de setembro, contando com palestra de abertura de Jônatas Caratti intitulada “O solo da liberdade”, com 26 apresentações de artigos e dez apresentações de pôsteres. Os trabalhos serão publicados em formato de livro ao longo de 2015.

Já em novembro as equipes das Divisões trabalharam em conjunto para realizar o evento de Lançamento das caixas pedagógicas produzidas a partir do Projeto AfricaNoArquivo, em uma atividade que envolveu a apresentação do material, palestra sobre cultura negra com o pesquisador Rodrigo Weimer e uma excelente intervenção musical do grupo Três Marias Brasil.

Em novembro o APERS também apoiou a realização do Seminário 50 anos do Golpe de 1964, 50 anos de impunidade, promovido pelo Coletivo pela Educação, Memória e Justiça nos dias 12, 13 e 14 de novembro no Auditório Marcos Justo Tramontini, e em dezembro apoiou a Associação dos Amigos do APERS na realização de sua atividade de confraternização de final de ano, em que contamos com a apresentação do grupo vocal Mandrialis.

Ao longo do ano o APERS participou também do projeto Os Caminhos da Matriz, realizado em parceria com Solar dos Câmara/ALRS, Memorial do Ministério Público, Memorial do Judiciário, Palácio Piratini e Museu Julio de Castilhos, oferecendo visitas mediadas às instituições do entorno da Praça da Matriz. Fizemos parte do roteiro 1, acompanhados do Museu Julio de Castilhos e do Memorial do MP, realizando quatro visitas mediadas nas tardes dos dias 29 de março, 31 de maio, 30 de agosto e 25 de outubro.

Ações da DIDOC em 2013: Exposições e Eventos

Deixe um comentário

     Durante o ano de 2013 a DIDOC fez uso dos espaços culturais do APERS, organizando algumas exposições na sala Joél Abílio Pinto dos Santos, ocasião em que pode contar com parcerias de outras instituições. Além disso, disponibilizou documentos do acervo do APERS para ilustrar os temas tratados em eventos no Auditório Marcos Justo Tramontini e programa de televisão. Confira abaixo um relato cronológico (clique nos links para verificar as notícias postadas no Blog):

– Janeiro: como parte das comemorações aos 100 anos do Monumento a Júlio de Castilhos, foi elaborada uma miniexposição com alguns documentos de Júlio de Castilhos existentes no acervo do APERS, entre os quais, seu inventário.

– Maio: realização do evento V Encontro de Olho no Futuro, coordenado pela ESPRO – Ensino Social Profissionalizante, no Auditório Marcos Justo Tramontini. O evento foi destinado a jovens e aprendizes com idade de 14 a 24 anos e oportunizou a troca de experiências entre jovens e profissionais de diferentes áreas com vistas à inclusão social. Teve a participação, como uma das palestrantes, da arquivista e chefe da DIDOC Elizabeth Lima, a qual discorreu sobre o tema “O Arquivista”, ilustrando seu cotidiano profissional com a documentação custodiada pelo APERS e com uma visita guiada ao conjunto arquitetônico.

– Maio: foram selecionados e colocados a disposição de emissora pública TVE, alguns documentos relacionados à escravidão, como uma Carta de Liberdade de 1877 para ilustrar o Programa NAÇÃO. Tratou-se de uma matéria focada no tema A Influência do Negro na História e na Cultura Gaúcha.

– Maio a Julho: disponibilizada a exposição Temporânea, em parceria com Companhia Carris Porto-Alegrense. Composta por um conjunto de 07 totens, a exposição apresentou uma narrativa hipertextual composta por vídeos, textos, recortes de jornais, crônicas e depoimentos que apresentam o centro da Capital em suas diferentes temporalidades (Cidade Antiga, Cidade Contemporânea e Cidade do Futuro).

– Julho a Outubro: ocorreu a exposição Releituras, em parceria com a comissão de cultura do TRT da 4° Região. Composta por nove cartões-postais antigos de Porto Alegre, acompanhados de nove fotografias que reproduzem os mesmos cenários dos postais, na sua perspectiva atual.

– Novembro a dezembro: disponibilizada a exposição VIDHAS: histórias de lutas e conquistas dos negros pelos Direitos Humanos, idealizada pela Companhia Carris Porto-Alegrense. Composta por banners que abarcam a constituição dos Direitos Humanos sobre o ponto de vista de um grupo étnico específico: os negros.

– Dezembro: o APERS sediou a palestra A luta dos negros em relação aos Direitos Humanos e as desigualdades, promovida pela Unidade de Documentação e Memória da Companhia Carris Porto-Alegrense. A exposição teve a interlocução da historiadora Lorecinda Ferreira Abrão acerca da luta dos negros em relação aos Direitos Humanos e as desigualdades, possibilitando aos participantes do evento fazer uma conexão com a exposição VIDHAS: história de lutas e conquistas dos negros pelos Direitos Humanos, a qual ainda estava em cartaz no APERS.

     Na próxima postagem será apresentada a última parte da série Ações da DIDOC em 2013, a qual se refere ao Atendimento ao Público. Até breve!

V Encontro de Olho no Futuro é realizado no APERS

Deixe um comentário

     Nos dias 20 e 23 de maio de 2013 aconteceu, no Auditório Marcos Justo Tramontini do APERS e no Museu de Artes do Rio Grande do Sul – MARGS, o V ENCONTRO DE OLHO NO FUTURO, evento coordenado por Rudimar Anghinoni da ESPRO – Ensino Social Profissionalizante. Destinado a jovens e aprendizes com idade de 14 a 24 anos, o Encontro visa oportunizar a troca de experiências entre jovens e profissionais de diferentes áreas com vistas a inclusão social.

    A proposta é que as palestras ministradas nos encontros sejam articuladas no formato de “roda de conversa”, sendo o palestrante o principal interlocutor. No V Encontro os palestrantes discorreram sobre sua trajetória na vida profissional, desde a escola básica, expondo dificuldades, características importantes e condições de sua profissão, além de comentarem acerca do Curso correspondente a sua profissão e das respectivas oportunidades no mercado de trabalho.

   Palestraram no evento: Renato da Silva Costa, da Agência CON, sobre o tema “Programador de TI e Marketing Digital”; Rudimar Anghinoni e Loiva Steigleder, da ESPRO, apresentando o vídeo institucional da empresa; Elias Rodrigues, da Imobiliária Auxiliadora Predial, sobre o tema “O Administrador Imobiliário”, Osvaldo Petersen, da Rotary, expondo a história da empresa Rotary; Elizabeth Lima, arquivista e chefe da Didoc do APERS, sobre o tema “O Arquivista” e Alexandre Baretta, militar do Exército Brasileiro, explanando sobre a profissão militar.

Semana Acadêmica da História debate questão indígena

Deixe um comentário

   Entre os dias 21 e 25 de maio o APERS sediou a Semana Acadêmica da História/UFRGS, que trouxe para a pauta a História Indígena e diversos debates que estão intimamente ligados a esta vertente dos estudos históricos. O evento, intitulado “Todo o dia é dia do Índio”, contou com ampla adesão dos alunos e alunas do Curso de História, que lotaram o Auditório Marcos Justo Tramontini a cada turno de atividades.

   Os debates suscitados pelo grupo organizador da Semana foram bastante diversos: contribuições da antropologia e da arqueologia para a construção de uma história indígena; literatura e diversidade lingüística; direitos à terra e à cultura; educação indígena; movimentos e reivindicações indígenas atuais na América Latina e no Brasil; historiografia e possibilidades de pesquisa nesta área.

   Todos os palestrantes convidados demonstraram satisfação em participar de um evento de grande qualidade organizado por acadêmicos, que levantou questões atuais e centrais para a realidade de nosso país. Aos que acompanharam todo o evento ficou evidente o quanto se interligavam as mesas de debate, e o quanto a luta indígena por reconhecimento, direito à terra e à manutenção de seu modo de vida e cultura, igualdade e respeito deve ser encarada como a expressão de diversas contradições ainda hoje vivenciadas no Brasil.

  Outro ponto comum às falas foi a clareza da necessidade de aprendermos com os povos originários para juntos construirmos uma nova concepção de relação com a natureza e seus recursos, hoje tão deteriorados por nossas formas de produção e consumo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

APERS conta histórias: Espaços Culturais do APERS

Deixe um comentário

Jardim do APERS

Jardim do APERS

     Através da Portaria nº 013/08 de 30 de outubro de 2007, foram criados os Espaços Culturais do Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul. Os Espaços Culturais do APERS são: o Jardim; a Sala Borges de Medeiros, localizada no Prédio II; o Espaço Joél Abílio Pinto dos Santos e o Auditório Marcos Justo Tramontini, localizados no Prédio III.

     Mas você sabe como os nomes dos Espaços Culturais foram escolhidos? A ideia era homenagear profissionais que contribuíram de forma representativa para as áreas da Arquivologia e da História.

Sala Borges de Medeiros

Sala Borges de Medeiros

     A Sala Borges de Medeiros, nossa antiga Sala de Pesquisa, recebeu este nome para homenagear o fundador do Arquivo Público. Antonio Augusto Borges de Medeiros era o Presidente da Província, o que equivale hoje ao cargo de Governador do Estado, no período em que o APERS foi instituído (1906). Neste espaço, atualmente, são realizadas as Oficinas de Educação Patrimonial que buscam despertar nos estudantes o interesse pela preservação dos documentos salvaguardados no APERS, assim como ressaltar a importância do nosso patrimônio histórico, cultural e edificado.

Espaço Joél Abílio Pinto dos Santos

Espaço Joél Abílio Pinto dos Santos

     Joél Abílio Pinto dos Santos foi professor de história da Universidade Federal de Santa Maria e também era responsável pela disciplina de Introdução à História no curso de Arquivologia. O Professor Joél demonstrou ao longo de sua carreira ser simpatizante e defensor das causas arquivísticas, mesmo tendo como formação de origem o curso de história. No prédio do Centro de Ciências Sociais e Humanas, no campus da UFSM, há uma sala batizada com seu nome. Uma retribuição aos anos de dedicação e empenho voltados à Universidade. A Associação dos Arquivistas do RS concedeu ao Professor Joél o título de sócio honorário, em respeito à sua contribuição para a arquivologia. No momento, o Espaço Joél Abílio Pinto dos Santos, no APERS, abriga a exposição “História da Política Indigenista” composta por 20 banners, que retratam o surgimento do serviço de proteção ao índio em 1961.

Auditório Marcos Justo Tramontini

Auditório Marcos Justo Tramontini

    Natural de São Leopoldo, Marcos Justo Tramontini foi Doutor em História pela Pontifícia Universidade do Rio Grande do Sul e professor da Universidade do Vale dos Sinos e da Universidade Luterana do Brasil. Sua obra tem um enfoque especial nas temáticas “Ideias e movimentos sociais na América Latina” e “Imigração e Colonização na América Latina”. Em reconhecimento à sua relevante contribuição para a história da imigração, em especial a alemã no sul do Brasil, a Associação Nacional de História (ANPUH) sugeriu à direção do APERS que batizasse o auditório com o nome de Marcos Justo Tramontini. Neste espaço são realizados ciclos de cinema, palestras, seminários e cursos.

     Os espaços culturais foram criados com a finalidade de promover a integração com as entidades educativas, sociais, artísticas e a comunidade em geral. Destinando-se a exposições, palestras, mostras, teatro, apresentações musicais e outros eventos afins, estes espaços são disponibilizados à sociedade, desde que respeitadas às normas de preservação das instalações.

Semana Acadêmica da História/UFRGS: Todo dia é dia do Índio

Deixe um comentário

     O Arquivo Público do RS está apoiando a realização da Semana Acadêmica do curso de História da UFRGS, intitulada Todo dia é dia do Índio. Esta é uma iniciativa dos estudantes organizada e promovida com o apoio do CHIST (Centro dos Estudantes de História/UFRGS), do APERS, do Museu da UFRGS e do IFCH/UFRGS.

     As atividades ocorrerão no Auditório Marcos Justo Tramontini, andar térreo do APERS (Rua Riachuelo, 1031, Centro de Porto Alegre) entre os dias 21 e 25 de maio. Consulte a programação completa no Blog do CHIST e para fazer sua inscrição clique aqui.

%d blogueiros gostam disto: