O que aconteceu na 2ª Semana Nacional de Arquivos no APERS

Deixe um comentário

Entre os dias 4 e 09 de junho, aconteceu a 2ª Semana Nacional de Arquivos, promovido pelo Arquivo Nacional e a Fundação Casa de Rui Barbosa, com a finalidade de abrir os arquivos para a Academia, à cultura e à sociedade, divulgando o trabalho desenvolvido nas Instituições arquivísticas e centros de memória e documentação de todo país. O evento ocorre na Semana em que se celebra o Dia Internacional dos Arquivos, 9 de junho. Neste ano, foram mais de cento e oitenta entidades participantes, em todos os Estados.

No Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul – APERS, a programação, coordenada pelas arquivistas Iara Gomide e Marta Araújo, conteve três exposições (Caminhos dos Arquivos, Os Escoteiros no Arquivo e Os Bichos Invadem o Arquivo), visitas guiadas (ao APERS, Arquivo Municipal de Porto Alegre, Cemitério da Santa Casa e Memorial Martim Lutero), oficinas (“Os Tesouros da Família Arquivo”, de Preservação de Documentos, Preservação de Documentos Audiovisuais, painel “Documentos e Jogos no Ensino de História” (lançamento da Jogoteca Educativa do APERS) Paleografia e duas de Genealogia), Cinema no Arquivo (reprodução do filme “Cinema Paradiso”, na Cinemateca Capitólio), palestra “Difusão e diversidade de acervos na Web”, Encontro dos Arquivistas (apresentações de Carlos Dinarte – IPEPrev, Prof.ª. Valéria Bertotti – FABICO/UFRGS, Paulo Guimarães e Matheus Berino – BAGERGS), apresentações musicais (Banda da Brigada Militar, Quarteto de Trompas de alunos do Conservatório Pablo Komlós – Escola de Música da OSPA e os arquivistas Carlos Dinarte e Mauro Amaral) e Júri Simulado (reconstituição do caso da Maria Degolada, realizado pela SAJU/UFRGS).

Entre as exposições, foi realizada a “Exposição Caminho dos Arquivos”, composta por duas modalidades: presencial e virtual, na qual, em seu formato físico, contou com a participação de nove Instituições, e no formato a distância (acessível no site http://caminhosdosarquivos.adb.inf.br, foram vinte e oito entidades, de diversos municípios, privadas e públicas, de todas as esferas e poderes.

Na Semana, foram oportunizadas diversas visitas guiadas ao APERS, a fim de que os visitantes conheçam sobre a salvaguarda de documentos e história do conjunto arquitetônico do APERS tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (IPHAE) em 1991. As visitas guiadas são realizadas semanalmente e podem ser agendadas através do e-mail visitas@smarh.rs.gov.br.

A programação dos eventos consolidaram as ações do APERS como uma das Instituições mais importantes do Estado no acesso à memória, influenciando gerações na preservação documental e cultural, empreendendo em difusão, com muitas parcerias, em todo o território gaúcho. Clique aqui para ver as fotos dos eventos.

Exposição “Caminhos dos Arquivos: Nossas Histórias, Nossas Heranças” Presencial

Deixe um comentário

A partir do tema proposto pelo Conselho Internacional de Arquivos (ICA), que é: “Governança, memória e herança”, para a 2ª Semana Nacional de Arquivos, a realizar-se entre os dias 04 e 09 de junho de 2018, tratando-se de uma ação que visa agregar Instituições arquivísticas, centros de memória e entidades detentoras de acervos documentais de todo o país, que programam, em seus espaços ou de parceiros, exposições, visitas mediadas, rodas de conversa, palestras, exibições de filmes e espetáculos artísticos, objetivando a aproximação entre si e com seus públicos, promovendo a visibilidade de seus acervos e serviços.

Neste contexto, nada mais oportuno que o Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul – APERS, como órgão de gestor do Sistema de Arquivo do Estado do Rio Grande do Sul – SIARQ/RS, propor um evento que contemple uma grande união de Instituições: uma exposição coletiva e fragmentada, de formas presencial e virtual, na qual documentos provenientes dos acervos dos partícipes (distintas entidades arquivísticas, centros de documentação e de memória, e demais detentores de acervo de natureza pública ou privada), um documento de cada proveniência, de escolha dos mesmos, observando-se a temática da Semana Nacional de Arquivos e que remeta ao sentimento de pertencimento à comunidade, estão dispostos em fragmentos (cada documento foi dividido partes conforme a quantidade de participantes, e cada parte está exposta em uma Instituição, seguindo a ordem de distribuição), a fim de que o visitante, para completar as leituras dos documentos, deva percorrer todo o roteiro da Exposição “Caminhos dos Arquivos: Nossas Histórias, Nossas Heranças”.

A Exposição foi aberta na segunda-feira, dia 04, e permanecerá até sábado, dia 09. As Instituições que aceitaram participar deste desafio, que compõem o roteiro dos Caminhos dos Arquivos, no formato presencial, na ordem de distribuição dos documentos, são:

01 – Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul

02 – Memorial do Legislativo do Estado do Rio Grande do Sul

03 – Memorial do Judiciário do Estado do Rio Grande do Sul

04 – Instituto Histórico e Geográfico do Estado do Rio Grande do Sul

05 – Arquivo Histórico do Estado do Rio Grande do Sul

06 – Arquivo Municipal e Protocolo Administrativo de Porto Alegre

07 – Memorial da Justiça Federal do Rio Grande do Sul

08 – Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho

09 – Companhia Carris Porto Alegrense de Transporte Coletivo

10 – Grupo Escoteiro Georg Black

Acesse o roteiro da Exposição “Caminhos dos Arquivos: Nossas Histórias, Nossas Heranças”, no Google Maps: https://goo.gl/M9pymh

 

Exposição “Caminhos dos Arquivos: Nossas Histórias, Nossas Heranças” Virtual

Deixe um comentário


No mesmo contexto da modalidade presencial, o Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul – APERS, propôs um outro formato da Exposição “Caminhos dos Arquivos: Nossas Histórias, Nossas Heranças”, que contemplasse Instituições localizadas fora de Porto Alegre, mas que ainda mantivesse a realização coletiva, na qual documentos provenientes dos acervos dos partícipes (distintas entidades arquivísticas, centros de documentação e de memória, e demais detentores de acervo de natureza pública ou privada), um documento de cada proveniência, de escolha dos mesmos, observando-se a temática da Semana Nacional de Arquivos e que remeta ao sentimento de pertencimento à comunidade, expostos conjuntamente, em um web site, lançado na segunda-feira, dia 04, desenvolvido em colaboração entre o APERS e a empresa Arxius do Brasil, com objetivo de divulgar informações básicas sobre entidades custodiadoras do patrimônio documental gaúcho.

Estão exposto no site documentos de diversas Instituições, de variados municípios do Estado, que aceitaram participar deste desafio, que compõem o roteiro dos Caminhos dos Arquivos, no formato virtual, são:

– Arquivo do IPE-PREV

– Arquivo do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul

– Arquivo Geral do CHC Santa Casa

– Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho

– Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul

– Arquivo Histórico Municipal de Santa Maria

– Arquivo Histórico Sport Club Internacional

– Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul

– Arquivo Público e Histórico Municipal do Rio Grande

– Arquivo Público Municipal de Novo Hamburgo

– Arquivo Público Municipal e Protocolo Administrativo de Porto Alegre

– Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre

– Centro de Documentação e Pesquisa da Fundação Vera Chaves Barcellos

– Cia. Carris Porto Alegrense – Memória Carris

– Companhia Carris Porto Alegrense de Transporte Coletivo

– Escoteiros do Brasil – Rio Grande do Sul

– Grupo Escoteiro Georg Black

– Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul

– Memorial da Justiça Federal do Rio Grande do Sul

– Memorial do Judiciário do Rio Grande do Sul

– Memorial do Legislativo do Rio Grande do Sul

– Memorial e Espaço Cultural Casa do Leite

– Memorial Grupo Escoteiro Georg Black

– Museu da Brigada Militar

– Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo

– Museu do Grêmio

– Museu e Arquivo Histórico Pedro Rossi

– Setor de Arquivo-Geral do Tribunal Regional Federal da 4ª Região

Acesse a Exposição “Caminhos dos Arquivos: Nossas Histórias, Nossas Heranças”: http://caminhosdosarquivos.adb.inf.br/

2ª Semana Nacional de Arquivos no APERS

Deixe um comentário

Vários eventos estão sendo realizados no APERS durante esta semana. Ainda há tempo para inscrições. Os eventos ocorrerão até sábado, dia 08. Confira a programação:

Veja também as descrições dos eventos: https://goo.gl/UQP2qy

As inscrições são realizadas pelo link: http://goo.gl/SR7Dcx

2ª Semana Nacional de Arquivos no APERS: Alterações na programação

Deixe um comentário

A programação da 2ª Semana Nacional de Arquivos no APERS sofreu algumas alterações:

  • A Exposição Carris entre Arquivos: Trilhos de Preservação de História e Memória foi cancelada;
  • Na Oficina “Os Tesouros da Família Arquivo”, não teremos palestra do Prof.ª Carla Rodeghero (UFRGS), e sim a condução das atividades pela Equipe do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS; e,
  • O lançamento do Projeto “Jogoteca Educativa do APERS” – Painel “Documentos e Jogos no Ensino de História” – terá falas do Prof. Nilton Mullet Pereira (FACED/UFRGS), e de Jéssica Gomes de Borba e Paulo Eduardo Fasolo Klein (Núcleo de Ação Educativa do Arquivo).

Por esses motivos, publicamos novamente a grade da programação, com as alterações, e a descrição dos eventos (clique para acessar).

APERS na 2ª Semana Nacional de Arquivos: descrição dos eventos e inscrições

2 Comentários

   Como divulgamos, entre os dias 04 e 09 de junho, o Arquivo Público do RS participará da 2ª Semana Nacional de Arquivos com diferentes eventos, inclusive alguns acontecerão em parceria com outras instituições arquivísticas, centros de documentação e de memória.

   Para saber as informações da programação do APERS acesse aqui o arquivo com a descrição de cada evento (clique para acessar).

   A maioria dos eventos tem inscrição gratuita, apenas a Oficina de “Paleografia” terá custo de R$25,00 e a Visita Guiada ao “Cemitério da Santa Casa” terá custo de R$20,00. O pagamento deve ser feito, por depósito, para a Associação dos Amigos do APERS (CNPJ 01.347.417/0001-97), Banco: 041 Banrisul,  Agência: 100, Conta Poupança: 41.373.079.0-6.

   Para participar dos eventos do APERS na 2ª Semana Nacional de Arquivos, faça a sua inscrição neste link (clique para acessar). Ressaltamos que as inscrições para o I Júri Simulado da Memória Riograndense: Caso Maria Degolada, serão realizadas pelo e-mail geipsaju@gmail.com .

   Para mais informações, entre em contato por e-mail para sna.apers@yahoo.com ou por telefone 3288-9134.

Notícia relacionada:
APERS participará da 2ª Semana Nacional de Arquivos

APERS participará da 2ª Semana Nacional de Arquivos

Deixe um comentário

    No próximo mês teremos a 2ª Semana Nacional de Arquivos. A semana escolhida em comemoração ao Dia Internacional dos Arquivos: 9 de junho, que é uma data estabelecida pelo Conselho Internacional de Arquivos (ICA) em homenagem aos arquivos, fazendo parte de um calendário internacional. Além disso, o ICA lança um tema diferente a cada ano para inspirar os eventos. O deste ano é Governança, Memória e Herança.

    Este evento vem sendo organizado pelo Arquivo Nacional e a Fundação Casa de Rui Barbosa, a partir de ações previstas no Plano Setorial de Arquivos (2017-2027), elaborado pelo Colegiado Setorial de Arquivos do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) do Ministério da Cultura, como um período de eventos em arquivos e outras instituições de memórias de todo o país, com o objetivo de aproximar essas instituições da sociedade e divulgar os valiosos trabalhos nelas desenvolvidos; as quais atuam como um instrumento facilitador do acesso à informação, de modo a apoiar o cidadão na defesa de seus direitos e a incentivar a produção de conhecimento científico e cultural – uma das funções dos arquivos. Ademais, a Semana enfatiza a potencialidade dos arquivos como equipamentos culturais, aumenta sua visibilidade, divulga os valiosos trabalhos desenvolvidos nesses espaços.

    O Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul (APERS) também participará desta 2ª edição da Semana Nacional de Arquivos com eventos diversificados, oferecendo visitas guiadas, exposições, oficinas, palestras, Encontro de Arquivistas e apresentações musicais.

    Confira a nossa programação e participe (clique na imagem para ampliar):

Quando ocorre a 2ª Semana Nacional de Arquivos?

  • Em 2018, sua 2ª edição será de 4 a 9 de junho.

Endereços:

  • ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL (APERS): Rua Riachuelo, 1031, Centro Histórico, Porto Alegre/RS. Telefone: (51)3288-9100.
  • ARQUIVO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE: Rua 7 de Setembro, 1123, Centro, Porto Alegre/RS. Telefone: (51)3289-1692
  • CEMITÉRIO DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PORTO ALEGRE: Av. Prof. Oscar Pereira, Azenha, Porto Alegre/RS. Telefone: (51)3223-2325
  • CIA CARRIS: Rua Albion, 385, Partenon, Porto Alegre/RS. Telefone: (51)3289-2100
  • CINEMATECA CAPITÓLIO: Rua Demétrio Ribeiro, 1085, Centro Histórico, Porto Alegre/RS. Telefone: (51)3289-7458
  • MEMORIAL MARTIM LUTERO: Rua Guilherme Schell, 467, Santo Antônio, Porto Alegre/RS. Telefone: (51)3223-9712

Quanto custa?

  • Oficina de Paleografia – dia 06/06/2018, entre 14h e 17h, no Auditório do APERS – R$ 25,00.
  • Visita ao Cemitério da Santa Casa – dia 06/06/2018, entre 18h e 20h – R$ 20,00.
  • Demais eventos: gratuitos.

    A programação nacional completa estará disponível no final de maio no site: http://semanadearquivos.arquivonacional.gov.br/.

APERS na 1ª Semana Nacional de Arquivos

Deixe um comentário

Entre 5 e 10 de junho aconteceu a I Semana Nacional de Arquivos, promovido pelo Arquivo Nacional e a Fundação Casa de Rui Barbosa.

A Semana Nacional de Arquivos, inspirada na Noite dos Museus teve como finalidade abrir os arquivos para a cultura e divulgar o trabalho desenvolvido nas instituições arquivísticas e centros de memória e documentação de todo país. O evento ocorreu na Semana em que se celebra o Dia Internacional dos Arquivos, 9 de junho e reuniu mais de 100 instituições culturais em todo país, com programação diversa.

A Semana foi movimentada no APERS – Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul, com o relançamento do Guia Arquitetônico de Porto Alegre, de autoria de Rodrigo Poltosi e Vlademir Roman, na noite do dia 08 de junho. A sessão de autógrafos foi precedida de palestra sobre o contexto histórico e a concepção que norteou a construção do Prédio I, resgatando aspectos importantes do entorno urbanístico, como a Praça da Matriz, Catedral e Capela do Divino, Palácio do Governo e Auditório Araújo Viana.

A seguir foi apresentado o Guia, publicado pela Editora Escritos, que reúne 100 fotos e apresenta uma visão geral do patrimônio arquitetônico, paisagístico e urbano da nossa Capital com um registro dos exemplos mais representativos que ilustram a evolução da cidade desde suas origens até a atualidade.

.

Na sexta-feira, dia 09 à tarde houve o Encontro dos Arquivistas, onde os servidores se reuniram para conversar sobre as atividades em andamento do Sistema de Arquivos do Estado do Rio Grande do Sul (SIARQ/RS) desenvolvidas no APERS..

Após, a apresentação de Quarteto de Violoncelo de alunas da Escola de Música da OSPA. As jovens, entre 11 e 25 anos, encantaram os presentes com interpretações de Piazzolla e Mahler entre outros.

O Conservatório Pablo Komlós – Escola de Música da OSPA é referência de qualidade no ensino musical no RS. A Escola é gratuita e tem como público alvo crianças e jovens entre 8 e 25 anos. Trata-se da única instituição de ensino voltada a formação de músicos de orquestra no Estado, oferecendo a estudantes de baixa renda a oportunidade de profissionalização na área.

O atual Diretor do Conservatório é o clarinetista Diego Grendene de Souza, músico da OSPA. Os contatos com a Escola podem ser feitos através do telefone: (51) 3228-6737 ou escolademusica.ospa@gmail.com.

Também na Semana houve diversas visitas guiadas que oportunizaram o conhecimento do acervo, bem como as particularidades relativas a salvaguarda de documentos e história do conjunto arquitetônico do APERS tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (IPHAE) em 1991. As visitas guiadas são realizadas semanalmente e podem ser agendadas através do e-mail visitas@smarh.rs.gov.br.

Os eventos realizados no APERS afirmaram esta Instituição como uma das mais importantes de nosso Estado na divulgação da memória, influindo diretamente na formação de uma consciência cidadã voltada à preservação documental e cultural. Clique aqui para ver as fotos dos eventos.

APERS participará da 1ª Semana Nacional de Arquivos

Deixe um comentário

    Vem aí a 1ª Semana Nacional de Arquivos, evento organizado pelo Arquivo Nacional e a Fundação Casa de Rui Barbosa, que acontecerá entre os dias 5 a 10 de junho de 2017, semana escolhida em comemoração ao Dia Internacional dos Arquivos: 9 de junho.

    Conforme divulgado, através dessa iniciativa, as instituições arquivísticas, centros de memória e documentação e demais entidades que abrigam serviços de arquivos do Brasil, podem participar promovendo eventos a fim de atrair público variado. A ideia dos organizadores é abrir os arquivos para a sociedade e divulgar o trabalho de salvaguarda do patrimônio documental desenvolvido no país.

    O Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul (APERS) também participará da 1ª Semana Nacional de Arquivos com eventos diversificados, oferecendo visitas guiadas, relançamento do Guia de arquitetura de Porto Alegre com exposição fotográfica e palestra, Encontro de arquivistas e apresentação da escola da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (OSPA). Confira a nossa programação e participe:

    Para acompanhar todos os participantes e eventos da 1ª Semana Nacional de Arquivos, clique aqui.

Aconteceu no APERS o Seminário Internacional Luiza Bairros

Deixe um comentário

    Nos dias 18 e 19 de maio aconteceu o Seminário Internacional Escravidão, Memória e Verdade no Brasil e nos EUA em homenagem a Luiza Bairros (In memoriam), no auditório do Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul – APERS.

    Organizado pela Subcomissão da Verdade da Escravidão Negra – SCVEN-OAB-RS, Defensoria Pública da União – DPU, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS e APERS, o evento recebeu 89 participantes nas duas tardes em que foi realizado.

   Foram abordados temas como justiça de transição e direitos humanos como reparação, escravização e reparação, escravização nos EUA e no Brasil em perspectiva comparada, desigualdades étnico-raciais, racismo como produto do Estado e a luta antirracista, apresentados e discutidos por professores e pesquisadores da UNISINOS, PUCRS, UFRGS, FEE, IACOREQ, SCVEN-OAB-RS e Howard University – EUA.

Confira algumas fotos do evento no álbum no Facebook do APERS.

Seminário Internacional Luiza Bairros

Deixe um comentário

   Ocorrerá, nos dias 18 e 19 de maio, o Seminário Internacional Escravidão, Memória e Verdade no Brasil e nos EUA em homenagem a Luiza Bairros (In memoriam), no Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul – APERS.

     O evento realizado pela Subcomissão da Verdade da Escravidão Negra – OAB/RS, Defensoria Pública da União – DPU, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS e APERS, tem por objetivo promover um espaço de discussão e intercâmbio de conhecimento entre Brasil e EUA, para subsidiar o Relatório da Subcomissão da Verdade da Escravidão Negra no Rio Grande do Sul. É direcionado para pesquisadores, comunidade acadêmica, integrantes da OAB e de movimentos sociais, e demais interessados.

  As informações sobre o seminário estão disponíveis no site: www.seminarioluizabairros2017.com.br .

APERS? Presente, professor! – A luta pela terra e o direito à propriedade

Deixe um comentário

A luta pela terra_Blog   Hoje disponibilizamos a sexta e última proposta pedagógica da IIª Edição do Projeto APERS? Presente, professor!

    Denominada de A luta pela terra e o direito à propriedade, essa proposta tem como objetivo promover reflexões acerca da luta pela terra no Brasil e relação entre ela e os direitos humanos. Para construí-la, a equipe do projeto utilizou como fonte, recortes de um processo administrativo de indenização que compõe o Acervo da Comissão Especial de Indenização. Acesse aqui o arquivo da proposta.  Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

    Um ótimo trabalho!

APERS? Presente, professor! – Relações Étnico-raciais no Brasil

Deixe um comentário

Relações étnico-raciaisHoje disponibilizamos a terceira proposta pedagógica Projeto APERS? Presente, professor! Cuja IIª Edição problematizará os vínculos entre História e Educação para os Direitos Humanos.

Denominada de Relações Étnico-raciais no Brasil, essa proposta tem como objetivo, contribuir com reflexões acerca das marcas deixadas pela escravidão, na perspectiva de uma história dos africanos e dos afrodescentes enquanto sujeitos na construção do Brasil; desconstruir o mito da democracia racial tão presente no imaginário coletivo; refletir sobre as relações étnico-raciais presentes em nossa sociedade; fortalecer o reconhecimento e valorização das diferentes tradições culturais presentes em nosso país. Para construí-la, a equipe do projeto utilizou como fonte, processos-crime e testamentos. Acesse aqui o arquivo da proposta. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

Um ótimo trabalho!

Relatórios 2014 – DIPEP: Blog Resistência em Arquivo – Memória e História da Ditadura

Deixe um comentário

ZZ_Resistencia_em_Arquivo

O Blog Resistência em Arquivo é um dos produtos previstos dentro do Projeto Resistência em Arquivo, responsável por uma série de ações sobre a temática da Ditadura Civil-militar construídas pelo Arquivo Público a partir de processos administrativos de indenização custodiados pela instituição. Construído para compartilhar conteúdos sobre a Ditadura Civil-Militar Brasileira e sobre os Direitos Humanos, foi utilizado como uma ferramenta de divulgação dos projetos e das atividades desenvolvidas pelo Arquivo Público do RS e por outras instituições acerca do tema e como uma ferramenta de troca de conteúdo, principalmente com o público escolar, para acessá-lo clique aqui.

Entre as atividades desenvolvidas, destacamos: definição da plataforma e das artes do Blog, elaboração do Calendário de Postagens, pesquisas de conteúdo, e elaboração de postagens semanais (sempre as sextas-feiras). Desde novembro de 2013, 147 artigos (posts) foram produzidos e publicados semanalmente. Nesse mesmo período, o Blog foi visualizado 29.213 vezes.

Acreditamos que a Instituição, por meio de diferentes ações, participou, com seus diversos projetos, na ampla difusão de conteúdos relativos à Ditadura e ao Direitos Humanos nesse ano que marcou os 50 Anos do Golpe Militar. Dentre as ações, a utilização do Catálogo como mais um instrumento de pesquisa disponível no APERS e a oferta da Oficina de Educação Patrimonial Resistência em Arquivo, serão daqui para frente possibilidades permanentes de contato com a documentação e com a temática. Sobre o Blog Resistência, a equipe pensa já ter cumprido, nesse ano de 2014, a tarefa de colocar tal temática em papel de destaque na instituição através de pesquisa e elaboração de conteúdos diversos.

Para 2015, pensamos: em divulgar, na página institucional do facebook, os conteúdos já produzidos em 2014; em organizar uma coletânea com as postagens selecionadas pela equipe; em encerrar os trabalhos de postagens no Blog, mantendo, no entanto, a plataforma visível para o público; e em continuar difundindo a documentação custodiada pelo Arquivo que trata sobre o período, por meio de conteúdos postados no Blog Institucional do APERS.

Relatórios 2014 – DIPEP: Projeto Catálogo Seletivo Resistência em Arquivo: Memórias e Histórias da Ditadura no Brasil

Deixe um comentário

2015.01.21 Catalogo ResistenciaA construção deste instrumento baseou-se no acervo resultante do trabalho da Comissão Especial de Indenização criada através da Lei 11.042, de 18 de novembro de 1997, onde o Estado do Rio Grande do Sul reconheceu sua responsabilidade pelos danos físicos e psicológicos causados às pessoas detidas por motivos políticos em órgãos ou por agentes públicos estaduais no período de 02 de agosto de 1961 a 15 de agosto de 1979, estabelecendo assim, normas para as mesmas fossem indenizadas. Este acervo composto por 1.704 processos administrativos de indenização oriundos da Secretaria de Segurança Pública, é custodiado pelo Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul (APERS) desde 2008.

Este projeto se propõe a produzir em primeira mão um instrumento que facilite a pesquisa de estudantes e acadêmicos que desenvolvem seus trabalhos, teses e dissertações relacionadas à temática de ditaduras e direitos humanos, tema atual que tem ampla discussão no meio acadêmico e social. Como um dos objetivos propomos a publicação do catálogo que através de seus verbetes colaborará para o esclarecimento de fatos ocorridos no Brasil e em especial no Rio Grande do Sul durante o período da Ditadura Civil Militar.

O processo de descrição do acervo contou com as seguintes etapas: leitura dos processos administrativos de indenização e elaboração dos verbetes; correção dos campos que compõem o verbete; correção de dados do documento no Sistema AAP (sistema de busca informatizada onde o acervo está cadastrado); correção ortográfica; elaboração da introdução, das convenções adotadas, da apresentação, da conclusão, do mapa e índices que compõe o catálogo.

O Catálogo Resistência em Arquivo: Memórias e Histórias da Ditadura no Brasil será disponibilizado em meio eletrônico no site do APERS, possibilitando o acesso irrestrito dos interessados no tema em qualquer local por meio da rede mundial de computadores. Desde sua construção o catálogo foi pensado para ser impresso e disponibilizado de forma gratuita para diversas entidades públicas que incentivem o ensino e a pesquisa, tendo também como preocupação a inclusão de pessoas portadoras de deficiência visual que possuem carência de publicações em braille relacionadas com a temática citada.

Para tanto, contamos com o apoio do Pró-Cultura, através do Fundo de Apoio a Cultura – FAC, escrevendo este projeto na finalidade – Apoio à Produção e Inovação Cultural, modalidade Pessoa jurídica (sem fins lucrativos), onde fomos contemplados com o valor de R$ 55.000,00 (cinquenta e cinco mil reais). Este recurso será utilizado na impressão de 03 catálogos em braille, visando sua distribuição para entidades voltadas às pessoas portadoras de deficiência visual bem como sua disponibilização para este público no APERS e na impressão de 500 catálogos para distribuição em instituições públicas como Arquivos, Bibliotecas, Universidades, Escolas de Ensino Médio do Rio Grande do Sul e Núcleos de Estudo voltados para a temática de Ditadura e Direitos Humanos.

A primeira etapa consistiu-se na busca de orçamentos junto a empresas especializadas na publicação de catálogos impressos e em braille; análise dos orçamentos recebidos e verificação do custo-benefício para implementação do projeto e levantamento das instituições públicas que receberão o catálogo (escolas de ensino médio, universidades, arquivos, bibliotecas, núcleos de estudos sobre ditadura, entre outros). A segunda etapa contemplou a revisão ortográfica; diagramação; elaboração de arte da capa; impressão de 500 cópias do catálogo. A confecção de releases e produção de banner, bem como a transcrição e impressão de 03 cópias do catálogo em braille e disponibilização do catálogo em formato eletrônico, tarefas que fazem parte da terceira etapa, estão em andamento.

Acreditamos que além de ajudar na preservação do acervo físico, uma vez que o pesquisador poderá levantar informações primordiais através do catálogo, evitando assim o manuseio desnecessário dos documentos originais, o Catálogo Resistência em Arquivo: Memórias e Histórias da Ditadura no Brasil contribuirá para a democratização e difusão destas informações, bem como viabilizará, através de sua publicação em braille, o conhecimento a portadores de deficiência visual sobre este período histórico, proporcionando assim sua inclusão social.

APERS? Presente, professor! – Saúde – História e Políticas Públicas

Deixe um comentário

2014.12.24 Saúde e Políticas Públicas_BlogHoje estamos disponibilizando a última proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! desse ano de 2014. Ela está inserida dentro do eixo temático A Transversalidade nas Fontes – diversas fontes arquivísticas para diferentes trabalhos pedagógicos e recebeu o nome de Saúde – História e Políticas Públicas que tem como objetivos (a) desnaturalizar a ideia, que talvez para muitos jovens seja óbvia, de que todos sempre tiveram acesso aos cuidados e avanços da medicina e que o Estado, o poder público, sempre ofereceu serviços a população que por eles procurou e (b) auxiliar na construção da noção de que o acesso universal garantido pelo Estado foi uma conquista da população. Acesse aqui o arquivo da proposta.

Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia das fontes utilizadas na construção da proposta, disponibilizamos aqui as Fichas completas de Registro da Delegacia Especial de Segurança Pessoal e Sanitária. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

Um ótimo trabalho!

APERS? Presente, professor! – Sociedade, Violência e Políticas de Segurança

Deixe um comentário

2014.10.22 Sociedade e Violência_BlogHoje estamos disponibilizando a décima segunda proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! Ela está inserida dentro do eixo temático A Transversalidade nas Fontes – diversas fontes arquivísticas para diferentes trabalhos pedagógicos e recebeu o nome de Sociedade, Violência e Políticas de Segurança que tem como objetivo discutir violência e políticas de segurança sobre o prisma dos Direitos Humanos na tentativa de conciliar a ideia de punição ao agente que cometeu um crime às condições necessárias para que esse sujeito retorne à vida em sociedade. Acesse aqui o arquivo da proposta.

Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia das fontes utilizadas na construção da proposta, disponibilizamos aqui a documentação referente ao Presídio Central e aqui os documentos que dizem respeito ao Presídio de Itaqui. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

Desejamos um ótimo trabalho!

APERS? Presente, professor! – Mobilidade Urbana e Violência no Trânsito

1 Comentário

2014.08.27 Mobilidade Urbana_BlogHoje estamos disponibilizando a oitava proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! Ela está inserida dentro do eixo temático A Transversalidade nas Fontes – diversas fontes arquivísticas para diferentes trabalhos pedagógicos e recebeu o nome de Mobilidade Urbana e Violência no Trânsito, que tem como objetivo a problematização, a partir de um documento de Investigação Policial, da paisagem urbana atual, do seu funcionamento e de suas contradições a partir da historicização do desenvolvimento das cidades e do transporte urbano. Vamos abordar o tema da violência no trânsito como uma evidência do desrespeito ao direito à mobilidade urbana e à cidade, que entendemos ser estendido a todos os habitantes de uma determinada circunscrição territorial.

Acreditamos que esse material pedagógico, aliado a um referencial que perceba o acesso a múltiplas formas de sociabilidade dentro de uma cidade como um direito que dever ser estendido e garantido a todos, consiga auxiliar o professor no encaminhamento do complexo trabalho de desnaturalização das difíceis relações vividas dentro de um espaço urbano e de construção, junto aos alunos, de outras possibilidades de organizarmos as relações urbanas. Acesse aqui o arquivo da proposta.

Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia na íntegra do fonte utilizada na construção da proposta, clique aqui. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

Bom trabalho!

APERS? Presente, professor! – Esquemas Repressivos e Tortura

Deixe um comentário

2014.08.13 Esquemas Repressivos e Tortura_Blog   Hoje disponibilizamos a sétima proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! que está inserida dentro do eixo temático A Resistência à Ditadura Civil-militar – das fontes arquivísticas para a sala de aula, 50 anos depois.

  Denominada de Esquemas Repressivos e Tortura, essa proposta tem como objetivo auxiliar na compreensão da construção de todo um aparato repressivo que sustentou a ditadura e da utilização da tortura como método sistemático aplicado por esse esquema, montado para varrer do território nacional qualquer tipo de oposição ao regime. Para construí-la, a equipe do projeto utilizou como fonte um processo de indenização de um ex-preso político do período, Antônio Pinheiro Salles. Acesse aqui o arquivo da proposta.

     Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia na íntegra do fonte utilizada na construção da proposta, clique aqui. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

     Desejamos um bom trabalho!

.

Post atualizado em 20 de agosto de 2014 – correção textual da proposta pedagógica.

APERS? Presente, professor! – Herança de Pai para Filho: resistência e conquistas nos registros de testamento

Deixe um comentário

2014.07.30 Herança de Pai para Filho_BlogNesta quarta, estamos disponibilizando a sexta proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! Ela está inserida dentro do eixo temático Cativeiro e Resistência – a escravidão negra no Rio Grande do Sul a partir de fontes arquivísticas e recebeu o nome de Herança de Pai para Filho: resistência e conquistas nos registros de testamento. Tem como proposta a problematização das formas de resistência e das possibilidades de conquistas agenciadas por negros escravizados dentro do sistema escravista e as rupturas e permanências das condições de vida da população negra em nosso país. Acesse aqui o arquivo da proposta.

Caso o professor tenha interesse em  acessar uma  cópia  na  íntegra  da  fonte  utilizada  na  construção  da  proposta,  clique  em:  processo 1, processo 2. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

Ótimo trabalho professores!

APERS? Presente, professor! – Conexões Repressivas e Redes de Solidariedade: repressão e resistência no Cone Sul

Deixe um comentário

2014.07.09 Conexões Repressivas_BlogHoje disponibilizamos a quinta proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor que está inserida dentro do eixo temático A Resistência à Ditadura Civil-militar – das fontes arquivísticas para a sala de aula, 50 anos depois.

Denominada de Conexões Repressivas e Redes de Solidariedade: repressão e resistência no Cone Sul, essa proposta tem como objetivo compreender a formação das redes de solidariedade como uma estratégia de resistência e de sobrevivência à repressão imposta pela ditadura; perceber as relações entre os aparatos repressivos dos países do Cone Sul. Para construí- la, a equipe do projeto utilizou como fonte um processo de indenização de um ex-preso político do período, Carlos Alberto Libânio Christo, mais conhecido como Frei Betto. Acesse aqui o arquivo da proposta.

Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia na íntegra do fonte utilizada na construção da proposta, clique aqui. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

Um ótimo trabalho professora e professor!

APERS? Presente, professor! – História das Mulheres e das Relações Familiares

Deixe um comentário

2014.06.25 História das Mulheres_Blog

Hoje estamos disponibilizando a quarta proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! Ela está inserida dentro do eixo temático A Transversalidade nas Fontes – diversas fontes arquivísticas para diferentes trabalhos pedagógicos e recebeu o nome de História das Mulheres e das Relações Familiares. Tem como proposta a problematização, a partir de processos de desquite, das relações nas quais estiveram envolvidas mulheres que viveram em contextos históricos diferentes dos nossos. Com ela, pretendemos contribuir para processo-ensino-aprendizagem de desnaturalização e de historicização das relações nas quais estiveram e ainda estão envolvidas as mulheres. Acreditamos que essa proposta, aliada a um referencial antissexista e afirmativo naquilo que diz respeito ao debate em torno da discriminação ainda sofrida pelas mulheres, consiga auxiliar o professor no encaminhamento do trabalho complexo que é discutir as relações de gênero e problematizar os papéis sociais atribuídos às mulheres, bem como a invenção de múltiplas formas de resistência e de luta por esses sujeitos desenvolvidas. Acesse aqui o arquivo da proposta.
Caso o professor tenha interesse em acessar a cópia na íntegra das fontes utilizadas na construção da proposta, clique aqui: processos 1 e 2; processos 3, 4 e 5; e processo 6. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.
Bom trabalho, professora e professor!

APERS? Presente, professor! – A Ditadura vista do lado de lá da fronteira: o mundo dos exílios

Deixe um comentário

2014.06.11 O Mundo dos Exílios

Hoje disponibilizamos a terceira proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor, que está inserida dentro do eixo temático A Resistência à Ditadura Civil-militar – das fontes arquivísticas para a sala de aula, 50 anos depois. Denominada de A Ditadura vista do lado de lá da fronteira: o mundo dos exílios, essa proposta tem como objetivo central, proporcionar uma reflexão acerca do exílio como a última forma de resistência, e muita vezes de sobrevivência, à ditadura e à repressão estatal imposta por ela. Para construí-la, a equipe do projeto utilizou como fonte um processo de indenização de um ex-preso político do período, João Carlos Bona Garcia. Acesse aqui o arquivo da proposta. Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia na íntegra do fonte utilizada na construção da proposta, clique aqui. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui. O Arquivo deseja um bom trabalho professora e professor!

APERS? Presente, professor! – Compra e venda de negros escravizados: da relação de coisificação à relação entre sujeitos

Deixe um comentário

2014.05.28 Compra e Venda

Nesta quarta, estamos disponibilizando a segunda proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! Ela está inserida dentro do eixo temático Cativeiro e Resistência – a escravidão negra no Rio Grande do Sul a partir de fontes arquivísticas e recebeu o nome de Compra e venda de negros escravizados: da relação de coisificação à relação entre sujeitos. Tem como proposta a problematização, a partir de documentos de compra e venda de escravos, sobre o tráfico de negros escravizados e as suas transformações no decorrer do período no qual esteve vigente o sistema escravista de trabalho e possíveis tensões entre a agência do negro escravizado na condução de sua história e sua condição de propriedade. Além disso, trará consigo, possibilidades de trabalhos com temas atuais. Acesse aqui o arquivo da proposta.

Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia na íntegra do fonte utilizada na construção da proposta, clique aqui. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

O Arquivo deseja um bom trabalho, professora e professor!

APERS? Presente, professor! – Os Anos de Chumbo da Ditadura e a Luta Armada no Rio Grande do Sul

Deixe um comentário

2014.05.14 Os Anos de Chumbo   Hoje iniciaremos as postagens das propostas pedagógicas do Projeto APERS? Presente, professor! Elas trazem consigo possibilidades de trabalhos pedagógicos em sala de aula a partir de diversas fontes arquivísticas.

   A primeira proposta está inserida dentro do eixo temático A Resistência à Ditadura Civil-militar – das fontes arquivísticas para a sala de aula, 50 anos depois e recebeu o nome de Os anos de chumbo da Ditadura e a Luta Armada no Rio Grande do Sul. Ela propõe uma problematização acerca das ações armada e da repressão estatal levada acabo no Rio Grande do Sul. Para construí-la a equipe do projeto utilizou como fonte um processo de indenização de um ex-preso político do período. Acesse aqui o arquivo da proposta.

   Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia na íntegra do fonte utilizada na construção da proposta, clique aqui.

   O Arquivo deseja um bom trabalho, professora e professor!

APERS? Presente, professor! Novo Projeto de Ação Educativa do Arquivo

1 Comentário

2014.04.30 Banner Face_Projeto APERS (1)

     O Arquivo Público do Rio Grande do Sul (APERS), além das atribuições que lhe compete na área de gestão documental, possui uma significativa trajetória na área de Difusão Cultural. Dentre as ações desenvolvidas no sentido de divulgar os acervos custodiados pela instituição, as ações educativas e pedagógicas ocupam lugar privilegiado. Em parceria com o Departamento de História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, possui um Programa de Educação Patrimonial que aproxima a educação básica e superior do mundo dos arquivos, das fontes arquivísticas e da discussão a respeito de patrimônio. De modo geral, todas as ações são desenvolvidas dentro da própria instituição, sejam elas as Oficinas de Educação Patrimonial com alunos da educação básica, sejam os diversos cursos destinados aos professores e aos estudantes de licenciaturas.

    Na intenção de darmos continuidade e de estendermos essa aproximação, elaboramos o Projeto APERS? Presente, professor! – Propostas Pedagógicas a partir de Fontes Arquivísticas. O resultado das ações previstas nele, levará um pouco do Arquivo Público até a escola e até o professor, a partir da construção de propostas pedagógicas que tenham como ponto de partida os documentos custodiados por essa instituição. Elas serão disponibilizadas em formato PDF no Blog Institucional do Arquivo nas segundas e nas quartas quartas-feiras de cada mês, de maio até dezembro desse ano.

      As propostas serão organizadas em três grandes eixos temáticos: (1) Ditadura Civil-militar no Brasil; (2) Escravidão no Brasil; e (3) Temas Transversais. O conjunto de publicações do primeiro eixo denomina-se A Resistência à Ditadura Civil-militar – das fontes arquivísticas para a sala de aula, 50 anos depois. Para a construção das propostas pedagógicas desse eixo, a equipe do projeto utilizará como fontes o Acervo da Comissão Especial de Indenização composto por processos de indenização de ex-presos políticos do período da Ditadura. Elas estarão disponíveis mensalmente no Blog, sempre nas segundas quartas-feiras de cada mês a partir de maio.

      Já o conjunto de publicações do segundo eixo, chama-se Cativeiro e Resistência – a escravidão negra no Rio Grande do Sul a partir de fontes arquivísticas. Construiremos as propostas desse eixo a partir de testamentos, inventários, documentos de compra e venda, processos crimes e cartas de liberdade, documentos sobre a escravidão que compõem diferentes acervos salvaguardado pelo Arquivo. Estarão disponíveis bimensalmente no Blog, sempre nas quartas quartas-feiras de cada mês a partir de junho.

    Para o conjunto de publicações do terceiro eixo, que recebeu o nome de A Transversalidade nas Fontes – diversificadas fontes arquivísticas para diferentes trabalhos pedagógicos, elaboraremos propostas a partir de documentos diversos de diferentes secretarias do Poder Executivo. Composto de temáticas variadas, planejaremos as propostas desse eixo, de modo que se adéquem aos temas transversais apontados nas legislações sobre a Educação Básica. Também estarão disponíveis bimensalmente no Blog, sempre nas quartas quartas-feiras de cada mês a partir de maio próximo (clique aqui para visualizar o calendário de postagens das propostas dos três eixos temáticos).

     Cada proposta pedagógica contará com texto de suporte temático para professor, texto didático-pedagógico para o aluno, fonte arquivística digitalizada, propostas de atividades a partir do texto e da fonte e sugestões metodológicas para a condução dos trabalhos em sala de aula. Ressaltamos, no entanto, que entendemos essa produção exatamente como uma proposta, cabendo ao professor o uso de sua total autonomia para avaliá-la, modificá-la e trabalhá-la em aula conforme seus princípios político-pedagógicos e seus métodos didáticos.

     É com grande satisfação que convidamos a todos, desde já, a acessar o Blog do Arquivo e a baixar as propostas que aqui serão disponibilizadas, incorporando-as ao planejamento de suas aulas, conforme seu objetivo e conforme os interesses específicos dos contextos nos quais se desenvolve o processo de ensino-aprendizagem de suas turmas.

    Professora e professor, a mochila do APERS está cheia de ideias e estamos ansiosos pelo momento de compartilhamento e de construção de conhecimentos!

Blog Resistência em Arquivo – Venha ser autor junto com o APERS!

Deixe um comentário

   Desde o mês de novembro do ano passado, o Arquivo Público construiu um blog temático chamado Resistência em Arquivo – Memória e História da Ditadura (acesse aqui), no qual o APERS pudesse trocar conteúdos e informações com a comunidade envolvida em torno das temáticas da Ditadura Militar e dos Direitos Humanos.

  Agora queremos convidar vocês, alunos e professores que participam da Oficina de Educação Patrimonial Resistência em Arquivo, professores, alunos, pesquisadores, ativistas e militantes que se interessam pelo tema, que participam dos diversos eventos promovidos pelo Arquivo em suas múltiplas parcerias, para conhecerem o Blog e para participarem da elaboração de seus conteúdos.

2014.03.19 Blog Resistência em Arquivo

1964: O Brasil e o Cone Sul da Segurança Nacional – Ensino e Pesquisa: Historiadoras do APERS no Curso de História da UFRGS

Deixe um comentário

   Na sexta-feira da semana passada, dia 14 de março, as historiadoras do Arquivo Público do RS participaram como palestrantes na aula do Seminário 1964: O Brasil e o Cone Sul da Segurança Nacional – Ensino e Pesquisa, do Curso de História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Convidadas pelo Professor Enrique Padrós, Clarissa Sommer, Nôva Brando e Vanessa Menezes apresentaram, para os alunos do curso, informações acerca do Acervo da Comissão Especial de Indenização custodiado pelo APERS.

  No turno da manhã, Nôva e Vanessa dividiram a mesa com Silvania Rubert (Doutoranda/ UFRGS), que conversou com os alunos a respeito das possibilidades das fontes orais para a construção do conhecimento histórico sobre o período da Ditadura Civil Militar no Brasil.

  Já as historiadoras da casa, iniciaram sua apresentação com um breve histórico da constituição do Acervo da Comissão Especial de Indenização e dos trabalhos que o APERS tem desenvolvido a partir dele: elaboração de instrumentos de pesquisas e projetos na área de educação como a oficina de Educação Patrimonial Resistência em Arquivo, e a criação de um blog temático, com o mesmo nome. Para além do histórico e da divulgação dos trabalhos desenvolvidos por essa instituição, Nôva e Vanessa conversaram sobre possibilidades de pesquisas históricas e de trabalhos pedagógicos a partir das fontes documentais que compõem o acervo.

  Clarissa Sommer, na mesma lógica de apresentação, trabalhou com os alunos no turno da noite. Dividindo a mesa com Renata Mattos, do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul (AHRS) e com Francisco Carvalho Junior, do Núcleo de Pesquisa em História (NPH-UFRGS), que falaram sobre as possibilidades de pesquisa a partir dos acervos de suas respectivas instituições.

  O APERS acredita que ações como essa, nas quais seus servidores participam de espaços de debates importantes, contribuem para a formação de futuros pesquisadores e historiadores e auxiliam a difundir os acervos salvaguardados pela instituição.

  Que recebamos por aqui muitos pesquisadores, estudantes e educadores como recompensa pelo trabalho de divulgação da instituição e de seus acervos! Agradecemos ao Prof. Enrique e a seus alunos pela oportunidade de qualificarmos nosso trabalho a partir da reflexão e do debate!

Arquivos & Diversidade Étnica: descobrindo histórias entre acervos e catálogos

Deixe um comentário

Buscando efetivar a proposta de, através da série “Arquivos & Diversidade Étnica”, lançar luz sobre documentos que auxiliem na discussão a respeito de nossa constituição étnica, evidenciando as múltiplas potencialidades das instituições arquivísticas e de seus acervos para os processos de ensino e aprendizagem em torno da temática, hoje gostaríamos de difundir instrumentos de pesquisa que são uma porta de entrada de fácil acesso aos Arquivos para todos os seus usuários, e que com certeza podem ser utilizados por educadores nos mais diversos contextos educacionais para aproximar estudantes do patrimônio documental.

Estamos falando dos catálogos seletivos, produzidos a partir da pesquisa, seleção e descrição de acervos que tratam de determinada temática. São instrumentos de pesquisa construídos com a intencionalidade de ampliar o acesso e a difusão de terminados acervos, e elaborados a partir de um minucioso trabalho em que cada documento é apresentado em sua essência informacional a partir de um verbete.

Há anos o APERS vem trabalhando com o tema da escravidão e da luta por liberdade no Rio Grande do Sul, lançando 10 volumes de catálogos seletivos que evidenciam o peso da escravidão em nosso estado, e a presença dos africanos e afrodescendentes em nossa constituição societária. Todos esses catálogos podem ser baixados de nosso site em formato pdf, e estão referenciados de forma organizada em nossa aba “Publicações”. Partindo de exemplos extraídos de um desses volumes, gostaríamos de instigar visitas virtuais e reflexões coletivas a partir dos próprios catálogos, que podem gerar o desejo de realizar visitas presenciais e pesquisas no Arquivo!

Capa Processos CrimeComo o nome já diz, no volume intitulado “Processos Crimes: o escravo como vítima ou réu”, lançado em 2010, você poderá encontrar relacionados e descritos todos os processos crimes envolvendo escravos ou libertos mapeados em nosso acervo do Poder Judiciário, em cada Comarca. Os verbetes trazem informações a respeito dos escravizados, como nome, estado civil, cor, idade, origem, profissão, filiação e nome do proprietário, além de informações sobre o crime e a conclusão do processo. A introdução do instrumento explica de maneira detalhada a forma como foi construída a descrição dos cerca de 2 mil processos, auxiliando em sua compreensão. Veja exemplos:

Exemplo verbete crime 1

Exemplo verbete crime 2

Exemplo verbete crime 3

No primeiro caso encontramos três escravos, sendo dois “de nação”, ou seja, nascidos na África, e um crioulo, nascido no Brasil. São acusados de ferir com arma de fogo e ofender o proprietário de dois deles. No segundo caso encontramos relacionados uma série de escravos, de diversas idades e origens, acusados de organizar uma insurreição, formando um quilombo. Em ambos, os escravizados aparecem como réus. São apenas dois exemplos, entre tantos outros crimes semelhantes, que expressam a revolta e a organização de indivíduos que foram escravizados. São escravos congos, nagôs, moçambiques, angolas, crioulos da província e de outras localidades do país, com diferentes profissões e idades, de diferentes senhores, que, ligados pelos laços da opressão escravista, se encontram, se identificam e se rebelam.

Já no terceiro exemplo, a menina escravizada aparece como vítima de um crime que provavelmente foi muito mais comum do que os processos recolhidos ao APERS puderam registrar, já que o abuso de mulheres escravas por parte de seus senhores e outros homens brancos era muitas vezes percebido como natural. Fato que nos faz questionar até que pontos esses crimes chegavam a juízo.

O que esses processos demonstram? Que discussões a simples problematização de seus verbetes pode gerar em sala de aula? Que dados podem ser ressaltados? Acreditamos que os crimes e a violência, em si, devem ser o foco da análise quando o objetivo é questionar as bases da sociedade escravista, da qual somos legatários. Porém, também é possível realizar cruzamentos de dados entre processos para problematizar as origens dos escravos trazidos ao RS; analisar as funções por eles desempenhadas, expressas através de suas profissões, que muitas vezes eram bastante especializadas e complexas; relacionar suas idades e o envolvimento com determinados crimes; buscar processos de crimes ocorridos na localidade em que está situada a escola, para refletir sobre possíveis marcas na memória local… Enfim, as possibilidades são muitas, e isso apenas com o “resumo” dos documentos, que podem ser facilmente acessados e lidos através da internet.

Em relação ao método de trabalho, também há diversas possibilidades, adaptáveis à realidade da sua escola e ao tempo disponível para planejamento e construção da atividade. Sugerimos que você inicie o trabalho realizando uma pesquisa prévia, “viajando” pelas páginas dos catálogos a procura de casos que se relacionem com os objetivos traçados em seu plano de aula. Em seguida, anote as páginas que pretendes trabalhar com os alunos no laboratório de informática, onde eles mesmos poderão entrar em nosso blog e baixar o arquivo com o catálogo escolhido, primeiro explorando-o de maneira geral e em seguida se direcionando às páginas indicadas por você. Caso não seja possível utilizar o laboratório de informática, é possível preparar uma apresentação com os verbetes selecionados, que pode ser projetada em sala de aula com equipamento multimídia, ou até mesmo impressa para distribuir entre todos os alunos, ou por grupos. Com certeza em qualquer desses formatos a atividade renderá debates excelentes!

Mas, se com os verbetes a aula já será ótima, imagine o que você pode propor a partir de uma visita com sua turma à sala de pesquisa do APERS, ou a partir de imagens dos documentos que podes captar em pouco tempo e levar até a escola?! Neste caso, realize a pesquisa prévia no catálogo, anote as referências dos documentos que gostarias de analisar com seus alunos, entre em contato conosco fazendo o pedido dos mesmos, para que sejam separados e fiquem a sua espera na sala de pesquisa, e em seguida opte pelo que mais se encaixar na sua dinâmica: agende a visita para o grupo, ou se organize para vir ao Arquivo e tirar suas fotos, que depois poderão ser trabalhadas com os estudantes. Visualizando os processos certamente a aula poderá se tornar ainda mais interessante.

Arquivos & Diversidade Étnica

Deixe um comentário

2014.01.15 Arquivos e Diversidade Etnica     Ao longo de todo o ano de 2013 nosso blog apresentou postagens mensais relacionadas à aplicação da Lei 10.639, que torna obrigatório o ensino de história e cultura africana e afro-brasileira nas escolas brasileiras. Foram posts que exploraram diversas possibilidades pedagógicas a serem utilizadas em sala de aula para trabalhar o tema em questão.

     Para 2014 estamos preparando postagens um pouco mais abrangentes em relação à temática, porém focadas nos documentos de arquivo: mensalmente apresentaremos propostas de reflexão sobre diversidade étnica no Brasil a partir de documentos de arquivo, com enfoque nas matrizes africanas e indígenas de nossa sociedade. Com isso pretendemos lançar luz sobre processos crimes, inventários, testamentos e outros documentos que auxiliem na discussão a respeito de nossa constituição étnica, assim como evidenciar as múltiplas potencialidades das instituições arquivísticas e de seus acervos para os processos de ensino e aprendizagem.

     Para uma ideia do que está por vir, releia a postagem “Aplicando a Lei 10.639: ensino de história afro e o uso de documentos de arquivo” clicando aqui, que foi produzida a partir de uma proposta semelhante, e confira as novidades na categoria “Arquivos & Diversidade Étnica” a partir de fevereiro. Esperamos que gostem!

Older Entries

%d blogueiros gostam disto: