Aconteceu no Arquivo: Simpósio Questões para a História Negra do RS / 8º Curso de Formação para Professores PEP UFRGS-APERS

Deixe um comentário

Entre os dias 01 e 03 de outubro o Arquivo Público recebeu um evento muito especial, que colocou a história negra do Rio Grande do Sul no centro de nossas atenções e reflexões. Promovido em parceria entre o Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS, o Departamento de Educação e Desenvolvimento Social (DEDS) e o Núcleo de Pesquisa em História (NPH) da UFRGS, o Simpósio Questões para a História Negra do RS / 8º Curso de Formação para Professores PEP UFRGS-APERS contou com um público bastante assíduo que se dedicou a debater experiências e epistemologias negras atuais a partir de diversos ângulos.

As mesas de debate e apresentação de trabalhos, assim como a conferência, a oficina e as atividades culturais, convergiam para a reflexão em torno da produção e disseminação do conhecimento em uma perspectiva negra, trazendo temas como o ensino em Educação para as Relações Étnico-raciais, as religiões de matriz africana, a história da escravização e da luta por liberdade, os estudos do pós-abolição, do associativismo e da militância negra, abordagens geográficas sob a ótica da apropriação de territórios e ocupação dos espaços urbanos, o feminismo negro, a história da arte e os patrimônios culturais.

A partir do álbum de fotos a seguir é possível visualizar um pouco do que foi essa enriquecedora experiência coletiva, que contou com comunicadores e palestrantes tanto de Porto Alegre quanto do interior do Rio Grande do Sul e de outros estados.

Mais uma vez agradecemos a participação de todas e todos, reafirmando o compromisso do APERS com o combate ao racismo e a difusão de acervos e temáticas que contribuam nesse sentido.

Participe: Questões para a História Negra do RS 2019 & 8º Curso de Formação para Professores PEP UFRGS-APERS

Deixe um comentário

2019.09.04 Cartaz 8 Curso de Formação para profs PEPEstão abertas as inscrições para ouvintes no evento Questões para a História Negra do Rio Grande do Sul – 2019 & 8º Curso de Formação para Professores PEP UFRGS-APERS. O curso é resultado de uma parceria entre o Arquivo Público do Estado, o Núcleo de Pesquisa em História (NPH/UFRGS) e o Departamento de Desenvolvimento Social (DEDS/UFRGS, que surgiu do desejo de somar esforços para promover um espaço rico e plural de reflexão e formação continuada. Terá como eixo temático as epistemologias negras a partir do questionamento a respeito das categorias de análise que têm sido utilizadas em diversos campos do saber e na produção de conhecimentos sobre as pessoas negras no Rio Grande do Sul.

As vagas são abertas para a comunidade em geral, mas a programação e a divulgação têm sido pensadas para alcançar, também, professoras e professores que vivenciam o cotidiano da Educação Básica, assim como profissionais que atuam em espaços não formais de educação e em instituições de memória.

O curso acontecerá entre os dias 01 e 03 de outubro, no Arquivo Público (Rua Riachuelo, 1031, Porto Alegre/RS). A programação pode ser acessada clicando aqui, e o fôlder pode ser baixado aqui.

Para informações sobre inscrições, clique aqui. O custo é de R$10,00 e dá direito a certificado de 30h. Atenção: as inscrições estão sendo centralizadas pela equipe do NPH/UFRGS. Interessados devem seguir as instruções do link, ou contatá-los diretamente: fone (51) 3308-6631 | e-mail: nph@ufrgs.br.

Vem ai o 8º Curso de Formação para Professores do PEP UFRGS-APERS!

Deixe um comentário

Desde 2011 nosso Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS promove, anualmente, um curso de formação para professores que relaciona o mundo do patrimônio documental, a educação patrimonial e temáticas sensíveis à educação no tempo presente.

Em 2018, devido a outras atividades, realizamos um evento especial de encerramento do ano voltado ao público de professores e estudantes, mas não foi possível oferecer uma edição do curso em si. Mas para 2019 temos novidades: realizaremos, em parceria com o Núcleo de Pesquisa em História (NPH/UFRGS) e o Departamento de Educação e Desenvolvimento Social (DEDS/UFRGS), o Simpósio Curso Questões para a História Negra do RS  &  8º Curso de Formação para Professores PEP UFRGS-APERS.

2019.08.07 Cartaz Curso História Negra PEP UFRGS APERS 2019

As atividades ocorrerão nos dias 01, 02 e 03 de outubro, nas dependências do Arquivo Público (Rua Riachuelo, 1031, Centro Histórico de Porto Alegre/RS). As inscrições, no valor de R$10,00, garantem certificado de 30h, e serão feitas entre os dias 19 de agosto e 30 de setembro – em breve divulgaremos o link para isso. As vagas são limitadas e a inscrição de professores da Educação Básica será priorizada.

Acesse a programação e mais informações clicando aqui. Agende-se e participe!

Lista de Inscritos – Curso Educação Patrimonial, Cidadania e Direitos Humanos: desafios do tempo presente.

Deixe um comentário

É com satisfação que divulgamos a lista de inscritos para o curso “Educação Patrimonial, Cidadania e Direitos Humanos: desafios do tempo presente”.

As atividades começam nesta sexta-feira, 26/08, às 14h, no auditório do Arquivo Público (Rua Riachuelo, 1031, Centro de Porto Alegre). Até lá!

Lista de Inscritos Curso Educ Patrimonial 2016

Acesse aqui a programação completa.

Inscreva-se no Curso “Educação Patrimonial, Cidadania e Direitos Humanos: desafios do tempo presente”.

5 Comentários

Confira a programação completa do curso:

Cartaz Curso PEP Profs Programação geral

Para solicitar participação, baixe a ficha de inscrição clicando aqui, e siga as instruções nela contidas.

Avaliação do Curso de Formação para Professores PEP UFRGS|APERS

Deixe um comentário

     Nos meses de abril, maio e junho desse ano, ocorreu a 5ª Edição do Curso de Formação para Professores do Programa de Educação Patrimonial PEP UFRGS|APERS. Organizado em parceria com o GT Emancipações e Pós-Abolição da Anpuh-RS e com recursos do Edital Proext/MEC, o Curso Educação Patrimonial e Cidadania: história da escravidão e da liberdade no RS certificou trinta e oito professores e onze bolsistas e estagiários do APERS e do Programa de Educação Patrimonial.

    Ao final de cada nova edição, a equipe do Programa realiza uma pesquisa para que os professores avaliem o curso e para que as futuras edições possam ser qualificadas de acordo com a demanda dos docentes.

Avaliação Curso Professores    Dentre todos os professores, dezessete participaram da proposta de avaliação – um questionário encaminhado via Google docs. Parte das perguntas, sobre questões pontuais do curso, foram de múltipla escolha. Segue um breve comentário a respeito dos resultados: em relação: (1) a estrutura, dias da semana e turno de realização do curso, carga horária, conteúdos ministrados, materiais de apoio e serviço de secretaria, os professores se mostram satisfeitos ou muito satisfeitos; (2) sobre os encontros específicos, na maior parte das respostas os professores consideraram boas e ótimas as contribuições para a sua prática docente; (3) também consideraram os conteúdos adequados e de acordo com a proposta do curso; (4) dois dos 17 professores acharam pouco adequado a aplicabilidade do conteúdo à realidade profissional, enquanto 15 deles acharam adequado; (5) por unanimidade, acharam adequada a bibliografia.

    Além delas, também foram elaboradas três perguntas dissertativas. A primeira solicitava que o professor narrasse alguma situação da sua vida pessoal ou profissional na qual tivesse se sentido influenciado pelas discussões feitas ao longo do curso, ou ainda alguma experiência passada à qual tivesse atribuído novo significado a partir do curso. Das respostas, salientamos as considerações sobre a palestra da professora Sherol, que foi recordada pela temática das famílias escravas, por sinal mencionada mais de uma vez; sobre a perspectiva do trabalho com a questão da liberdade, mencionada por outra professora; sobre a relação entre escola e universidade suscitada pelas falas dos professores Arilson e Verena; sobre o quanto emocionante foi o encontro que trabalhou com o tema das trajetórias; sobre os aprendizados a partir da Vivência da Oficina Tesouros da Família Arquivo; e sobre a afirmação da identidade de um professor.

    A segunda propôs que a professor avaliasse em que medida o curso contribuiu para a educação sobre história africana e afro-brasileira e para a discussão em sala de aula sobre relações étnico-raciais. As respostas foram diversas, passaram pela contribuição naquilo que diz respeito ao planejamento de aula; ao aporte para discussões com outros professores a respeito da importância do trabalho com a temática; à utilização de dados estatísticos sobre a escravidão em outras disciplinas; à identificação de possibilidades de fontes para serem trabalhadas na sala de aula; à qualificação da crítica e das formas de trabalho com o livro didático. E não poderíamos deixar de mencionar o relato de uma professora sobre a contribuição do trabalho com a Caixa AfricaNoArquivo, apresentada e distribuída ao longo do curso, que “percebeu que os alunos que se identificam como afrodescendentes, se sentem muito orgulhosos por terem seus ascendentes como tema de estudo“.

    Na terceira, em que abrimos espaços para críticas, foram manifestados alguns aspectos tais como: a impressão de que algumas discussões foram acadêmicas demais, da falta de leitura por parte dos colegas, da falta de planejamento de alguns poucos palestrantes e da pouca dinamicidade de muitas falas. Já no campo sugestões para outras edições, foram apontadas ideias como: uma mostra de trabalho dos educadores e a escrita de um artigo ou de um plano de aula, como trabalho de finalização do curso, uma carga horária maior que contemplasse outras áreas do conhecimento.

    Caso deseje, pode acessar aqui o Relatório Completo da Avaliação. Da nossa parte, ficamos muito satisfeitos com a avaliação sincera e propositiva que fizeram os professores que participaram do curso. Ao mesmo tempo em que julgamos se tratar de uma excelente edição do Curso de Educação Patrimonial e Cidadania, acreditamos na permanente qualificação de todo e qualquer trabalho educativo. Até a próxima edição!

Finalizada Edição 2015 do Curso de Formação para Professores – PEP UFRGS|APERS

2 Comentários

     Entre os dias 11 de abril e 27 de junho desse ano, sempre aos sábados, ocorreu a 5ª Edição do Curso de Formação para Professores do Programa de Educação Patrimonial – PEP UFRGS|APERS.

Banner

    Organizado em parceria com o GT Emancipações e Pós-Abolição da ANPUH-RS e com recursos do Edital Proext/MEC o Curso Educação Patrimonial e Cidadania: história da escravidão e da liberdade no RS, contou com a presença de vinte palestrantes cujas contribuições foram divididas em dez encontros. No primeiro dia, além da apresentação do PEP e do Programa do Curso, realizada pela coordenadora Carla Rodeghero, foi abordada a temática do Tráfico Negreiro pelos professores Gabriel Santos Berute e Jonas Vargas. O encontro seguinte foi dedicado ao Ensino de História da Escravidão e da Liberdade, assunto problematizado pelos professores Arilson dos Santos Gomes e Verena Alberti. Seguiu-se a ele o sábado no qual o tema Mundos do Trabalho foi o tema central das falas dos professores Thiago Leitão de Araújo e Vinícius Pereira de Oliveira. Família Escrava e a Apresentação da Caixa Pedagógica AfricaNoArquivo dividiram as atenções do público no quinto encontro que contou com a participação da professora Sherol dos Santos e da historiadora Clarissa Sommer.

     Tivemos ainda um encontro dedicado a Vivência da Oficina Os Tesouros da Família Arquivo. No sexto sábado, foram discutidas questões a respeito dos Quilombos históricos e insurreições com os professores Caiuá Cardoso Al- Alam, Wagner Pedroso e Maria do Carmo Aguiar. No encontro seguinte, Associativismo Negro foi o centro das atenções na conversa das professoras Liane Susan Müller e Beatriz Loner com os professores da rede pública. Depois disso, foi a vez da temática Alforrias, trazida por Jônatas Caratti e Jovani Scherer. Para o penúltimo encontro, Melina Perussatto, Marcelo Matheus e Gislaine Ramos formaram a mesa que discutiu Emancipações e Abolição. No décimo encontro, Paulo Roberto Moreira e Rodrigo de Azevedo Weimer fecharam o curso com uma conversa sobre Trajetórias.

Este slideshow necessita de JavaScript.

    Em todos os encontros, a participação do público esteve presente. Pelo que foi possível notar, as angústias em torno das formas (1) de efetivar a obrigatoriedade do ensino de história e das culturas afro-brasileiras e africana, previstas na Lei 10.639; (2) de garantir o direito à igualdade de condições de vida e de cidadania às histórias e culturas que compõem a nação brasileira, assegurados pelo artigo 26A da LDB; e (3) de responder as recomendações das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e africana acompanharam os professores do início ao final do curso.

    A assiduidade do público e o evidente interesse em participar das discussões demonstraram que, em alguma medida, aquilo que motivou os professores a se inscreverem e frequentarem o curso foi problematizado no decorrer dos encontros. Ao todo, trinta e oito professores, duas servidoras do IPHAE e onze estagiários e bolsistas foram certificados pela participação no curso.

Este slideshow necessita de JavaScript.

    Esperamos que o curso tenha contribuído para a qualificação das abordagens em torno do ensino da história da escravidão e da liberdade e que tenha encorajado os professores a trabalharem a temática a partir de documentos e patrimônios diversos, com uma das formas de alcançarem aprendizagens significativas à construção da cidadania e à valorização da democracia.

Curso de Formação para Professores – Educação Patrimonial e Cidadania: história da escravidão e da liberdade no RS – Lista de Selecionados

Deixe um comentário

2015.04.08 Lista de Selecionados

     No próximo sábado, dia 11 de abril, iniciará a Edição 2015 do Curso de Formação de Professores promovido pelo Programa de Educação Patrimonial UFRGS|APERS e pelo GT Emancipações e Pós-abolição da ANPUH-RS. Hoje, divulgamos a lista de selecionados para participarem do Curso. Informamos que os critérios para seleção foram, no caso dos professores: (1) ser professor da rede pública de ensino e estar em exercício em sala de aula; e (2) data de entrega da documentação solicitada para inscrição.

     Lembramos que as atividades iniciam as 08h30, no auditório do Arquivo Público do Rio Grande do Sul. Contamos com a presença de todos.

     Acesse aqui a Lista de Selecionados.

Reencontro de professores do Curso de Formação 2014

Deixe um comentário

DDHH

Na última segunda, 23/03, a equipe do Programa de Educação Patrimonial UFRGS/APERS se reencontrou com parte do grupo que participou da quarta edição do curso de formação para professores, realizado em 2014 e intitulado Educação Patrimonial, Cidadania e Direitos Humanos. O objetivo do encontro foi realizar uma conversa sobre as formas encontradas pelos professores para incluir a Educação Patrimonial e o conhecimento adquirido no curso em seus planejamentos junto às escolas, sobre as dificuldades percebidas e as atividades já realizadas.

Os educadores comentaram o quão enriquecedor foi o curso para ampliar o repertório cultural e os recursos pedagógicos por eles utilizados, se dispuseram a abordar o tema em aula e a levar os estudantes para visitar museus e arquivos em 2015, e identificaram possibilidades de trabalho relacionadas aos Direitos Humanos a partir de bens culturais das comunidades em que as escolas estão inseridas.

Na conversa abordamos também os usos da Caixa Pedagógica AfricaNoArquivo, entregue a estes professores ao final do curso. Eles já tiveram suas primeiras experiências com o material, seja aplicando a pesquisa e o jogo pedagógico com turmas no final do ano letivo de 2014, seja apresentando-o para o corpo docente das escolas no começo desse ano, o que tem despertado a atenção e unido interesses de professores do Currículo por Atividades (CAT), das séries finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio de diferentes disciplinas. Tais experiências reafirmam o caráter interdisciplinar da Educação Patrimonial, e a premente necessidade sentida nas escolas de extrapolar os debates sugeridos pelos atuais currículos fechados em disciplinas.

Contamos com a participação de professores das séries iniciais, o que gerou um diálogo que contribuiu para percebemos o grande potencial do trabalho com o patrimônio cultural e documental também junto às crianças. Ainda que as inscrições no curso tenham sido abertas a professores de todos os níveis do ensino, ainda não temos nenhuma oficina ou material produzido especificamente para este público. Agora, fica este desafio! Também observamos a importância de manter e fortalecer a oferta de atividades que contribuam, por um lado, para o acúmulo de novos conhecimentos sobre temas e conteúdos transversais presentes nos currículos e parâmetros educacionais, assim como para a formação didática dos professores, oferecendo subsídios para a qualificação da prática docente.

Seguiremos em contato com todas e todos os professores que participaram do curso, buscando fortalecer nossa rede de contatos e de formação. Agradecemos a cada participante, tanto os que puderam quanto os que não puderam estar presentes nessa segunda, e nos colocamos sempre a disposição. Em breve receberemos o novo grupo para a formação de 2015, em um trabalho que certamente renderá muitos novos e bons frutos!

Curso de Formação para Professores – Educação Patrimonial e Cidadania: história da escravidão e da liberdade no RS – Programação

Deixe um comentário

Hoje estamos disponibilizando o Programa Completo, clique aqui para acessá-lo, do Cursos de Formação para Professores. Conforme divulgado na semana passada, o Programa de Educação Patrimonial UFRGS/APERS, em parceria com o GT Emancipações e Pós-Abolição da ANPUH-RS no ano de 2015, realizará a quinta edição do Curso que abordará a história da escravidão e da liberdade no RS.

Lembramos que o curso é gratuito e que possui carga horária e certificação de 60 horas. Os encontros presenciais acontecerão nos dias 11, 18 e 25 de abril; 9, 16, 23 e 30 de maio; e 13, 20, e 27 de junho de 2015 (sempre aos sábados, das 8h30 as 12h) no Arquivo Público do RS. É destinado aos professores da rede pública de ensino com efetivo exercício em sala de aula e aos membros das equipes (estagiários, monitores, bolsistas) do Projeto Territórios Negros e do Programa de Educação Patrimonial.

Os interessados devem entrar em contato, para mais informações e para proceder com a inscrição (vagas limitadas), pelo telefone (51) 3288-9112/9117 ou pelo e-mail acaoeducativa@sarh.rs.gov.br.

2015.03.20 Cartaz Programação Corrigido

Curso de Formação para Professores – Educação Patrimonial e Cidadania: história da escravidão e da liberdade no Rio Grande do Sul

1 Comentário

Neste primeiro semestre de 2015, o Programa de Educação Patrimonial UFRGS/APERS realizará a quinta edição do Curso de Formação para Professores. Para organizá-la, o Programa buscou parceria junto ao Grupo de Trabalho Emancipações e Pós-Abolição da ANPUH-RS, que prontamente aceitou o convite para a construção do curso Educação Patrimonial e Cidadania: história da escravidão e da liberdade no Rio Grande do Sul.

Com recursos do Edital Proext/MEC 2015-16, o Programa, em conjunto com GT da Anpuh, elaborou uma programação, que será divulgada na próxima semana, cujo eixo será a história da escravidão e da liberdade no RS, abordadas por meio da leitura de documentos e das possibilidades de trabalhos pedagógicos a partir de patrimônios diversos.

O curso é gratuito e contará com uma carga horária de 60 horas, das quais 20 horas serão reservadas para estudos a distância. Os encontros presenciais acontecerão nos dias 11, 18 e 25 de abril; 9, 16, 23 e 30 de maio; e 13, 20 e 27 de junho, sempre aos sábados, das 08h30 as 12h no Auditório do Arquivo Público do RS. O público alvo são os professores da rede pública de ensino, para os quais serão destinadas a maior quantidade de vagas, as equipes do Projeto Territórios Negros e do Programa de Educação Patrimonial.

As inscrições (vagas limitadas) começam a partir do dia 19 de março e serão realizadas pelo e-mail acaoeducativa@sarh.rs.gov.br. Para mais informações, os interessados podem entrar em contato pelo telefone (51) 3288-9112.

2015.03.13 Cartaz Corrigido

Chega ao fim mais uma edição do Curso de Formação para Professores do Programa de Educação Patrimonial

Deixe um comentário

Entre os meses de outubro e novembro realizamos a 4ª edição do curso de formação para professores oferecido por nosso Programa de Educação Patrimonial (PEP) em parceria entre APERS e UFRGS. O Curso Educação Patrimonial, Cidadania e Direitos Humanos ocorreu ao longo de nove encontros, nas segundas à noite e aos sábados, e foi um espaço para troca de conhecimentos, estímulo à produção de novas metodologias e ao uso de fontes documentais e bens culturais nos processos de ensino e aprendizado.

No dia 06/10 realizamos o primeiro encontro, em que o Arquivo foi apresentado pela diretora Isabel Almeida, o Programa de Educação Patrimonial UFRGS/APERS foi apresentado pelo professor Igor Teixeira, e a dinâmica da “Caixa da Memória” foi conduzida pela professora Carla Rodeghero com auxílio da historiadora Clarissa Sommer, momento em que cada professor apresentou-se ao grupo a partir de um objetivo sensível para a história de sua trajetória de vida. Confira fotos desse momento:

Este slideshow necessita de JavaScript.

No dia 13 de outubro o professor Sérgio Osório apresentou o Projeto “Direitos Humanos, Movimento Estudantil no Julinho e Comissão da Verdade” (confirma o blog do projeto), desenvolvido dentro do Colégio Estadual Julio de Castilhos com a participação professores e estudantes, tendo como objetivo central o resgate e a problematização da história do Julinho no contexto da ditadura civil militar a partir de leituras, pesquisas em seu acervo, entrevistas com ex-alunos… Um excelente momento para verificar como os usos dos bens culturais produzidos pela comunidade escolar pode contribuir para os processos de ensino e aprendizagem, e para a construção de identidades no ambiente das escolas.

No dia 20 de outubro a equipe do Programa de Educação Patrimonial realizou a vivência da oficina Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditaduras e Direitos Humanos com o grupo de professores, oficina criada pelo Programa para atender turmas do Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos. Assim foi possível debater mais formas de utilizar o patrimônio como fonte primária para o ensino.

 

Já no dia 27 recebemos Maria Cristina Padilha Leizke, do setor sócio-educativo-cultural do Museu da UFRGS, Éverton Quevedo, do Museu de História da Medicina (MUHM), e Rivadávia Padilha Vieira Jr., mestre em História que realizou práticas de Educação Patrimonial junto ao Museu Julio de Castilhos. Os três convidados compartilharam com o grupo de professores suas experiências na área de ação educativa em instituições de memória, apresentado possibilidades de ações a serem realizadas por educadores nesses espaços, problematizando as dificuldades encontradas pelas escolas para acessá-los, assim como as tensões constantes vivenciadas pelos profissionais de museus, arquivos e centros de memória para consolidar e difundir tais ações junto aos educadores.

No primeiro encontro de novembro, dia 01/11, recebemos o historiador Jovani Scherer, pesquisador e professor da rede municipal de Porto Alegre, que abordou as possibilidades de trabalho a partir de documentos de arquivo para tratar a história da escravidão e as relações étnico-raciais nas escolas, problematizando questões teóricas e metodológicas. Na segunda parte do encontro da historiadora Vanessa Menezes, do APERS, apresentou os projetos desenvolvidos pela instituição nessa área, e desafiou os professores a propor discussões e atividades a partir de documentos do acervo do Arquivo selecionados para o encontro.

O encontro seguinte, em 08/11, foi o dia de recebermos a historiadora Alessandra Carvalho, professora do Colégio de Aplicação da UFRJ, que abordou a formação de professores para trabalhar em sala de aula do tema ditaduras e direitos humanos, comentando experiências e fundamentos, tanto pedagógicos quanto epistemológicos para essa abordagem. Já a professora Carla Rodeghero, do Departamento de História da UFRGS e parceira de nosso Programa de Educação Patrimonial, trabalhou a questão das ditaduras e o debate sobre direitos humanos a partir de propostas de dinâmicas que envolvem o uso de testemunhos de vítimas da ditadura.

No dia 15/11 as historiadoras do APERS Clarissa Sommer e Nôva Brando realizaram dinâmicas sobre relações de gênero e igualdade a partir de bens culturais, debatendo conceitos como gênero, sexualidade, orientação sexual e violência de gênero, e propondo abordagens que contribuam para o fim de preconceitos, que podem ser suscitadas a partir de patrimônios como monumentos, acervos museais e documentos de arquivo. Na oportunidade trabalharam mais a fundo com processos de desquite da primeira metade do século passado, do Poder Judiciário.

O último encontro, realizado no dia 29/11, encerou o curso com chave de ouro: recebemos a pedagoga e socióloga Flávia Schilling, professora da Faculdade de Educação da USP, que nos brindou com a conferência “Educação e Direitos Humanos”, uma fala muito sensível a respeito do papel central que pode ser desempenhado pelos professores e pela escola na busca por uma sociedade justa, demonstrando que todas e todos nós estamos dentro dos embates políticos travados cotidianamente para garantir o direito à vida e à dignidade para cada ser humano.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Agradecemos o empenho dos professores e professoras que seguiram até o final de nosso curso, e registrando nosso grande prazer em ter convivido e aprendido com cada participante e palestrante ao longo desse período. Esperamos que as vivências proporcionadas a partir desse espaço contribuam efetivamente para qualificar e dar sentido ao fazer docente de cada uma e cada um. Em 2015 tem mais!

Conferência com Flávia Schilling encerra Curso de Formação para Professores em 2014 – Participe!

Deixe um comentário

No dia 29/11, sábado, às 09:30h, ocorre no APERS a Conferência Educação e Direitos Humanos, atividade de encerramento da 4ª edição do Curso de Formação para Professores em Educação Patrimonial, Cidadania e Direitos Humanos promovido pelo Programa de Educação Patrimonial UFRGS/APERS. A conferencista será Flávia Schilling, em atividade gratuita e aberta ao público sem necessidade de inscrição prévia.

Flávia Inês Schilling tem graduação em Pedagogia, mestrado em Educação e doutorado em Sociologia. Desde 2001 é professora da Faculdade de Educação da USP, tendo defendido tese de Livre Docência em 2012. Teve atuação em escolas e em organizações como o Núcleo de Estudos da Violência da USP, o Centro de Referência e Apoio à Vítima e a Comissão da Mulher do Parlamento Latino-americano. Suas pesquisas têm se dedicado aos seguintes temas: direitos humanos, violência, vitimização, corrupção e segurança pública, identidades, relações de gênero. Sua trajetória de vida também foi marcada pelas experiências do exílio, da clandestinidade, da prisão política e da reconstrução ao final do período da ditadura.

Informações: (51)3288-9117 ou acaoeducativa@sarh.rs.gov.br

2014.11.26 Cartaz Conferência Flávia Schilling

%d blogueiros gostam disto: