APERS participa do Seminário de Ensino de História do Curso de História da UFRGS

Deixe um comentário

Na última terça-feira à noite, dia 10 de novembro, a historiadora do Arquivo Público do RS, Nôva Brando, participou da aula de Seminário de Ensino de História: Teoria e Prática do Curso de História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a convite do Professor da disciplina, Enrique Padrós. O objetivo da aula, que também contou com a presença do Professor da Rede Municipal de Ensino da cidade de Cachoeirinha, Ramiro Reis, foi apresentar aos futuros professores de história, experiências desenvolvidas na área do ensino e da docência.

SAM_0966

Na primeira parte da aula, o Professor Ramiro compartilhou com os graduandos do curso algumas das atividades que tem desenvolvido com seus alunos do Ensino Fundamental, dentre elas, a construção de um vídeo que problematizou algumas questões ligadas à Ditadura Civil-militar e à atual Democracia.

Logo LaranjaNa segunda parte do encontro, foi a vez de Nôva Brando apresentar algumas das propostas pedagógicas que compõem os três volumes da Coletânea da Iª Edição do projeto APERS? Presente, professor? – Propostas pedagógicas a partir de Fontes Arquivísticas.

Com o objetivo de levar um pouco do Arquivo Público do RS até a escola, por meio desse projeto, o APERS reconhece a importância da divulgação do material em espaços de formação de professores e, com isso, já deixa registrado o agradecimento pelo convite e pela oportunidade.

Acesse abaixo os volumes da Coletânea do Projeto APERS? Presente, professor!:

1964: O Brasil e o Cone Sul da Segurança Nacional – Ensino e Pesquisa: Historiadoras do APERS no Curso de História da UFRGS

Deixe um comentário

   Na sexta-feira da semana passada, dia 14 de março, as historiadoras do Arquivo Público do RS participaram como palestrantes na aula do Seminário 1964: O Brasil e o Cone Sul da Segurança Nacional – Ensino e Pesquisa, do Curso de História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Convidadas pelo Professor Enrique Padrós, Clarissa Sommer, Nôva Brando e Vanessa Menezes apresentaram, para os alunos do curso, informações acerca do Acervo da Comissão Especial de Indenização custodiado pelo APERS.

  No turno da manhã, Nôva e Vanessa dividiram a mesa com Silvania Rubert (Doutoranda/ UFRGS), que conversou com os alunos a respeito das possibilidades das fontes orais para a construção do conhecimento histórico sobre o período da Ditadura Civil Militar no Brasil.

  Já as historiadoras da casa, iniciaram sua apresentação com um breve histórico da constituição do Acervo da Comissão Especial de Indenização e dos trabalhos que o APERS tem desenvolvido a partir dele: elaboração de instrumentos de pesquisas e projetos na área de educação como a oficina de Educação Patrimonial Resistência em Arquivo, e a criação de um blog temático, com o mesmo nome. Para além do histórico e da divulgação dos trabalhos desenvolvidos por essa instituição, Nôva e Vanessa conversaram sobre possibilidades de pesquisas históricas e de trabalhos pedagógicos a partir das fontes documentais que compõem o acervo.

  Clarissa Sommer, na mesma lógica de apresentação, trabalhou com os alunos no turno da noite. Dividindo a mesa com Renata Mattos, do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul (AHRS) e com Francisco Carvalho Junior, do Núcleo de Pesquisa em História (NPH-UFRGS), que falaram sobre as possibilidades de pesquisa a partir dos acervos de suas respectivas instituições.

  O APERS acredita que ações como essa, nas quais seus servidores participam de espaços de debates importantes, contribuem para a formação de futuros pesquisadores e historiadores e auxiliam a difundir os acervos salvaguardados pela instituição.

  Que recebamos por aqui muitos pesquisadores, estudantes e educadores como recompensa pelo trabalho de divulgação da instituição e de seus acervos! Agradecemos ao Prof. Enrique e a seus alunos pela oportunidade de qualificarmos nosso trabalho a partir da reflexão e do debate!

Seminário Ditaduras, Direitos Humanos e Ensino: transformando esta história!

2 Comentários

   No último sábado, dia 08 de dezembro, foi realizado nas dependências do APERS o seminário Ditaduras, Direitos Humanos e Ensino: transformando esta história! O evento foi realizado em parceria entre o Arquivo Público e o Programa de Pós-Graduação em História da UFRGS e teve apoio da Associação dos Amigos do APERS. Cerca de 60 participantes prestigiaram o evento, que envolveu discussões relevantes e atuais acerca do tema central.

  Pela manhã os historiadores Ramiro Reis (rede de Ensino de Gravataí), Clarissa Sommer (APERS) e Ananda Fernandes (AHRS) participaram da mesa intitulada Reflexões sobre Ditaduras e Direitos Humanos na Escola. Clarissa falou acerca do uso de depoimentos relacionados às ditaduras, comentando as relações entre história e memória e o potencial destes materiais como fontes de informação e sensibilização nas salas de aula. Ananda abordou a Operação Condor e suas conexões repressivas na região do Cone Sul, comentando múltiplas possibilidades para o ensino, como o uso de documentos de arquivos repressivos. Já Ramiro abordou o uso do cinema e a construção de sequências fílmicas para trabalhar com ditaduras e direitos humanos nas escolas, apresentando trechos de vídeos e lista com diversos filmes relacionados ao tema. Após as apresentações e debate o Profº Enrique Padrós (UFRGS) divulgou o lançamento da nova edição da Revista Anos 90 (PPG-História/UFRGS), que traz o Dossiê Ditaduras de Segurança Nacional no Cone Sul, convidando o cientista político Carlos Gallo (UFRGS) para apresentar seu artigo Do Luto à Luta, que compõe esta publicação.

   À tarde foram inicialmente apresentadas as publicações Memória, Verdade e Justiça: as marcas das ditaduras do Cone Sul e a última edição da Revista Taller, que traz o Dossiê Coordinaciones represivas em el Cono Sur de América Latina. Ambas as publicações são importantes contribuições aos pesquisadores da área. Posteriormente, o historiador da UFMS, Jorge Fernández, comandou a mesa Rio Grande do Sul, a Operação Condor desconhecida: o seqüestro do engenheiro argentino, onde o engenheiro e ex prisioneiro político argentino Carlos Claret nos deu um emocionante relato sobre o período em que foi perseguido pela ditadura argentina, em especial durante sua passagem pelo Brasil, explicitando as conexões entre as ditaduras. Ao final Claret respondeu de maneira muito simpática e acolhedora a diversas questões levantadas pelos participantes. O Seminário foi encerrado, ao final da tarde, com a mesa Olhares femininos sobre a repressão e resistência, onde ouvimos os depoimentos de Nilce Azevedo Cardoso e María Gabriela Ordem, ambas ex presas políticas, perseguidas respectivamente pelas ditaduras brasileira e argentina. Os dois depoimentos foram muito tocantes, fazendo a todos refletirem sobre diversas questões relacionadas àquele período que ainda estão pendentes em nosso cotidiano, como a banalização da violência na sociedade brasileira. Assim como nas mesas anteriores, diversas perguntas e reflexões foram feitas pelo público, que ao final saudou ao Arquivo e à UFRGS pela iniciativa de realização do evento, evidenciando a necessidade de que este tipo de atividade seja realizada em mais ocasiões e para públicos cada vez mais amplos.

   Agradecemos a todos que participaram do Seminário pela disposição e seriedade com que trataram este importante tema, aproveitando para informar que já está sendo organizado o regulamento para II Jornada de Estudos sobre Ditaduras e Direitos Humanos, evento bianual que terá sua 2ª edição realizada no APERS em parceria com a UFRGS em abril de 2013. Fique atento!

Este slideshow necessita de JavaScript.

   Para baixar Memória, Verdade e Justiça clique aqui.

   Para baixar Revista Taller, clique aqui.

%d blogueiros gostam disto: