Arquivos & Genealogia: Habilitações de Casamento

1 Comentário

Enquanto pensava em como iria apresentar as Habilitações de Casamento para vocês lembrei de uma sopa que comi num restaurante tailandês, as palavras que encontrei para descrever foram: – É uma explosão de sabores! Ao pesquisar um processo de Habilitação de Casamento é mais ou menos isto que pode acontecer: – Uma explosão de emoções!!

Comecemos então por uma definição do que é a Habilitação de Casamento. Gostei do que está na Wikipédia: “Habilitação de casamento, habilitação para o casamento ou processo de casamento é o conjunto de documentos apresentados pelos noivos ao cartório do Registro Civil para que possam contrair matrimônio. Os documentos necessários são dispostos pelo Código Civil vigente à data do pedido de habilitação.”(Clique aqui para acessar o link).

Em geral podemos encontrar num destes processos:

  • Certidão de batismo ou certidão de nascimento dos noivos;
  • Passaporte, se for estrangeiro;
  • Declaração de testemunhas quando não há documentação;
  • Autorização dos pais para o casamento;
  • Data do casamento;
  • Assinaturas.

Disponibilizamos alguns exemplos de habilitações de casamentos de um mesmo município, em condições e épocas diferentes. Vejam que interessante, em um deles há um documento militar (Processo 1), em que há uma descrição das características do noivo. Em outro há um passaporte da România (Processo 2), que necessitou de tradução oficial! Analisem as páginas dos processos e vejam o quão interessante pode ser pesquisar nestes documentos.

Duas vantagens em relação aos Processos de Habilitação de Documentos: você pode procurar pelo sobrenome do noivo no índice do site do APERS, e pode encontrar as imagens digitalizadas no site do FamilySearch! Muitos voluntários, genealogistas ou não, estão fazendo índices das imagens para facilitar as buscas! Junte-se a eles e doe algumas horas de seu tempo livre para confeccionar o índice do município de seu interesse.

Que sua busca seja um explosão de emoções!!!!

Processo 1

Processo 1

Processo 2

Processo 2

Processo 3

Processo 3

.

 

Anúncios

Arquivos & Genealogia: Certidão de Óbito

Deixe um comentário

     Aqui estamos mais uma vez para aprender como usar os documentos do Arquivo Público do RS, digitalizados pelo FamilySearch e que se encontram disponíveis online. Lembremos que este é um processo em andamento que está em constante atualização, o documento que não encontramos hoje pode estar lá na semana que vem.

Exemplo certidão completa

Exemplo certidão completa

     Veremos hoje a Certidão de Óbito, terminando assim a trilogia do que chamamos os Registros Vitais de uma pessoa.

     As certidões de óbito disponíveis no APERS compreendem o período de 1929-1975, como os outros registros civis apresentados anteriormente, da maioria dos municípios gaúchos e seus distritos.

     Numa Certidão de Óbito vamos encontrar várias informações: o nome do falecido; a data, hora e local do óbito; a idade; o estado civil; a naturalidade; o nome dos pais, se já falecidos ou não; a naturalidade dos pais; a causa mortis, quem declarou; o dia, hora e local do sepultamento; a pessoa que declarou o óbito, o local e a data do registro.

     Algumas observações a respeito da certidão de óbito: a qualidade e fidelidade dos dados encontrados sobre o falecido nem sempre serão 100% acurados, tudo dependerá de alguns fatores, como por exemplo: quem declarou os dados, o escrivão ser meticuloso ou não.

Exemplo certidão incompleta

Exemplo certidão incompleta

     Muitas vezes o declarante do óbito não é o familiar mais chegado, pode ser um vizinho, um amigo, ou mesmo um estranho, portanto não será a pessoa que mais sabe sobre o falecido, e ao fornecer as informações ao escrivão podem acontecer coisas do tipo: pais desconhecidos ou ignorados. Isto não quer dizer exatamente que os pais do falecido eram desconhecidos ou ignorados, apenas pode ser que fossem desconhecidos ou ignorados pelo declarante.

     Já, se o declarante for um familiar ou alguém bem próximo e o escrivão for bem meticuloso, teremos a idade na data do óbito bem determinada, por exemplo: 63 anos, 2 meses e 4 dias. Também, com um pouco de sorte, podemos encontrar o nome do cônjuge, dos filhos, suas idades, se tinha bens a inventariar ou testamento.

     Espero que tenham bom proveito em suas pesquisas e na próxima oportunidade falaremos sobre as Habilitações de Casamento, um verdadeiro tesouro de informações para sua História da Família, ou genealogia, como queiram chamar!

%d blogueiros gostam disto: