Exposição 130 anos da Abolição: documentos de luta e liberdade

Deixe um comentário

    Maio de 2018 marca os 130 anos da Abolição da Escravidão no Brasil. Durante muito tempo o 13 de maio foi comemorado com honras à Princesa Isabel, filha do Imperador Dom Pedro II, que assinou a chamada Lei Áurea. Quem não lembra de ouvir referências à princesa benfeitora que “concedeu a liberdade” aos escravizados?

    Entretanto, cada vez mais tem sido presente a reflexão sobre o que levou Isabel, naquele momento, a determinar o fim do sistema jurídico que permitia a escravização no país, sobre os impactos de uma abolição sem qualquer tipo de compensação aos negros e negras libertos, ou sobre a luta pela liberdade empreendida ao longo de séculos, que contribuiu para tornar a escravidão insustentável. Longe de uma ação benevolente, a assinatura da Lei Áurea foi expressão de um processo histórico intenso, marcado por interesses políticos e econômicos nacionais e internacionais, por resistências cotidianas, por articulações diversas de movimentos abolicionistas…

    Certamente este processo pode ser estudado e melhor compreendido a partir de milhares de documentos salvaguardados pelo APERS, e disponíveis para consulta pública!

   Como forma de celebrar a vida, o trabalho e a resistência de mulheres e homens que lutaram por liberdade muito antes da Abolição oficial, destacamos alguns documentos que ajudam a refletir sobre tais trajetórias, com a singela mas significativa exposição 130 anos da Abolição: documentos de luta e liberdade.

   Entre 25 de maio e 01 de junho de 2018, das 08h30min às 17h, venha visitar aqui no APERS, Espaço Joel Abilio Pinto dos Santos (Rua Riachuelo, 1031, Centro Histórico. Porto Alegre/RS)!

Prorrogada Exposição de Banners do Memorial Jesuíta da Unisinos

Deixe um comentário

    A Exposição de Banners, que reproduz parte da Coleção de Obras Raras e Especiais do Memorial Jesuíta da Unisinos foi prorrogada pelo APERS até dia 28 de novembro de 2015.

    Ela está no Espaço Joel Abilio Pinto dos Santos e o horário para visitação é das 8h 30min às 17h, de segunda a sexta. No último dia da exposição, sábado, o horário é das 9h às 13h. A entrada é gratuita, venha prestigiar. Para saber mais sobre a exposição, clique aqui.

Exposição de Banners do Memorial Jesuíta da Unisinos

Deixe um comentário

2015.10.21 Exposição BannersO Arquivo Público do RS recebe a Exposição de Banners, que reproduz parte da Coleção de Obras Raras e Especiais do Memorial Jesuíta da Unisinos, que nos dá a dimensão de seu tesouro bibliográfico.

Embora os seminários de formação religiosa no sul do Brasil tenham sido fechados, os acervos de suas bibliotecas permaneceram. Tais obras não poderiam “se perder no tempo”, aprisionadas nas bibliotecas. Então, com a intenção de preservar e, principalmente, de proporcionar acesso aos interessados, a Unisinos começou a resgatar as coleções a partir do ano 2000, a partir da aquisição da Biblioteca do Seminário Cristo Rei, desencadeando a vinda de outros acervos de igual peculiaridade.

Deste então, a Biblioteca da Unisinos se ocupa com guarda, conservação, segurança e disponibilidade das obras datadas deste o século XV, compondo um acervo ainda incalculável de livros, periódicos, fotografias e documentos.

Para divulgação da parte de Obras Raras e Especiais, foram reproduzidas, em forma de Banners, obras que chamam atenção ora por seu formato físico, ora pela importância de seus títulos e autores. Grande parte destas obras encontra-se no idioma latino, devido à demanda da formação erudita do seu público. Outros idiomas, como alemão e francês, também estão presentes por demanda dos imigrantes desta região e também por ser o idioma reinante no meio acadêmico no final do século XIX.

A exposição está no Espaço Joel Abílio Pinto dos Santos, do APERS, até 13 de novembro de 2015, de segunda a sexta, das 8h30min às 17h. A entrada é gratuita, venha prestigiar!

Exposição: “Colômbia”

Deixe um comentário

2014.08.13 Exposicao Fotografica COLOMBIA no APERS

   Nesta segunda-feira, 18/08, às 16h30, será realizado o lançamento da exposição fotográfica Colômbia, no Arquivo Público do RS.

   A mostra é composta por 32 fotografias da artista Vania Mattos e foi organizada em parceria com a Comissão de Cultura do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região.

   As imagens ficam em exibição até o dia 02 de fevereiro de 2015 e o horário de visitação é das 8h30 às 17h (Arquivo Público do RS: Rua Riachuelo, 1031, Centro, Porto Alegre). Venha prestigiar!

FONTE: Compilação do release enviado pela servidora do TRT4 Isadora Barcellos.

 

Exposição: “Temporânea”

Deixe um comentário

Exposicao Temporanea no APERS

     O Arquivo Público do RS, com apoio da Companhia Carris Portoalegrense, apresenta a exposição “Temporânea no Espaço Joel Abílio Pinto dos Santos, no andar térreo, de 21 de maio a 22 de julho.

     O projeto Temporânea é uma parceria com a Secretaria de Governança e o Programa Viva o Centro, com apoio da Associação Cultural Amigos da Memória Carris e do Canal Você.

     A exposição é composta por um conjunto de 07 totens que apresentam uma narrativa hipertextual composta por vídeos, textos, recortes de jornais, crônicas e depoimentos que apresentam o centro da Capital em suas diferentes temporalidades (Cidade Antiga, Cidade Contemporânea e Cidade do Futuro). Como uma construção contínua da História, destacam-se seus habitantes e frequentadores que se constituem como atores sociais de sua trajetória. O projeto ressalta o patrimônio imaterial, intangível, para além dos muros, prédios, calçadas e veículos, proporcionando a inserção do indivíduo em sua comunidade.

   A Temporânea tem o intuito de impulsionar a participação ativa dos cidadãos na construção de uma Porto Alegre que preserva, cuida e, com isso, mantém um processo contínuo de desenvolvimento sustentável.

     Venha prestigiar!

Arquivo Público: 107 anos de história!

2 Comentários

2013.03.06 APERS 107 anos

   No dia 08 de março de 2013 comemoramos o 107º aniversário do Arquivo Público! Ao longo deste período nossa instituição foi palco de inúmeros encontros com o passado, de descobertas, de famílias que se reconhecem através da genealogia, de pesquisadores que ajudam a desnudar conflitos e transformações sociais, de pessoas comuns, como cada um de nós, que recuperam direitos e sentem-se mais uma vez cidadãs.

   O Arquivo já recebeu figuras ilustres, dos tempos em que o acesso aos documentos públicos e a produção de conhecimento eram privilégio de muito poucos, mas acolheu também todos aqueles que têm curiosidade e vontade de saber, e tornou-se com o passar dos anos um lugar mais e mais plural, que presa pelo direito de acesso à informação, ao conhecimento e ao patrimônio cultural.

   Assim, celebramos aqui mais este aniversário da instituição, a alegria em fazer parte de sua construção, e aproveitamos mais uma vez a oportunidade para convidar você a fazer parte desta história também! Conheça o Arquivo através de suas mídias sociais e presencialmente, agendando visitas guiadas e aproveitando para prestigiar a exposição APERS: Fragmentos de História, que estará no Espaço Joel Abílio Pinto dos Santos, andar térreo do APERS ao longo de todo o mês de março.

APERS conta histórias: Espaços Culturais do APERS

Deixe um comentário

Jardim do APERS

Jardim do APERS

     Através da Portaria nº 013/08 de 30 de outubro de 2007, foram criados os Espaços Culturais do Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul. Os Espaços Culturais do APERS são: o Jardim; a Sala Borges de Medeiros, localizada no Prédio II; o Espaço Joél Abílio Pinto dos Santos e o Auditório Marcos Justo Tramontini, localizados no Prédio III.

     Mas você sabe como os nomes dos Espaços Culturais foram escolhidos? A ideia era homenagear profissionais que contribuíram de forma representativa para as áreas da Arquivologia e da História.

Sala Borges de Medeiros

Sala Borges de Medeiros

     A Sala Borges de Medeiros, nossa antiga Sala de Pesquisa, recebeu este nome para homenagear o fundador do Arquivo Público. Antonio Augusto Borges de Medeiros era o Presidente da Província, o que equivale hoje ao cargo de Governador do Estado, no período em que o APERS foi instituído (1906). Neste espaço, atualmente, são realizadas as Oficinas de Educação Patrimonial que buscam despertar nos estudantes o interesse pela preservação dos documentos salvaguardados no APERS, assim como ressaltar a importância do nosso patrimônio histórico, cultural e edificado.

Espaço Joél Abílio Pinto dos Santos

Espaço Joél Abílio Pinto dos Santos

     Joél Abílio Pinto dos Santos foi professor de história da Universidade Federal de Santa Maria e também era responsável pela disciplina de Introdução à História no curso de Arquivologia. O Professor Joél demonstrou ao longo de sua carreira ser simpatizante e defensor das causas arquivísticas, mesmo tendo como formação de origem o curso de história. No prédio do Centro de Ciências Sociais e Humanas, no campus da UFSM, há uma sala batizada com seu nome. Uma retribuição aos anos de dedicação e empenho voltados à Universidade. A Associação dos Arquivistas do RS concedeu ao Professor Joél o título de sócio honorário, em respeito à sua contribuição para a arquivologia. No momento, o Espaço Joél Abílio Pinto dos Santos, no APERS, abriga a exposição “História da Política Indigenista” composta por 20 banners, que retratam o surgimento do serviço de proteção ao índio em 1961.

Auditório Marcos Justo Tramontini

Auditório Marcos Justo Tramontini

    Natural de São Leopoldo, Marcos Justo Tramontini foi Doutor em História pela Pontifícia Universidade do Rio Grande do Sul e professor da Universidade do Vale dos Sinos e da Universidade Luterana do Brasil. Sua obra tem um enfoque especial nas temáticas “Ideias e movimentos sociais na América Latina” e “Imigração e Colonização na América Latina”. Em reconhecimento à sua relevante contribuição para a história da imigração, em especial a alemã no sul do Brasil, a Associação Nacional de História (ANPUH) sugeriu à direção do APERS que batizasse o auditório com o nome de Marcos Justo Tramontini. Neste espaço são realizados ciclos de cinema, palestras, seminários e cursos.

     Os espaços culturais foram criados com a finalidade de promover a integração com as entidades educativas, sociais, artísticas e a comunidade em geral. Destinando-se a exposições, palestras, mostras, teatro, apresentações musicais e outros eventos afins, estes espaços são disponibilizados à sociedade, desde que respeitadas às normas de preservação das instalações.

Older Entries

%d blogueiros gostam disto: