“Descobrindo o Acervo do Arquivo Público: Repressão à Umbanda na Cidade Baixa de 1940” agora é exposição virtual! #NovembroNegro

Deixe um comentário

Cartaz abertura Exp Virtual

Para marcar o mês da Consciência Negra no APERS trouxemos para o blog a edição de novembro do projeto Descobrindo o Acervo do Arquivo Público com a exposição “Repressão à Umbanda na Cidade Baixa de 1940“, que foi apresentada fisicamente no Espaço Cultural Joel Abílio Pinto dos Santos entre os dias 05 e 14/11, e agora transforma-se em uma exposição virtual.

Selecionamos em nosso acervo o processo criminal contra Laudelino Manoel de Souza Gomes, oficial reformado da Marinha brasileira e líder de duas casas de umbanda em Porto Alegre – nas ruas Lima e Silva e Lobo da Costa. Laudelino foi denunciado, em 28 de janeiro de 1943, por prescrever homeopatia e dar passes, diagnosticar moléstias e exercer ilegalmente a farmácia. Foi acusado de enriquecer ilicitamente a partir do ofício de curandeiro. Sua fé era indicada como “mixto de catolicismo e cultos africanos”.

Em seu depoimento o réu afirma que liderara um templo em São Luiz, no Maranhão, e que era professor de física, português, aritmética e inglês. Sustenta que o atendimento prestado era gratuito e que sua casa praticava a caridade. A peça apresentada em sua defesa apelava à liberdade religiosa e à legitimidade da umbanda como confissão, alegando a antiguidade de sua prática no Brasil.

Ele foi condenado a seis meses de detenção, mas apelou da sentença e pagou Cr$ 1.000,00 como fiança para responder em liberdade. Ao fim das contas, no dia 3 de dezembro de 1943, foi suspensa a execução de sua pena.

imagem blog laudelino

Detalhe de fotografia à folha 43: altar no Abrigo Francisco de Assis

O Estado brasileiro frequentemente perseguiu as religiões afro-brasileiras sob diversas alegações. Para refletir a respeito, trazemos um processo-crime como fonte primária para análise e discussão sobre seu conteúdo: explicita-se que o objetivo era mesmo denunciar o exercício ilegal de determinada profissão, ou verificamos que há outros olhares incidindo sobre a acusação pelo local ser uma casa onde a religião Umbanda se fazia presente? O incentivo a que se lancem novas abordagens aos documentos salvaguardados pelo APERS estende-se às relações sócio-cultural travadas em nosso cotidiano, muitas vezes amparadas em preconceitos historicamente construídos que repercutem em nossa atual sociedade.

 

A sequência de imagens a seguir é uma seleção de 23 páginas do processo:

 

Para acessar o documento digitalizado na íntegra, clique aqui.

 

2019.11.05 Laudelino - local

Localização da casa de Laudelino Manoel de Souza Gomes

 

Ficha técnica:

  • Pesquisa documental e textos: Rodrigo de Azevedo Weimer
  • Concepção e montagem: Iara Gomide e Marta Helena Araújo
  • Arte: Luís Otávio Martins
  • Colaboração à exposição virtual: Clarissa Sommer e Juliano Balbon

Exposição Descobrindo o Acervo do Arquivo Público: Repressão à Umbanda na Cidade Baixa de 1940 #NovembroNegro

Deixe um comentário

Neste mês, dando continuidade ao projeto exposição “Descobrindo o Acervo do Arquivo Público”, no intuito de revelar vestígios comprobatórios de ações, paixões e concepções deixadas pelos sujeitos históricos em documentos, selecionamos em nosso acervo o Processo de Laudelino Manoel de Souza Gomes, líder da casa de Umbanda localizada no Bairro Cidade Baixa em Porto Alegre, sendo denunciado por prescrever homeopatia e dar passes, diagnosticar moléstias e exercer ilegalmente a farmácia.

O Estado brasileiro frequentemente perseguiu as religiões afro-brasileiras sob diversas alegações. Para a marcação do #NovembroNegro, dentre outros acontecimentos que ocorrerão no APERS (veja aqui), selecionamos o processo em questão para a análise e discussão sobre o conteúdo do processo – neste caso, se o mesmo tinha o objetivo de denunciar o exercício ilegal da profissão, ou verificamos que há outros olhares sobre o local ser uma casa onde a religião Umbanda se fazia presente?! Nessa perspectiva, convidamos a comunidade para repensar e quem sabe, lançar um novo viés aos documentos armazenados no APERS e às opiniões muitas vezes equivocadas e o que elas repercutem em nossa atual sociedade.

2019.11.07 Descobrindo o Acervo Novembro

Exposição virtual “Caminhos dos Arquivos – Nossas História, Nossas Heranças”: arquivos de Porto Alegre, parte II

Deixe um comentário

Hoje trazemos a terceira edição da série de postagens mensais sobre o Programa Caminhos dos Arquivos, no qual consta o projeto de exposição, em módulo virtual, denominada “Caminhos dos Arquivos: Nossas Histórias, Nossas Heranças”. Destacaremos mais três instituições de Porto Alegre, compartilhando informações e um pouco sobre suas trajetórias.

Barros e Amélia afirmam que a memória registrada “delegou ao arquivo a função de mantê-la viva, de forma a desacelerar o desaparecimento de sinais do que se deseja manter, em face da necessidade do lembrar”.1 Nesse sentido, temos satisfação em seguir difundindo instituições arquivísticas que assumem cotidianamente o papel de preservar registros que se relacionam a tantas memórias:

AHRSArquivo Histórico do Rio Grande do Sul – o embrião de sua história inicia ainda em 1906, com a criação do Arquivo Público do Estado (APERS), à época organizado em três seções. Em 1925 a 2ª seção, denominada Arquivo Histórico e Geográfico, foi desmembrada e anexada ao Museu Júlio de Castilhos, mais tarde dando origem ao AHRS. Assim, seu surgimento como instituição independente ocorreu em 29 de janeiro de 1954, quando foi criada a Divisão de Cultura da Secretaria de Educação e Cultura. A instituição tem como função primordial a guarda e a conservação da documentação histórica de origem pública e privada. Seu acervo remonta aos primeiros anos de ocupação efetiva do solo rio-grandense pela Coroa Portuguesa. Além da documentação proveniente das várias funções exercidas pelo Poder Público, o AHRS destaca-se pelos arquivos particulares recebidos através de doação ou compra, como por exemplo: Borges de Medeiros/Sinval Saldanha, João Neves da Fontoura, Francisco Brochado da Rocha, Alfredo Varela, entre outros. Além disso, existe farta documentação sobre a colonização do estado por imigrantes.

Endereço: Rua Sete de Setembro 1.020, Sala 17, Centro Histórico, Porto Alegre /RS

Horário de Funcionamento: 13h às 17h30, de terça a sexta-feira. Horário limite para acessar a sala de pesquisa: 17h.

Contatos: (51) 3227.0882 e (51) 3225.7880 – ahrs@sedactel.rs.gov.brSiteFacebook

MLRSMemorial do Legislativo do Rio Grande do Sul – foi inaugurado em 2010 e abriga a documentação histórica do Poder Legislativo, nos mais diferentes suportes de informação. Trabalha com pesquisa em prol da memória legislativa do Estado. Tem a custódia dos documentos históricos do Parlamento, dentre eles, o dossiê mais antigo que são as Atas do Conselho Geral da Província de 1828. Possui a coleção do Jornal A Federação, Anais do Parlamento desde 1862, Fundo Solar dos Câmara e a documentação de Comissões Permanentes, processos legislativos e documentos administrativos. Do acervo de multimeios tem a guarda do acervo da TVAL em BetaCam e DVCam, filmes rolo, slides e negativos de fotografias com mais de 1.500.000 imagens. Participa ativamente das atividades de gestão e preservação documental da Assembleia Legislativa, independente do suporte informacional. O prédio que sedia o Memorial do Legislativo do RS é a construção pública mais antiga da cidade de Porto Alegre, concluído em 1790, passando por diversas reformas, em 1860 ganhou o segundo pavimento com estilo neoclássico. Desde sua construção até 1828, o prédio abrigou órgãos como a Provedoria da Real Fazenda, a Casa da Junta, Câmara e Cadeia. De 1828 a 1935 sediou as atividades do Conselho Geral da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul. E a partir de 1835, passou a ser cenário principal de atuação do Poder Legislativo gaúcho em suas diferentes fases políticas. Foi tombado pelo IPHAE em 17 de setembro de 1981.

Endereço: Rua Duque de Caxias, 1029, Centro Histórico, Porto Alegre/RS

Horário de Funcionamento: Segundas às Sextas: das 8h30min às 11h30min e das 13h30min às 18h30min.

Contatos: (51) 3210-1670; 3210-1675 – memorial@al.rs.gov.br – Site – AcervoFacebook

TRF4Arquivo do Tribunal Regional Federal – responsável pela guarda e gestão da documentação produzida e recebida no cumprimento de sua função jurisdicional, durante seus 30 anos de existência. O acervo é composto de documentos e processos administrativos e judiciais, em suporte físico e eletrônico. Em seu conteúdo, existem importantes processos que representaram marcos na história político-econômica do país. Recentemente, o acervo que já utilizou diversos e simultâneos endereços, foi todo reunido em seu prédio sede. O Arquivo tem a finalidade de preservar e manter sob guarda a documentação administrativa e judicial do TRF4, em suporte físico, promovendo seu acesso, interno e externo, através de consultas e fornecimento de íntegras de acórdãos. O acesso ao seu conteúdo pode ser realizado através de consultas locais aos processos judiciais, que se apresentam em suporte físico e meio eletrônico, e pelo Portal do TRF4 solicitado as íntegras de acórdãos.

Endereço: Rua Otávio Francisco Caruso da Rocha, nº 300, Praia de Belas, Porto Alegre/RS

Horário de Funcionamento: das 13:00 às 18:00

Contatos: (51) 3213.3430 – arquivo@trf4.jus.brSite


1BARROS, Dirlene Santos; AMÉLIA, Dulce. Arquivo e memória: uma relação indissociável. Transinformação, Campinas, v. 21, p.55-61, jan-abr. 2009. Quadrimestral, p. 57. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/tinf/v21n1/04.pdf&gt;. Acesso em: 06/092019.

“História, Arquitetura & Arquivo”: comemoração dos 113 anos do APERS

Deixe um comentário

     Sob a temática do conjunto arquitetônico, construído no início do século passado para ser um arquivo, a tarde do último dia 12 de março foi de comemoração no Arquivo Público do Estado. Os 113 anos da Instituição foram comemorados em evento, no qual a Diretora Aerta Grazzioli fez a abertura e o lançamento do segundo módulo da Galeria de Diretores do APERS, que contempla os gestores dos anos de 1959 até 1987 (clique no link para acessar).

    Na sequência teve a Mesa Redonda “APERS: Conjunto Arquitetônico no tempo e a Utilização de seus Espaços”, onde a arquivista Carmen M. Merlo e a arquiteta Samantha Sonza Diefenbach palestraram sobre suas dissertações “O Palácio de Papel: cem anos do Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul (1906-2006)” e “Affonso Hebert: ecletismo republicano no Rio Grande do Sul”, respectivamente; e o professor Günter Weimer proferiu sobre “A Arquitetura do Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul”, para uma plateia que praticamente lotou o auditório.

    Logo após, houve a apresentação do “Coro Jovem da OSPA”, que interpretou clássicos e finalizou sua apresentação com o “Parabéns a você”, seguida de confraternização, com direito a bolo e espumante.

    Por fim, foi lançada a exposição “APERS: Conjunto Arquitetônico no tempo e a Utilização de seus Espaços” que reúne fotos e documentos que ilustram nossa história. Lembrando que a exposição pode ser conferida até o dia 29 de março aqui no APERS (Rua Riachuelo, 1031, Centro Histórico de Porto Alegre), no espaço Joél Abilio Pinto dos Santos, de segunda a sexta, das 8:30 às 17 horas.

    Estiveram presentes no evento: servidores e ex-servidores do APERS, os subsecretários Marcelo Alves (Gestão) e Barão Mello da Silva (Planejamento e Orçamento), e diretores de departamentos da Secretaria do Planejamento, Orçamento e Gestão (SEPLAG); o presidente da Associação dos Amigos do Arquivo Público (AAAP), Anderson Portella, e integrantes da diretoria, e o público geral que justifica a perpetuidade de nossa instituição.

Confira fotos do evento neste álbum em nossa página do Facebook (clique para acessar)!

Mesa-redonda “Apers 113 anos: Arquitetura e Patrimônio”

Posted by Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul on Wednesday, March 20, 2019

.
Notícias relacionadas:
113 anos Arquivo Público RS: História, Arquitetura e Arquivo
GOVERNO DO ESTADO DO RS. Arquivo Público do RS comemora 113 anos com exposição arquitetônica. 10/03/2019. 
GAÚCHA ZH. Arquivo Público do Rio Grande do Sul comemora 113 anos com exposição aberta ao público. 10/03/2019. 
SECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO. Comemoração dos 113 anos revisita a história arquitetônica do Arquivo Público. 12/03/2019.
BAND Cidade. Histórias e mistérios do Arquivo Público do Estado. 12/03/2019.

O que aconteceu na 2ª Semana Nacional de Arquivos no APERS

Deixe um comentário

Entre os dias 4 e 09 de junho, aconteceu a 2ª Semana Nacional de Arquivos, promovido pelo Arquivo Nacional e a Fundação Casa de Rui Barbosa, com a finalidade de abrir os arquivos para a Academia, à cultura e à sociedade, divulgando o trabalho desenvolvido nas Instituições arquivísticas e centros de memória e documentação de todo país. O evento ocorre na Semana em que se celebra o Dia Internacional dos Arquivos, 9 de junho. Neste ano, foram mais de cento e oitenta entidades participantes, em todos os Estados.

No Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul – APERS, a programação, coordenada pelas arquivistas Iara Gomide e Marta Araújo, conteve três exposições (Caminhos dos Arquivos, Os Escoteiros no Arquivo e Os Bichos Invadem o Arquivo), visitas guiadas (ao APERS, Arquivo Municipal de Porto Alegre, Cemitério da Santa Casa e Memorial Martim Lutero), oficinas (“Os Tesouros da Família Arquivo”, de Preservação de Documentos, Preservação de Documentos Audiovisuais, painel “Documentos e Jogos no Ensino de História” (lançamento da Jogoteca Educativa do APERS) Paleografia e duas de Genealogia), Cinema no Arquivo (reprodução do filme “Cinema Paradiso”, na Cinemateca Capitólio), palestra “Difusão e diversidade de acervos na Web”, Encontro dos Arquivistas (apresentações de Carlos Dinarte – IPEPrev, Prof.ª. Valéria Bertotti – FABICO/UFRGS, Paulo Guimarães e Matheus Berino – BAGERGS), apresentações musicais (Banda da Brigada Militar, Quarteto de Trompas de alunos do Conservatório Pablo Komlós – Escola de Música da OSPA e os arquivistas Carlos Dinarte e Mauro Amaral) e Júri Simulado (reconstituição do caso da Maria Degolada, realizado pela SAJU/UFRGS).

Entre as exposições, foi realizada a “Exposição Caminho dos Arquivos”, composta por duas modalidades: presencial e virtual, na qual, em seu formato físico, contou com a participação de nove Instituições, e no formato a distância (acessível no site http://caminhosdosarquivos.adb.inf.br, foram vinte e oito entidades, de diversos municípios, privadas e públicas, de todas as esferas e poderes.

Na Semana, foram oportunizadas diversas visitas guiadas ao APERS, a fim de que os visitantes conheçam sobre a salvaguarda de documentos e história do conjunto arquitetônico do APERS tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (IPHAE) em 1991. As visitas guiadas são realizadas semanalmente e podem ser agendadas através do e-mail visitas@smarh.rs.gov.br.

A programação dos eventos consolidaram as ações do APERS como uma das Instituições mais importantes do Estado no acesso à memória, influenciando gerações na preservação documental e cultural, empreendendo em difusão, com muitas parcerias, em todo o território gaúcho. Clique aqui para ver as fotos dos eventos.

Exposição “Caminhos dos Arquivos: Nossas Histórias, Nossas Heranças” Presencial

Deixe um comentário

A partir do tema proposto pelo Conselho Internacional de Arquivos (ICA), que é: “Governança, memória e herança”, para a 2ª Semana Nacional de Arquivos, a realizar-se entre os dias 04 e 09 de junho de 2018, tratando-se de uma ação que visa agregar Instituições arquivísticas, centros de memória e entidades detentoras de acervos documentais de todo o país, que programam, em seus espaços ou de parceiros, exposições, visitas mediadas, rodas de conversa, palestras, exibições de filmes e espetáculos artísticos, objetivando a aproximação entre si e com seus públicos, promovendo a visibilidade de seus acervos e serviços.

Neste contexto, nada mais oportuno que o Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul – APERS, como órgão de gestor do Sistema de Arquivo do Estado do Rio Grande do Sul – SIARQ/RS, propor um evento que contemple uma grande união de Instituições: uma exposição coletiva e fragmentada, de formas presencial e virtual, na qual documentos provenientes dos acervos dos partícipes (distintas entidades arquivísticas, centros de documentação e de memória, e demais detentores de acervo de natureza pública ou privada), um documento de cada proveniência, de escolha dos mesmos, observando-se a temática da Semana Nacional de Arquivos e que remeta ao sentimento de pertencimento à comunidade, estão dispostos em fragmentos (cada documento foi dividido partes conforme a quantidade de participantes, e cada parte está exposta em uma Instituição, seguindo a ordem de distribuição), a fim de que o visitante, para completar as leituras dos documentos, deva percorrer todo o roteiro da Exposição “Caminhos dos Arquivos: Nossas Histórias, Nossas Heranças”.

A Exposição foi aberta na segunda-feira, dia 04, e permanecerá até sábado, dia 09. As Instituições que aceitaram participar deste desafio, que compõem o roteiro dos Caminhos dos Arquivos, no formato presencial, na ordem de distribuição dos documentos, são:

01 – Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul

02 – Memorial do Legislativo do Estado do Rio Grande do Sul

03 – Memorial do Judiciário do Estado do Rio Grande do Sul

04 – Instituto Histórico e Geográfico do Estado do Rio Grande do Sul

05 – Arquivo Histórico do Estado do Rio Grande do Sul

06 – Arquivo Municipal e Protocolo Administrativo de Porto Alegre

07 – Memorial da Justiça Federal do Rio Grande do Sul

08 – Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho

09 – Companhia Carris Porto Alegrense de Transporte Coletivo

10 – Grupo Escoteiro Georg Black

Acesse o roteiro da Exposição “Caminhos dos Arquivos: Nossas Histórias, Nossas Heranças”, no Google Maps: https://goo.gl/M9pymh

 

Exposição “Caminhos dos Arquivos: Nossas Histórias, Nossas Heranças” Virtual

Deixe um comentário


No mesmo contexto da modalidade presencial, o Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul – APERS, propôs um outro formato da Exposição “Caminhos dos Arquivos: Nossas Histórias, Nossas Heranças”, que contemplasse Instituições localizadas fora de Porto Alegre, mas que ainda mantivesse a realização coletiva, na qual documentos provenientes dos acervos dos partícipes (distintas entidades arquivísticas, centros de documentação e de memória, e demais detentores de acervo de natureza pública ou privada), um documento de cada proveniência, de escolha dos mesmos, observando-se a temática da Semana Nacional de Arquivos e que remeta ao sentimento de pertencimento à comunidade, expostos conjuntamente, em um web site, lançado na segunda-feira, dia 04, desenvolvido em colaboração entre o APERS e a empresa Arxius do Brasil, com objetivo de divulgar informações básicas sobre entidades custodiadoras do patrimônio documental gaúcho.

Estão exposto no site documentos de diversas Instituições, de variados municípios do Estado, que aceitaram participar deste desafio, que compõem o roteiro dos Caminhos dos Arquivos, no formato virtual, são:

– Arquivo do IPE-PREV

– Arquivo do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul

– Arquivo Geral do CHC Santa Casa

– Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho

– Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul

– Arquivo Histórico Municipal de Santa Maria

– Arquivo Histórico Sport Club Internacional

– Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul

– Arquivo Público e Histórico Municipal do Rio Grande

– Arquivo Público Municipal de Novo Hamburgo

– Arquivo Público Municipal e Protocolo Administrativo de Porto Alegre

– Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre

– Centro de Documentação e Pesquisa da Fundação Vera Chaves Barcellos

– Cia. Carris Porto Alegrense – Memória Carris

– Companhia Carris Porto Alegrense de Transporte Coletivo

– Escoteiros do Brasil – Rio Grande do Sul

– Grupo Escoteiro Georg Black

– Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul

– Memorial da Justiça Federal do Rio Grande do Sul

– Memorial do Judiciário do Rio Grande do Sul

– Memorial do Legislativo do Rio Grande do Sul

– Memorial e Espaço Cultural Casa do Leite

– Memorial Grupo Escoteiro Georg Black

– Museu da Brigada Militar

– Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo

– Museu do Grêmio

– Museu e Arquivo Histórico Pedro Rossi

– Setor de Arquivo-Geral do Tribunal Regional Federal da 4ª Região

Acesse a Exposição “Caminhos dos Arquivos: Nossas Histórias, Nossas Heranças”: http://caminhosdosarquivos.adb.inf.br/

Eventos alusivos ao Meio Ambiente também fazem parte da 2ª Semana Nacional de Arquivos no APERS

Deixe um comentário

Como a Semana Nacional de Arquivos visa a aproximação das instituições de guarda de acervos com a sociedade, o APERS, durante esta semana também propôs atividades que fazem referência ao Dia Internacional do Meio Ambiente, comemorado em 05 de junho, dando visibilidade à Instituições que zelam pela natureza, como o Comando Ambiental da Brigada Militar e a Fundação Zoobotânica, e ao movimento escoteiro, como estímulo ao respeito e ao compromisso com o meio ambiente.

Assim, foram abertas, segunda e terça, dias 04 e 05, respectivamente, as exposições “Os Escoteiros no Arquivo” e “Os Bichos invadem o Arquivo: Preservando o Meio Ambiente”. Estão expostos acervos de origem animal (empalhados ou de poliuretano), mudas e sementes. As exposições permanecem até sábado, dia 09, das 08h30min às 17h, no espaço cultural Sala Borges de Medeiros, do Arquivo Público.

 

2ª Semana Nacional de Arquivos no APERS

Deixe um comentário

Vários eventos estão sendo realizados no APERS durante esta semana. Ainda há tempo para inscrições. Os eventos ocorrerão até sábado, dia 08. Confira a programação:

Veja também as descrições dos eventos: https://goo.gl/UQP2qy

As inscrições são realizadas pelo link: http://goo.gl/SR7Dcx

2ª Semana Nacional de Arquivos no APERS: Cinema no Arquivo

Deixe um comentário

   Entre os eventos que o Arquivo Público promoverá durante a 2ª Semana Nacional de Arquivos, está o “Cinema no Arquivo”, a atividade tem como proposta a difusão de arquivos e despertar a preservação da arte cinematográfica, com a reprodução do filme “Cinema Paraíso”. O evento tem apoio da Associação dos Amigos do Arquivo Público – AAAP, Prefeitura Municipal de Porto Alegre e Cinemateca Capitólio.

   O filme é um drama ítalo-francês de Giuseppe Tornatore, com 2h4min de duração, de 1988, e ganhou inúmeros prêmios entre eles o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1990. A trama passa-se em Roma, 1980, e centra-se em Salvatore Di Vitta (Jacques Perrin), um reconhecido cineasta italiano, que recebe um telefonema inesperado da sua mãe, na Sicília, onde nasceu e cresceu, quem lhe dá a conhecer a morte de Alfredo (Philippe Noiret), o projecionista que deixava Totó, o diminutivo por qual Salvatore era conhecido, ver todos os filmes que passavam pelo Cinema Paraíso. Após o telefonema, Totó é invadido por recordações, revisitando a sua infância, na sua Sicília natal, quando vivia fascinado pela cabina mágica de Alfredo, o mal-humorado projecionista do cinema da vila: o Cinema Paraíso, onde os habitantes iam para rir, chorar, dar cotoveladas e protestar cada vez que o padre local censura as cenas de beijos. De alguma forma, Alfredo ocupou o papel de pai de Totó, desaparecido durante a II Guerra, e ofereceu-lhe um mundo de magia que era o seu acolhedor refúgio naqueles dias, e que, mais tarde, viria a ser o seu próprio mundo. Mas, após um caso de amor frustrado com Elena, a filha do banqueiro, ele deixa sua pequena cidade para tomar o caminho de Roma. Ele só retornará 20 anos depois, com a morte de Alfredo, para enfrentar as lembranças de sua infância. Agora, Totó tem de voltar à sua terra natal para enterrar o homem que determinou a sua vida e receber o seu último legado. Salvatore finalmente percebe que a sua infância não foi nada mais nada menos que um filme italiano.

Elenco: Philipe Noiret, Agnese Nano, Jacques Perrin, Leopoldo Trieste, Enzo Cannavale, Isa Danieli, Leo Gullota, Roberta Lima.

Serviço – Cinema no Arquivo
Dia: 05.06.2018
Horário: 14h -16h
Local: Cinemateca Capitólio (Sala Multimídia – 3ª andar)
Endereço: Rua Demétrio Ribeiro, 1085 Centro Histórico – Porto Alegre/RS.
Inscrições Gratuitas – Vagas limitadas (35) – Inscreva-se clicando aqui
Informações: sna.apers@yahoo.com ou 3288-9134

2ª Semana Nacional de Arquivos no APERS: Alterações na programação

Deixe um comentário

A programação da 2ª Semana Nacional de Arquivos no APERS sofreu algumas alterações:

  • A Exposição Carris entre Arquivos: Trilhos de Preservação de História e Memória foi cancelada;
  • Na Oficina “Os Tesouros da Família Arquivo”, não teremos palestra do Prof.ª Carla Rodeghero (UFRGS), e sim a condução das atividades pela Equipe do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS; e,
  • O lançamento do Projeto “Jogoteca Educativa do APERS” – Painel “Documentos e Jogos no Ensino de História” – terá falas do Prof. Nilton Mullet Pereira (FACED/UFRGS), e de Jéssica Gomes de Borba e Paulo Eduardo Fasolo Klein (Núcleo de Ação Educativa do Arquivo).

Por esses motivos, publicamos novamente a grade da programação, com as alterações, e a descrição dos eventos (clique para acessar).

APERS na 2ª Semana Nacional de Arquivos: descrição dos eventos e inscrições

2 Comentários

   Como divulgamos, entre os dias 04 e 09 de junho, o Arquivo Público do RS participará da 2ª Semana Nacional de Arquivos com diferentes eventos, inclusive alguns acontecerão em parceria com outras instituições arquivísticas, centros de documentação e de memória.

   Para saber as informações da programação do APERS acesse aqui o arquivo com a descrição de cada evento (clique para acessar).

   A maioria dos eventos tem inscrição gratuita, apenas a Oficina de “Paleografia” terá custo de R$25,00 e a Visita Guiada ao “Cemitério da Santa Casa” terá custo de R$20,00. O pagamento deve ser feito, por depósito, para a Associação dos Amigos do APERS (CNPJ 01.347.417/0001-97), Banco: 041 Banrisul,  Agência: 100, Conta Poupança: 41.373.079.0-6.

   Para participar dos eventos do APERS na 2ª Semana Nacional de Arquivos, faça a sua inscrição neste link (clique para acessar). Ressaltamos que as inscrições para o I Júri Simulado da Memória Riograndense: Caso Maria Degolada, serão realizadas pelo e-mail geipsaju@gmail.com .

   Para mais informações, entre em contato por e-mail para sna.apers@yahoo.com ou por telefone 3288-9134.

Notícia relacionada:
APERS participará da 2ª Semana Nacional de Arquivos

APERS participará da 2ª Semana Nacional de Arquivos

Deixe um comentário

    No próximo mês teremos a 2ª Semana Nacional de Arquivos. A semana escolhida em comemoração ao Dia Internacional dos Arquivos: 9 de junho, que é uma data estabelecida pelo Conselho Internacional de Arquivos (ICA) em homenagem aos arquivos, fazendo parte de um calendário internacional. Além disso, o ICA lança um tema diferente a cada ano para inspirar os eventos. O deste ano é Governança, Memória e Herança.

    Este evento vem sendo organizado pelo Arquivo Nacional e a Fundação Casa de Rui Barbosa, a partir de ações previstas no Plano Setorial de Arquivos (2017-2027), elaborado pelo Colegiado Setorial de Arquivos do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) do Ministério da Cultura, como um período de eventos em arquivos e outras instituições de memórias de todo o país, com o objetivo de aproximar essas instituições da sociedade e divulgar os valiosos trabalhos nelas desenvolvidos; as quais atuam como um instrumento facilitador do acesso à informação, de modo a apoiar o cidadão na defesa de seus direitos e a incentivar a produção de conhecimento científico e cultural – uma das funções dos arquivos. Ademais, a Semana enfatiza a potencialidade dos arquivos como equipamentos culturais, aumenta sua visibilidade, divulga os valiosos trabalhos desenvolvidos nesses espaços.

    O Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul (APERS) também participará desta 2ª edição da Semana Nacional de Arquivos com eventos diversificados, oferecendo visitas guiadas, exposições, oficinas, palestras, Encontro de Arquivistas e apresentações musicais.

    Confira a nossa programação e participe (clique na imagem para ampliar):

Quando ocorre a 2ª Semana Nacional de Arquivos?

  • Em 2018, sua 2ª edição será de 4 a 9 de junho.

Endereços:

  • ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL (APERS): Rua Riachuelo, 1031, Centro Histórico, Porto Alegre/RS. Telefone: (51)3288-9100.
  • ARQUIVO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE: Rua 7 de Setembro, 1123, Centro, Porto Alegre/RS. Telefone: (51)3289-1692
  • CEMITÉRIO DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PORTO ALEGRE: Av. Prof. Oscar Pereira, Azenha, Porto Alegre/RS. Telefone: (51)3223-2325
  • CIA CARRIS: Rua Albion, 385, Partenon, Porto Alegre/RS. Telefone: (51)3289-2100
  • CINEMATECA CAPITÓLIO: Rua Demétrio Ribeiro, 1085, Centro Histórico, Porto Alegre/RS. Telefone: (51)3289-7458
  • MEMORIAL MARTIM LUTERO: Rua Guilherme Schell, 467, Santo Antônio, Porto Alegre/RS. Telefone: (51)3223-9712

Quanto custa?

  • Oficina de Paleografia – dia 06/06/2018, entre 14h e 17h, no Auditório do APERS – R$ 25,00.
  • Visita ao Cemitério da Santa Casa – dia 06/06/2018, entre 18h e 20h – R$ 20,00.
  • Demais eventos: gratuitos.

    A programação nacional completa estará disponível no final de maio no site: http://semanadearquivos.arquivonacional.gov.br/.

APERS comemorou seus 112 anos

Deixe um comentário

   Celebramos mais um aniversário do Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul – APERS: 112 anos de uma trajetória de desafios, conquistas e afirmação em diversas searas. Ao longo deste período, o APERS foi palco de encontros com o passado e registros de transformações sociais, como de tempos em que o acesso aos documentos públicos e à produção de conhecimento eram privilégio de poucos; e tornou-se um lugar que presa pelo direito ao conhecimento, ao acesso à informação e ao patrimônio cultural.

   O início das comemorações foi realizado no dia 07 de março, pela Diretora do Arquivo Público, Aerta Moscon, que ressaltou o legado deixado pelo APERS para a sociedade. Logo após, teve a abertura da exposição ‘’ARQUIVO EM REVISTA” que reúne documentos administrativos emitidos por ex-diretores e fotografias de eventos do APERS. Em seguida foi realizada a palestra “Positivismo e Memória: A importância do positivismo na preservação e construção da memória nos arquivos” com os historiadores Paulo Moreira, Arnoldo Doberstein e Clarissa Sommer e mediação de Caroline Acco Baseggio.

   No dia 08 de março, data de fundação, aconteceu a Roda de Memória com a participação das ex-diretoras Eloá Maria Possebon, Rosani Gorete Feron e Isabel Oliveira Perna Almeida e a arquivista Neida Regina Ilha, representando o ex-diretor Carlos Aléssio Rossato, com mediação de Maria Cristina Fernandes. Cada uma pôde explanar sobre sua gestão e as contribuições no desenvolvimento de técnicas e metodologias para a qualificação da preservação dos documentos públicos do Estado, na promoção no campo da difusão do acervo e na melhoria do conjunto arquitetônico da Instituição. Alguns ex-diretores, que não puderam comparecer, enviaram mensagens.

   Na continuidade das comemorações, houve o lançamento da “Galeria de Diretores do APERS”, disponível no site institucional do Arquivo, com o objetivo de divulgar a biografia dos diretores que ocuparam o cargo desde a fundação do Arquivo até a gestão atual. A Galeria contempla, atualmente, a biografia de sete diretores com recorte temporal de 1987 a 2015, clique aqui para acessar. À medida que a pesquisa biográfica for avançando, as demais gestões serão inseridas no site.

   O Secretário da Modernização Administrativa e dos Recursos Humanos, Raffaele Di Cameli, presente no dia, parabenizou a todos pela trajetória e contribuições da Instituição. A solenidade contou com a presença de servidores, funcionários terceirizados, estagiários e convidados. Também prestigiaram o evento o Secretário Adjunto da Casa Civil, José Guilherme Kliemann, o Diretor-Geral da SMARH, Henrique Abrahão, e o Presidente da Associação de Amigos do APERS – AAAP, Daniel Leite.

   Por fim, como todo aniversário, teve Parabéns a Você, bolo e brinde! Foram momentos de reconhecimento pelo trabalho de cada um, que fez e faz parte da equipe do Arquivo Público, para que a instituição se mantenha viva e atuante.

   As atividades foram organizadas pelas arquivistas Iara Gomide Machado, Marta Helena de Araújo e Renata Pacheco de Vasconcellos e pela Técnica em Assuntos Culturais Caroline Baseggio, com o apoio da Associação do Amigos do Arquivo Público – AAAP, ASCOM/SMARH, DIPES/DEADM/SMARH, Museu da Comunicação Hipólito José da Costa e Museu Julio de Castilhos.

    Aproveitamos a oportunidade para convidá-los a fazer parte desta história também, conhecendo o Arquivo Público através das mídias sociais e, presencialmente, pesquisando na Sala de Pesquisa, participando das visitas guiadas e eventos.

    Lembramos que a exposição “ARQUIVO EM REVISTA” permanece aberta ao público até 30 de março de 2018. Venha prestigiar! (Rua Riachuelo, 1031 – Centro Histórico – Porto Alegre – RS. Das 8h30min às 17h no Espaço Joel Abílio Pinto dos Santos, Térreo.)

    Confira algumas fotos de evento abaixo e para ver o álbum dos 112 anos do APERS no Facebook, clique neste link.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Abaixo relacionamos os links sobre a repercussão dos eventos comemorativos pelos 112 anos do APERS nos meios de comunicação, clique para acessar:

APERS 112 ANOS: Eventos em comemoração ao aniversário do Arquivo Público do RS

Deixe um comentário

Com o objetivo de comemorar o aniversário de 112 anos do Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul – APERS, no dia 08 de março, data de sua fundação, sua equipe organizou a Exposição ‘’ARQUIVO EM REVISTA” com abertura em 07 de março e encerramento em 31 de março de 2018. A exibição será realizada no espaço Joel Abílio Pinto dos Santos, localizado no andar térreo da Instituição e poderá ser visitada das 8h30min às 17h.

O Arquivo Público é um Departamento da Secretaria da Modernização Administrativa e dos Recursos Humanos – SMARH/RS – constituído pela Divisão de Preservação, Acesso e Difusão, pela Divisão de Gestão Documental e pela Seção de Apoio Administrativo. A partir desta estrutura, o APERS desenvolve atividades técnicas relacionadas à gestão documental do seu acervo – preservação e acesso à informação – e projetos culturais e educacionais, tais como oficinas para turmas escolares, cursos de formação para professores, capacitações para estudantes de graduação, seminários, palestras e exposições, aproveitando seus espaços culturais no intuito de difundir e gerar conhecimento. Dentre as atividades relacionadas ao acesso à informação, destacamos a disponibilização do acervo oriundo dos três Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário e os atos registrados nos tabelionatos e cartórios de Registro Civil, por meio de solicitação prévia para consulta pública na sala de pesquisa da Instituição. Além disso, o conjunto arquitetônico em estilo neoclássico, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado do RS pode ser visitado, mediante solicitação prévia. Vale destacar que, além das atividades descritas, o APERS atua como Órgão gestor do Sistema de Arquivos do Estado do RS – SIARQ/RS, sendo responsável pela assessoria relacionada à gestão documental para os órgãos da Administração Direta e Indireta do Estado.

Em paralelo à exposição estão previstos dois outros eventos: a Roda de Memória, retrospectiva em formato de mesa-redonda composta por ex-diretores que dirigiram a Instituição a partir de 1987 e o lançamento da Galeria  de Diretores, uma publicação digital histórico-biográfica dos diretores do APERS, disponibilizada em formato pdf.

A Roda de Memória tem como objetivo apresentar a contribuição dos gestores no desenvolvimento de técnicas e metodologias que resultaram na qualificação da preservação dos documentos sob a guarda do APERS, na promoção no campo da difusão do acervo e na melhoria do conjunto arquitetônico do APERS.

A Galeria de Diretores tem por objetivo disponibilizar a biografia dos trinta e cinco diretores que ocuparam o cargo desde a fundação do APERS, em 1906, até a gestão atual. Para o evento, o arquivo digital, disponível em nosso site, contemplará a biografia dos sete diretores a partir do ano de 1987. A medida que a pesquisa biográfica for sendo realizada, as demais gestões serão disponibilizadas para consulta.

Em nosso cotidiano geralmente não percebemos o papel da memória na formação da vida em sociedade. Assim, a realização de eventos dessa natureza permite atingir o propósito de preservação da memória, documentando a trajetória da Instituição e o envolvimento dos sujeitos que contribuíram com seu trabalho e ações, motivados por demandas do seu tempo e pela situação social, política e econômica da época. Acompanhar a trajetória dos ex-diretores do APERS é, em certa medida, seguir o curso funcional e administrativo da Instituição, com as transformações decorrentes desse processo, bem como registrar o legado e a história dos seus gestores, prestando uma homenagem pela contribuição dada para a existência centenária do APERS.

Exposição: ARQUIVO EM REVISTA – 7 de março de 2018 – às 18h30min (aberta diariamente das 9h até as 17h, até 30/03/2018)

Roda de memória: 8 de março de 2018 – das 14h até as 17h

Galeria Virtual de Diretores – 8 de março – às 17 h

Local:

Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul – APERS

Auditório Marcos Tramontini e Espaço Joel Abílio Pinto dos Santos

Rua Riachuelo, 1031 – Centro Histórico – Porto Alegre – RS

Exposição “ENTRE LER E VER: Escravização e Resistência”

Deixe um comentário

    Será aberta no dia 18 de maio, no Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul (APERS), a exposição “ENTRE LER E VER: Escravização e Resistência”, no mês da Abolição da Escravidão no Brasil. A mostra é composta por dois momentos: “APERS: um olhar nas fontes documentais da escravidão”, e “Visões além da retina: Memórias, Esquecimentos e Representações”.

    É um convite para pensar o protagonismo do povo negro em suas lutas cotidianas escravagistas do passado, indo além da visão de passividade que o escravo tinha na sociedade escravista brasileira. Além disso, provocar um pensar na realidade e na atualidade, como a representatividade de hoje em suas lutas e conquistas.

“APERS: um olhar nas fontes documentais da escravidão”
Documentos originais de cartas de liberdade, testamentos, compra e venda de escravos, inventários e processos crimes estarão expostos. Esta temática, “Escravidão”, deu origem a dez catálogos que servem de instrumento de pesquisa, os “Catálogos Seletivos Documentos da Escravidão”.

“Visões além da retina: Memórias, Esquecimentos e Representações”
Exposição fotográfica composta por três eixos temáticos: o primeiro apresenta memórias institucionais, o segundo locais de identificação e o terceiro representações contemporâneas do negro em Porto alegre. O acervo foi cedido pela Unidade Documentação e Memória/Cia Carris Porto-alegrense.

    A exposição permanecerá aberta para visitação até 31 de maio de 2017, das 8h30min às 17h, no Espaço Joel Abílio Pinto dos Santos do APERS, Rua Riachuelo, 1031, Centro Histórico de Porto Alegre.

Aniversário do APERS e abertura da exposição “Trabalhadoras Mulheres no APERS”

Deixe um comentário

    No dia 08 de março, além do Dia Internacional da Mulher, o Arquivo Público do Rio Grande do Sul (APERS) celebrou seus 111 anos com a abertura da exposição “Trabalhadoras Mulheres no APERS”, no Espaço Joel Abílio Pinto dos Santos, coordenada pelas arquivistas Iara Gomide e Marta Araújo e pela técnica em assuntos culturais Caroline Baseggio.

   A abertura foi realizada pela Diretora do Arquivo Público, Aerta Moscon e pelo Secretário de Estado da Modernização Administrativa e dos Recursos Humanos (SMARH), Raffaele Di Cameli, que ressaltaram a qualificação profissional e das atividades realizadas e o legado para a sociedade deixado pelas servidoras do APERS.

    A solenidade também contou com a presença de servidoras, funcionárias terceirizadas e estagiárias que compõem o quadro atual da instituição e muitas outras que já não trabalham mais no Arquivo. Em clima de reencontro e confraternização todas e todos puderam reencontrar ex-colegas e conferir a mostra de fotografias, documentos, móveis, e equipamentos e instrumentos de trabalho, a fim que prestar uma homenagem aos 111 anos do APERS e às mulheres que trabalham e já trabalharam no Arquivo Público. Confira algumas imagens do evento clicando aqui.

    Ao longo da semana, a exposição teve repercussão em meios de comunicação, sendo divulgada na página de notícias do Governo do Estado, na página do ClicRBS e na coluna Almanaque Gaúcho edição de final de semana, 11 e 12 de março de 2017, do Jornal Zero Hora.

    A exposição permanece aberta para visitação até 31 de março de 2017, das 8h30min às 17h, no APERS, Rua Riachuelo, 1031, Centro Histórico de Porto Alegre. Informação pelo fone (51) 3288-9100.

APERS 111 anos: Exposição Trabalhadoras Mulheres no APERS

1 Comentário

2017-03-02-exposicao-trabalhadoras-mulheres-apers

     Para comemorar o aniversário de 111 anos do Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul (APERS), criado no mesmo dia em que celebramos o Dia Internacional da Mulher – 08 de março, organizamos a Exposição Trabalhadoras Mulheres no APERS!

    O papel da mulher na sociedade ao longo do século XX sofreu grandes modificações. A saída do espaço privado e a gradativa inserção no espaço público proporcionou às mulheres a conquista de uma maior visibilidade na sociedade e, se hoje ainda não estamos em pé de igualdade com os homens, com certeza estamos muito mais próximas desta realidade.

    Nos primeiros anos de funcionamento do Arquivo Público, a presença feminina acompanhava a tendência social, ou seja, são poucos os registros de mulheres presentes na instituição. Porém, atualmente a lógica se inverteu: a grande maioria de funcionários é do sexo feminino, e contamos nos últimos anos com um número significativo de mulheres ocupando cargos de chefia e diretoria da Instituição.

    Acompanhar a trajetória das mulheres dentro do APERS é, em certa medida, acompanhar a trajetória feminina na sociedade ao longo do século XX e início do XXI: da saída do lar ao mercado de trabalho e todas as transformações decorrentes deste processo, no que diz respeito à sua vida pública e privada.

    Convidamos a todas e a todos a conhecer um pouco sobre as mulheres de ontem e de hoje que contribuíram e contribuem para construir a história de nossa instituição! A exposição terá abertura no dia 08 de março, às 16 horas, no espaço Joel Abílio Pinto dos Santos, no APERS (Rua Riachuelo, 1031, Centro) e estará disponível para visitação até 31 de março de 2017.

APERS lança a Exposição “Porto Alegre Imaginada: conexões entre o APERS e a Cidade”

Deixe um comentário

    Na noite desta terça-feira, 22 de março, o Arquivo Público promoveu o lançamento da exposição “Porto Alegre Imaginada: conexões entre o APERS e a Cidade”, evento que faz parte das comemorações dos 110 anos da instituição. A mostra apresenta alguns documentos do acervo do APERS que dialogam com o imaginário da cidade, são registros que podem nos remeter a locais e pessoas, à rivalidade Gre-Nal, ao cenário político e cultural, entre outros temas, contendo, assim, informações que fazem parte do jogo infinito de significações resultantes de nossa vida social.

    A exposição foi inspirada no conteúdo do livro “Porto Alegre Imaginada” (dos autores Nilda Jacks, Valdir Morigi e Lizete Dias de Oliveira), o qual faz parte do Projeto Culturas Urbanas na América Latina e na Espanha a Partir de seus Imaginários Sociais. O livro apresenta a relação dos porto-alegrenses com sua cidade e foi elaborado por meio de uma dedicada pesquisa a fim de identificar as diferentes dimensões na construção do imaginário urbano porto-alegrense.

     Logo após a abertura da exposição, houve uma mesa de debates no Auditório Marcos Justo Tramontini, com a presença dos autores do livro e coordenadores do projeto Profª. Drª. Nilda Aparecida Jacks e Prof. Dr. Valdir José Morigi, os quais apresentaram “A Porto Alegre dos porto-alegrenses” e com a participação de Luis Fernando Herbert Massoni – Mestrando no Programa de Pós-graduação em Comunicação e Informação/UFRGS, que apresentou “A Cidade e suas Memórias nas Redes Sociais”.

    Os palestrantes discorreram sobre o imaginário urbano de nossa cidade, formado a partir de como as pessoas vivenciam, percebem e interpretam Porto Alegre, constituindo as nossas representações urbanas, significações coletivas que participam na construção de nossa identidade e estão relacionadas ao modo como enxergamos nossa cidade.

    A exposição pode ser visitada no Arquivo Público do RS até o dia 22 de abril, no Espaço Prof. Joel Abílio Pinto dos Santos, de segunda a sexta-feira, das 8h30min às 17h, sem fechar ao meio dia. A entrada é gratuita!

APERS 110 anos: mesa de debate e lançamento da exposição Porto Alegre Imaginada

Deixe um comentário

Cartaz Exposição POA Imaginada

Participe do ato de comemoração dos 110 anos do APERS!

Deixe um comentário

2016.03.02 Convite oficial

Clique na imagem para ampliar.

Participe dos eventos em comemoração aos 110 anos do APERS!

Deixe um comentário

2016.02.24 110 anos Programação Geral final

APERS recebe doação de expositores

Deixe um comentário

2016.02.24 Recebimento de ExpositoresNo dia 17 de fevereiro de 2016, o Arquivo Público do Estado do RS recebeu a doação de dois expositores de vidro do Tribunal de Justiça do RS, por meio do Memorial do Judiciário. Os expositores medem 1,8m x 0,9m e poderão ser utilizados para exposições de documentos do Acervo em eventos, oficinas, visitas guiadas, entre outras atividades.

Agradecemos a Maria Isabel e ao Daniel, da Zeladoria do Memorial, pela atenção e auxílio dispensados para que pudéssemos trazer o mobiliário.

Prorrogada Exposição de Banners do Memorial Jesuíta da Unisinos

Deixe um comentário

    A Exposição de Banners, que reproduz parte da Coleção de Obras Raras e Especiais do Memorial Jesuíta da Unisinos foi prorrogada pelo APERS até dia 28 de novembro de 2015.

    Ela está no Espaço Joel Abilio Pinto dos Santos e o horário para visitação é das 8h 30min às 17h, de segunda a sexta. No último dia da exposição, sábado, o horário é das 9h às 13h. A entrada é gratuita, venha prestigiar. Para saber mais sobre a exposição, clique aqui.

Exposição de Banners do Memorial Jesuíta da Unisinos

Deixe um comentário

2015.10.21 Exposição BannersO Arquivo Público do RS recebe a Exposição de Banners, que reproduz parte da Coleção de Obras Raras e Especiais do Memorial Jesuíta da Unisinos, que nos dá a dimensão de seu tesouro bibliográfico.

Embora os seminários de formação religiosa no sul do Brasil tenham sido fechados, os acervos de suas bibliotecas permaneceram. Tais obras não poderiam “se perder no tempo”, aprisionadas nas bibliotecas. Então, com a intenção de preservar e, principalmente, de proporcionar acesso aos interessados, a Unisinos começou a resgatar as coleções a partir do ano 2000, a partir da aquisição da Biblioteca do Seminário Cristo Rei, desencadeando a vinda de outros acervos de igual peculiaridade.

Deste então, a Biblioteca da Unisinos se ocupa com guarda, conservação, segurança e disponibilidade das obras datadas deste o século XV, compondo um acervo ainda incalculável de livros, periódicos, fotografias e documentos.

Para divulgação da parte de Obras Raras e Especiais, foram reproduzidas, em forma de Banners, obras que chamam atenção ora por seu formato físico, ora pela importância de seus títulos e autores. Grande parte destas obras encontra-se no idioma latino, devido à demanda da formação erudita do seu público. Outros idiomas, como alemão e francês, também estão presentes por demanda dos imigrantes desta região e também por ser o idioma reinante no meio acadêmico no final do século XIX.

A exposição está no Espaço Joel Abílio Pinto dos Santos, do APERS, até 13 de novembro de 2015, de segunda a sexta, das 8h30min às 17h. A entrada é gratuita, venha prestigiar!

Exposição Mundos de Dentro, Mundos de Fora

Deixe um comentário

Na última quinta-feira, 16 de julho, o APERS promoveu o encontro de três frequentadores da Oficina de Criatividade do Hospital Psiquiátrico São Pedro. Carlos Giovane de Oliveira, Teresa Noeci Brito da Silva e Jacqueline Krueger estiveram presentes com familiares e amigos para celebrar a Exposição Mundos de Dentro, Mundos de Fora.

Partindo de experiências sensoriais e das observações do cotidiano, os três artistas fazem trabalhos diferenciados, tanto na forma de expressão quanto no material utilizado.

01 Carlos GiovaneCarlos Giovane, 49 anos, mora em Novo Hamburgo e frequenta a Oficina desde fevereiro de 2014. Sua técnica utilizada é a colagem. Contumaz observador, ele procura em revistas, imagens e cores que farão parte do mosaico de sua criação. Sua preferência recai sobre páginas coloridas e brilhantes. Giovane considera-se metódico em seu trabalho, buscando sempre um resultado que satisfaça suas exigências. Por conta disso, ele está participando do VI Concurso Nacional de pintura, poesia e desenhos, da Arte de Viver, Valorizar Vidas por meio da Arte, em São Paulo. É mais um estímulo para que ele siga criando imagens a partir de seu mundo interior.

02 TeresaTeresa Noeci, 48 anos, moradora da Lomba do Pinheiro, frequenta a Oficina desde 2004. Alegre e extrovertida, adora os trabalhos que faz. Começou fazendo trabalhos manuais com linha, passou pelas têmperas e, neste momento, cria suas “baianas tropicanas” de tecido e renda que ela borda em quadrados que podem ser utilizados em almofadas, travesseiros, roupas ou onde a imaginação desejar. Considera-se uma autodidata e adora criar coisas. Para Teresa, suas belas “baianas tropicanas” representam todas as pluralidades dos povos, as diferentes culturas que estão inseridas numa festa só, o carnaval. Teresa frequenta a Oficina nas terças e quintas-feiras, sempre disposta a buscar novidades.

03 JacquelineJacqueline, 49 anos, está na Oficina desde 2005. Sua técnica está na pintura monocromática feita em papel Canson, bege ou branco, com caneta Nanquim de várias pontas (preferencialmente na cor preta). Sua criatividade permite que ela trabalhe vários detalhes em linhas milimétricas que formam paisagens ora abstratas ora alusivas à natureza. Dotada de grande habilidade no manuseio da caneta, Jacqueline deixa-se “acontecer”. Para ela, são sentimentos que saem espontaneamente, prazeirosamente, resultando num trabalho que ela não pretende explicar ou interpretar. Ela se permite utilizar sua liberdade ao desenhar o que surge de seu mundo interior, desejando que a mesma liberdade seja também utilizada no momento em que seus trabalhos são apreciados. Além da Oficina de Criatividade, Jacqueline também participa do Atelier de Escrita, transformando em versos sentimentos e emoções que preenchem seu rico universo.

Bárbara Neubarth, coordenadora da Oficina de Criatividade, estimula seus frequentadores e se diz admiradora de criações que surgem a partir dos encontros semanais.

Venha ver os trabalhos de Giovane, Teresa e Jacqueline que estão em exposição na Sala Joél Abilio Pinto dos Santos do Arquivo Público do Estado, a visitação pode ser feita das 8h30 às 17h até o dia 14 de agosto de 2015.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Relatórios 2014: Cursos, Eventos e Exposições

Deixe um comentário

2015.02.18 Cursos Eventos e Exposições

O APERS é uma instituição riquíssima que possui, além de vasto acervo documental, um amplo Espaço Cultural composto pela Sala Joél Abilio Pinto dos Santos, o Auditório Marcos Justo Tramontini, a Sala Borges de Medeiros e o jardim. Nossas equipes buscam ocupá-lo promovendo ou apoiando atividades culturais diversas, estimulando os usos sociais do Arquivo, contribuindo para a difusão da instituição e de seu acervo. A Sala Borges de Medeiros foi utilizada ao longo de todo o ano para as oficinas de Educação Patrimonial, sobre as quais falaremos no relatório da próxima semana. Nos demais espaços são realizadas exposições e eventos.

Durante o ano de 2014 a Divisão de Documentação (DIDOC) fez uso do Espaço organizando exposições na Sala Joél Abílio Pinto dos Santos, ocasiões em que contou com parcerias de outras instituições. Confira abaixo um relato cronológico (clique nos links para verificar as notícias postadas no Blog):

  • Janeiro a fevereiro: Em parceria com a Comissão de Cultura do Tribunal Regional do Trabalho da 4° Região, foi elaborada a exposição fotográfica denominada Irlanda. A mostra apresentou imagens capturadas segundo o olhar de Miguel Ângelo, servidor do TRT4.
  • Março a Junho: A Comissão de Cultura do Tribunal Regional do Trabalho da 4° Região organizou, em homenagem ao aniversário de 108 anos do APERS, a exposição fotográfica denominada Olhares. A qual foi constituída de 18 imagens, capturadas nas dependências do APERS, de autoria dos desembargadores Vânia Mattos, João Paulo Lucena e dos servidores Miguel Ângelo e Maria Clara Lucena Adams.
  • Julho: Em decorrência da oficina “Origens – oficina de genealogia”, promovida pela Associação dos Amigos do Arquivo Público com apoio do APERS, houve a exposição denominada Emoções, em que Adriana Weber e Daniel Teixeira Meirelles Leite expuseram parte de suas árvores familiares e ilustraram vivências de seu cotidiano enquanto genealogistas.
  • Agosto a Dezembro: Em parceria com a Comissão de Cultura do Tribunal Regional do Trabalho da 4° Região, foi elaborada a exposição fotográfica denominada Colômbia. A mostra é composta por 32 fotografias capturadas segundo a perspectiva da artista Vânia Mattos.

Em abril a equipe da Divisão de Pesquisa e Projetos (DIPEP) realizou o evento Resistência em Arquivo: Memórias e Histórias da Ditadura no Brasil, atividade de pré-lançamento do catálogo seletivo homônimo que descreve os processos de indenização a ex-presos políticos salvaguardados pelo APERS e oriundos do trabalho da Comissão Especial de Indenização. Contamos com a participação de servidoras da casa que apresentaram o trabalho realizado, de ex-presos políticos e de filhos de ex-presos políticos que compartilharam suas vivências com o público presente.

Entre abril e maio servidoras da DIDOC e da DIPEP contribuíram para a organização do Curso Documento: Paleografia, Diplomática e Preservação, promovido pela Associação dos Amigos do APERS.

Entre maio e setembro ambas as Divisões envolveram-se na construção e realização da XII Mostra de Pesquisa do APERS, desde o recebimento e seleção de artigos e resumos de pôsteres, até a organização e divulgação do evento em que os trabalhos selecionados foram apresentados. Tal evento ocorreu nos dias 09, 10 e 11 de setembro, contando com palestra de abertura de Jônatas Caratti intitulada “O solo da liberdade”, com 26 apresentações de artigos e dez apresentações de pôsteres. Os trabalhos serão publicados em formato de livro ao longo de 2015.

Já em novembro as equipes das Divisões trabalharam em conjunto para realizar o evento de Lançamento das caixas pedagógicas produzidas a partir do Projeto AfricaNoArquivo, em uma atividade que envolveu a apresentação do material, palestra sobre cultura negra com o pesquisador Rodrigo Weimer e uma excelente intervenção musical do grupo Três Marias Brasil.

Em novembro o APERS também apoiou a realização do Seminário 50 anos do Golpe de 1964, 50 anos de impunidade, promovido pelo Coletivo pela Educação, Memória e Justiça nos dias 12, 13 e 14 de novembro no Auditório Marcos Justo Tramontini, e em dezembro apoiou a Associação dos Amigos do APERS na realização de sua atividade de confraternização de final de ano, em que contamos com a apresentação do grupo vocal Mandrialis.

Ao longo do ano o APERS participou também do projeto Os Caminhos da Matriz, realizado em parceria com Solar dos Câmara/ALRS, Memorial do Ministério Público, Memorial do Judiciário, Palácio Piratini e Museu Julio de Castilhos, oferecendo visitas mediadas às instituições do entorno da Praça da Matriz. Fizemos parte do roteiro 1, acompanhados do Museu Julio de Castilhos e do Memorial do MP, realizando quatro visitas mediadas nas tardes dos dias 29 de março, 31 de maio, 30 de agosto e 25 de outubro.

Exposição: “Colômbia”

Deixe um comentário

2014.08.13 Exposicao Fotografica COLOMBIA no APERS

   Nesta segunda-feira, 18/08, às 16h30, será realizado o lançamento da exposição fotográfica Colômbia, no Arquivo Público do RS.

   A mostra é composta por 32 fotografias da artista Vania Mattos e foi organizada em parceria com a Comissão de Cultura do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região.

   As imagens ficam em exibição até o dia 02 de fevereiro de 2015 e o horário de visitação é das 8h30 às 17h (Arquivo Público do RS: Rua Riachuelo, 1031, Centro, Porto Alegre). Venha prestigiar!

FONTE: Compilação do release enviado pela servidora do TRT4 Isadora Barcellos.

 

Exposição: Emoções

Deixe um comentário

2014.07.16 Cartaz Exposição Emoções

Ações da DIDOC em 2013: Exposições e Eventos

Deixe um comentário

     Durante o ano de 2013 a DIDOC fez uso dos espaços culturais do APERS, organizando algumas exposições na sala Joél Abílio Pinto dos Santos, ocasião em que pode contar com parcerias de outras instituições. Além disso, disponibilizou documentos do acervo do APERS para ilustrar os temas tratados em eventos no Auditório Marcos Justo Tramontini e programa de televisão. Confira abaixo um relato cronológico (clique nos links para verificar as notícias postadas no Blog):

– Janeiro: como parte das comemorações aos 100 anos do Monumento a Júlio de Castilhos, foi elaborada uma miniexposição com alguns documentos de Júlio de Castilhos existentes no acervo do APERS, entre os quais, seu inventário.

– Maio: realização do evento V Encontro de Olho no Futuro, coordenado pela ESPRO – Ensino Social Profissionalizante, no Auditório Marcos Justo Tramontini. O evento foi destinado a jovens e aprendizes com idade de 14 a 24 anos e oportunizou a troca de experiências entre jovens e profissionais de diferentes áreas com vistas à inclusão social. Teve a participação, como uma das palestrantes, da arquivista e chefe da DIDOC Elizabeth Lima, a qual discorreu sobre o tema “O Arquivista”, ilustrando seu cotidiano profissional com a documentação custodiada pelo APERS e com uma visita guiada ao conjunto arquitetônico.

– Maio: foram selecionados e colocados a disposição de emissora pública TVE, alguns documentos relacionados à escravidão, como uma Carta de Liberdade de 1877 para ilustrar o Programa NAÇÃO. Tratou-se de uma matéria focada no tema A Influência do Negro na História e na Cultura Gaúcha.

– Maio a Julho: disponibilizada a exposição Temporânea, em parceria com Companhia Carris Porto-Alegrense. Composta por um conjunto de 07 totens, a exposição apresentou uma narrativa hipertextual composta por vídeos, textos, recortes de jornais, crônicas e depoimentos que apresentam o centro da Capital em suas diferentes temporalidades (Cidade Antiga, Cidade Contemporânea e Cidade do Futuro).

– Julho a Outubro: ocorreu a exposição Releituras, em parceria com a comissão de cultura do TRT da 4° Região. Composta por nove cartões-postais antigos de Porto Alegre, acompanhados de nove fotografias que reproduzem os mesmos cenários dos postais, na sua perspectiva atual.

– Novembro a dezembro: disponibilizada a exposição VIDHAS: histórias de lutas e conquistas dos negros pelos Direitos Humanos, idealizada pela Companhia Carris Porto-Alegrense. Composta por banners que abarcam a constituição dos Direitos Humanos sobre o ponto de vista de um grupo étnico específico: os negros.

– Dezembro: o APERS sediou a palestra A luta dos negros em relação aos Direitos Humanos e as desigualdades, promovida pela Unidade de Documentação e Memória da Companhia Carris Porto-Alegrense. A exposição teve a interlocução da historiadora Lorecinda Ferreira Abrão acerca da luta dos negros em relação aos Direitos Humanos e as desigualdades, possibilitando aos participantes do evento fazer uma conexão com a exposição VIDHAS: história de lutas e conquistas dos negros pelos Direitos Humanos, a qual ainda estava em cartaz no APERS.

     Na próxima postagem será apresentada a última parte da série Ações da DIDOC em 2013, a qual se refere ao Atendimento ao Público. Até breve!

Older Entries

%d blogueiros gostam disto: