APERS Entrevista: Carmen Moreira Merlo

1 Comentário

2013.04.24 APERS entrevista Carmen Moreira MerloCarmen Moreira Merlo, 39 anos, é arquivista (UFSM/1998) e mestre em História (UPF/2006). Em sua dissertação de mestrado reconstituiu as origens e a trajetória do Arquivo Público do RS, consultora em Gestão da Informação e Gestão de Documentos, Carmen é nossa entrevista deste mês!

Blog do APERS: Carmen, como surgiu o interesse em pesquisar sobre o primeiro centenário do APERS?

Carmen: Posso apontar três grandes razões que me moveram a essa pesquisa: a admiração pelo trabalho desenvolvido pela equipe do Arquivo Público, a sua arquitetura ímpar e a comemoração do seu centenário. Então, ao escolher o tema para minha dissertação foi fácil, pois sabia que não havia nenhuma publicação a respeito de sua história efetivamente, o desafio foi encontrar as fontes porque havia muitas dúvidas sobre a autoria do projeto arquitetônico.

Blog do APERS: Na tua pesquisa relatas questões sobre sigilo e acesso às informações nos arquivos brasileiros. Como vês esse assunto agora com a Lei de acesso à informação instituída?

Carmen: Essa discussão sobre o sigilo e acesso a informação é uma exigência antiga da sociedade brasileira. Particularmente, acredito que a nova legislação consiga atender as solicitações proferidas pelo cidadão se não houver restrições a períodos históricos. Certamente, será um momento histórico e de grande importância para nossa profissão.

Blog do APERS: Como você qualifica a experiência de ter pesquisado sobre a história institucional do APERS?

Carmen: Sem dúvida um grande desafio e responsabilidade reconstruir sua trajetória, pois para mim não foi apenas um tema a ser pesquisado, mas um processo de investigação. Contudo, todos os objetivos foram alcançados durante a pesquisa graças ao atendimento da equipe do APERS e outras instituições públicas que contribuíram para a reconstrução do conhecimento. Por outro lado ainda tem muito a ser investigado, quem sabe isso fique para um outro estudo.

Blog do APERS: Qual a tua dica para os pesquisadores que estão começando agora a lidar com fontes primárias?

Carmen: As fontes primárias são de difícil acesso, muitas vezes elas não estão em instituições públicas ou privadas, são mantidas por pessoas ou colecionadores em vias de desaparecimento. Então sugiro iniciar as pesquisas, sempre que possível, com entrevistas, pois irão abrir outras possibilidades de encontrá-las.

Blog do APERS: Qual o teu entendimento sobre a importância da gestão da informação para a preservação da memória das instituições?

Carmen: A gestão da informação é um procedimento fundamental para a preservação dos documentos, pois é o ponto de partida para o desenvolvimento de um trabalho de conservação. É na gestão que adotamos um conjunto medidas e princípios para todo o ciclo de vida dos documentos.

Blog do APERS: Você atua na área de assessoria em arquivos, que dica você daria para os arquivistas recém-formados interessados em trabalhar com assessoria em gestão da informação?

Carmen: Que há uma carência muito grande de profissionais de arquivo para ser explorada nessa área de assessoria. O trabalho como assessor agrega muito conhecimento e nos mantém constantemente atualizados porque estamos sempre em contato com diversas áreas dos mais diferentes segmentos. Posso afirmar que abre muitas portas também.

Blog do APERS: Nas tuas horas vagas quais são tuas atividades preferidas de lazer?

Carmen: Ficar com a família em casa e receber os amigos para jantar.

Saiba mais sobre a pesquisa: O palácio de papel – Cem anos do Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul (1906-2006).

Lei de Acesso no Estado do RS

1 Comentário

   Nesta quarta-feira entrou em vigor a Lei Federal nº 12.527/11, a Lei de Acesso à Informação, onde instituições públicas devem disponibilizar aos cidadãos o direito de acesso à informação, mediante procedimentos objetivos e ágeis, de forma transparente, clara e em linguagem de fácil compreensão.

   O Governo do RS regulamentou a aplicação da Lei de Acesso à Informação por meio do Decreto n° 49.111, assinado hoje, 16 de maio de 2012. O decreto regula o acesso à informação, cria o Serviço de Informação ao Cidadão – SIC e a Comissão Mista de Reavaliação de Informações – CMRI/RS no âmbito da administração pública estadual.

  O governo gaúcho possibilita o acesso à informação através do site www.acessoainformacao.rs.gov.br onde estão disponíveis informações sobre licitações e contratos firmados pelo Estado, projetos monitorados pelo Governo e também relativas aos cargos e vencimentos dos servidores públicos estaduais. Para realizar consultas de seu interesse, o cidadão pode solicitar por meio de atendimento presencial no SIC, localizado em Porto Alegre – Centro Administrativo Fernando Ferrari – CAFF, Av. Borges de Medeiros, 1501 – Térreo ou por meio do Formulário de Requisição de Informação.

   A Lei de Acesso vem a favorecer as atividades do APERS, que, como órgão gestor do SIARQ/RS, auxilia os órgãos da administração direta do Poder Executivo Estadual na implementação das instruções que normatizam a gestão documental. A partir da sistematização da gestão de documentos o acesso às informações é mais rápido e eficiente, ocasionando o atendimento eficaz às demandas da sociedade.

%d blogueiros gostam disto: