Historiadora do APERS participa de conversa virtual com mestrandos da UFSC sobre a atuação em Arquivos.

Deixe um comentário

2019.09.04 Servidora em bate-papo virtual na UFSC

A convite das professoras Carmem Zeli Gil e Mônica Martins da Silva, a servidora Clarissa Sommer Alves participou, na manhã da última terça-feira (03/09) de um bate-papo virtual com estudantes da disciplina “Educação Patrimonial e Ensino de História”, ofertada pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na grade do Mestrado Profissional em Ensino de História (ProfHistória).

A turma foi convidada a ler a monografia defendida por Clarissa em 2015 junto ao Departamento de História da UFRGS, intitulada “Reflexões sobre o ofício do historiador em arquivos a partir da construção da oficina Resistência em Arquivo: patrimônio, ditadura e direitos humanos“. O texto foi escrito sob orientação da prof.ª Carla Roseghero, e tem como objeto essa que é uma das oficinas ofertadas pelo Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS. A partir dessa leitura foi estabelecido o diálogo, que tinha como principal objetivo oportunizar espaço para elucidar dúvidas, compartilhar informações atuais a respeito dos serviços educativos ofertados pelo APERS, e sobre a experiência da atuação de historiadoras em instituições arquivísticas na perspectiva da educação patrimonial.

Embora o tempo tenha sido curto para tantas questões surgidas, a conversa foi bastante estimulante. Agrademos a oportunidade de difundir nosso trabalho e de construir referências para o aprofundamento da reflexão sobre o potencial educativo dos arquivos.

Oficinas de Educação Patrimonial – Agosto 2019

Deixe um comentário

Imagem para post Oficinas

Ao longo do primeiro semestre de 2019, além do envolvimento com outras ações educativas, nossa equipe dedicou-se à atualizações dos materiais que compõem as oficinas ofertadas por meio do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS. No mês de agosto, retomamos o cotidiano de oficinas, primeiramente formando o novo grupo de estudantes do ensino superior que atuarão como oficineiras e oficineiros, e em seguida recebendo a primeira turma escolar de 2019:

– Dias 22 e 23/08: realizamos as oficinas “Desvendando o Arquivo Público: relações de gênero da história” e “Resistência em Arquivo: patrimônio, ditadura e direitos humanos” com estudantes do curso de História em processo de capacitação. Parte do grupo que vivenciou tais atividades foi composto por estagiárias e estagiários do APERS, que se dispuseram a contribuir com a formação da nova equipe. Agradecemos a todas e todos! Confira as fotos:

– 27/08: recebemos 20 estudantes da Escola Estadual de Ensino Médio Amadeo Rossi, de São Leopoldo, acompanhados pela professora Nice Stelter Passos. Participaram da oficina Resistência em Arquivo. Confira as fotos:

 

Historiadoras do APERS publicam artigo sobre Ação Educativa e Educação Patrimonial na instituição

Deixe um comentário

2015.10.07 Divulgação Artigo publicado

Com satisfação divulgamos a publicação do artigo Ação Educativa e Educação Patrimonial em Arquivos: a oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” no APERS, produzido pelas historiadoras do APERS, Clarissa Sommer e Nôva Brando, e por Vanessa Menezes, que até 2014 também fazia parte da equipe.

A reflexão foi produzida a partir do convite para aplicar a oficina Resistência em Arquivo: patrimônio, ditadura e direitos humanos durante a XX Jornada de Ensino de História e Educação, em 2014, na cidade de Rio Grande. O texto, publicado na Revista OPSIS, vol. 15 n. 1 (2015), já está disponível para consulta online. Acesse o artigo clicando aqui!  O trabalho apresenta a oficina pela ótica do Arquivo Público, inserida em suas ações educativas e de difusão de acervos, relacionando-a ao contexto histórico, às transformações vivenciadas pelas instituições arquivísticas e pela sociedade brasileira nas últimas décadas, e ao trabalho com documentações sensíveis relativas à ditadura civil militar.

APERS na XX Jornada de Ensino de História e Educação

Deixe um comentário

     Na semana passada, nos dias 3 e 4 de novembro, Clarissa Sommer, Nôva Brando e Vanessa Menezes, historiadoras do Arquivo Público do RS, participaram da XX Jornada de Ensino de História e Educação, realizada na Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Convidadas a ministrar a Oficina Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos no evento, tiveram também a oportunidade de assistir a conferências, mesas e simpósios temáticos.

     No turno da tarde de segunda-feira, participaram da mesa Professores de História e Experimentações, com Nilton Mullet Pereira (UFRGS); Dália Leindecker (Rede Estadual de Ensino); Adriana Senna (FURG) e depois disso acompanharam o Bate-papo Culturas Juvenis, com Carmem Zeli de Vargas (UFRGS). Ainda na noite desse dia, prestigiaram a Conferência de Abertura Desafios da História do Tempo Presente, com Helenice Aparecida Rocha (UERJ).

     Na terça-feira pela manhã, foi o momento de realizarem, com os participantes da Jornada, a vivência da Oficina Resistência. Cerca de 20 pessoas, entre estudantes e professores, participaram da dinâmica proposta pelas historiadoras. Em um formato adaptado para o Evento, as atividades contaram com recursos multimídia, que possibilitaram apresentar as etapas da oficina desenvolvidas nas dependências do APERS. Em seguida, todos os participantes puderam manusear os materiais que compõem as caixas pedagógicas, seguindo praticamente a mesma metodologia aplicada com os alunos do ensino médio que a instituição costuma receber nas vivências. Foi um sucesso!!!

   No turno da tarde participaram das comunicações, nas quais estudantes, pesquisadores e professores puderam apresentar trabalhos. Dentre as apresentações, tivemos um trabalhos inscrito pela Nôva, A História do Tempo Presente, Presente! O Ensino da História da Ditadura Civil-Militar Brasileira a partir do Uso de Fontes Arquivísticas, cujo objeto de análise foi um projeto em desenvolvimento no APERS. E no turno da noite, um pouco antes de retornarem para Porto Alegre, ainda puderam acompanhar a mesa Ensino de História e Direitos Humanos, formada pelos professores Solon Viola (UNISINOS) e Helenice Aparecida Bastos Rocha (UERJ).

    Além da vivência, Clarissa, Nôva e Vanessa escreveram um artigo intitulado Ação Educativa e Educação Patrimonial em Arquivos: a Oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” no APERS. Divulgaremos por aqui as produções escritas para o Evento assim que forem publicadas.

Oficina Resistência em Arquivo na Jornada de Ensino na FURG

Deixe um comentário

2014.08.27 XX Jornada Ensino de HistóriaEntre os dias 3 e 6 de novembro, acontecerá na Universidade Federal de Rio Grande (FURG) a XX Jornada de Ensino de História e Educação. No evento serão abordados temas como a formação e funcionamentos de espaços, laboratórios e núcleos, nos quais sejam discutidos permanentemente questões relativas ao ensino de história. Trabalhos sobre formação continuada, estágios e aplicação das Leis 10.639 e 11.645 terão debate garantido. Além disso, ocorrerão diversas oficinas de diferentes temáticas como, por exemplo, ditadura e direitos humanos, ensino de história e cinema, ensino de história e povos indígenas, cultura afro-brasileira e práticas pedagógicas.

Para essa edição, o Arquivo Público do Rio Grande do Sul (APERS) foi convidado a apresentar a Oficina Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos, que é oferecida para o público escolar do Ensino Médio nas dependências do Arquivo. Estarão envolvidas com essa tarefa as servidoras Clarissa Sommer, Nôva Brando e Vanessa Menezes que fazem parte da equipe do Programa de Educação Patrimonial, uma parceria entre APERS e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Confira aqui a programação completa do Evento.

Capacitação de Oficineiros – Segundo Semestre/2014

Deixe um comentário

Nos dias 15, 18, 20 e 22 desse mês o Programa de Educação Patrimonial ofereceu a segunda edição do Curso de Capacitação de Oficineiro nesse ano de 2014. Dezesseis alunos de graduação, dos cursos de História, Pedagogia e Museologia, iniciaram em um total de 12 encontros. No primeiro dia, ocorreu a apresentação do Programa do Curso e uma Visita Guiada à Instituição. No segundo e no terceiro dia, vivenciaram as oficinas Tesouros da Família Arquivo e Resistência em Arquivo. No quarto dia, a partir de uma bibliografia pré-selecionada pela equipe do Programa, discutiram questões relativas à Educação Patrimonial.

Do quinto encontro em diante, a partir do agendamento de oficinas com as escolas e das disponibilidades de horários de cada cursista, ainda ocorrerão duas observações e seis práticas juntos as turmas que vivenciarão no Arquivo uma das duas oficinas mencionadas acima. Junto delas, os oficineiros poderão trabalhar com conceitos como memória, história, identidade e patrimônio, tomando como ponto de partida, documentos custodiados pelo Arquivo.

Com a edição de mais um Curso de Capacitação, esperamos que o Programa tenha contribuído para a apropriação, por parte dos graduandos, dos debates acerca dos usos dos bens culturais nos processos educativos.

%d blogueiros gostam disto: