Explorando o SIARQ/RS: Eliminação de Documentos

1 Comentário

explorando-o-siarqrs

     Nas postagens anteriores foram explicados o Plano de Classificação de Documentos (PCD) e a Tabela de Temporalidade de Documentos (TTD), instrumentos arquivísticos integrantes da Instrução Normativa nº 02, de 22 de maio de 2014. A utilização destes instrumentos possibilita a realização de outra atividade fundamental para a gestão documental: a eliminação de documentos. Assim, na postagem de hoje, falaremos sobre os procedimentos, previstos no capítulo 3 da referida normativa, para realizar a eliminação de documentos.

     Concluídas a classificação e a avaliação documental, teremos os documentos que já cumpriram os seus prazos de guarda e podem ser eliminados. A partir disso pode-se dizer que existem quatro etapas para realizar a eliminação. Para ilustrar as atividades foi criado um exemplo fictício de eliminação que apresentamos no decorrer destas etapas.

     A primeira etapa consiste em registrar o que será eliminado, preenchendo a listagem no formulário “Listagem e Termo de Eliminação de Documentos”, Anexo III da IN 02. No cabeçalho do formulário devem ser completados os campos que servem para identificar o órgão, o ano corrente e, também, para numerar a folha. A seguir, na Listagem, consta uma tabela onde devem ser inseridas as informações sobre os documentos passíveis de eliminação. Os campos “Função”, “Subfunção”, “Série/Subsérie” e “Etapa do desenvolvimento da atividade” são os mesmos existentes na TTD, assim devem ser preenchidos com os dados resultantes da classificação e avaliação dos documentos elimináveis.

     O campo “Quantidade (em metros lineares)” serve para inserir a mensuração de cada “Série/Subsérie” ou “Etapa do desenvolvimento da atividade” dos documentos que serão eliminados (Para saber como mensurar em metros lineares clique aqui.). Em “Datas-limite” identifica-se o período ou o ano a que correspondem a documentação de acordo com “Série/Subsérie” ou “Etapa do desenvolvimento da atividade”, ressalta-se que esse dado deve ser coerente com o prazo de guarda previsto para a documentação. O campo “Dados complementares” serve para inserir observações ou informações pertinentes aos documentos. Confira o exemplo abaixo:2014.09.03 1 Listagem eliminacao

     Já a segunda etapa consiste em publicizar que o órgão está realizando a eliminação de documentos e isso ocorre com a publicação do “Edital de Ciência de Eliminação de Documentos”, Anexo IV da IN 02, no Diário Oficial do Estado (DOE). É importante ressaltar que cada órgão deve providenciar a sua publicação.

     O texto do edital também deve ser preenchido com as informações sobre: a secretaria e órgão responsável; a(s) série(s) que constam na listagem de eliminação; e o órgão onde o interessado pode se dirigir em casos de interesse pela documentação. Ao final deve-se completar com a data atual, assim como constar o nome, e o cargo do responsável e o órgão ao qual pertencem os documentos. Após a divulgação no DOE, aguarda-se 45 dias para que a comunidade possa manifestar o seu interesse nos documentos a serem eliminados. Abaixo exemplificamos o texto do edital preenchido e ilustramos a sua publicação no DOE.

2014.09.03 3 Edital preenchido     2014.09.03 2 Edital publicacao DOE

.

.

.

.

.

.

     Passados os 45 dias, pode-se realizar a terceira etapa que é a eliminação efetiva dos documentos. Hoje a maioria dos órgãos ou fazem a doação do papel para instituições ou vendem para empresas de reciclagem, pois os documentos precisam ser fragmentados.

     Para registrar esta etapa é necessário completar as informações na parte final do formulário “Listagem e Termo de Eliminação de Documentos”. Neste termo deve-se preencher a data em que saiu a publicação do edital no DOE, identifica-se e assinam o responsável pelo órgão setorial, o servidor que realizou os procedimentos de eliminação e o servidor que acompanhou a fragmentação dos documentos, além de indicarem as respectivas datas. Veja o exemplo abaixo:2014.09.03 3 Termo eliminacao

     Para finalizar, como quarta etapa, os órgãos devem encaminhar ao Arquivo Público do RS (APERS) uma via do “Edital de Ciência de Eliminação de Documentos” e uma via da “Listagem e Termo de Eliminação de Documentos”, conforme previsto na IN 02.

   Efetuadas todas as atividades descritas, o procedimento de eliminação de documentos está completo, de forma sistemática e transparente e, claro, de acordo com a legislação vigente. Assim ficou fácil, não é mesmo? Em casos de dúvidas o APERS está à disposição para ajudar os órgãos, o contato pode ser feito através do e-mail do SIARQ/RS: siarq-apers@sarh.rs.gov.br . Até a próxima postagem!

     Confira outras postagens sobre o SIARQ/RS clicando aqui.

Explorando o SIARQ/RS: Utilizando a TTD

Deixe um comentário

explorando-o-siarqrs

      No Explorando o SIARQ/RS anterior, nossa postagem trouxe conceitos e explicações sobre a Tabela de Temporalidade de Documentos (TTD) para a Administração Direta do Estado. Hoje, a proposta é apresentar alguns exemplos práticos de como aplicá-la.

     Nesse sentido, visando a dar continuidade à dinâmica sugerida, aproveitaremos os exemplos utilizados na postagem relacionada ao Plano de Classificação de Documentos (PCD), clique aqui para acessá-la.

     Na ocasião listamos exemplos de documentos, explicamos e completamos com a Classificação (Série ou Subsérie) para cada um deles. Agora utilizando a TTD, vamos identificar os campos “Etapa de desenvolvimento da atividade”, “Prazo de guarda” e “Destinação” para os mesmos exemplos. Confira abaixo:

Documento (Descrição) Classificação    Entendimento / Identificação da temporalidade na TTD
Balancete Mensal: balanço realizado mensalmente com dados de materiais do almoxarifado. 2.7.2 Distribuir material permanente e de consumo Para a Série 2.7.2 temos 3 etapas de desenvolvimento da atividade: “Recebimento de material”, “Controle de estoque do material de consumo e permanente” e “Distribuição”. Assim pela descrição do documento é possível entender que se trata da etapa “Controle de estoque do material de consumo e permanente”. Identificada a etapa, já temos as informações de “Prazo de guarda” e de “Destinação” para o documento.
O prazo de guarda é condicionado, ou seja, a contagem do tempo dependerá da data de término do contrato com a empresa fornecedora, pois só a partir da data inicia-se a contar os “2 anos”. E a destinação para o documento é “Eliminação“, ou seja, será descartado.
Etapa do desenvolvimento da atividade: Controle de estoque do material de consumo e permanente.
Prazo de guarda: 02 anos após vigência do contrato.
Destinação: Eliminação.
Diário de bordo: serve como um controle de abastecimento e de viagem dos veículos, para uso dos motoristas. 2.6.3 Gerir meios de transporte do Estado A partir da Série 2.6.3 parte-se para a identificação da Etapa do desenvolvimento da atividade, como se trata de controle de abastecimento, dentre as opções, identificamos que é “Abastecimento”.
A seguir, verifica-se o prazo de guarda do documento: “02 anos” a contar do seu arquivamento. Neste exemplo é possível verificar a importância de identificar a Etapa correta, pois uma Série ou Subsérie pode ter etapas com prazos de guarda e destinação diferentes.Por fim, identifica-se a destinação que terá o documento após seu prazo de guarda: Eliminação.
Etapa do desenvolvimento da atividade: Abastecimento.
Prazo de guarda: 02 anos.
Destinação: Eliminação.
Processo Administrativo que solicita suplementação de verba. 1.2.2 Executar as ações orçamentárias A Série 1.2.2 possui 3 etapas do desenvolvimento da atividade. Como o processo é sobre pedido de mais verba, entendemos que o documento se refere à etapaObtenção de créditos adicionais”.
Verifica-se o prazo de guarda do documento, neste caso: “Enquanto vigente”. Significa que o documento deve permanecer arquivado enquanto a atividade está em execução e o mesmo for necessário ao órgão, não sendo possível especificar o tempo exato.
Por fim, identifica-se a destinação que terá o documento após seu prazo de guarda: “Recolhimento”, ou seja, deve ser guardado permanentemente, devendo ser encaminhado para o Arquivo Público do Estado do RS (conforme IN nº 04).
Etapa do desenvolvimento da atividade: Obtenção de créditos adicionais.
Prazo de guarda: Enquanto vigente.
Destinação: Recolhimento.
Processo administrativo solicitando revisão de aposentadoria. 2.5.7.4 Conceder a inatividade O processo, classificado na Subsérie 2.5.7.4, abrange a etapa do desenvolvimento da atividadeRevisão”, pois quer revisar uma aposentadoria já concedida.
Verifica-se o prazo de guarda do documento, neste caso: “30 anos após a aposentadoria”. Ou seja, prazo condicionado, necessário saber a data de aposentadoria do servidor para iniciar a contagem de 30 anos.
Identifica-se a destinação que terá o documento após seu prazo de guarda: “Eliminação”.
Etapa do desenvolvimento da atividade: Revisão.
Prazo de guarda: 30 anos após a aposentadoria.
Destinação: Eliminação.
Prontuário do apenado: dossiê com informações do apenado e suas movimentações, desde sua entrada no sistema penitenciário. 3.3.1 Cumprir a execução penal A Série 3.3.1 possui 3 etapas de desenvolvimento da atividade; pela descrição do documento pertence à etapa “Acompanhamento da execução penal”.
Seu prazo de guarda, neste caso é “Enquanto vigente”. Por fim, identifica-se a destinação que terá o documento após seu prazo de guarda: “Recolhimento”.
Etapa do desenvolvimento da atividade: Acompanhamento da execução penal.
Prazo de guarda: Enquanto vigente.
Destinação: Recolhimento.
Registro de ocorrência policial. 3.2.1 Registrar e apurar as infrações penais e civis Para a Série 3.2.1 são descritas 10 etapas de desenvolvimento da atividade. Dentre elas, identificamos como a etapa deste documento: “Registro de ocorrência”. Seu prazo de guarda é de 05 anos. Por fim, identifica-se sua destinação: “Eliminação”.
Ressalta-se que a Série 3.2.1 possui uma Observação muito importante, que interfere diretamente na Destinação de 2 das etapas: “Registro de ocorrência” e “Instaurar diligências de investigação policial nos crimes contra a pessoa”. Os documentos produzidos de 1964 a 1985, classificados nestas etapas, possuem destinação: “Recolhimento”.
Etapa do desenvolvimento da atividade: Registro de ocorrência.
Prazo de guarda: 05 anos.
Destinação: Eliminação ou, se produzidos de 1964 a 1985, Recolhimento.
Relatório geral anual (dos órgãos do Estado). 1.2.3 Acompanhar a execução financeira e operacional do Estado Dentre as etapas de desenvolvimento existentes para a Série 1.2.3, podemos verificar que o documento pertence à etapa “Elaboração de relatórios consolidados”. A seguir, verifica-se o prazo de guarda do documento, neste caso: “Enquanto vigente”.
Por fim, identifica-se a destinação que terá o documento após seu prazo de guarda: “Recolhimento”.
Etapa do desenvolvimento da atividade: Elaboração de relatórios consolidados.
Prazo de guarda: Enquanto vigente.
Destinação: Recolhimento.
Termo de responsabilidade por número de bem patrimonial: listagem emitida por sistema com a relação de bens móveis sob responsabilidade de determinado setor. 2.6.4 Gerir o patrimônio mobiliário A Série 2.6.4 possui 3 etapas de desenvolvimento da atividade, no caso este documento pertence à etapa “Registro e acompanhamento”.
Quanto ao prazo de guarda do documento: “05 anos após o julgamento de contas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE)”. Ou seja, prazo condicionado, é necessário saber se o TCE já julgou as contas do órgão em questão e quando, para iniciar a contagem de 5 anos.
Por fim, identifica-se a destinação que terá o documento após seu prazo de guarda: “Eliminação”.
Etapa do desenvolvimento da atividade: 05 anos após o julgamento de contas pelo TCE.
Prazo de guarda: Enquanto vigente.
Destinação: Eliminação.

.

   Então, conseguiram compreender o uso da TTD para avaliar os exemplos de documentos expostos? Ressaltamos que, para qualquer documento, o exercício para classificar e avaliar segue o mesmo raciocínio! Na próxima postagem falaremos sobre os procedimentos para realizar a eliminação de documentos. Até breve!

     Para ler outras postagens sobre o SIARQ/RS clique aqui.

Explorando o SIARQ/RS: Classificando documentos com o PCD

Deixe um comentário

Explorando o SIARQRS

     No Explorando o SIARQ/RS anterior nossa postagem trouxe explicações sobre o Plano de Classificação de Documentos (PCD) para a Administração Direta do Estado. Hoje a proposta é apresentar alguns exemplos de classificação utilizando o PCD.

     Esclarecemos que os exemplos apresentados foram classificados de acordo com o novo Plano de Classificação, anexo da Instrução Normativa nº 02, publicada em 22/05/2014. (Saiba mais sobre a IN nº 02 clicando aqui).

Documento (Descrição)

Entendimento / Classificação

Balancete Mensal: balanço realizado mensalmente com dados de materiais do almoxarifado.

O documento faz o controle de materiais de almoxarifado. Neste caso, a Função a ser verificada é a 2 Gerenciar as atividades administrativas, financeiras e jurídicas que dão sustentabilidade à administração pública. Parte-se então para a Subfunção, neste caso 2.7 Adquirir e gerir insumos, material permanente, de consumo e serviços. Como se refere a controle de material de consumo, a Série é 2.7.2 Distribuir material permanente e de consumo.

Classificação: 2.7.2 Distribuir material permanente e de consumo

Diário de bordo: serve como um controle de abastecimento e de viagem dos veículos, para uso dos motoristas.

Esta tipologia se insere na Função 2 Gerenciar as atividades administrativas, financeiras e jurídicas que dão sustentabilidade à administração pública. Sendo um documento referente a veículos, trata-se da Subfunção 2.6 Gestão do patrimônio do Estado. Das séries existentes se inclui em 2.6.3 Gerir meios de transporte do Estado.

Classificação: 2.6.3 Gerir meios de transporte do Estado

Processo Administrativo que solicita suplementação de verba.

O assunto deste processo refere-se a verba, ou seja, orçamento. Desta forma, a função correspondente é a 1 Desenvolver diretrizes e políticas de fomento e desenvolvimento econômico, social e cultural. Como se trata de uma suplementação e pode alterar um orçamento já previsto, insere-se na Série 1.2.2 Executar as ações orçamentárias.

Classificação: 1.2.2 Executar as ações orçamentárias.

Processo administrativo solicitando revisão de aposentadoria.

O assunto deste processo se refere a atividades administrativas e, assim, faz parte da Função 2 Gerenciar as atividades administrativas, financeiras e jurídicas que dão sustentabilidade à administração pública.

Além disso, está relacionado com a área de recursos humanos, ou seja, a subfunção que abrange este assunto é 2.5 Gestão de recursos humanos. Para o Estado, de acordo com o Estatuto do servidor público, a aposentadoria é um direito e vantagem do servidor, inserindo-se assim na Série 2.5.7 Conceder direitos e vantagens. Dentro desta série o processo relativo a aposentadoria faz parte da subsérie 2.5.7.4 Conceder a inatividade.

Classificação: 2.5.7.4 Conceder a inatividade

Prontuário do apenado: dossiê com informações do apeado e suas movimentações, desde sua entrada no sistema penitenciário.

Documentos referentes à segurança estão inseridos na Função 3 Desenvolver diretrizes e políticas de justiça e segurança pública. Já a subfunção que abrange questões do sistema penitenciário é 3.3 Administrar e executar a política penitenciária do Estado. E a série que classifica o prontuário do apenado é 3.3.1 Cumprir a execução penal.

Classificação: 3.3.1 Cumprir a execução penal

Registro de ocorrência policial.

Esta tipologia pertence à Função 3 Desenvolver diretrizes e políticas de justiça e segurança pública. O documento registra atividades exercidas por órgãos da segurança pública, assim faz parte da Subfunção 3.2 Exercer as atividades de Polícia Judiciária e Polícia Ostensiva.Também tem relação com as infrações cometidas ou sofridas pelo cidadão, inserindo-se na Série 3.2.1 Registrar e apurar as infrações penais e civis.

Classificação: 3.2.1 Registrar e apurar as infrações penais e civis

Relatório geral anual (dos órgãos do Estado).

Este documento visa consolidar as ações desenvolvidas pelo órgão. Assim faz parte da Função 1 Desenvolver diretrizes e políticas de fomento e desenvolvimento econômico, social e cultural. A subfunção que abrange a atividade de acompanhar as atividades é a 1.2 Promover e acompanhar, com recursos financeiros, as ações do Estado. Como apresenta as ações realizadas ou operacionalizadas, insere-se na Série 1.2.3 Acompanhar a execução financeira e operacional do Estado.

Classificação: 1.2.3 Acompanhar a execução financeira e operacional do Estado

Termo de Responsabilidade por número de Bem Patrimonial: listagem emitida por sistema com a relação de bens móveis sob responsabilidade de determinado setor.

 

Neste caso, trata-se de bens mobiliários. Verifica-se a Função 2 Gerenciar as atividades administrativas, financeiras e jurídicas que dão sustentabilidade à administração pública. Dentre as subfunções, existe uma especifica para patrimônio: 2.6 Gestão do patrimônio do Estado. Analisando que se tratam de móveis, este documento pertence a série 2.6.4 Gerir o patrimônio mobiliário.

Classificação: 2.6.4 Gerir o patrimônio mobiliário

.

     Com estes exemplos, demonstramos como realizar a classificação utilizando o PCD, um dos principais instrumentos arquivísticos. Agora convidamos os arquivistas e servidores da Administração Direta a interagirem com o APERS, órgão gestor do SIARQ/RS, enviando suas dúvidas, questionamentos e contribuições para que possamos formar um canal de diálogo e maior proximidade, debatendo sobre a aplicação deste instrumento.

     No próximo mês trataremos sobre a Tabela de Temporalidade de Documentos, até lá!

     Clique aqui para ler outras postagens sobre o SIARQ/RS.

Explorando o SIARQ/RS: Plano de Classificação de Documentos

Deixe um comentário

Explorando o SIARQRS

      No texto anterior falamos sobre a Instrução Normativa nº 01, de 12 de janeiro de 2008, e agora postaremos conteúdos sobre os seus anexos. Neste mês versaremos sobre o Plano de Classificação de Documentos (PCD) para a Administração Direta do Estado, destacando alguns conceitos, estruturação e aplicação.

     Para entender a classificação em arquivos, cabe apreciarmos o ponto de vista de Renato Tarciso Barbosa de Sousa (2012, pág. 85) acerca de alguns conceitos relacionados ao processo classificatório, onde o termo classificação é utilizado para “[…] identificar a ação intelectual de construir esquemas para agrupar os documentos a partir de princípios estabelecidos”; o termo ordenação como “[…] forma de disposição dos tipos documentais dentro das divisões estabelecidas no esquema de classificação” e o termo arquivamento como “[…] ação física de colocar os documentos em pastas ou caixas orientada pelo esquema de classificação e pela ordenação definida”.

     Segundo o autor (pág. 85-86), é possível dividir o processo classificatório em duas partes: uma física e outra intelectual. “A parte intelectual se refere à classificação propriamente dita (processo mental de estabelecimento de classes) e à ordenação (a disposição dos documentos nas classes estabelecidas). A codificação entra como último elemento dessa parte intelectual. A parte física é representada pelo arquivamento dos documentos em um local determinado pela classificação e disposto segundo uma ordem definida”.

     É importante lembrar que um plano de classificação de documentos pode ser considerado um instrumento técnico, auxiliar da atividade de Gestão Documental, pois é elaborado a partir do estudo das estruturas e atribuições das instituições, tanto as públicas quanto as privadas; bem como da análise dos documentos por eles produzidos.

     A partir destes entendimentos, passamos a verificar a estruturação do Anexo I, da Instrução Normativa nº 01. O PCD da Administração Direta do Estado apresenta os códigos de classificação das funções, subfunções, séries e subséries, responsáveis pela produção ou acumulação de documentos. Dessa maneira, Função é o conjunto de atividades que o Estado exerce para a consecução de seus objetivos, independentemente da unidade administrativa; Subfunção é o agrupamento das atividades afins, correspondendo cada subfunção a uma modalidade da respectiva função; Série é a sequência de documentos relativos à mesma função/atividade e Subsérie é subdivisão da série, podendo ser utilizada em razão das variantes da função/atividade.

     O plano de classificação de documentos, segundo Sousa (2012, pág. 86) deve ser: simples, “para facilitar a sua compreensão”; flexível, “para permitir agregar ou suprimir níveis de classificação” e “não pode ser um fator limitador do esquema de classificação”.

     Nesse sentido, o estabelecimento das classes do PCD da Administração Direta do Estado seguiu um critério funcional, ou seja, as classes correspondem às funções desenvolvidas pela Administração Direta do Estado, dessa forma, caso haja uma alteração na estrutura da Administração Estadual, não será preciso reformular o PCD porque o nexo com o plano será mantido pelas funções e atividades exercidas, e não a estrutura.

     Com relação à aplicação do PCD, no universo do Poder Executivo da Administração Direta Estadual, a atividade de classificação de documentos deve ser entendida como o ato ou efeito de analisar e identificar o conteúdo dos documentos e relacioná-los ao esquema de classificação criado pelo Órgão Gestor do SIARQ/RS: o Arquivo Público do Estado do RS. Ou seja, primeiramente deve-se fazer a classificação intelectual, saber e entender as atividades e funções que geraram o documento, atribuindo a ele o código correspondente; e, após, proceder com a classificação física, arquivando e acondicionando de forma adequada.

     Na próxima postagem continuaremos com o tópico Plano de Classificação de Documentos, fazendo uma abordagem mais dinâmica quanto a sua aplicabilidade, descrevendo exemplos e dúvidas de classificação.

     Clique aqui para ler outras postagens sobre o SIARQ/RS.

Atualização de post: a Instrução Normativa nº 01/2008 foi revogada com a publicação da Instrução Normativa nº 02, de 22 de maio de 2014, para saber mais clique aqui.

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte 2

Deixe um comentário

     Nesta segunda parte das dicas de séries, que nos remetem ao “Mundo dos Arquivos”, listamos episódios com um caráter mais investigativo. As narrativas desenvolvem diferentes questões como: informações sigilosas, arquivos secretos, pesquisas em arquivos e falsificação de documentos. Confira… Comente… Compartilhe!!!

APERS Mundo dos Arquivos Da VinciS DemonsDA VINCI’S DEMONS: Série de televisão norte-americana, do gênero drama, sobre a vida de Leonardo Da Vinci (Tom Riley) durante sua juventude. Descrita como uma fantasia histórica, a série explora a história não contada de Da Vinci “inventando” o Futuro. Preso num mundo onde o pensamento e a fé estão controlados pela opressiva Igreja Católica, é retratado como um homem que luta para libertar o conhecimento.

1ª Temporada Episódio 7: O Hierofante. Da Vinci, junto aos seus amigos Zo (Gregg Chillin) e Nico (Eros Vlahos), segue o Conde Riario (Blake Ritson) com a finalidade de achar a segunda chave do Cofre do Céu, mas deduz que o objeto deve ter sido guardado no lugar mais seguro de Roma, os Arquivos Secretos do Vaticano. Após estudar mapas e plantas do Vaticano para achar uma forma de entrar sem ser visto pelos guardas, tem a ideia de entrar pela água. Assim ele cria um traje submarino, percorre as tubulações, perfura o chão e consegue entrar no Palácio. Ao encontrar o Papa Sisto IV (James Faulkner), pede que o leve aos Arquivos Secretos, o Papa se nega e faz com que Da Vinci localize ele próprio a passagem secreta da sala. Sob a ameaça de um arco o Papa se desloca com Da Vinci até uma das câmaras dos Arquivos Secretos, lá faz uma oferta ao jovem, que se alie à Igreja e assim poderá explorar todos aqueles tesouros.

APERS Mundo dos Arquivos ElementaryELEMENTARY: Apresenta uma versão contemporânea do personagem Sherlock Holmes, adaptação de Robert Doherty para a obra de Arthur Conan Doyle. Na série Sherlock (Jonny Lee Miller) é um ex-consultor da Scotland Yard (Polícia Metropolitana de Londres) que chega em Nova Iorque após passar um período em um centro de reabilitação. Forçado por seu abastado pai a dividir seu apartamento com a Dra. Joan Watson (Lucy Liu), uma cirurgiã que perdeu a licença após a morte de um paciente, ele precisa se manter sóbrio e longe das drogas. Assim, Watson passa a acompanhar Sherlock em seu trabalho como consultor da polícia de Nova Iorque.

2ª Temporada Episódio 03: Somos todos. O episódio faz uma apologia ao caso de Edward Snowden, que passou informações sigilosas do governo americano ao jornalista Julian Assage, do site Wikileaks. Na ficção Sherlock Holmes é contratado para descobrir o paradeiro de Ezra Kleinfelter (Christian Campbell), um construtor civil que vazou informações secretas sobre o governo americano a uma revista. Sherlock, em companhia de Holmes, faz suas buscas sobre Ezra, descobre que ativistas cibernéticos o estão protegendo e que a empresa que presta serviços ao governo não quer realmente protegê-lo.

APERS Mundo dos Arquivos True DetectiveTRUE DETECTIVE: A trama acompanha Rust Cohle (Matthew McConaughey) e Martin Hart (Woody Harrelson), dois detetives que, após 17 anos, têm de voltar ao Estado da Louisiana para servir de testemunhas em um bizarro caso de assassinato que foi reaberto. A ação se desenrola lentamente e se alterna entre 1995, durante a busca do serial killer, e 2012, quando Cohle e Hart prestam depoimento a dois outros detetives que trabalham no caso, revelando os efeitos daquela investigação nos dois homens.

1ª Temporada Episódio 03: A sala trancada. Os detetives prosseguem com as investigações sobre o assassinato de uma mulher e quando conseguem colocar alguém sob custódia, o interrogatório não dá em nada e o suspeito é liberado. Enquanto Martin tenta resolver seus problemas familiares e se dedica ao caso só no horário de trabalho, Rust usa sua insônia e tempo extra nas investigações. O detetive passa horas no arquivo, pesquisando casos antigos de assassinatos e acaba encontrando uma conexão: uma mulher que supostamente se afogou anos antes.

APERS Mundo dos Arquivos White CollarWHITE COLLAR: A série traz uma mistura de comédia e drama e atualmente está na 5ª temporada. Neal Caffrey (Matt Bomer) é um ex-ladrão e falsificador capturado após várias tentativas frustradas, pelo Agente Especial do FBI Peter Burke (Tim DeKay). Faltando 3 meses para cumprir a pena de 4 anos, ele foge da prisão para tentar encontrar sua ex-namorada. Acaba recapturado e pede para o agente o encontrar na prisão, afim de propor um acordo. Nesse encontro, Neal se oferece para prestar serviços ao FBI em troca de sua liberdade condicional. Burke acaba cedendo, Neal vira consultor do FBI e começa a ajudar a equipe da Unidade de Crimes do Colarinho Branco.

1ª Temporada Episódio 01: Piloto. No episódio o Agente Burke investiga o falsificador Curtis Hagen, o “Holandês” (Mark Sheppard). No aeroporto, interceptam Tony Field (Arnie Burton), um vendedor de livros raros que voltava da Espanha. Ele trazia a terceira carga de livros, exemplares em espanhol de A Branca de Neve e os Sete Anões, impressos em 1944. Burke questiona Neal qual a razão do Holandês querer 600 livros antigos e Neal percebe que ele pretende usar a contracapa em branco para falsificar algo. Ao revistarem a carteira de Tony, acham um ticket de visita ao Arquivo Nacional. No Arquivo Nacional, a equipe descobre que Tony esteve lá duas vezes, pesquisando o mesmo documento, um Certificado de Dívida da Espanha, de 1944. Como na Espanha há histórias de que existem caixas destes certificados perdidas, o FBI descobre que o Holandês quer falsificar certificados, usando o mesmo tipo de papel, pois são válidos e valem uma fortuna nos EUA.

Fontes de pesquisa: Box de SériesEpisódios ComentadosEstadãoMinha SériePseudo NerdsTele SériesTemporada em SérieTodos AmamVejo SériesWikipedia

     Assim chegamos ao final de mais um ano de dicas do “Mundo dos Arquivos”! Para que, a cada semana, tivessem as postagens, com listas de livros, filmes e séries, houve muita pesquisa, empenho e, por que não, diversão por parte da equipe do Divulga APERS! Esperamos que vocês também tenham se divertido e, principalmente, tenham descoberto esse mundo de arquivos, museus e bibliotecas! Para conferir todas as dicas publicadas clique aqui.

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte 1

Deixe um comentário

     Hoje começamos com as dicas de séries, destacando episódios que envolvem o Mundo dos Arquivos! Nesta primeira parte selecionamos episódios divertidos que apresentam cenas em bibliotecas, muito comuns em séries que tenham personagens estudantes e que envolvam universidades. Confira a lista abaixo!

APERS Mundo Arquivos FriendsFRIENDS: Série americana de muito sucesso que durou 10 temporadas. A história gira em torno de um grupo de seis amigos – Chandler (Matthew Perry), Joey (Matt LeBlanc), Mônica (Courtney Cox), Phoebe (Lisa Kudrow), Rachel (Jennifer Aniston) e Ross (David Schwimmer) – que lutam para se sobressair e progredir na competitiva cidade de Nova Iorque. Seu humor inteligente e apoio mútuo incondicional fazem com que sua amizade seja cada vez mais forte, superando assim os obstáculos que a vida lhes apresenta.

7ª Temporada Episódio 7: Aquele com o livro do Ross na biblioteca. Ross descobre que seu livro está disponível na biblioteca da universidade onde é professor, e quer mostrar sua obra a Chandler. Ao chegarem na seção de Paleontologia, Ross fica surpreso ao ver que casais usam o local para encontros amorosos, já que é uma seção pouco consultada. Após solicitar, sem sucesso, mais fiscalização aos servidores da biblioteca, decide vistoriar por conta própria a seção.

APERS Mundo Arquivos GleeGLEE: Série de televisão musical norte-americana de comédia. O enredo da série foca-se na vida de um grupo de estudantes e professores da Escola Secundária McKinley High, membros do Glee Club da escola, um clube musical largado às traças, e por causa disso, são desprezados e negligenciados. À medida que o seriado vai de desenvolvendo, observa-se que os estudantes começam a ganhar reconhecimento entre os seus colegas e eles vão também perseguindo os seus sonhos.

1ª Temporada Episódio 17: Má reputação. Depois que uma “Glist” começa a circular na escola, relacionando os estudantes mais atraentes do Glee Club, alguns buscam criar uma má reputação, na esperança de melhorarem sua classificação na lista. Assim o quinteto formado por Kurt (Chris Colfer), Mercedes (Amber Riley), Tina (Jenna Ushkowitz), Artie (Kevin McHale) e Britt (Heather Morris) tem uma ideia para conquistar notoriedade, fazer uma apresentação na sala onde se preza pelo silêncio, a biblioteca. Com a música “U Can’t Touch This” o grupo adentra a biblioteca e faz sua performance, que no final surte efeito contrário ao esperado!

APERS Mundo Arquivos Big Bang TheoryTHE BIG BANG THEORY: A série enfoca a dinâmica entre os colegas de apartamento, os físicos da CalTech, Leonard (Johnny Galecki) e Sheldon (Jim Parsons), e a vizinha Penny (Kaley Cuoco), uma atraente garçonete com aspirações para atriz. Leonard e Sheldon recebem frequentemente a visita de seus amigos e colegas de trabalho, Howard (Simon Helberg) e Rajesh (Kunal Nayyar), e juntos usam o tempo livre para todo tipo de divertimento nerd. A “nerdeza” e o intelecto puro de Leonard e Sheldon são comicamente contrastados com as habilidades sociais e o bom-senso de Penny.

6ª Temporada Episódio 18: A implementação da obrigação contratual. No episódio Raj, tímido que só consegue conversar com mulheres se estiver alcoolizado, terá o primeiro encontro com Lucy (Kate Micucci), uma garota com sérios problemas de fobia social. Não poderia ser um encontro em um lugar público normal, assim Raj organiza um piquenique na biblioteca da CalTech e, quando Lucy chega, ele inicia a conversa por meio de troca de mensagens no celular.

APERS Mundo Arquivos The MiddleTHE MIDDLE.: É uma comédia familiar leve e divertida; retrata uma típica família de classe média que mora na cidade fictícia de Orson, Indiana (no meio dos EUA). Formada pela mãe Frankie Heck (Patricia Heaton), pelo pai Mike Heck (Neil Flynn) e seus 3 filhos: o desleixado Axl (Charlie McDermott), a fracassada Sue (Eden Sher) e o estranho minigênio Brick (Atticus Shaffer). Frankie é a personagem principal e também a narradora da série; esposa e mãe devotada, ela vê a família como a coisa mais importante que possui na vida.

1ª Temporada Episódio 24: Regras medianas. Fim de ano na escola, Frankie e Mike participam das reuniões de pais e professores de seus filhos e descobrem que Brick pode ser reprovado por causa de 31 livros que não foram devolvidos para a biblioteca. Brick vai até a biblioteca e a sra. Nethercott (Betty White) o questiona se ele realmente ama os livros como diz, pois não tem cuidado com os mesmos e dá um prazo para a entrega dos exemplares. O garoto faz uma busca por toda sua casa pelos livros e os devolve na biblioteca, mas ainda falta um livro, um Atlas… Com mais um prazo, Brick dá um jeito de devolver o Atlas!

Fontes de pesquisa: Banco de SériesCaldeirão de SériesEpisódios ComentadosMinha SérieSéries ChannelVejo SériesWarner ChannelWikipedia

    Gostaram das dicas?! Já assistiu alguma dessas séries e visualizou o Mundo dos Arquivos?! Comente, compartilhe!!

      Lembramos que você pode votar para escolha da melhor frase do Concurso Cultural “Mundo dos Arquivos”! Participe!

%d blogueiros gostam disto: