Balanço 2011 e diretrizes 2012 do APERS

Deixe um comentário

   O ano de 2011 foi de mudanças no APERS com o início de uma nova gestão e o retorno de Isabel Oliveira Perna Almeida como diretora. Além disso, os servidores nomeados no final de 2010 se inseriram nos projetos e atividades do APERS, aumentando a qualificação da equipe técnica. O conjunto destas mudanças trouxe novos desafios para a instituição.

    Entre as atividades que demandaram atenção da equipe do APERS tivemos:

– O acompanhamento do processo referente à recuperação física dos prédios, visando à preservação do conjunto arquitetônico, tombado desde 1991, e do nosso acervo documental.

– A participação nos trabalhos da Comissão Permanente de estudos de racionalização dos espaços físicos nos prédios públicos estaduais. A atuação do APERS como assessor técnico da referida comissão resultou em um relatório sobre a “Análise da situação dos arquivos dos órgãos da administração direta estabelecidos em Porto Alegre”, disponível para pesquisa no Portal de nossa instituição. A partir desta análise serão realizados estudos para a viabilização de Cursos de Capacitação aos servidores do Estado quanto à gestão documental, reafirmando as diretrizes do SIARQ/RS, com previsão em 2012.

– Continuidade as atividades de atendimento ao público com a disponibilização do acervo documental custodiado, sendo que em 2011 foram realizados mais de 18 mil atendimentos aos usuários; a realização de 39visitas guiadas para 418 pessoas, e de 101 oficinas de educação patrimonial com estudantes do ensino fundamental, além de diversas vivências destas oficinas com estudantes de graduação e servidores públicos. Destacamos que para 2012 o APERS ainda busca a viabilização de recursos para o transporte dos estudantes das escolas ao APERS, que até 2011 foi possível por meio de convênio.

– As atividades educativas e culturais, que abrangem a realização de eventos e exposições, foram de grande sucesso, como acompanhamos pelas notícias de nosso Blog. O Divulga APERS, através do Blog e Twitter, também é um dos projetos implementados em 2011, que se consolida e se estabelece como um veículo de comunicação entre o APERS e a sociedade.

    Para melhor servir ao público uma das grandes metas do próximo ano será a atualização dos equipamentos de tecnologia da informação de nossa instituição. Isto é fundamental para que os servidores tenham mais agilidade para desenvolver suas atividades, qualificando ainda mais nosso atendimento e o acesso às informações aqui custodiadas.

   2012 será mais um ano de desafios para a equipe do APERS. Daremos continuidade e desdobramentos às atividades deste ano, buscando sempre a viabilização do acesso às informações produzidas no âmbito do poder público Estadual, bem como a transparência de nossas atividades.

Sala de pesquisa

Deixe um comentário

   Para melhor atender aos seus pesquisadores, a Sala de Pesquisa do APERS abre dois sábados por mês, das 9 às 14 horas, mediante solicitação prévia da documentação.

   Em 2011 a Sala de Pesquisa abriu 20 sábados, atendendo 109 pesquisadores. Sendo que no mês de dezembro foram 8 pesquisadores atendidos, os quais pesquisaram sobre genealogia, escravidão e imigração.

Confira os sábados em que a Sala de Pesquisa abrirá em 2012:

Março: 24 e 31;

Abril: 14 e 28;

Maio: 19 e 26;

Junho: 23 e 30;

Julho: 21 e 28;

Agosto: 18 e 25;

Setembro: 22 e 29;

Outubro: 20 e 27;

Novembro: 10 e 24;

Dezembro: 08 e 15.

   Nos meses de janeiro e fevereiro a Sala de Pesquisa não abrirá em decorrência da pouca demanda.

  Os pesquisadores interessados em realizar suas pesquisas podem solicitar previamente os documentos no balcão de atendimento presencial ou por email (saladepesquisa@sarh.rs.gov.br), telefone (51 3288 9104) ou, ainda através do Balcão Virtual.

   Agende você também a sua pesquisa!

8º Encontro Arquivistas SIARQ/RS

Deixe um comentário

  Nesta quarta-feira, 21 de dezembro, realizou-se no Arquivo Público RS o 8º Encontro dos Arquivistas SIARQ/RS, lotados em Porto Alegre.

  Neste encontro foi apresentado aos arquivistas o Relatório de análise da situação dos arquivos dos órgãos da administração direta estabelecidos em Porto Alegre, gerado a partir da participação nos trabalhos da Comissão Permanente de Estudos de Racionalização dos Espaços Físicos nos Prédios Públicos Estaduais. Essa atividade envolveu os arquivistas do APERS e os demais lotados nas Secretarias. Também, esteve em pauta a I Conferência Nacional de Arquivo – I CNARQ, que ocorreu em Brasília, onde alguns colegas participaram como delegados representando a região sul.

  No final do encontro, o colega Jonas Melo, lotado no Instituto Estadual do Livro – IEL, nos presenteou com a doação de livros da Coleção 2000 e exemplares da Revista VOX, editados pelo IEL.

  Estiveram presentes nesta data os arquivistas: Aerta Moscon, Carmen Colman, Cristiele Alpi, Daniele Xarão, Fábio Zimmer, Gabriel Ferreira, Jonas Melo, José de Araújo, Karine Dressler, Lidiane Machado, Marta Araújo, Renata Vaconcellos, Rosemeri Iensen, Samantha Signor, Silvia Soares, Viviane Portella; a historiadora Clarissa Alves e o agente administrativo Carlos Nery, que é acadêmico de Arquivologia.

  Durante o ano de 2011 foram realizados sete encontros, com uma média de 23 participantes por encontro. Assim, de forma geral, a realização destes encontros tem atingido seus objetivos de integrar os arquivistas servidores do Estado, difundir e discutir assuntos pertinentes ao SIARQ/RS.

  Agradecemos a todos que se interessaram, participaram e contribuíram. É intenção do APERS dar continuidade aos encontros fortalecendo o comprometimento dos arquivistas na melhoria do SIARQ/RS.

Este slideshow necessita de JavaScript.

APERS recebe alunos da Unipampa para visita guiada

Deixe um comentário

   Na manhã do dia 20, quarta-feira, o APERS recebeu 26 alunos do Curso de História da Universidade Federal do Pampa – Campus Jaguarão.

   Os alunos da turma de “Metodologia e técnica de pesquisa” do professor Guinter Leipnitz realizaram a visita pelo acervo e conjunto arquitetônico do APERS tendo os servidores Fábio Zimmer, Marta Araújo, Maria Lúcia Souto e Viviane Portella como guias.

   A turma se mostrou muito interessada, questionando os guias durante a visita sobre os aspectos de acesso aos acervos para pesquisa. Para encerrar a visita o professor realizou uma demonstração aos alunos de como se realiza uma pesquisa histórica. Para isto ele solicitou documentos previamente e, na Sala de Pesquisa, explanou sobre os procedimentos para se iniciar uma pesquisa, destacando que o pesquisador deve ser paciente e obstinado, lendo e familiarizando-se com os documentos, tanto no aspecto do conteúdo quanto do tipo de escrita.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Arquivo Público na I Conferência Nacional de Arquivos

Deixe um comentário

    O Arquivo Público, que participou ativamente do processo de construção da I Conferência Nacional de Arquivos (I CNARQ) desde sua organização na etapa regional, marcou presença também na etapa Nacional da I CNARQ, realizada em Brasília entre os dias 14 e 17 de dezembro. Estiveram presentes como delegadas as servidoras Aline Ramiro Vedoin, Clarissa Sommer Alves e Maria Cristina Kneipp Fernandes, entre diversos outros delegados da região Sul, que participaram das discussões ao longo de todo o evento, desde a plenária de abertura, passando pelos eixos temáticos de debate, até a plenária final.

   Tendo como temática central a criação de uma “política nacional de arquivos”, acreditamos que a Conferência cumpriu seu papel principal: a grande maioria dos delegados eleitos nas cinco regiões do Brasil participou do evento, todos bastante imbuídos de interesse em apontar diretrizes para a construção e consolidação desta política nacional, que demonstra-se fundamental para a garantia do acesso à informação, transparência nas ações do poder público, garantia de direitos dos cidadãos e preservação da história e memória de nosso país.

  Entre as propostas aprovadas pelos conferencistas estão a desvinculação do Conselho Nacional de Arquivos (CONARQ) do Arquivo Nacional e sua reformulação; a necessidade de regulamentação e implementação da Lei de Acesso a Informação, aprovada em 18 de novembro; a criação de arquivos públicos em todos os estados e municípios do país; a previsão de dotação orçamentária e criação de linhas de financiamento e editais para os arquivos; e a promoção dos arquivos como espaços de conhecimento e cidadania. Conheça o documento final da I CNARQ, que contém todas as propostas debatidas e aprovadas.

   Esperamos que as propostas aprovadas em Brasília sejam realmente implementadas, e que as críticas feitas ao longo da construção da I CNARQ colaborem para que a próxima Conferência seja ainda mais democrática e ampla, contando com a participação de mais usuários e profissionais de arquivos e cidadãos em geral. Acreditamos que, a partir das diretrizes traçadas ao longo deste primeiro processo de Conferência, será possível consolidar no Brasil uma política séria de valorização dos arquivos, que devem cumprir seu importante papel enquanto espaços de gestão documental e promoção da transparência e cidadania.

  Outras notícias.

Este slideshow necessita de JavaScript.

2011: intensas descobertas de “Tesouros” e muitos “Historiadores por um dia” no Arquivo Público

Deixe um comentário

           Em 2011 as Oficinas de Educação Patrimonial desenvolvidas no APERS em parceria com a UFRGS completaram três anos de funcionamento. E ao longo deste período já circularam pela instituição mais de 4.000 estudantes do ensino fundamental. Além de ter participado da formação profissional de cerca de 70 graduandos do curso de História, que atuaram como oficineiros nas mais de 200 oficinas realizadas.

            As Oficinas “Os Tesouros da Família Arquivo” e “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um Dia” são direcionadas a faixa etária de 11 a 14 anos. No entanto o projeto tem um grande potencial multiplicador da metodologia da Educação Patrimonial e já realizou vivências das oficinas com graduandos dos Cursos de História, Arquivologia e Museologia, Arquivistas e Educadores. As vivências já compuseram o Curso Leituras da Cidade e a Semana do Servidor Público.

            Neste último ano o Arquivo consolida-se como espaço de educação não-formal, e as ações de Educação Patrimonial passam a ser percebidas como um programa institucional já reconhecido pelos educadores. Isso se mostra pela grande procura que tivemos em 2011 que nos possibilitou realizar 101 oficinas. Realizamos também neste ano a primeira edição do curso de formação continuada Educação Patrimonial e Cidadania para professores da rede pública de ensino, oportunidade de estreitar os laços entre o APERS e os professores da escola pública e de contribuir para a sua qualificação. Desejamos a continuidade deste projeto para os próximos anos.

            O APERS agradece o carinho recebido dos estudantes, a atenção prestada pelos professores e o envolvimento de todos os oficineiros. Durante as férias escolares continuaremos nos debruçando sobre as atividades de retorno realizadas pelos estudantes em sala de aula após vivenciar as oficinas. Esta tarefa nos ajuda a analisar o aproveitamento dos educandos para posteriormente continuar o diálogo com seus educadores. Também estamos empenhados em preparar uma atividade a partir da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” a ser desenvolvida entre os dias 24 e 27 de janeiro no Forinho, o Fórum Social Infantil que faz parte do Fórum Social Mundial. Além disso, trabalharemos para a qualificação das oficinas e seus materiais pedagógicos, criação de novas ações, planejamento e divulgação do programa.

            Com o empenho e a participação de todos construiremos um 2012 ainda mais cheio de descobertas e aprendizados!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Boas Festas & Feliz Ano Novo!

Deixe um comentário

Older Entries

%d blogueiros gostam disto: