Visitas guiadas ao APERS – Setembro 2019

Deixe um comentário

Visitas Guiadas APERS

No mês de setembro foram realizadas 08  visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público RS. Visitaram nossa instituição:

Dia 06:  visitaram o Arquivo Iara Ledur Marques e seu esposo Mario Fernando Gomes Marques.

Dia 09:  visitou o Arquivo Olinda Frantz Vogel, viúva do nosso ex-diretor Henrique Canísio Vogel.

Dia 12: pela manhã 16 alunos do Programa SENAC-RS Comunidade, acompanhados pela professora Angelita Franco Cardoso.

Dia 13: pela manhã, 39 alunos da escola Estadual Padre Jaeger em Canoas-RS, acompanhados pela professora Diulli Adriene e Marcia Ecoten.

Dia 13: à tarde, o artista João Goedert da Bienal 2010 que doou a obra ao APERS chamada “Guarda”.

Dia 23: pela manhã, a estagiária Manuela Pavoni e seus pais Neri Antonio Pavone e Onivalda Maria Perondi.

Dia 24: 11 componentes do grupo do Projeto Moradia Popular: a cidade em disputa no Pós-Abolição, em parceria com o Arquivo Público, GT Emancipações e Pós-Abolição da ANPUH-RS e o Quilombonja.

Dia 26: 06 alunos do Programa do Instituto Leonardo Murialdo, acompanhados pelo professor Marcelo Silva.

Guias: Giglioli Rodrigues, Iara Gomide e Marta Helena de Araujo.

Lembramos que oferecemos, semanalmente, visitas guiadas ao conjunto arquitetônico, com duração de 1h30min, nas segundas-feiras às 14h30min e nas sextas-feiras às 10h. Agende sua visita pelo e-mail visitas@planejamento.rs.gov.br ou ligue para (51) 3288 9134.

Visitas guiadas ao APERS – Agosto 2019

Deixe um comentário

Visitas Guiadas APERS

No mês de agosto foram realizadas 16 visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público RS. Visitaram nossa instituição:

Dia 02: nesta sexta-feira visitaram o Arquivo a pesquisadora Alrlene Guimarães Foletto, sua filha Cecília Foletto Andreatta e sua sobrinha Maria Vitória Dias Collares.

Dia 05: nesta segunda-feira visitaram o Arquivo os pesquisadores José Eduardo Ardenghi e Marcos Perini.

Dia 06: pela manhã, 32 alunos do Programa da Associação de Integração Empresa Escola Integrar/RS, acompanhados pelos professores Ricardo Z. Abreu, Glauce Neves Guterres e Letícia Sommer.

Dia 06: pela manhã, Lucas Q. Petry, Andre L.P. Guimarães, Shirlei Zounat, Daniela Tonietto, Andressa A. Wernier e João Paulo Passos estagiários do Arquivo Público do Estado RS.

Dia 06: à tarde, 26 alunos do Programa da Associação de Integração Empresa Escola Integrar/RS, acompanhados pelas professoras Glauce Neves Guterres e Letícia Sommer

Dia 12: à noite, 22 alunos do curso de Administração da UNITEC Escola Técnica, acompanhados pela professora Cintia Rebelo.

Dia 14: 04 alunos do Programa da Associação de Integração Empresa Escola Integrar/RS, acompanhados pela professora Luana Borges.

Dia 20: 23 alunos do Programa da Associação de Integração Empresa Escola Integrar/RS, acompanhados pela professora Tainá Araujo Freitas.

Dia 21: Gabriel Favretto, Laura Antunes Silva, Lisiê Nunes, Lucas Samuel, Luísa Abbott e Vinícius Beulk, estudantes da disciplina de Estágio em Educação Patrimonial (História/UFRGS), Carla Rodeghero, Gustavo Ziel, João Vitor Almeida, Laryssa Fontoura e Natália Noronha (equipe do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS).

Dia 24: como parte da programação da VI Semana Acadêmica do Curso de História da FACCAT – Faculdades de Taquara, recebemos 45 estudantes de diversos semestres do curso, acompanhados pela professora Sandra Donner.

Dia 26: 20 alunos da Escola Estadual Presidente Costa e Silva, acompanhados pela professora Cândida da Silveira.

Dia 27: 24 alunos do SENAC-RS COMUNIDADE, acompanhados pela professora Juliana Cunha Alves.

Dia 27: Matheus Donay, estudante de História da Universidade Federal de Santa Maria.

Dia 29: 15 alunos do Programa do Instituto Leonardo Murialdo, acompanhados pelo professor Pedro Leivas.

Dia 29: Jaqueline das Chagas Mercedes, estagiária sala de pesquisa do APERS.

Dia 30: 21 alunos do SENAC-RS COMUNIDADE, acompanhados pela professora Tainá Araújo Freitas.

Guias: Clarissa Sommer e Iara Gomide.

Lembramos que oferecemos, semanalmente, visitas guiadas ao conjunto arquitetônico, com duração de 1h30min, nas segundas-feiras às 14h30min e nas sextas-feiras às 10h. Agende sua visita pelo e-mail visitas@smarh.rs.gov.br ou ligue para (51) 3288 9134.

Conhecendo Arquivos Públicos Estaduais pelo Brasil: região Nordeste, parte I.

2 Comentários

Retomando nossa série de postagens sobre os arquivos públicos estaduais do Brasil, iniciamos o compartilhamento de informações que contribuem para refletir sobre a realidade encontrada nos estados da região Nordeste, composta por nove unidades federativas, todas elas com arquivos legalmente criados porém em diferentes estágios de institucionalização ou com diferentes dinâmicas de funcionamento. Para evitar uma leitura extenuante, trazemos dados gerais e em seguida mais detalhes a respeito dos  arquivos nos estados, o que será feito em duas partes – com sequência do texto na próxima semana.

A tabela a seguir traz um panorama das nove instituições, com seu ano de fundação, vinculação administrativa, endereço e contatos:

Tabela Arquivos Nordeste

Clique na imagem para ampliar.

Observa-se que a região agrega instituições arquivísticas criadas em distintos contextos históricos, desde o Arquivo Público do Estado da Bahia (1890), segundo arquivo estadual criado no país, atrás apenas do Arquivo Público do Paraná (1855), passando por instituições criadas ao longo de todo o século XX até chegarmos ao Arquivo mais recente, criado em dezembro de 2018 no estado da Paraíba, que ainda está em fase de implementação.

Cinco dos nove arquivos estão vinculados à área da Cultura (BA, CE, MA, PI e SE), sendo o Arquivo baiano um departamento da Fundação Pedro Calmon, e não um equipamento cultural diretamente vinculado à estrutura do Poder Executivo. Três deles são vinculados à esfera de Governo/Casa Civil (AL, PB e PE), e um à Administração (RN). Se na área de arquivos costuma-se defender que a vinculação a esfera de Governo é a mais adequada por uma questão de hierarquia dentro da Administração Pública, a partir da observação que foi possível realizar à distância, por meio de sites, redes sociais, trocas de e-mails, reportagens, entre outros conteúdos na internet, é complexo afirmar que isso determine diretamente as condições estruturais, a visibilidade social ou a inserção estratégica de tais instituições junto ao Estado, especialmente quando se trata de tentar entender o enraizamento dos processos de gestão documental.

Com exceção do estado do Piauí, para o qual não foi possível obter informação a respeito, todos os Arquivos dos demais estados em questão são oficialmente reconhecidos como órgãos centrais dos respectivos Sistemas de Arquivo estaduais. No caso do estado de Pernambuco, o Arquivo Público é identificado como responsável pela “Política Estadual de Gestão Documental”. Porém, existe pouca e esparsa produção identificada via internet que nos permita dimensionar o impacto da atuação na área, transparecendo que em alguns casos há dificuldades para a consecução dos objetivos traçados a partir da legislação.

A pesquisa que embasou essa série de postagens – realizada pela servidora Clarissa Sommer para sua dissertação de mestrado – contou com a resposta a mapeamentos e questionários enviados para os Arquivos Estaduais de todo o país, retornos esses que não foram obtidos em todos os estados da região Nordeste, dificultando a construção de uma análise mais precisa. Entretanto, alguns apontamentos podem ser compartilhados, começando hoje pelos cinco primeiros estados da região em ordem alfabética:

Fotos arquivos Nordeste

Arquivo Público de Alagoas – mesmo contato com uma equipe pequena, nove pessoas entre servidores e bolsistas, o APA busca manter um perfil de instituição cultural atuante por meio das redes sociais e da realizando exposições e eventos periódicos, como os promovidos por meio do projeto “Chá de Memória”, que objetiva socializar o acervo do APA a partir de atividades mensais como palestras e mesas redondas sobre os mais variados temas. Possui um moderno laboratório de conservação e restauração de documentos considerado referência no Nordeste (para notícia a respeito, clique aqui), assim como salas climatizadas com controle de temperatura e umidade. Também promovem visitas técnicas e cursos com orientações quanto à gestão e preservação de documentos nos órgãos do estado. Clique aqui para saber mais.

Arquivo Público da Bahia – espaço tradicional de pesquisas, possui acervo riquíssimo que remete ao período inicial de colonização do Brasil, o que coloca o APEB entre as principais instituições arquivísticas do país. Ao que foi possível levantar, conta com equipe de cerca de 30 pessoas. Seu acervo começou a ser descrito por meio do ICAAtoM, que pode ser acessado aqui. Embora não tenha sido possível um contato mais próximo com servidores por meio da resposta aos questionários, percebe-se que sua equipe mantém-se atuante junto aos fóruns da área de arquivos, participando de eventos e publicações. A instituição lutou ao longo de anos pela reforça de sua sede, o Solar da Quinta do Tanque, conquistada que vem sendo alcançada por etapas desde 2012. Atualmente o espaço está em obras que visam sua requalificação – para a notícia a respeito, clique aqui.

Arquivo Público do Ceará – sua sede passou por restauração recente: pintura externa e interna, reforma de banheiros, recuperação e pintura de esquadrias em madeira e vidro, reforma da coberta, duplicação da estrutura do mezanino para acondicionamento dos documentos que compõem o acervo. Vem desenvolvendo projetos de digitalização de documentos (notícia aqui) para ampliar o acesso ao acervo, assim como atividades na área de gestão documental, como o Encontro de Arquivos Públicos e Privados do Ceará, realizado em outubro de 2018 (para saber mais, clique aqui) e uma série de audiências públicas no intuito de sensibilizar para a criação de arquivos municipais.

Arquivo Público do Maranhão – além da direção, a equipe de cerca de 30 pessoas, entre elas seis estagiários e três vigias, distribui-se entre os serviços de Apoio Técnico, Processamento e Informática, Gestão do Sistema de Arquivo, Apoio Administrativo, Biblioteca de Apoio, Laboratório de Conservação e Restauração de Papéis e Laboratório de Digitalização. Vem promovendo uma série de exposições para difusão do acervo (como esta aqui), oficinas na área de conservação preventiva e preservação de documentos (como esta aqui), além de reuniões com órgãos setoriais para promover a implantação de uma política de arquivos.

Arquivo Público da Paraíba – como já referido, a instituição está em fase de implementação, mas ao que tudo indica nasceu de um processo de mobilização e diálogo entre instituições culturais, universidades e poder público. Até o momento, não havia um Sistema de Arquivos e a documentação produzida na esfera estadual estava segmentada em três arquivos desarticulados e não institucionalizados: Arquivo Histórico Waldemar Duarte (Secretaria de Cultura do Estado), Gerência Operacional de Arquivo e Documentação (Secretaria de Administração do Estado), e Arquivo dos Governadores (Diretora do Departamento de Documentação e Arquivo da Fundação Casa de José Américo – FCJA, também subordinada à Cultura). A Lei 11.263/2018 cria o Arquivo Público, o Sistema Estadual de Arquivos e define as diretrizes da política estadual de arquivos. Talvez por ter sido promulgada tão contemporaneamente, e em um contexto de debate com múltiplos agentes da área de arquivos, apresenta-se como uma legislação bastante atual e completa. A última informação a que tivemos acesso (aqui) refere a nomeação do quadro diretivo do APEPB.

Até a próxima quarta-feira!

Participe junto com o APERS da II Semana Acadêmica de História da PUC

Deixe um comentário

Imagem

Já estão abertas as inscrições para participação no minicurso Historiadores em Arquivos: por quê?. Nessa atividade, serão apresentados trabalhos que foram realizados por historiadores no Arquivo Público do Rio Grande do Sul, a partir do acervo da instituição, na perspectiva das problematizações da história pública e no contexto de atuação das Comissões Nacional e Estadual da Verdade. Além disso, tendo como ponto de partida reproduções de documentos do APERS, serão propostas atividades e provocadas reflexões acerca da importância da presença de historiadores em instituições de guarda de acervo, sobretudo públicas; da importância dos arquivos para a preservação, organização e garantia de acesso aos documentos; e das funções sociais que guardam consigo os arquivos, naquilo que diz respeito a ampliação do espaço de produção, do público que elabora e acessa informações e dos usos do conhecimento histórico.

A programação completa do evento pode ser acessada em II Semana Acadêmica do Curso de História, local no qual também são realizadas gratuitamente as inscrições. Faça já a sua e participe!

Visitas guiadas ao APERS – Julho 2019

Deixe um comentário

Visitas Guiadas APERS

No mês de julho foram realizadas 05 visitas guiadas ao Arquivo Público do RS. Visitaram nossa instituição:

Dia 10: 13 alunos do curso Técnico em Biblioteconomia do Instituto Federal do Rio Grande do Sul -IFRS/Campus Porto Alegre, acompanhados pelo professor William Gontijo.

Dia 24: 52 alunos da Escola Estadual de Ensino Médio Bento Gonçalves, cidade de Canoas, acompanhados pela professora Patricia Pires.

Dia 25: 28 alunos do Programa Jovem Aprendiz do Instituto Leonardo Murialdo, acompanhados pelo professor Marcelo Silva.

Dia 29: pela manhã 15 alunos do curso de Administração da Unitec Escola Técnica, acompanhados pela professora Cintia Rebelo.

Dia 29: à tarde 10 alunos do curso de Administração da Unitec Escola Técnica, acompanhados pela professora Cintia Rebelo.

Guia: Iara Gomide.

Confira as fotos das visitas realizadas no mês de julho! Recordamos que nas segundas e sextas-feiras são ofertadas…

Posted by Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul on Wednesday, August 7, 2019

Lembramos que oferecemos, semanalmente, visitas guiadas ao conjunto arquitetônico, com duração de 1h30min, nas segundas-feiras às 14h30min e nas sextas-feiras às 10h. Agende sua visita pelo e-mail visitas@smarh.rs.gov.br ou ligue para (51) 3288 9134.

Oficina de leitura de documentos judiciários: inscrições abertas!

Deixe um comentário

2019.07.17 Oficina Leitura Docs Judiciais Cartaz 2

  • INSCRIÇÕES: O formulário de inscrição deverá ser baixado (clique aqui) e enviado preenchido para o e-mail rodrigo-weimer@planejamento.rs.gov.br até a data-limite (26/7/2019). Serão escolhidas três inscrições – considerando a data de recepção da ficha preenchida – que atenderem os pré-requisitos (ser estudante de mestrado, pesquisar fontes do Arquivo Público e ter disponibilidade para frequentar o APERS com regularidade). Serão priorizados/as pesquisadores/as mais inexperientes no estudo de fontes judiciais.
  • DIVULGAÇÃO DOS ACEITES: As inscrições poderão ser deferidas ou não, conforme o preenchimento das vagas. Resultados: primeira semana de agosto.
  • Será realizada uma primeira reunião com o/a mestrando logo após o aceite da inscrição.

Oficina de leitura de documentos judiciários: nova edição!

Deixe um comentário

2019.07.10 cartaz 1 - oficina

  • INSCRIÇÕES: O formulário de inscrição deverá ser baixado do blog do Arquivo (clique aqui) e enviado preenchido para o e-mail rodrigo-weimer@planejamento.rs.gov.br até a data-limite (26/7/2019). Serão escolhidas três inscrições – considerando a data de recepção da ficha preenchida – que atenderem os pré-requisitos (ser estudante de mestrado, pesquisar fontes do Arquivo Público e ter disponibilidade para frequentar o APERS com regularidade). Serão priorizados(as) pesquisadores(as) mais inexperientes no estudo de fontes judiciais.

  • DIVULGAÇÃO DOS ACEITES: As inscrições poderão ser deferidas ou não, conforme o preenchimento das vagas. Resultados: primeira semana de agosto.

  • Será realizada uma primeira reunião com o(a) mestrando(a) logo após o aceite da inscrição.

Older Entries

%d blogueiros gostam disto: