Disponível Orientações de como proceder com sinistros em acervos documentais

Deixe um comentário

     O Arquivo Público do RS disponibiliza a publicação Orientações de como proceder com sinistros em acervos documentais (clique aqui para acessar), com o objetivo de auxiliar na recuperação de informações e de acervos de órgãos estaduais, são procedimentos a serem seguidos se ocorrer algum tipo de sinistro.

   O sinistro é conceituado como um acidente, uma catástrofe que acarreta prejuízos ao acervo documental. São considerados sinistros todos os eventos que danifiquem de alguma maneira o acervo, tais como fogo, água, furto e vandalismo. Não deve ser confundido com má conservação ou preservação do acervo e local!

     A publicação apresenta um questionário para a identificação de problemas causados, procedimentos recomendados para o resgate de acervos danificados e relação de instituições que podem auxiliar no tratamento técnico a ser realizado.

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte 2

Deixe um comentário

Hoje encerramos as dicas do Mundo dos Arquivos, dessa temporada, com a segunda parte de dicas de séries que tenham episódios com referências a arquivos, bibliotecas ou museus. Esperamos que vocês tenham aproveitado e conferido algum livro, filme ou série!

SHERLOCK

Esta série britânica, de drama policial, baseia-se nas histórias escritas por Sir Arthur Conan Doyle. Sherlock Holmes (Benedict Cumberbatch), autodefinido como um sociopata funcional, atua como um “detetive consultor” que auxilia a Polícia Metropolitana de Londres na resolução de vários crimes e tem como assistente, seu colega de apartamento, o médico John Watson (Martin Freeman), que voltou do serviço militar no Afeganistão.

1ª Temporada Episódio 02: O Banqueiro Cego.

No episódio, Sherlock e Watson são chamados até um banco internacional para investigar uma invasão onde um quadro foi pichado com símbolos sem sentido e descobrem que era um recado para um funcionário, assassinado em seu apartamento. Quando um jornalista morre em circunstâncias semelhantes, eles refazem seus últimos passos e vão até uma biblioteca onde localizam os mesmos símbolos pichados. Ao desvendarem que os símbolos são antigos numerais chineses Hangzhou, usados por uma gangue chinesa, Sherlock e Watson tentam localizar a especialista em cerâmica chinesa Soo Lin Yao (Gemma Chan), que fez parte dessa gangue, no Museu Nacional de Antiguidades.

sherlock

GAMES OF THRONES

Esta série de sucesso é uma adaptação dos livros de George R.R. Martins. Se passa em Westeros, uma terra reminiscente da Europa Medieval, onde as estações duram por anos ou até mesmo décadas. A história gira em torno de batalhas entre os Sete Reinos, onde as famílias dominantes lutam pelo controle do Trono de Ferro, cuja posse possivelmente assegurará a sobrevivência durante o inverno que está por vir.

6ª Temporada Episódio 10: Os ventos do inverno.

No episódio final da temporada, vários momentos reveladores e arrebatadores são apresentados nos diferentes núcleos da trama: Bran Stark (Isaac Hempstead-Wright) descobre um segredo do passado por meio de suas visões; Arya Stark (Maisie Williams) inicia sua vingança na volta ao Norte e Cersei Lannister (Lena Headey) é coroada a primeira Rainha dos Sete Reinos. Já Samwell Tarly (John Bradley-West) chega à Cidadela e é levado a uma gigantesca biblioteca onde os Maesters – guardiões da sabedoria de Westeros, são treinados.

game-of-thrones

THE FAMILY

Nesta série de drama, que teve somente uma temporada, o filho da prefeita de uma pequena cidade desaparece, é dado como morto e o caso é encerrado, sendo que um vizinho da família é condenado pelo crime. Dez anos depois, um adolescente aparece desnorteado andando pela cidade e revela que é Adam Warren (Liam James), o filho supostamente morto, deixando todos perplexos.

1ª Temporada Episódio 01: Piloto.

O episódio inicia e termina com cenas que se passam em um arquivo. Depois que Adam reapareceu à cidade, a sargento Nina Meyer (Margot Bingham) vai até o arquivo da delegacia e busca os registros do caso para rever as evidências que a levaram a concluir a investigação na época, quando era detetive. Ela lembra o que dizem sobre a carreira de um policial, que sempre existem dois casos importantes, aquele que promove e aquele que derruba… Mas, às vezes, os dois casos são o mesmo!

the-family

Fontes de pesquisa:

Adoro Cinema – Apaixanados por Séries – Omelete – Wikipedia

Notícias relacionadas:

Mundo dos Arquivos – Dicas de Livros (2017)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Filmes Parte 1 (2017)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Filmes Parte 2 (2017)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte 1 (2017)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte I (2012)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte II (2012)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte I (2013)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte II (2013)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte III (2013)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte IV (2013)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte 1 (2014)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte 2  (2014)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte 1

Deixe um comentário

Claro que não poderíamos deixar de fora as dicas de séries para completar a temporada do Mundo dos Arquivos! Confira a primeira parte de séries que também envolvem ambientes de arquivos, bibliotecas e museus em suas narrativas ou em algum episódio!

THE LIBRARIANS

A série, que está em sua terceira temporada, gira em torno de uma organização antiga, escondida sob a Biblioteca Pública Metropolitana, que resolve mistérios impossíveis, combate ameaças sobrenaturais e recupera poderosos artefatos poderosos ao redor do globo. Durante 10 anos, Flynn Carsen (Noah Wyle) atua como bibliotecário, coletando e protegendo esses artefatos e impedindo que caiam em mãos erradas. No entanto, este trabalho tornou-se mais do que uma única pessoa pode controlar. Para ajudá-lo em suas funções, a Biblioteca recrutou quatro pessoas de todo o mundo, iniciando uma aventura sem precedentes.

the-librarians

HOW TO GET AWAY WITH MURDER

A série se desenvolve ao redor da vida pessoal e profissional de Annalise Keating (Viola Davis), uma proeminente advogada de defesa criminal. Também professora de Direito na Universidade de Middleton, ela seleciona cinco de seus melhores alunos para trabalharem em seu escritório. Em sua vida pessoal, Annalise é casada com Sam Keating (Tom Verica), um renomado psicólogo que vive um relacionamento às escondidas. Quando sua vida pessoal e profissional começa a entrar em colapso, Annalise e seus alunos se veem envolvidos, involuntariamente, em uma trama de assassinatos.

2ª Temporada Episódio 12: É uma Armadilha.

No episódio, enquanto Annalise tenta se livrar das ameaças de divulgação de vídeos que envolvem sua equipe e seus clientes, Wes (Alfred Enoch) quer descobrir sobre o seu passado. Assim, Wes e Laurel (Karla Souza) viajam para sua cidade natal, para investigar sobre a morte de sua mãe, testemunha no caso Mahoney que Annalise defendia na época. Para isso pesquisam os arquivos do processo Mahoney no Tribunal da cidade e o inquérito policial sobre as circunstâncias da morte, concluído como suicídio.

how-to-get-away-with-murder

LIMITLESS

Brian Finch (Jake McDorman) é um rapaz comum, tentando encontrar algo em que realmente seja bom na vida. Ele encontra a solução de seus problemas quando é apresentado à NZR, uma droga misteriosa que atua em sua cognição e libera a possibilidade de usar 100% da capacidade do cérebro. Interessado nisso, o FBI o contrata para trabalhar como consultor, ajudando a resolver casos misteriosos com suas novas habilidades. Porém, ele também tem contatos clandestinos com o Senador Edward Morra (Bradley Cooper), que também é usuário de NZT e tem seus próprios planos para o protegido.

1ª Temporada Episódio 01: Piloto.

Como sua carreira de músico não vai muito bem, Brian inicia um trabalho temporário no Banco Manchester-Reid, em Wall Street, onde recebe as instruções no setor de pessoal. Sua primeira atividade é arquivar o termo de participação em um seminário na pasta de cada um dos 22 mil funcionários. Lá ele encontra seu amigo Eli (Arjun Gupta), banqueiro bem sucedido, que lhe oferece uma pílula, NZR, com a promessa de que transformará a sua vida. Sem acreditar muito, Brian usa a NZR e poucas horas depois, além de arquivar todos os documentos, ele analisa os perfis dos funcionários e organiza as pastas por risco de potencial, em 5 cores; verdes representam os funcionários confiáveis e vermelhas os indesejáveis.

limitless

Fontes de pesquisa:

Adoro Cinema – Apaixonados por SériesWikipedia

Notícias relacionadas:

Mundo dos Arquivos – Dicas de Livros (2017)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Filmes Parte 1 (2017)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Filmes Parte 2 (2017)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte I (2012)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte II (2012)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte I (2013)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte II (2013)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte III (2013)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte IV (2013)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte 1 (2014)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Séries Parte 2  (2014)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Filmes Parte 2

Deixe um comentário

    Hoje prosseguimos com mais dicas de filmes que apresentam cenas em bibliotecas, arquivos ou museus que ilustram o Mundo dos Arquivos! Segue abaixo a seleção:

.

o-procuradoO PROCURADO. De Timur Bekmambetov, com James McAvoy, Angelina Jolie, Morgan Freeman, Terence Stamp.

Wesley Gibson tem 25 anos e detesta sua vida. Ele segue o caminho de seu pai e entra para a Fraternidade, uma liga de assassinos treinados para executar as ordens do destino, cujo lema é “matar um, salvar mil”. Logo ele se torna o preferido da Fraternidade, o que faz com que se sinta bem consigo mesmo. Porém a situação muda quando ele percebe que seus parceiros não têm interesses tão nobres quanto aparentavam.

.

.

baladas-em-nyBALADAS EM NOVA YORK. De Daisy Von Scherler Mayer, com Parker Posey, Liev Schreiber, Sasha von Sherler.

Alegre, independente e desmiolada, a jovem Mary adora curtir seu guarda-roupas e seu apartamento em Nova York. Por causa de uma inocente festinha, agora ela está em apuros, e precisa devolver o dinheiro que pediu emprestado à sua madrinha Judy. Mesmo odiando a ideia Mary arruma emprego na biblioteca e essa experiência a transformará numa verdadeira mulher.

.

spotlight-segredos-reveladosSPOTLIGHT – SEGREDOS REVELADOS. De Tom McCarthy, com Mark Ruffalo, Michael Keaton, Rachel McAdams, John Slattery, Stanley Tucci, Brian d’Arcy James, Liev Schreiber e Billy Crudup.

Baseado em uma história real, o drama mostra um grupo de jornalistas em Boston, que reúne milhares de documentos capazes de provar diversos casos de abuso de crianças causados por padres católicos. Durante anos, líderes religiosos ocultaram o caso transferindo os padres de região.

.

.

com-meritoCOM MÉRITO. De Alek Keshishian, com Joe Pesci, Brendan Fraser, Moira Kelly, Patrick Dempsey.

Monty é um estudante que está prestes a completar sua pós-graduação na Universidade de Harvard. Com o computador estrago e apenas uma impressão da sua tese em mãos, ele corre em uma loja para copiar seu trabalho, mas, acaba caindo no subsolo de um prédio. Monty descobre que Simon, um sem-teto encontrou sua tese. Esperto, Simon resolve fazer um acordo, a cada dia que Monty lhe der acomodação e comida, Simon lhe devolverá uma página da tese.

.

Fontes de pesquisa:  Adoro Cinema – InterFilmesYouTube

.

Notícias relacionadas:

Mundo dos Arquivos – Dicas de Livros (2017)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Filmes Parte 1 (2017)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Filmes Parte I (2012)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Filmes Parte II (2012)

Mundo dos Arquivos – Dicas de filmes Parte I  (2013)

Mundo dos Arquivos – Dicas de filmes Parte II  (2013)

Mundo dos Arquivos – Dicas de filmes Parte III  (2013)

Mundo dos Arquivos – Dicas de filmes Parte 1  (2014)

Mundo dos Arquivos – Dicas de filmes Parte 2 (2014)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Filmes Parte 1

1 Comentário

    Em continuidade às postagens sobre o Mundo dos Arquivos, nesta semana postamos a primeira parte das dicas de filmes que tenham em seu enredo este universo dos arquivos, bibliotecas e museus. Confira os títulos selecionados e divirta-se!

.

2017-01-25-a-menina-roubava-livrosA MENINA QUE ROUBAVA LIVROS. De Brian Percival, com Geoffrey Rush, Emily Watson, Sophie Nélisse, Ben Schnetzer, Nico Liersch.

Durante a Segunda Guerra Mundial, uma jovem garota chamada Liesel Meminger sobrevive fora de Munique através dos livros que ela rouba. Ajudada por seu pai adotivo, ela aprende a ler e partilhar livros com seus amigos, incluindo um homem judeu que vive na clandestinidade em sua casa. Enquanto não está lendo ou estudando, ela realiza algumas tarefas para a mãe e brinca com a amigo Rudy.

.

2017-01-25-no-despertar-da-tormenta.

NO DESPERTAR DA TORMENTA. De Daniel Taradash, com Bette Davis, Alicia Hull, Brian Keith, Paul Duncan, Kim Hunter.

Neste clássico de 1956, uma bibliotecária enfrenta a fúria de uma cidade inteira ao se recusar a retirar da estante um livro comunista. O filme é um libelo contra a época caça às bruxas do senador McCarthy.

.

.

2017-01-25-a-dama-douradaA DAMA DOURADA. De Simon Curtis, com Helen Mirren, Ryan Reynolds, Daniel Brühl.

Filme baseado em uma história real. Na década de 1980, Maria Altmann, uma judia sobrevivente da Segunda Guerra Mundial, decide processar o governo austríaco para recuperar o quadro “Woman in Gold”, de Gustav Klimt – retrato de sua tia que foi roubado pelos nazistas durante a ocupação. Ela conta com a ajuda de um jovem advogado, inexperiente e idealista.

.

.

.

2017-01-25-o-segredo-de-eleonorO SEGREDO DE ELEONOR (Animação). De Dominique Monféry, com Jeanne Moreau, Julie Gayet, Pierre Richard.

Nathaniel passou grande parte de sua infância ouvindo sua tia Eleonor ler contos de fadas, apesar de ele mesmo ainda não saber ler. Quando a tia morre e deixa sua casa de herança para a família, Nathaniel recebe de presente as chaves do sótão onde ficava a biblioteca. Logo, o menino descobre que é um lugar mágico onde todos os personagens dos livros ganham vida. Conforme seus pais resolvem vender os livros para um colecionador, Alice, Aladdin, Peter Pan e muitos outros pedem a ajuda do garoto para salvá-los, já que aquela biblioteca é o seu lar.
.

Fontes de pesquisa: CinePlayersAdoro CinemaYouTube

.

Notícias relacionadas:

Mundo dos Arquivos – Dicas de Livros (2017)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Filmes Parte I (2012)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Filmes Parte II (2012)

Mundo dos Arquivos – Dicas de filmes Parte I  (2013)

Mundo dos Arquivos – Dicas de filmes Parte II  (2013)

Mundo dos Arquivos – Dicas de filmes Parte III  (2013)

Mundo dos Arquivos – Dicas de filmes Parte 1  (2014)

Mundo dos Arquivos – Dicas de filmes Parte 2 (2014)

 

Mundo dos Arquivos – Dicas de Livros

Deixe um comentário

Veja só quem voltou a ser notícia aqui no Blog: o Mundo dos Arquivos! Depois de dois anos de pausa, neste verão, voltamos com novas dicas de livros, filmes e séries!

Para quem não acompanhou, o Mundo dos Arquivos teve início no verão de 2012, seguido de duas temporadas nos anos seguintes. Já em 2015 e 2016 rememoramos algumas dessas dicas com posts em nossa página do Facebook. Como somos apaixonados por esse universo mágico das instituições de memória, torna-se impossível não percebê-lo nas obras literárias e cinematográficas, assim reunimos as dicas e retomamos a série em sua 4ª temporada!

Sabemos que os primeiros meses do ano são clássicos meses de férias, ótimo para curtir bons momentos de lazer e que combinam com uma boa leitura, com bons filmes e assistir aquela série. Por isso, confira nossas dicas “Mundo dos Arquivos” que apresentam em seus enredos o universo dos arquivos, bibliotecas e museus! Essa semana apresentamos dicas de livros!

As Luzes de Setembro, de Carlos Ruiz Zafón

2017-01-18-as-luzes-de-setembro-de-carlos-ruiz-zafonDurante o verão de 1937, Simone Sauvelle fica de repente viúva e abandona Paris junto com os filhos, Irene e Dorian. Eles se mudam para uma cidadezinha no litoral da Normandia, e Simone começa a trabalhar como governanta para Lazarus Jann, um fabricante de brinquedos que mora na mansão Cravenmoore com a esposa doente. Tudo parece caminhar bem. Lazarus demonstra ser um homem agradável, trata com consideração Simone e os filhos, a quem mostra os estranhos seres mecânicos que criou: objetos tão bem-feitos que parecem poder se mover por conta própria. Irene fica encantada com a beleza do lugar – os despenhadeiros imensos, o mar e os portos – e por Ismael, o pescador primo de Hannah, cozinheira da casa. Ismael tem um barco, entende tudo sobre navegação e gosta de velejar sozinho, até conhecer Irene e vê-la de maiô… Os dois logo se apaixonam. Entre Simone e Lazarus parece nascer uma amizade. Dorian gosta de ler e, muito curioso, quer entender como os bonecos de Lazarus funcionam. Todos estão animados com a nova vida quando acontecimentos macabros e estranhas aparições perturbam a harmonia de Cravenmoore: Hannah é encontrada morta, e uma sombra misteriosa toma conta da propriedade. Irene e Ismael desvendam o segredo da espetacular mansão repleta de seres mecânicos e sombras do passado. Juntos enfrentam o medo e investigam estranhas luzes que brilham através da névoa em torno do farol de uma ilha. Os moradores do lugar falam sobre uma criatura de pesadelo que se esconde nas profundezas da floresta. Em As luzes de setembro, aquele mágico verão na Baía Azul será para sempre a aventura mais emocionante de suas vidas, num labirinto de amor, luzes e sombras. Clique aqui para acessar a referencia.

A Livraria Mágica de Paris, de Nina George

2017-01-18-a-livraria-magica-de-paris-de-nina-georgeO livreiro parisiense Jean Perdu sabe exatamente que livro cada cliente deve ler para amenizar os sofrimentos da alma. Em seu barco-livraria, ele vende romances como se fossem remédios. Infelizmente, o único sofrimento que não consegue curar é o seu: a desilusão amorosa que o atormenta há 21 anos, desde que a bela Manon partiu enquanto ele dormia. Tudo o que ela deixou foi uma carta — que Perdu não teve coragem de ler. Até um determinado verão — o verão que muda tudo e que leva Monsieur Perdu a abandonar a casa na estreita rue Montagnard e a embarcar numa jornada que o levará ao coração da Provence e de volta ao mundo dos vivos. Sucesso de público e crítica, repleto de momentos deliciosos e salpicado com uma boa dose de aventura, A livraria mágica de Paris é uma carta de amor aos livros — perfeito para quem acredita no poder que as histórias têm de influenciar nossas vidas. Clique aqui para acessar a referencia.

A Biblioteca Invisível, de Genevieve Cogman

2017-01-18-a-biblioteca-invisivel-de-genevieve-cogmanIrene é uma espiã profissional da misteriosa Biblioteca, uma organização que existe fora do tempo e espaço e que coleciona livros e manuscritos de diferentes realidades. Junto com seu enigmático assistente Kai, ela é enviada para uma Londres alternativa com a missão de recuperar um perigoso livro. Mas quando chegam, ele já foi roubado. As principais facções do submundo londrino estão prontas para lutar até a morte para achá-lo, e a missão de Irene é dificultada pelo fato de que o mundo está infestado pelo Caos – as leis da natureza foram distorcidas para permitir a existência de criaturas sobrenaturais e mágicas imprevisíveis. Enquanto seu novo assistente guarda seus próprios segredos, Irene logo se vê envolvida em uma aventura repleta de ladrões, assassinos e sociedades secretas, onde a própria realidade está em perigo e falhar não é uma opção. Clique aqui para acessar a referência.

Confira as dicas literárias do Mundo dos Arquivos das edições anteriores:

Mundo dos Arquivos – Dicas de Leitura Parte I (2012)

Mundo dos Arquivos – Dicas de Leitura Parte II (2012)

Mundo dos Arquivos – Dicas de leitura (2013)

Mundo dos Arquivos – Dicas de leituras Parte 1 (2014)

Mundo dos Arquivos – Dicas de leituras Parte 2 (2014)

Pesquisando no Arquivo: um olhar das Ciências Sociais sobre o contexto do tratamento da loucura no Hospital Psiquiátrico São Pedro

Deixe um comentário

    Pesquisando no Arquivo deste mês, finaliza a apresentação sobre o acervo do Hospital Psiquiátrico São Pedro (HPSP), através da seleção de um prontuário, após a leitura de prontuários de três acondicionadores referentes ao período de 1909 a 1916. O objetivo é discorrer sobre um assunto ainda um tanto obscuro: o contexto da loucura e seu tratamento no Século XX.

  Durante esse início de século, no Rio Grande do Sul, do ponto de vista epistemológico, tínhamos o modelo cartesiano de ciência, no qual havia certezas absolutas e, cada certeza, somente era substituída, à medida que fosse possível uma descoberta “mais avançada”.

    Por ser um modelo de ciência, uma espécie de forma na qual eram moldados os profissionais da época, os juízos de valor sobre suas condutas devem ser usados com cautela, pois esses profissionais estavam exercendo práticas as quais foram ‘calcadas’ por saberes científicos e, dessa forma, legitimadas por grandes universidades, na maioria das vezes de origem europeia.

    Na concepção cartesiana, o organismo era entendido e tratado em analogia a uma máquina e o conceito de saúde girava em torno do perfeito funcionamento dos órgãos e da ausência de defeitos. No paradigma em que se tratava a doença mental da época o conhecimento era reducionista, linear e mensurável, ou seja: só era considerado algo científico se passasse pelo crivo da razão e da lógica. Era evolutivo no sentido de uma lógica linear de crescimento e, talvez, a etapa mais problemática foi o aspecto reducionista, no qual não havia possibilidade ou interesse de se conhecer o indivíduo doente através da investigação do círculo de relações sociais, do protagonismo dele nessas relações, quais os aspectos de sua subjetividade, sua experiência, seus anseios ou necessidades, seus sonhos ou algum direcionamento em torno de sua autonomia. Simplesmente porque isso não se enquadrava no saber científico.

    Outro ponto importante de abordagem é o ponto de vista político, pois nesse período havia uma sociedade pós-abolicionista almejando uma intensa urbanização na cidade de Porto Alegre, e até pouco tempo (1887) admitia a escravidão humana como algo natural e necessário.

    Após a abolição, não houve mudança no paradigma e sim apenas uma variação no pensamento filosófico com a introdução dos ideais positivistas os quais permearam e influenciaram as mentalidades de muitos estudantes, filósofos, faculdades de medicina e engenharia da época. Esse método, em sintonia com o cartesianismo, desconsidera todas as formas de conhecimento humano as quais não se possam comprovar cientificamente (ficam de fora, portanto os saberes culturais, tradicionais baseados na experiência) e nega qualquer possibilidade de investigação de causas sociais ou emocionais. Qualquer processo emocional é fonte de erro e deve ser descartado. A severa separação entre sujeito e objeto, outra característica do positivismo, desconsidera qualquer empatia que o profissional de saúde pudesse ter para com o paciente, que era reduzido a um sujeito passivo e reativo.

    Ao analisar um dos prontuários do período já referido, chama atenção o cuidado que teve o médico ou a pessoa que fez o registro no dia 6 de fevereiro de 1941 sobre o comportamento da interna: “Reticente… faz questão de que não se inclua em seu nome o sobrenome do marido”. A partir dessa informação, ao checar os nomes dos documentos anexos ao prontuário, verifica-se uma divergência, pois na capa está escrito F.O.G.B e infere-se que este seja possivelmente seu nome de casada, pois alguns dos sobrenomes coincidem com o do provável marido A.G.M.B. Já num pedido de internação, o nome da paciente é F.O.A.

prontuario-01    O fato é que nesse contexto, muitos dos pacientes eram trazidos por suas próprias famílias, já exaustas, com o peso de suas próprias vidas, e sem saber como recuperar seus doentes, viam no HPSP uma fonte de esperança e alívio. Nesse caso, (segundo os documentos do prontuário) a mulher F.O.A. de 31 anos, casada, deu entrada no Hospital às 22 horas do dia 4 de janeiro de 1916, trazida por sua irmã, era doméstica, natural deste Estado, e, segundo os registros, passou por sete internações algumas mais longas (90 dias), outras mais curtas. O diagnóstico é esquizofrenia. prontuario-02Há várias descrições de seu comportamento e de exames laboratoriais. A primeira internação registrada no prontuário é 4 de fevereiro de 1916 e a última, em 9 de dezembro de 1946. Como era de se esperar, dentro do modelo de ciência da época, mesmo nos momentos de lucidez da doença, não se percebe a fala da paciente, a não ser que isso contribua para validar algum diagnóstico.

prontuario-03    Seu corpo foi exposto a várias terapias de choque como a insulinoterapia de Sakel (o coma por insulina requeria cinco a nove horas de hospitalização e um seguimento mais trabalhoso, mas ela era facilmente controlada e terminada com injeções de adrenalina e glicose, quando necessário) e a eletroconvulsioterapia de Ugo Cerletti (1937).

prontuario-04    A partir de 16 de março de 1944, num de seus reingressos, iniciam-se as sessões de eletrochoque: 22 de março, 23 de março, 27 de março, 30 de março, 3 abril, 10 de abril, “queixa-se de dores na região dorsal”. Em 28 de dezembro do mesmo ano, é prescrito novamente um tratamento de choque (mais 29 sessões), só que desta vez, por insulinoterapia (coma induzido).

    Até o momento, a cura definitiva para a esquizofrenia não está descoberta, embora houve avanços nesse campo. Com uma terapia não tão invasiva e violenta como a dos choques químicos ou físicos, fases de internação nos momentos de surtos do paciente esquizofrênico, aliada a uma reeducação familiar para lidar com seu ente querido e uma busca constante de autonomia para o paciente nos momentos de calmaria ou trégua da doença tem tido consideráveis resultados, porém para isso, foi preciso um novo contexto e isso só foi possível dentro de um novo paradigma para se lidar com a doença mental.

Fontes de referência:
COMTE, Auguste. Vida e obra. São Paulo: Abril Cultural, 1978. Disponível em: http://resumodaobra.com/comte-pensadores-obra/ Acesso em: novembro de 2016.
DESCARTES, R. Discurso do método. Tradução J. Guinsburg & B. P. Júnior. 3. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983a, p. 25-71.
SABBATINI, Renato M. E. A história da terapia por choque em Psiquiatria. Disponível em: http://www.cerebromente.org.br/n04/historia/shock.htm#sakel Acesso em: novembro de 2016.
.
Notícias Relacionadas:
Pesquisando no Arquivo: Possibilidades de pesquisa para Antropologia Médica II
Pesquisando no Arquivo: Possibilidades de pesquisa para Antropologia Médica I
Pesquisando no Arquivo: Prontuários médicos

Older Entries

%d blogueiros gostam disto: