Oficinas de Educação Patrimonial – Outubro 2019

Deixe um comentário

Imagem para post Oficinas

Ao longo do mês de outubro realizamos 17 oficinas a partir do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS. Confira as turmas que estiveram conosco:

  • 02/10: Iniciamos o mês de outubro com a realização da oficina “Tesouros da Família Arquivo” durante o evento “Questões para a História Negra do RS”, recebendo um público diverso, entre estudantes de graduação e pós-graduação, professores e ativistas sociais. Para ver as fotos do evento, clique aqui.
  • 04/10: Acompanhados pela professora Daniela Scheffers, as e os estudantes da turma 203, 2° ano do Colégio Estadual Inácio Montanha, estiveram no Arquivo Público em uma manhã de sexta-feira para participar da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”. Para ver fotos, clique aqui.
  • 08/10: Em uma manhã de terça-feira, as e os alunos do 2º ano do Colégio Estadual Inácio Montanha, vieram ao APERS para participar da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, acompanhados pela professora Denise Marques. Para ver fotos, clique aqui.
  • 09/10: Durante uma manhã de quarta-feira, os estudantes de 9° ano da EEEM Oscar Pereira estiveram no APERS para participar da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Relações de Gênero na História”, acompanhados pela professora Adriana Costa. Para ver fotos, clique aqui.
  • 10/10: Acompanhados pelo professor Rodrigo Souza dos Santos, estudantes do 8° ano da EMEF Pepita Leão foram recebidos no Arquivo Público em uma manhã de quinta-feira para participar da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Relações de Gênero na História”. Para ver fotos, clique aqui.
  • 10/10: Durante uma tarde de quinta-feira, os alunos da EEEM Ceará vieram ao APERS para participar da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Relações de Gênero na História”, acompanhados pela professora Adriana Costa. Para ver fotos, clique aqui.
  • 11/10: Em uma tarde de sexta-feira as e os estudantes do 6° ano da EEEM Oscar Pereira estiveram no Arquivo Público para participar da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo”, acompanhados pela professora Jaqueline Fraga. Para ver fotos, clique aqui.
  • 15/10: Em uma manhã chuvosa de terça-feira, as alunas e alunos do 6° ano do Colégio Romano Senhor Bom Jesus vieram ao APERS para participar da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo”, acompanhados pela professora Maria Eduarda Carvalho. Para ver fotos, clique aqui.
  • 16/10: Durante a manhã de quarta-feira, os estudantes do 3° ano do Ensino Médio da Fundação Bradesco de Gravataí, vieram visitar o Arquivo Público para participar da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, acompanhados pelo professor Diego Scherer. Para ver fotos, clique aqui.
  • 17/10: Nem o temporal daquela sexta-feira de manhã foi suficiente para impedir que as e os alunos do 2° ano do Colégio Estadual Inácio Montanha viessem ao APERS. Acompanhados pela professora Raquel Braun, elas e eles vieram participar da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”. Para ver fotos, clique aqui.
  • 22/10: Na manhã de 22/10 a equipe do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS deslocou-se até a Unisinos para ofertar a oficina “Desvendando o Arquivo Público: relações de gênero na história” dentro da programação do VII Ofícios de Clio, evento promovido pelo GT Acervos, da ANPUH-RS. Para ver fotos, clique aqui.
  • 23/10: Durante a manhã de quarta-feira, estudantes do 3° ano do Ensino Médio da Fundação Bradesco de Gravataí, vieram ao APERS para participar da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”, acompanhados pelo professor Diego Scherer. Para ver fotos, clique aqui.
  • 24/10: Na tarde de quinta-feira, o APERS recebeu a visita de mais uma turma do 3° ano do Ensino Médio da Fundação Bradesco de Gravataí que, acompanhados pelo professor Diego Scherer, vieram participar da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”. Para ver fotos, clique aqui.
  • 25/10: Pela manhã de sexta-feira, as e os estudantes do 6° ano do Colégio Romano São Mateus, vieram ao Arquivo Público para participar da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo”, acompanhados pela professora Karen Cerutti. Para ver fotos, clique aqui.
  • 29/10: Durante a manhã de terça-feira as e os estudantes de 6° ano do Colégio Romano Santa Maria vieram ao APERS para participar da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo”, acompanhados pelo professor Alessandro Maldonado. Para ver fotos, clique aqui.
  • 31/10: Na manhã de quinta-feira, estudantes da turma 163 do 6° ano do Colégio Romano Senhor Bom Jesus vieram ao Arquivo Público para participar da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo”, acompanhados pela professora Eduarda Carvalho. Para ver fotos, clique aqui.
  • 31/10: Na noite de 31/10, quinta-feira, estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da EEEF Cândido Portinari estiveram no APERS para vivenciar a oficina Resistência em Arquivo: patrimônio, ditadura e direitos humanos, acompanhados pela professora Adriana Quadros. Para ver fotos, clique aqui.

Para saber mais a respeito das oficinas e demais ações desenvolvidas no âmbito do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS, clique aqui. Contate-nos pelo e-mail acaoeducativa@planejamento.rs.gov.br.

Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS no VII Ofícios de Clio

Deixe um comentário

2019.10.23 APERS no Ofícios de Clio

Ontem pela manhã, 22 de outubro, parte de nossa equipe do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS esteve na Unisinos participando do evento VII Ofícios de Clio – Patrimônio e Memória em Risco: Desafios do Século XXI, promovido pelo GT Acervos, Memória e Patrimônio da ANPUH/RS e pelo Programa de Pós-Graduação em História da Unisinos. Nossa contribuição se deu por meio da oferta da oficina “Desvendando o Arquivo Público: relações de gênero na história” como parte da programação do evento.

Foi uma excelente oportunidade para difundir o Arquivo Público, seus acervos e serviços, além de reafirmar o compromisso da instituição com o acesso à informação e a valorização de seu potencial educativo e cultural. Agradecemos a todas e todos os participantes, que se engajaram na oficina e participaram ativamente das reflexões e debates propostos, assim como à organização do evento, pela oportunidade e reconhecimento ao nosso trabalho. Desejamos vida longa ao “Ofícios de Clio”!

 

DSC05163

 

Aconteceu no Arquivo: Simpósio Questões para a História Negra do RS / 8º Curso de Formação para Professores PEP UFRGS-APERS

Deixe um comentário

Entre os dias 01 e 03 de outubro o Arquivo Público recebeu um evento muito especial, que colocou a história negra do Rio Grande do Sul no centro de nossas atenções e reflexões. Promovido em parceria entre o Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS, o Departamento de Educação e Desenvolvimento Social (DEDS) e o Núcleo de Pesquisa em História (NPH) da UFRGS, o Simpósio Questões para a História Negra do RS / 8º Curso de Formação para Professores PEP UFRGS-APERS contou com um público bastante assíduo que se dedicou a debater experiências e epistemologias negras atuais a partir de diversos ângulos.

As mesas de debate e apresentação de trabalhos, assim como a conferência, a oficina e as atividades culturais, convergiam para a reflexão em torno da produção e disseminação do conhecimento em uma perspectiva negra, trazendo temas como o ensino em Educação para as Relações Étnico-raciais, as religiões de matriz africana, a história da escravização e da luta por liberdade, os estudos do pós-abolição, do associativismo e da militância negra, abordagens geográficas sob a ótica da apropriação de territórios e ocupação dos espaços urbanos, o feminismo negro, a história da arte e os patrimônios culturais.

A partir do álbum de fotos a seguir é possível visualizar um pouco do que foi essa enriquecedora experiência coletiva, que contou com comunicadores e palestrantes tanto de Porto Alegre quanto do interior do Rio Grande do Sul e de outros estados.

Mais uma vez agradecemos a participação de todas e todos, reafirmando o compromisso do APERS com o combate ao racismo e a difusão de acervos e temáticas que contribuam nesse sentido.

Participe: Questões para a História Negra do RS 2019 & 8º Curso de Formação para Professores PEP UFRGS-APERS

Deixe um comentário

2019.09.04 Cartaz 8 Curso de Formação para profs PEPEstão abertas as inscrições para ouvintes no evento Questões para a História Negra do Rio Grande do Sul – 2019 & 8º Curso de Formação para Professores PEP UFRGS-APERS. O curso é resultado de uma parceria entre o Arquivo Público do Estado, o Núcleo de Pesquisa em História (NPH/UFRGS) e o Departamento de Desenvolvimento Social (DEDS/UFRGS, que surgiu do desejo de somar esforços para promover um espaço rico e plural de reflexão e formação continuada. Terá como eixo temático as epistemologias negras a partir do questionamento a respeito das categorias de análise que têm sido utilizadas em diversos campos do saber e na produção de conhecimentos sobre as pessoas negras no Rio Grande do Sul.

As vagas são abertas para a comunidade em geral, mas a programação e a divulgação têm sido pensadas para alcançar, também, professoras e professores que vivenciam o cotidiano da Educação Básica, assim como profissionais que atuam em espaços não formais de educação e em instituições de memória.

O curso acontecerá entre os dias 01 e 03 de outubro, no Arquivo Público (Rua Riachuelo, 1031, Porto Alegre/RS). A programação pode ser acessada clicando aqui, e o fôlder pode ser baixado aqui.

Para informações sobre inscrições, clique aqui. O custo é de R$10,00 e dá direito a certificado de 30h. Atenção: as inscrições estão sendo centralizadas pela equipe do NPH/UFRGS. Interessados devem seguir as instruções do link, ou contatá-los diretamente: fone (51) 3308-6631 | e-mail: nph@ufrgs.br.

Historiadora do APERS participa de conversa virtual com mestrandos da UFSC sobre a atuação em Arquivos.

Deixe um comentário

2019.09.04 Servidora em bate-papo virtual na UFSC

A convite das professoras Carmem Zeli Gil e Mônica Martins da Silva, a servidora Clarissa Sommer Alves participou, na manhã da última terça-feira (03/09) de um bate-papo virtual com estudantes da disciplina “Educação Patrimonial e Ensino de História”, ofertada pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na grade do Mestrado Profissional em Ensino de História (ProfHistória).

A turma foi convidada a ler a monografia defendida por Clarissa em 2015 junto ao Departamento de História da UFRGS, intitulada “Reflexões sobre o ofício do historiador em arquivos a partir da construção da oficina Resistência em Arquivo: patrimônio, ditadura e direitos humanos“. O texto foi escrito sob orientação da prof.ª Carla Roseghero, e tem como objeto essa que é uma das oficinas ofertadas pelo Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS. A partir dessa leitura foi estabelecido o diálogo, que tinha como principal objetivo oportunizar espaço para elucidar dúvidas, compartilhar informações atuais a respeito dos serviços educativos ofertados pelo APERS, e sobre a experiência da atuação de historiadoras em instituições arquivísticas na perspectiva da educação patrimonial.

Embora o tempo tenha sido curto para tantas questões surgidas, a conversa foi bastante estimulante. Agrademos a oportunidade de difundir nosso trabalho e de construir referências para o aprofundamento da reflexão sobre o potencial educativo dos arquivos.

Vem ai o 8º Curso de Formação para Professores do PEP UFRGS-APERS!

Deixe um comentário

Desde 2011 nosso Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS promove, anualmente, um curso de formação para professores que relaciona o mundo do patrimônio documental, a educação patrimonial e temáticas sensíveis à educação no tempo presente.

Em 2018, devido a outras atividades, realizamos um evento especial de encerramento do ano voltado ao público de professores e estudantes, mas não foi possível oferecer uma edição do curso em si. Mas para 2019 temos novidades: realizaremos, em parceria com o Núcleo de Pesquisa em História (NPH/UFRGS) e o Departamento de Educação e Desenvolvimento Social (DEDS/UFRGS), o Simpósio Curso Questões para a História Negra do RS  &  8º Curso de Formação para Professores PEP UFRGS-APERS.

2019.08.07 Cartaz Curso História Negra PEP UFRGS APERS 2019

As atividades ocorrerão nos dias 01, 02 e 03 de outubro, nas dependências do Arquivo Público (Rua Riachuelo, 1031, Centro Histórico de Porto Alegre/RS). As inscrições, no valor de R$10,00, garantem certificado de 30h, e serão feitas entre os dias 19 de agosto e 30 de setembro – em breve divulgaremos o link para isso. As vagas são limitadas e a inscrição de professores da Educação Básica será priorizada.

Acesse a programação e mais informações clicando aqui. Agende-se e participe!

PEP UFRGS/APERS abre agenda para oficinas de Educação Patrimonial em 2019!

Deixe um comentário

Imagem para post Oficinas

Você é professor(a) e gostaria de trazer suas turmas para participar das oficinas promovidas pelo Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS? Então aproveite, pois está aberta a temporada de agendamentos!

Nossas oficinas fazem parte de um conjunto de ações realizadas desde 2009 na parceria entre o Arquivo Público e o Departamento de História da UFRGS, e utilizam o patrimônio documental salvaguardado pelo APERS como fonte de informações e motor para processos de ensino-aprendizagem. As três oficinas desenvolvidas são: Os Tesouros da Família Arquivo, destinada aos 6º e 7º anos do Ensino Fundamental; Desvendando o Arquivo Público: relações de gênero na história, destinada aos 8º e 9° anos do Ensino Fundamental, e Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos, voltada para o Ensino Médio e a Educação de Jovens e Adultos (EJA).

O número de vagas é limitado. O contato para agendamentos deve ser feito pelo e-mail acaoeducativa@planejamento.rs.gov.br ou pelo telefone (51) 3288-9117. A participação é gratuita e em 2019 as oficinas ocorrerão entre 27 de agosto e 29 de novembro, sempre nas terças e quartas-feiras pela manhã, quintas e sextas-feiras à tarde. Agendamentos noturnos são possíveis, necessitando demanda e combinação específica. O número máximo de estudantes por oficina é 30. As atividades começam às 9h no turno da manhã e às 14h no turno da tarde.

Torna-se necessário informar que, devido à ausência de recursos captados externamente, não será possível oferecer transporte aos grupos.

A equipe do PEP está se preparando e aguardando as turmas escolares para mais um ano de atividades! Participe!

Núcleo de Ação Educativa do APERS: balanço de 2018 e perspectivas para 2019

Deixe um comentário

    O Núcleo de Ação Educativa do Arquivo Público tem se organizado a partir da consolidação na instituição de ações no âmbito da difusão em arquivos e dos usos educativos de seu patrimônio documental e arquitetônico. Vinculado à Divisão de Preservação, Acesso e Difusão (DIPAD), no último período tem contato com uma servidora formada em História e três estagiários também da História.

     Em 2018 as principais atividades desenvolvidas pelo Núcleo organizaram-se em torno do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS, que realiza oficinas para turmas escolares e formações para professores em parceria entre o Arquivo e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e da Jogoteca Educativa do APERS, projeto que visa a criação de jogos a partir do acervo e do patrimônio cultural em geral.

1. Construção da Jogoteca Educativa do APERS

Apostando no potencial dos jogos como ferramentas didáticas lúdicas, decidimos produzir jogos autorais que mobilizem documentos do APERS, o universo dos arquivos e do patrimônio cultural. O projeto envolve leituras, pesquisa, escrita, criatividade e produção “caseira” de tabuleiros, cartinhas e demais materiais de cada jogo.

As pesquisas para início da atividade iniciaram ainda em dezembro de 2017, envolvendo apropriação em relação ao uso de jogos em processos de ensino-aprendizagem, visita à Ludoteca da Faculdade de Educação da UFRGS, buscas pela internet a respeito de ações similares, etc. Em maio de 2018, o projeto foi lançado com o painel “Documentos e Jogos no Ensino de História”, realizado como parte da programação da 2ª Semana Nacional de Arquivos. A partir daí foram criados dois jogos: Caso X: investigando um crime da ditadura em Porto Alegre – inspirado no jogo “Detetive” da Estrela; ambienta-se no período da ditadura civil-militar e convida os jogadores a desvendar um crime ocorrido em um dos lugares de memória marcados pelo regime na cidade; trabalha a partir do acervo da Comissão Especial de Indenização, salvaguardado pelo Arquivo, e Enigmas do Patrimônio – mescla resolução de charadas com a dinâmica de jogo da memória; trabalha conceitos do campo do patrimônio cultural e das instituições de memória.

Ainda no âmbito desse novo projeto outras ações foram importantes: como pode ser acompanhado em notícias anteriores aqui no blog, nossa equipe participou de diferentes eventos divulgando a jogoteca e sua primeira criação. Também servimos como campo de estágio para dois estudantes da disciplina Estágio de Docência em História III – Educação Patrimonial, oferecida na Faculdade de Educação da UFRGS. Gustavo Ziehl e Carlos Casara, a quem agradecemos muito pela colaboração – estiveram 40 horas conosco participando de visita ao APERS e apresentação de suas atividades educativas, leitura e discussão de textos sobre educação patrimonial e jogos no ensino, realização de rodadas de teste do Caso X, contribuição na produção de seus materiais, contato com escolas para agendamento da atividades-piloto e, enfim, visita ao Instituto de Educação Flores da Cunha, à Escola Imperatriz Leopoldina e à Escola Oscar Pereira para aplicação do jogo, que teve excelente repercussão entre professores e estudantes.

A partir de maio de 2019 tanto o Caso X quanto o Enigmas do Patrimônio estarão disponíveis para locação por professores e professoras, que deverão cadastrar-se junto à Jogoteca, retirar e fazer a devolução dos materiais com a equipe de Ação Educativa. Informações pelo e-mail: acaoeducativa@planejamento.rs.gov.br.

2. Sequência às ações do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS (PEP)

Nossa parceria com o Departamento de História da UFRGS, especialmente na pessoa da prof.ª Carla Simone Rodeghero, segue firme apesar de não termos tido acesso a editais externos para captação de recursos no último período – a exemplo do PROEXT, com o qual fomos contemplados em anos anteriores, mas que desde 2016 deixou de ser aberto. Contando com nossa equipe interna e com bolsistas contratados com recursos da Pró-Reitoria de Extensão da UFRGS, cuja atuação concentramos no segundo semestre para dar conta da realização das oficinas sem alterações que desqualificariam a proposta.

Na 2ª metade do ano que passou reabrimos a agenda de oficinas para as escolas, ofertarmos nova capacitação de oficineiros, voltada aos estudantes da já referida disciplina de Estágio em Educação Patrimonial, e realizamos um evento especial de encerramento das atividades do ano.

Quanto à capacitação, organizada em 40 horas, envolveu encontros para apresentação das oficinas “Tesouros da Família Arquivo” e “Resistência em Arquivo”, encontros preparatórios para leitura, estudo e debate de seus materiais, observações das duas oficinas sendo realizadas por nossa equipe, e seis práticas de oficinas para cada um dos estudantes mencionados, de acordo com o agendamento das escolas. Agradecemos a Guilherme Pires Nunes, Ignacio Angues, Julien Mello, Mariana Silva, Paula Ribeiro e Pedro Henrique Bastistella por terem se somado ao grupo do PEP, contribuindo com o oferecimento e qualificação de nossas oficinas.

Sobre as oficinas, em junho iniciamos o agendamento para as turmas escolares, processo que seguiu ao longo de quase todo segundo semestre, já que a agenda é bastante dinâmica. As visitas ocorreram entre 21 de agosto e 06 de dezembro, em um total de 39:

  • 01 oficina com aplicação dos jogos África No Arquivo e Caso X (para turma do curso de Museologia da UFRGS, disciplina Educação em Museus);
  • 10 Tesouros da Família Arquivo, para 6º e 7º anos do Ens. Fundamental;
  • 05 Desvendando o Arquivo: relações de gênero na história, para 8º e 9º anos do Ens. Fundamental;
  • 23 Resistência em Arquivo: patrimônio, ditadura e direitos humanos, para 9º anos e Ensino Médio.

Entre as oficinas “Resistência em Arquivo” realizadas vale destacar a oferecida no dia 17 de julho, dentro da programação do X Encontro Nacional Perspectivas do Ensino de História, a convite da organização do evento.

Já a respeito do evento de final de ano, foi uma alegria fechar as atividades de 2018 recebendo no Arquivo, no Dia Internacional dos Direitos Humanos, pessoas a quem respeitamos muito: Cláudio Weyne Gutierrez, Ignez Maria Serpa e Nilce Azevedo Cardoso compuseram a mesa “Vozes que não se calam! Direitos Humanos, Democracia, Liberdade”, realizada na tarde de 10 de dezembro, momento em que compartilharam suas histórias de luta contra a ditadura com servidores do APERS, equipe do PEP, professores e estudantes que lotavam nosso auditório. Seus processos de indenização fazem parte do acervo e são utilizados durante a oficina Resistência em Arquivo.

3. Perspectivas para 2019

Nossa atuação em 2019 terá uma organização similar à dos anos anteriores, mesclando ações vinculadas ao PEP (com a UFRGS) e iniciativas educativas do APERS.

Nessa primeira metade do ano já estamos envolvidos com atividades internas, como a retomada da divulgação e distribuição da caixa pedagógica AfricaNoArquivo, e a realização de pesquisas para atualização da oficina Resistência em Arquivo, que foi criada em 2013 e desde então, além da renovação física de seus materiais, não teve inserção de novos documentos ou conceitos. Ainda no 1º semestre, pretendemos criar mais um jogo educativo, dessa vez trabalhando conceitos arquivísticos; organizar nova edição do curso de formação para professores, que será realizado ainda esse ano; e produzir o 2º volume da publicação “PEP em Revista” (clique aqui para acessar o Vol. 1).

A partir de junho retomaremos o agendamento de oficinas, em julho voltamos a rearticular a equipe recebendo bolsistas da UFRGS, em agosto iniciamos o processo de capacitação de oficineiros, e no final de agosto abrimos as portas para as turmas!

Agradecemos a todas e todos que participaram das ações educativas do APERS em 2018! Cada momento partilhado com professores e estudantes dão sentido à nossa existência enquanto instituição pública. Também agradecemos a toda a equipe que se dedicou nesse último período para manter o PEP UFRGS/APERS em funcionamento:

  • Carla Simone Rodeghero (Professora Dep. e PPG em História, coordenadora do Programa de Extensão junto à UFRGS),
  • Clarissa Sommer Alves (Téc. Assuntos Culturais/Historiadora APERS),
  • Elincoln Lucas (Bolsista UFRGS),
  • Gustavo Ziel (Estagiário APERS),
  • Jéssica Gomes de Borba (Estagiária APERS),
  • Laryssa Fontoura (Estagiária APERS),
  • Marina Alburgeri (Bolsista UFRGS),
  • Paulo Fasolo Klein (Estagiário APERS),
  • Thiago Frazzon Arend (Bolsista UFRGS).

    Que 2019 seja um ano de muita produção criativa e realizações que contribuam para valorizar a área de arquivos e a educação em nosso país. Venham conosco!

Aconteceu no APERS: evento Vozes que não se calam!

Deixe um comentário

Na última segunda-feira tivemos o privilégio de promover o evento “Vozes que não se calam! Direitos Humanos, Democracia, Liberdade”, mesa que contou com os depoimentos de Cláudio Antônio Weyne Gutierrez, Ignez Maria Serpa e Nilce Azevedo Cardoso, ex-presos e perseguidos políticos que tiveram suas vidas profundamente impactadas após o golpe de 1964 e a ditadura civil-militar que se instaurou no país perdurando por 21 anos.

A atividade foi realizada para marcar o encerramento das ações do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS em 2018, e foi organizada com inspiração na oficina “Resistência em Arquivo: patrimônio, ditadura e direitos humanos”, afinal, os processos de indenização dos três protagonistas do evento, salvaguardados pelo Arquivo, são utilizados nessa oficina para debater com as e os estudantes a respeito do papel das instituições arquivísticas, do acesso à informação, da riqueza de acervos que tratam do período ditatorial em questão, e sobre os horrores perpetrados pelo Estado durante aquele período.

A principal motivação foi reunir professores, estudantes, servidores do APERS, pessoas que fazem ou já fizeram parte da equipe do PEP para ouvir pessoalmente os testemunhos daqueles com quem dialogamos tantas vezes no cotidiano por meio de seus registros, acolhendo suas falas, sensibilizando-nos com suas lutas, e refletindo sobre a importância dos valores democráticos e do respeito à dignidade humana, bases da Declaração Internacional dos Direitos Humanos, cuja assinatura completou 70 anos em 2018.

Em muitos sentidos o evento foi um sucesso: conseguimos reunir mais de 80 pessoas e construir um ambiente receptivo, em um auditório lotado e atencioso. Também pudemos dar visibilidade à instituição e às ações realizadas por meio do Programa de Educação Patrimonial em parceria com a UFRGS, que vem desde 2009 enraizando-se e gerando muitos frutos. Interessante registrar que pela primeira vez a equipe do PEP transmitiu um de seus eventos ao vivo pelo Facebook, o que oportunizou maior alcance para as falas e mais interações com nossas mídias sociais – não sem percalços, como é comum quando se está realizando algo pela primeira vez – mas certamente foi uma tarde gratificante, repleta de emoção e força.

Pensando na importância de partilharmos essas experiências, que consideramos como parte integrante de nosso patrimônio cultural imaterial, peças fundamentais para tecer memórias e entender nossa sociedade, nas próximas semanas disponibilizaremos a gravação da mesa através do Youtube do APERS. Acompanhe!

Atualizado em 19.12.2018.

PEP UFRGS-APERS convida: Mesa Vozes que não se calam! Direitos Humanos, Democracia, Liberdade.

Deixe um comentário

No Dia Internacional dos Direitos Humanos, no ano em que se celebram os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, dia 10 de dezembro, segunda-feira, às 14:30h, realizaremos a atividade de encerramento das ações do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS em 2018. A mesa “Vozes que não se calam! Direitos Humanos, Democracia, Liberdade” será realizada com testemunhos de Claudio Gutierrez, Ignez Serpa e Nilce Azevedo Cardoso, ex-presos políticos que têm seus processos de indenização salvaguardados pelo APERS. Tais documentos são utilizados com as turmas escolares que participam da oficina “Resistência em Arquivo: patrimônio, ditadura e direitos humanos”.

Nosso objetivo é oportunizar um espaço de encontro e escuta sensível, em que estudantes e professores que leram e debateram sobre sus histórias – marcadas pela repressão, tortura e resistência à ditadura civil-militar – possam conhecê-los pessoalmente, prestar-lhes a homenagem merecida e aprofundar conhecimentos.

Cremos que será uma tarde muito significativa não apenas para pensarmos as relações entre passado e presente, mas também para reafirmarmos nosso compromisso com o livre acesso à informação e aos arquivos, com o direito à memória e com a democracia.

Informações podem ser obtidas pelo e-mail acaoeducativa@smarh.rs.gov.br ou pelo fone (51)3288-9117. O evento é aberto à comunidade, entretanto o público prioritário são os estudantes e professores que participaram das oficinas do PEP em 2018. Nesse sentido, as inscrições devem ser feitas por e-mail informando nome completo, telefone para contato e escola/instituição de vinculação, de forma que possamos confirmar as vagas oportunamente antes do evento.

Cartaz Vozes que não se calam PEP 2018 final

Jogoteca Educativa do APERS é difundida no XIII Salão de Iniciação Científica e Extensão do IPA.

Deixe um comentário

Quais os usos possíveis para os documentos de arquivo? Como difundi-los e ampliar seu alcance social? Em geral costuma-se pensar as instituições arquivísticas como espaços de pesquisa acadêmica ou técnica, lugares “habitados” por historiadores, genealogistas, graduandos, mestrandos, doutorandos… Certamente estes são usuários potenciais e importantes, mas os arquivos pertencem a todos e todas nós, podem ser acessados por diversos grupos sociais, para diversas finalidades e em múltiplos contextos.

Nesse sentido o APERS tem investido na formulação de ações educativas em vários formatos, oportunizando a ampliação dos usos de seu acervo em ambientes escolares ou espaços não formais de educação. Entre essas propostas está a Jogoteca Educativa do APERS, projeto criado em 2018 e que vem se desenvolvendo para a partir de 2019 viabilizar o empréstimo de jogos para educadores. A ação já tinha sido divulgada em evento de lançamento realizado no Arquivo, em junho, e no XIV Encontro Estadual de História da ANPUH-RS, em julho. Em outubro foi a vez de ser compartilhada no XIII Salão de Iniciação Científica e Extensão do Centro Universitário Metodista – IPA pela estagiária Jéssica Gomes de Borba, que atualmente cursa o Bacharelado em História na UFRGS e já é licenciada em História pela FAPA. Jéssica deu visibilidade à Jogoteca dando enfoque ao processo de construção de seu primeiro jogo, “Caso X: investigando um crime da ditadura em Porto Alegre”.

A apresentação da comunicação “Os usos educativos do patrimônio documental do APERS: a criação do jogo ‘Caso X’” ocorreu na tarde de 26 de outubro. O resumo expandido será publicado em breve. Informações a respeito do projeto podem ser obtidas através do e-mail acaoeducativa@smarh.rs.gov.br.

Arquivo Público esteve presente no XIV Encontro Estadual de História!

Deixe um comentário

Entre os dias 24 e 27 de julho a PUC-RS sediou o XIV Encontro Estadual de História da ANPUH-RS, com o tema Democracia, Liberdades e Utopias. Com o intuito de difundir as ações do APERS a equipe de seu Núcleo de Ação Educativa inscreveu trabalhos no evento, que foram apresentados no dia 26/06.

Os estagiários e Paulo Eduardo Fasolo Klein, com orientação da servidora Clarissa Sommer, inscreveram o pôster “Que os jogos comecem!”: Caso X e a formação da Jogoteca Educativa do APERS. A partir desse trabalho compartilharam a criação do novo projeto educativo da instituição e divulgaram o primeiro jogo autoral produzido em seu âmbito pela equipe. “Caso X: investigando um crime da ditadura em Porto Alegre” foi inspirado no jogo Detetive e ambienta-se na cidade de Porto Alegre no contexto da ditadura civil-militar. O desafio é desvendar um crime cometido pelos agentes da repressão percorrendo lugares de memória da cidade. As biografias dos personagens foram inspiradas nas histórias de vida registradas pelos processos de indenização a ex-presos políticos salvaguardados no Arquivo, com os quais as escolas terão contato ao locar o jogo.

Já a servidora Clarissa inscreveu a comunicação “Pelo olhar de uma historiadora do Arquivo, reflexões sobre escrita da história e História Pública”, que foi aceita junto ao Simpósio Temático Teoria da História e Historiografia: Democracia, Liberdades, Utopia. Neste espaço apresentou reflexões preliminares a partir de seu trabalho de mestrado desenvolvido junto ao Programa de Pós-Graduação em História da UFRGS, que versa sobre a atuação de historiadores em instituições arquivísticas estaduais. Buscou dialogar com os pares a respeito do cenário de atuação profissional encontrado a partir dos levantamentos realizados e da aplicação de questionários, sobre os desafios enfrentados por ela enquanto historiadora que é servidora de um Arquivo Público, e sobre as múltiplas potencialidades para a escrita da história e a história pública percebidas neste percurso.

Os resumos de ambos trabalhos podem ser acessados aqui.

 

PEP reabre agenda para oficinas de Educação Patrimonial!

Deixe um comentário

Com satisfação informamos que o Programa de Educação Patrimonial UFRGs-APERS retomará a realização de oficinas com as escolas no 2º semestre desse ano. Os agendamentos já podem ser feitos através do e-mail acaoeducativa@smarh.rs.gov.br, ou pelo fone (51) 3288-9117. A participação é gratuita e as oficinas ocorrerão entre 21 de agosto e 30 de novembro, sempre nas terças e quartas-feiras à tarde, quintas e sextas-feiras pela manhã e também com agendamentos noturnos nas quartas-feiras.

As três oficinas desenvolvidas são: Os Tesouros da Família Arquivo, destinada aos 6º e 7º anos, Desvendando o Arquivo Público: relações de gênero na história, destinada aos 8º e 9° anos, e Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos, voltada para o Ensino Médio e a Educação de Jovens e Adultos (EJA). O número máximo de alunos por oficina são 30 e as atividades começam às 9 h no turno da manhã e às 14 h no turno da tarde.

Torna-se necessário informar que, devido à ausência de recursos captados externamente, não será possível oferecer transporte para os grupos, e teremos menos horários disponíveis, já que a equipe será menor.

Entretanto, seguimos trabalhando com dedicação, manejando os recursos humanos de que dispomos, para que o PEP possa seguir existindo. Reafirmamos nossa percepção de que a parceria entre Arquivo, Universidade e Escolas pode contribuir para a qualificação dos processos de ensino-aprendizagem, gerar curiosidade e identidade para com o patrimônio documental, tornar mais próximas da comunidade as instituições arquivísticas e de ensino superior, ampliar o acesso a bens culturais e à informação, tudo tão caro para uma sociedade que pretendemos democrática e humana. Vamos em frente!

2ª Semana Nacional de Arquivos no APERS: Oficina Os Tesouros da Família Arquivo

Deixe um comentário

Cartaz Oficina na II Sem Nac de Arquivos

Compartilhando reflexões publicadas a partir do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS

Deixe um comentário

Em meio a tantas atividades e tarefas, demoramos para compartilhar, mas é com satisfação que disponibilizamos mais duas importantes reflexões produzidas a partir das ações do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS, relacionadas aos conceitos de memória e história, à profissão de historiador(a) e ao potencial dos Arquivos como espaços para produção intelectual, educativa e cultural:

  • Reflexões sobre o ofício do historiador em arquivos a partir da construção da oficina Resistência em Arquivo: patrimônio, ditadura e direitos humanos, de Clarissa Sommer Alves, Trabalho de Conclusão de Curso, Bacharelato em História, UFRGS, 2015. Clique aqui para acessar.
  • As oficinas do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS, de Clarissa Sommer Alves e Carla Simone Rodeghero, artigo publicado nos anais do I Seminário Nacional História e Patrimônio Cultural, pág. 703 a 713. Evento realizado em Porto Alegre, em 2016. Clique aqui para acessar.

Os textos seguirão referenciados na aba “Publicações” deste blog. Boa leitura!

Oficina do PEP mais uma vez contribuindo para processos de formação docente!

Deixe um comentário

   Nos dias 26 e 29 de março realizamos vivências da oficina Resistência em Arquivo: patrimônio, ditadura e direitos humanos para as turmas diurna e noturna da disciplina de Introdução ao Estágio, do curso de licenciatura em História da UFRGS, que é ministrada de forma compartilhada pelos professores Carmem Gil, Caroline Pacievtch, Fernando Seffner e Nilton Pereira, do Departamento de Ensino e Currículo da FACED/UFRGS.

   A atividade foi agendada como espaço de fechamento para as discussões que as turmas vinham realizando sobre o trabalho com temas sensíveis em sala de aula. A oficina permitiu abordar a ditadura civil-militar no Brasil e as violações de direitos humanos perpetradas pelo Estado ao longo daquele regime, pensando as marcas deixadas em nossa sociedade e a trajetória de vida daqueles que resistiram. Cada estudante pode ter contato com fontes arquivísticas, com o ambiente do APERS, e com múltiplas possibilidades metodológicas para inspirar planejamentos educativos vindouros.

   Em dois turnos foram recebidos 33 futuros professores de História, e dois professores da UFRGS, que se envolveram em profícua discussão sobre os usos de documentos e de depoimentos nos processos de ensino-aprendizagem, sobre a importância da defesa dos valores democráticos, e do acesso público ao patrimônio documental, como fonte de informação e garantia de direitos.

   Embora as oficinas oferecidas às escolas pelo Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS estejam no planejamento do 2º semestre, atendemos ao pedido da profª Carmem por compreender a potencialidade desse momento para o processo de formação docente. Assim, realizamos as vivências com a contribuição de equipe do APERS, da prof.ª Carla Rodeghero (coordenadora do PEP na UFRGS), e de ex-estagiários da disciplina de Estágio em Educação Patrimonial, que em 2017 atuaram como oficineiros no Arquivo, e retornaram à instituição de forma voluntária. Neste sentido, agradecemos muito à Camila Barbosa, ao Guilherme Cardoso e à Letícia Fernandes.

Programa de Educação Patrimonial: balanço de 2017 e perspectivas para 2018.

Deixe um comentário

Equipe PEP UFRGS-APERS: Paula Ribeiro, Jéssica Borba, Carla Rodeghero, Bianca Zotti, Gustavo Rolim, Clarissa Sommer Alves, Guilherme Cardoso e Paulo Fasolo Klein.

O Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS é desenvolvido em parceria entre o APERS e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, voltado à realização de oficinas de educação patrimonial para escolas, cursos de formação para professores, e capacitações de estudantes de graduação como oficineiros na área de Educação Patrimonial, tendo o patrimônio documental e arquitetônico do APERS como fonte de informação, reflexão e produção de conhecimento.

Em 2017, as ações centraram-se no 2º semestre, considerando a inexistência de recursos externos capitados para contratação de bolsistas através da UFRGS ou oferecimento de transporte para as escolas, assim como a licença-maternidade da servidora responsável pelo Programa no APERS na primeira metade do ano. Entretanto, as atividades foram intensas a partir de julho, com os seguintes resultados alcançados:

  • Finalização e lançamento do documentário sobre o PEP, que recebeu o título “Educação patrimonial: cidadania, diversidade e direitos humanos”. A produção do material teve início no final de 2016. As últimas avaliações e correções foram feitas entre junho e agosto. Foi lançado no primeiro dia do curso de formação para professores de 2017, e em breve será disponibilizado pelo canal do Arquivo no Youtube.
  • Formação de equipe e reformulação de materiais: realizadas ao longo dos meses de junho e julho, já que três novos estudantes foram contratados para compor o grupo em junho. Realizamos apresentação das oficinas, leitura e debate de seus documentos, leitura de textos históricos tratando de suas temáticas, e dinâmicas de treinamento da aplicação das mesmas. Também revisamos as localizações de guarda das caixas no acervo e reformulamos pistas que levam até elas; substituímos um dos documentos utilizados na oficina Desvendando o Arquivo Público, refazendo materiais para debater o tema das mulheres negras no contexto da escravização; remodelamos a logo da oficina Desvendando para dialogar com a nova abordagem (relações de gênero); renovamos os materiais das três oficinas que demonstravam desgaste, realizando reimpressões, trocando envelopes, lixando e pintando novamente as caixas da Tesouros, etc.
  • Oficina de teatro de bonecos para a equipe, realizada em agosto, ainda com recursos do edital PROEXT 2016, ministrada por Denis e Alberto do Ateliê Nunes. Nos quatro encontros conhecemos a história e as modalidades do teatro de bonecos, fizemos exercícios vocais e alongamentos, aprendemos técnicas de manipulação de bonecos, reformulamos o texto do teatro da oficina Tesouros da Família Arquivo, e fizemos uma série de ensaios. O Ateliê também foi responsável pela confecção de novo cenário para o teatro, e de novas almofadas utilizadas em todas as oficinas.
  • Realização de oficinas de Educação Patrimonial, voltadas para turmas escolares da Educação Básica:

– Tesouros da Família Arquivo (6º e 7º anos) = 10

– Desvendando o Arquivo Público: relações de gênero na História (8º e 9º anos) = 08

– Resistência em Arquivo: patrimônio, ditadura e direitos humanos  (Ens. Médio) = 09

Total: 27 oficinas, com o total de 477 participantes

  • Capacitação de oficineiros, voltada a estudantes do Ensino Superior do curso de Licenciatura em História da UFRGS, realizando estágio obrigatório: 07 estudantes capacitados, cumprindo, cada um, carga horária de 42h.
  • 7ª edição do Curso de Formação “Educação Patrimonial, Cidadania e Direitos Humanos”, voltado para professores, estudantes de licenciatura e profissionais de instituições de memória: tivemos 48 pessoas inscritas. Destas, 30 permaneceram com o grupo, e tiveram certificado emitido, em carga horária entre 20h e 40h. Interessante destacar que os participantes entregaram propostas de atividades pedagógicas criadas a partir das discussões realizadas no curso, que estão sendo organizadas em formato de e-book, e serão disponibilizadas pelo blog do APERS até o final de janeiro.
  • Difusão do Programa: para compartilhar as experiências do PEP, trocar conhecimentos e difundir nosso trabalho, participamos dos seguintes eventos:

– XVIII Salão de Extensão UFRGS, com duas atividades, ambas no Campus do Vale: 17/10, turno da manhã, participação em tertúlia (roda de conversas com fala e debate) apresentando os cursos de formação para professores como um eixo de ação do PEP; 19/10, turno da tarde, oferecimento da oficina Resistência em Arquivo, adaptada ao público e espaço físico de uma sala de aula.

– VI Ofícios de Clio: evento promovido pelo GT Acervos, da ANPUH-RS. Fomos convidados a participar do evento para debater os espaços de memória, seus acervos e o uso de novas tecnologias e formas de pesquisa/ensino. Assim, decidimos apresentar o documentário sobre o PEP, como uma boa oportunidade de divulgar nossas ações de maneira sistematizada e atrativa, e suscitar o debate sobre o uso do audiovisual como recurso nessa área. O vídeo foi transmitido no dia 06/12, e comentado pela profª Carla.

Pensando em perspectivas para 2018, compartilhamos que o planejamento do PEP também considera as possibilidades de recursos e equipe disponíveis. Neste sentido, o primeiro semestre será dedicado à: 1) edição e disponibilização via internet de vídeos das palestras do curso de formação para professores, e 2) escrita, edição e publicação do segundo volume da publicação “PEP em Revista”, para a qual já temos recursos empenhados através da UFRGS, recebidos ainda do edital PROEXT 2016. No segundo semestre, a partir da contratação de novos bolsistas pela UFRGS e manutenção dos estagiários do APERS da área de ação educativa, pretendemos retomar as oficinas para as escolas, a capacitação de oficineiros, e realizar a 8ª edição do curso para professores. Novidades sempre serão divulgadas no blog. Acompanhe!

Enquanto instituição arquivística, acreditamos que, apesar de dificuldades ou desafios colocados pelo último ano, conseguimos manter as atividades no campo da ação educativa, trabalhando com qualidade e dedicação aos nossos usuários. Agradecemos a todas e todos que participaram! Cada momento partilhado com professores e estudantes dão sentido à nossa existência enquanto instituição pública. Também agradecemos a toda a equipe que se dedicou nesse último período para manter o Programa em funcionamento, de forma que a Educação Patrimonial siga sendo difundida e apropriada pela comunidade:

  • Bianca Zotti (Bolsista História UFRGS)
  • Carla Simone Rodeghero (Professora Dep. e PPG em História, coordenadora do Programa de Extensão junto à UFRGS)
  • Clarissa Sommer Alves (Téc. Assuntos Culturais/Historiadora APERS)
  • Guilherme Cardoso (Estagiário História APERS)
  • Gustavo Rolim (Bolsista História UFRGS)
  • Jéssica Borba (Estagiária História APERS)
  • Paula Ribeiro (Bolsista História UFRGS)
  • Paulo Fasolo Klein (Estagiário História APERS)

Para acessar “PEP em Revista, vol. 1”, clique aqui.

PEP no Salão de Extensão da UFRGS!

Deixe um comentário

Nossas atividades relacionadas à Educação Patrimonial são desenvolvidas em parceria com a UFRGS, no âmbito do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS, carinhosamente chamado de PEP. Este ano, como forma de difundir nossas ações, buscar contatos e inspirações para novas produções, participamos do Salão de Extensão da UFRGS, que esteve em sua 18ª edição.

Na terça-feira pela manhã, dia 17/10, participamos da tertúlia intitulada “Estratégias em Ensino/Aprendizagem”, apresentando o curso de formação para professores oferecido pelo PEP. Conforme proposta do evento, tertúlia é uma reunião de pessoas interessadas em um mesmo tema para debate, informação e compartilhamento de informações, privilegiando a aprendizagem a partir da troca de ideias e experiências. Apresentamos as motivações para o oferecimento dos cursos anuais como espaços de formação, os temas tratados, as conexões desta linha de ação com as oficinas ofertadas às turmas escolares, dando enfoque ao curso que está em andamento este ano. Em contato com as comunicações dos demais grupos, surgiram oportunidades de trabalho em parceria, e ideias para nossa atuação em 2018.

Na quinta-feira à tarde, dia 19/10, oferecemos no Salão uma vivência da oficina Resistência em Arquivo. Levamos os materiais que são utilizados nas dependências do APERS, e pudemos divulgar nosso trabalho em um formato adaptado ao espaço da universidade.

Seguimos buscando oportunidades para compartilhar nosso trabalho, estimular o acesso ao patrimônio documental e a apropriação em relação aos bens culturais de nossa sociedade em geral.

Atenção: inscrições para o Curso Educação Patrimonial, Cidadania e Direitos Humanos!

1 Comentário

Chamada para inscrições

Está chegando ao fim o prazo para inscrições no Curso “Educação Patrimonial, Cidadania e Direitos Humanos”! Se você tem interesse, nos escreva até às 16h de amanhã, 22/09/17. Caso já tenhas escrito, e não tenhas recebido resposta por e-mail, por favor, reencaminhe sua mensagem de inscrição.

Confira a programação completa clicando aqui.

Educação Patrimonial, Cidadania e Direitos Humanos: participe da 7ª edição de nosso curso de formação para professores!

Deixe um comentário

Entre hoje e o dia 20/09 estão abertas as inscrições para a 7ª edição do curso de formação para professores do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS! A participação é gratuita, com certificado de 40h. As vagas são limitadas, e serão destinadas, preferencialmente, para professores em pleno exercício de sala de aula.

Interessados devem enviar e-mail para acaoeducativa@smarh.rs.gov.br. Confira a programação:

Cartaz Curso PEP Profs 2017

Oficinas de Educação Patrimonial estarão de volta no 2º semestre! Agende-se!

Deixe um comentário

Após um período de atividades internas, produção da I Mostra de Educação Patrimonial (visitada em dezembro de 2016) e de um documentário que conta a história do Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS, que será lançado em breve, no 2º semestre retomaremos as oficinas oferecidas às escolas!

Os agendamentos já podem ser feitos através do e-mail acaoeducativa@smarh.rs.gov.br, ou a partir da próxima semana também pelo fone (51) 3288-9117, sempre no turno da tarde (das 13h às 17h), com a servidora Clarissa Sommer. A participação é gratuita e as oficinas ocorrerão entre 17 de agosto e 07 de dezembro, sempre nas terças-feiras à tarde, quintas-feiras manhãs e tardes, com a possibilidade de alguns agendamentos noturnos, nas segundas-feiras.

Entre junho e a 1ª quinzena de agosto, além de realizar os agendamentos, passaremos por um período de formação da nova equipe, renovação dos materiais utilizados nas atividades com as turmas, e organização da 7ª edição de nosso curso de formação para professores, que também ocorrerá no 2º semestre.

Torna-se necessário informar que, devido à ausência de recursos captados externamente, não será possível oferecer transporte para os grupos, e teremos menos horários disponíveis, já que a equipe será menor. Entretanto, seguimos trabalhando com dedicação, manejando os recursos humanos de que dispomos, para que o PEP possa seguir existindo. Reafirmamos nossa percepção de que a parceria entre Arquivo, Universidade e Escolas pode contribuir para a qualificação dos processos de ensino-aprendizagem, gerar curiosidade e identidade para com o patrimônio documental, tornar mais próximas da comunidade as instituições arquivísticas e de ensino superior, ampliar o acesso a bens culturais e à informação, tudo tão caro para uma sociedade que pretendemos democrática e humana. Vamos em frente!

Para conhecer as ações do PEP e saber mais sobre as oficinas disponíveis, acesse a publicação PEP em Revista Vol.1 aqui.

Relatórios APERS 2016 – DIPAD: Programa de Educação Patrimonial UFRGS|APERS

Deixe um comentário

Imagem para post Oficinas

O Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS (PEP), realizado nesta parceria institucional desde 2009, teve novidades, desafios e conquistas em 2016. A cada novo ano buscamos inovar e qualificar os serviços prestados. Nesse sentido, e no intuito de estreitar os laços entre escolas, Universidade e Arquivo, aprofundando os processos de ensino-aprendizagem a partir do patrimônio cultural vinculado ao ensino de História e à arquivística, no ano de 2016 a participação das turmas nas oficinas de Educação Patrimonial oferecidas nas dependências do APERS foram compreendidas como parte de um projeto, orientado pelo PEP em contato com professores e coordenações pedagógicas das escolas, desenvolvido ao longo do ano letivo, e norteado pelo Regulamento PEP 2016. O regulamento previu a preparação das turmas antes da vinda à oficina, vivência das oficinas no APERS (com transporte oferecido pelo PEP), e aprofundamento da discussão sobre educação a partir do patrimônio em sala de aula, que resultou em produtos exposto na Mostra PEP de Final de Ano, na primeira semana de dezembro de 2016. Os produtos expostos na Mostra foram criados a partir do contato com o patrimônio salvaguardado pelo Arquivo Público, com o conhecimento construído a partir da participação no Programa, e pela reflexão a respeito dos bens culturais de nossa sociedade, do bairro, da comunidade escolar. Todas as atividades foram oferecidas gratuitamente e orientadas pela equipe do PEP, composta por servidores, professores, estagiários e bolsistas da UFRGS e do APERS.

De acordo com o Regulamento foram selecionadas 28 escolas para participação nas oficinas, sendo elas:

  • Colégio de Aplicação da UFRGS (Porto Alegre)
  • Colégio Estadual Augusto Meyer (Guaíba)
  • Colégio Estadual Paraná (Porto Alegre)
  • Colégio Romano Santa Marta (Porto Alegre)
  • Colégio Romano São Mateus (Porto Alegre)
  • Colégio Romano Senhor Bom Jesus (Porto Alegre)
  • Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr. Ferreira de Abreu (Porto Alegre)
  • Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr. Oswaldo Aranha (Porto Alegre)
  • Escola Estadual de Ensino Fundamental Érico Veríssimo (Porto Alegre
  • Escola Estadual de Ensino Fundamental Planalto Canoense (Canoas)
  • Escola Estadual de Ensino Fundamental Vila Cruzeiro do Sul (Porto Alegre)
  • Escola Estadual de Ensino Médio Baltazar de Oliveira Garcia (Porto Alegre)
  • Escola Estadual de Ensino Médio Rafaela Remião (Porto Alegre)
  • Escola Estadual de Ensino Municipal Polisinos (São Leopoldo)
  • Escola Estadual Fernando Gomes (Porto Alegre)
  • Escola Estadual Padre Nunes (Gravataí)
  • Escola Municipal de Educação Básica Al
  • ão de Barro (Sapucaia do Sul)
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental Anisio Teixeira (Porto Alegre)
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental Aramy Silva (Porto Alegre)
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental Herbert José de Souza (Alvorada)
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental Jerônimo Porto (Viamão)
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental Justino Camboim (EJA) (Sapucaia do Sul)
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental Justino Camboim (Sapucaia do Sul)
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental Pedro Vicente (Viamão)
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental São Pedro (Porto Alegre)
  • Escola Municipal de Ensino Fundamental Wenceslau Fontoura (Porto Alegre)
  • Escola Técnica Estadual Frederico G. Schmidt (São Leopoldo)
  • berto Santos Dumont (Sapucaia do Sul)
  • Escola Municipal de Educação Básica Jo

Sendo assim, ao longo do ano foram ministradas 84 oficinas, atendendo um total de 1.650 estudantes. Foram 48 oficinas Os Tesouros da Família Arquivo (para 6º e 7º ano) para 1.016 alunos, 18 oficinas Desvendando o Arquivo Público: historiador por um dia (para 8º e 9º ano) para 309 alunos, e 17 oficinas Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos (para o Ensino Médio) para 325 alunos. Se em 2015 reformulamos da oficina Tesouros, em 2016 foi a vez de outra atividade bastante importante e enriquecedora: a reformulação da oficina Desvendando o Arquivo Público: historiador por um dia, construída a partir de documentos que propiciam a reflexão sobre relações de gênero. Confira as turmas que participaram:

Abril:

  • Dia 20: os alunos do 6º ano, turma 6B, da Escola Estadual Fernando Gomes participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Adriana Quadros.
  • Dia 26: os alunos do 7º ano, turma 71, da Escola Estadual Ensino Fundamental Dr Ferreira de Abreu participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Andreia de Souza.
  • Dia 27: os alunos do 6° e 7° ano, turma 617 e 717, do Colégio Estadual Paraná participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Carlos Reni Silva.
  • Dia 28: os alunos do 7° ano, turma 7B, da Escola Municipal de Educação Básica João de Barro participaram, pela manhã, da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Luana Morais.
  • Dia 28: os alunos do 6° ano, turma B34, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Wenceslau Fontoura participaram, pela tarde, da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Betina Stampe.

Maio:

  • Dia 04: os alunos do 3° ano, turma 302, do Colégio Estadual Augusto Meyer participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pelo professor Alfredo Ranzan.
  • Dia 04: os alunos do 7° ano, turma A, da Escola Municipal de Educação Básica Alberto Santos Dumont participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Ana Paula Madruga.
  • Dia 05: os alunos do 3° ano, turma 301, do Colégio Estadual Augusto Meyer participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pelo professor Alfredo Ranzan.
  • Dia 09: os alunos da turma de Introdução ao Estágio do Curso de História da UFRGS/FACED vivenciaram a oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pela professora Carmem Gil.
  • Dia 11: os alunos do 3° ano, turma 303, do Colégio Estadual Augusto Meyer participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pelo professor Alfredo Ranzan.
  • Dia 12: os alunos do 7º ano, turma 70B, da Escola Estadual Ensino Fundamental Planalto Canoense participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados da Sherol dos Santos.
  • Dia 18: os alunos do 7º ano, turma C12, da Escola Municipal Ensino Fundamental Aramy Silva participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados da professora Fabiana Meira.
  • Dia 19: os alunos do 3º ano, turma 206, do Colégio Estadual Augusto Meyer participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pelo professor Alfredo Ranzan.
  • Dia 19: os alunos do 3º ano, turma 305, do Colégio Estadual Augusto Meyer participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pelo professor Alfredo Ranzan.
  • Dia 24: os alunos do 7° ano, turma C11, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Aramy Silva participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Fabiana Meira.
  • Dia 24: os alunos do 6° ano, turma 61, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr Ferreira de Abreu participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Andreia de Souza.
  • Dia 25: os alunos do 6° ano, turma 62, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr Ferreira de Abreu participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Andreia de Souza.

Junho:

  • Dia 1º: pela manhã os alunos do 6° ano, turma 161, do Colégio Romano Santa Marta participaram de nossa oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Adriana Quadros.
  • Dia 02: pela manhã os alunos do 6° ano, turma 161, do Colégio Romano São Matheus participaram de nossa oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Rinaldo Geremias.
  • Dia 08: pela tarde os alunos do 7° ano, turma 7C, da Escola Municipal de Educação Básica Alberto Santos Dumont participaram de nossa oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Ana Paula Madruga.
  • Dia 09: pela manhã os alunos do 6° ano, turma 161, do Colégio Romano Bom Jesus participaram de nossa oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Gustavo Barcelos.
  • Dia 09: a noite os alunos do 3° ano, turma 306, da Escola Estadual Augusto Meyer participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pelo professor Alfredo Ranzan.
  • Dia 13: pela manhã os alunos do 7° ano, turma C13, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Aramy Silva participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Fabiana Meira.
  • Dia 15: pela manhã os alunos do 6° ano, turma 60, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Oswaldo Aranha participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Olga M. Boelter.
  • Dia 16: pela manhã os alunos do 6° ano, turma 162, do Colégio Romano Senhor Bom Jesus participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Gustavo Barcelos.
  • Dia 21: pela manhã os alunos do 7° ano, turma 70, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr. Oswaldo Aranha participaram de nossa oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Olga Boelter.
  • Dia 22: os alunos do 7° ano, turma 72, Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr. Ferreira de Abreu participaram de nossa oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Lusimara Borba.
  • Dia 23: pela manhã os alunos do 6° ano, turma 163, do Colégio Romano Bom Jesus participaram de nossa oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Gustavo Barcelos.
  • Dia 29: os alunos do 8° ano, turma 80, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Érico Veríssimo participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Carlos Reni.
  • Dia 30: os alunos do 8° ano, turma 81, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Érico Veríssimo participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Carlos Reni.

Agosto:

  • Dia 11: os participantes da Capacitação de Oficineiros APERS | UFRGS vivenciaram a oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos”.
  • Dia 16: pela manhã, os alunos das turmas 80 e 90 / 8º e 9º ano da Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr. Oswaldo Aranha participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pela professora Olga Madalena Boelter.
  • Dia 17: pela manhã, os alunos da Turma C31, 9º ano, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Aramy Silva participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pela professora Fabiana Borges Meira.
  • Dia 18: pela manhã, os alunos da turma C30, 9º ano, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Wenceslau Fontoura participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pela professora Alda Marici da Silva Silveira.
  • Dia 18: os participantes da Capacitação de Oficineiros APERS | UFRGS vivenciaram a oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia”.
  • Dia 23: pela manhã, os alunos da Turma C32, 9º ano, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Aramy Silva participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pela professora Fabiana Borges Meira.
  • Dia 23: pela tarde, os alunos da Turma 60A, 6º ano, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Planalto Canoense participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Sherol Santos.
  • Dia 24: pela manhã, os alunos da turma C32, 9º ano, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Heitor Villa Lobos participaram a oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pela professora Fátima Veiga Mendonça.
  • Dia 24: pela tarde, os alunos do Curso de Museologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul vivenciaram a oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Zita Rosane Possamai.
  • Dia 25: pela manhã, os alunos das turmas 81, 82 e 92, 8º e 9º anos, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Vila Cruzeiro do Sul participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pela professora Geórgia Frota Nunes.
  • Dia 30: pela manhã os alunos da Turma 70A, 7º ano, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Planalto Canoense participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Sherol Santos.
  • Dia 30: a tarde os alunos da Turma 81, 8º ano, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr. Ferreira de Abreu participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pela professora Ione Monteiro.
  • Dia 31: pela manhã, os alunos da Turma A, 6º ano, da Escola Municipal de Educação Básica Alberto Santos Dumont participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Ana Paula Freitas Madruga.
  • Da 31: a tarde, os alunos da Turma 82, 8º ano, Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr. Ferreira de Abreu participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pela professora Andreia Ferreira de Souza.

Setembro:

  • Dia 1º: pela manhã, os alunos da Turma C33, 9º ano, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Heitor Villa Lobos participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pela professora Fátima Veiga Mendonça.
  • Dia 06: pela manhã, os alunos da turma 61, 6º ano, da Escola Estadual de Ensino Médio Baltazar de Oliveira Garcia participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Eduardo Schütz.
  • Dia 06: pela tarde, os alunos da turma 62, 6º ano, da Escola Estadual de Ensino Médio Rafaela Remião participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Louisi Berndt.
  • Dia 08: pela manhã, os alunos da turma 62, 6º ano, da Escola Estadual de Ensino Médio Baltazar de Oliveira Garcia participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Eduardo Schütz.
  • Dia 08: à noite, os alunos das séries finais da Educação de Jovens e Adultos (EJA) daEscola Municipal de Ensino Fundamental Justino Camboim participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pela professora Kátia Tháis Machado.
  • Dia 13: os alunos da turma 63, 6º ano, da Escola Estadual de Ensino Médio Baltazar de Oliveira Garcia participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Eduardo Schutz.
  • Dia 14: os alunos da turma B, 6º ano, da Escola Municipal de Educação Básica Alberto Santos Dumont participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Ana Paula Freitas Madruga.
  • Dia 15: os alunos da turma 64, 6º ano, da Escola Estadual de Ensino Médio Baltazar de Oliveira Garcia participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Eduardo Schutz.
  • Dia 21: pela manhã, os alunos da turma C / 6º ano da Escola Municipal de Ensino Básico Alberto Santos Dumont participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Ana Paula Freitas Madruga.
  • Dia 21: pela tarde, os alunos da turma 60, 6º ano, da Escola Estadual de Ensino Médio Rafaela Remião participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Laura Montemezzo.
  • Dia 22: pela manhã, os alunos da turma 66, 6º ano, da Escola Estadual de Ensino Médio Baltazar de Oliveira Garcia participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Eduardo Schutz.
  • Dia 27: pela manhã, os alunos do 2º ano, turma 201, da Escola Estadual de Ensino Médio Padre Nunes participaram a oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pelo professor Rafael Policeno de Souza.
  • Dia 28: pela manhã, os alunos do 6º ano, turma E, da Escola Estadual de Ensino Básico Alberto Santos Dummont participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Ana Paula Madruga.
  • Dia 29: pela manhã, os alunos do 2º ano, turma 202, da Escola Estadual de Ensino Médio Padre Nunes participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pelo professor Rafael Policeno de Souza.
  • Dia 29: a tarde, os alunos do 6º ano, turma B30, da Escola Estadual de Ensino Fundamental São Pedro participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Luciano Gomes.

Outubro:

  • Dia 04: pela manhã os alunos da Turma A / 9º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental João de Barro participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pela professora Chaiane Silveira.
  • Dia 04: pela tarde os alunos da Turma A / 6º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Justino Camboin participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Ana Paula Madruga.
  • Dia 05: pela manhã os alunos da Turma 81 / 8º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Jerônimo Porto participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pela professora Daniela Simões de Souza.
  • Dia 05: pela tarde os alunos da Turma 61 / 6º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Jerônimo Porto participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Daniela Simões de Souza.
  • Dia 06: pela manhã os alunos da Turma 65 / 6º ano da Escola Estadual de Ensino Médio Baltazar de Oliveira Garcia participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Eduardo Schultz.
  • Dia 06: pela tarde os alunos da Turma B / 6º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Justino Camboin participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Ana Paula Madruga.
  • Dia 11: pela manhã os alunos da Turma 13 M1 / 3º ano da Escola Técnica Estadual Frederico Guilherme Schmidt participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pelo professor Marcos Freire Machado.
  • Dia 11: pela tarde os alunos da Turma 92 / 9º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Herbert José de Souza, de Alvorada, participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pelo professor Marcelo Rios.
  • Dia 13: pela manhã os alunos da Turma 23 M1 / 3º ano da Escola Técnica Estadual Frederico Guilherme Schmidt participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pelo professor Marcos Freire Machado.
  • Dia 13: a noite os alunos das Turmas T5 e T6 de Educação de Jovens e Adultos (EJA) daEscola Municipal de Ensino Fundamental São Pedro participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pelo professor Rodrigo Dornelles.
  • Dia 18: pela manhã os alunos das Turmas A e B / 9º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Justino Camboin participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pela professora Ana paula Madruga.
  • Dia 18: pela tarde os alunos das Turmas A, B e E / 1º ano da Escola Estadual de Ensino Médio Polisinos participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pela professora Fernanda Senger.
  • Dia 20: pela manhã os alunos da Turma 91 / 9º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Jerônimo Porto participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pela professora Daniela Simões de Souza.
  • Dia 20: pela tarde os alunos da Turma 71 / 7º ano Escola Municipal de Ensino Fundamental Jerônimo Porto participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pela professora Daniela Simões de Souza.
  • Dia 25: pela manhã os alunos da Turma 81 / 8º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Pedro Vicente participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pela professora Sheila Lima Nogueira.
  • Dia 25: pela tarde os alunos da Turma 1 C / 1º ano da Escola Estadual de Ensino Médio Polisinos participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pela professora Fernanda Senger.
  • Dia 26: pela manhã os alunos do 9º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Herbert José de Souza participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pelo professor Marcelo Rios.
  • Dia 27: pela tarde os alunos dos 6º e 7º anos da Escola Estadual de Ensino Fundamental Ildefonso Gomes participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelos professores Bianca Zotti e Guilherme Pomar.

Novembro:

  • Dia 1º: pela manhã os alunos da turma 73 / 7º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Herbert José de Souza participou da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Marcelo Rios.
  • Dia 1º: pela tarde os alunos das turmas 1D e 1E/ 1º ano da Escola Estadual de Ensino Médio Polisinos participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pela professora Fernanda Senger.
  • Dia 03: pela manhã os alunos da turma 71 / 7º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Herbert José de Souza participou da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Marcelo Rios.
  • Dia 08: pela manhã os alunos da turma 91/ 9º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Pedro Vicente participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pela professora Sheila Lima Nogueira.
  • Dia 08: pela tarde os alunos da turma 1F / 1º ano da Escola Estadual de Ensino Médio Polisinos participaram da oficina “Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos” acompanhados pela professora Fernanda Senger.
  • Dia 09: pela manhã os alunos do 7º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Herbert José de Souza participaram da oficina “Os Tesouros da Família Arquivo” acompanhados pelo professor Marcelo Rios.
  • Dia 10: pela manhã os alunos da turma C31 / 9º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Heitor Villa Lobos participaram da oficina “Desvendando o Arquivo Público: Historiador por um dia” acompanhados pela professora Fátima Veiga Mendonça.

Em 2016 promovemos duas capacitações de oficineiros. No 1º semestre foi possível receber quatro estudantes da disciplina de Estágio de Docência III – Educação Patrimonial, do curso de Licenciatura em História da UFRGS, que se incluíram no processo de reformulação da oficina, participando de alguns dos encontros do curso de formação, realizando visita ao conjunto arquitetônico do APERS, construindo materiais didáticos para a oficina Desvendando em parceria com a equipe do PEP, e finalmente realizando quatro práticas dessa oficina. No 2º semestre voltamos à capacitação em seu formato habitual, com 12 encontros, sendo quatro de aproximação com as oficinas e sua base teórica, dois de observação, e seis de práticas. Neste semestre foram capacitados oito oficineiros.

Outra atividade que exigiu a dedicação da equipe do PEP foi o curso de formação para professores, intitulado Educação Patrimonial, Cidadania e Direitos Humanos: desafios do tempo presente, realizado entre os meses de agosto e outubro, em sete encontros nas tardes e noites de sextas-feiras. Foram capacitados 44 cursistas, que concluíram as horas necessárias para o recebimento do certificado.

Também, em 2016, lançamos, em formato impresso e em .pdf, o livro “PEP em revista: O Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS”, pensado em formato de revista, bastante ilustrado e dinâmico, que conta a história do PEP de 2009 até meados de 2015 e o folder do PEP.

Em 2016 também participamos de eventos promovendo a difusão do PEP:

  • Estudantes de Arquivologia produzem vídeo sobre o PEP: ao longo do 1º semestre nossa equipe do PEP recebeu as e os estudantes Fabiano Nunes, Letícia Prauchner, Paula Sant’Anna, Sharon Daniela Nuñez e William Albano, da disciplina de Difusão em Arquivos oferecida pelo curso de Arquivologia da UFRGS, e ministrada pelo Prof. Dr. Moisés Rockembach. O objetivo dos encontros foi viabilizar a realização do trabalho final da disciplina, já que o grupo optou por abordar a difusão por meio da Educação Patrimonial. O resultado foi apresentado na UFRGS, e disponibilizado no YouTube.
  • I Seminário Nacional História e Patrimônio Cultural: a Técnica em Assuntos Culturais/Historiadora do APERS, Clarissa Alves, participou do I Seminário Nacional História e Patrimônio Cultural apresentando trabalho em parceria com a Prof.ª Carla Rodeghero (Dep. e PPG em História / UFRGS). A comunicação teve como foco as oficinas de educação patrimonial oferecidas pelo PEP UFRGS-APERS, sendo debatida no simpósio temático “Ensino de História, Patrimônio Cultural e Memória Social”.
  • XIII Encontro Estadual de História: os oficineiros apresentaram dois pôsteres, e a Técnica em Assuntos Culturais/Historiadora do APERS, Clarissa Alves, ofereceu a oficina “Democracia e Direitos Humanos no ensino de História a partir de fontes documentais”, e que teve como proposta utilizar o patrimônio documental do APERS enquanto ferramenta nos processos de ensino-aprendizagem no ensino de história, para construir atividades e planos de ensino que abordassem, entre outros temas, educação antirracista, equidade de gênero, combate às desigualdades e importância da democracia. Os pôsteres apresentados foram: 1) ““A ré sorri de tudo”: a mulher criminosa na Porto Alegre do século XIX a partir do caso de Joanna Eiras” de Davi dos Santos e Isadora Librenza e 2) “Joanna Eiras: representações midiáticas e imaginário social de uma mulher criminosa no final do século XIX” de Andressa Malhão, Guilherme Palermo e Marília Cardoso, ambos orientados pela professora Carla Rodeghero.

Consideramos que 2016 foi um ano bastante produtivo para o PEP e agradecemos a participação de cada uma e de cada um que colaborou de alguma forma para esta construção tão coletiva: estudantes de graduação e de cada escola, professores da Educação Básica, professores das Universidades, equipe PEP… Que 2017 seja ainda melhor!

Trabalharam nas atividades do PEP: 1) Servidores APERS: Aerta Moscon, Caroline Baseggio, Clarissa Sommer Alves, Maria de Lourdes Soares Zamo, Nôva Brando, Roberta Valença Scholz; 2) Estágiarios APERS: Davi dos Santos, Deise Freitas, Gabriella Amaro, Jéssica Gomes, Paulo Eduardo Fasolo Klein; 3) Professores UFRGS: Carla Simone Rodeghero, Igor Salomão Teixeira, Vanderlei Machado, 4) Bolsistas UFRGS: Amanda Ciarlo, Andressa Malhão, Andrei Monteiro, Bianca Zotti, Deiner Barili, Guilherme Lauterbach, Guilherme Soares, Isadora Librenza, Jurema Job, Lubianca Montagner Weber, Luciana Tubello Caldas, Marília Blanco, Thaíse Mazzei; 5) Estágios Curriculares: Andreia Borba, Débora Salvi, Deiner Barili, Flávia das Neves Chaves, Luiz Henrique Mangeon, Lívia Gallo, Marília Blanco, Paulo Eduardo Fasolo Klein, Renata Coutinho, Sara Dalpiaz, Tiago Medeiros, Thiago de Souza Freitas.

Notícias relacionadas:

Balanço 2016 do APERS

Relatórios APERS 2016 – DIPAD: Divulga APERS

I Mostra de Educação Patrimonial

Deixe um comentário

   O Programa de Educação Patrimonial (PEP-UFRGS/APERS) tem o prazer de convidar a todas e todos para a abertura da I Mostra de Educação Patrimonial no dia 09 de dezembro, sexta-feira, às 17h30, no Espaço Joél Abílio Pinto dos Santos no Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul – APERS.

    A Mostra estará disponível para visitação, aqui no APERS, de 09 a 30 de dezembro de 2016 e tem como objetivo expor os trabalhos realizados em sala de aula pelas escolas que participaram de nossas oficinas de educação patrimonial durante o ano, com temática envolvendo patrimônio.

    O Arquivo Público do RS fica situado rua Riachuelo, nº 1031, Centro Histórico. Aberto das 8h30min às 17hs de segunda a sexta-feira. Esperamos sua visita!

2016-12-07-mostra-i-pep

APERS no I Seminário Nacional História e Patrimônio Cultural

Deixe um comentário

2016-10-05-apers-no-seminario-nac-historia-e-patrimonio-b    Na tarde de segunda-feira, 03 de outubro, a historiadora do APERS, Clarissa Sommer, participou do I Seminário Nacional História e Patrimônio Cultural apresentando trabalho em parceria com a prof.ª Carla Rodeghero (Dep. e PPG em História / UFRGS). A comunicação teve como foco as oficinas de educação patrimonial oferecidas pelo PEP UFRGS-APERS, sendo debatida no simpósio temático “Ensino de História, Patrimônio Cultural e Memória Social”.

    As apresentadoras refletiram sobre as relações entre história, memória e patrimônio, problematizando como os patrimônios salvaguardados pelo APERS – pensados enquanto vestígios do passado e enquanto possíveis suportes para diferentes memórias – podem contribuir para processos de ensino-aprendizagem que suscitem valorização e apropriação crítica de nosso patrimônio cultural, relacionando-se a identidades individuais e coletivas das e dos estudantes.

2016-10-05-apers-no-seminario-nac-historia-e-patrimonio-a

   Neste sentido, as oficinas foram apresentadas em seus constantes processos de avaliação e reformulação, que respondem às demandas de estudantes, professores e da equipe do Programa, buscando atualizações que dialoguem com as novidades na produção historiográfica e com os desafios colocados pelo tempo presente.

    As principais ações do PEP também foram apresentadas de maneira geral, de forma que o público presente tivesse conhecimento sobre o oferecimento de oficinas, capacitações de oficineiros, cursos de formação para professores e participação da equipe em eventos e publicações. Assim que o texto completo for lançado através dos anais do evento, divulgaremos aqui!

Lista de Inscritos – Curso Educação Patrimonial, Cidadania e Direitos Humanos: desafios do tempo presente.

Deixe um comentário

É com satisfação que divulgamos a lista de inscritos para o curso “Educação Patrimonial, Cidadania e Direitos Humanos: desafios do tempo presente”.

As atividades começam nesta sexta-feira, 26/08, às 14h, no auditório do Arquivo Público (Rua Riachuelo, 1031, Centro de Porto Alegre). Até lá!

Lista de Inscritos Curso Educ Patrimonial 2016

Acesse aqui a programação completa.

Inscreva-se no Curso “Educação Patrimonial, Cidadania e Direitos Humanos: desafios do tempo presente”.

5 Comentários

Confira a programação completa do curso:

Cartaz Curso PEP Profs Programação geral

Para solicitar participação, baixe a ficha de inscrição clicando aqui, e siga as instruções nela contidas.

Participe: PEP UFRG-APERS promove 6ª edição do curso anual de formação para professores!

2 Comentários

Imagem para notícia curso profs

       Problematizar e pensar juntos os desafios colocados à escola e à comunidade escolar em nossa sociedade contemporânea. Refletir sobre dificuldades e transformações, e construir caminhos que contribuam para qualificar os processos de ensino-aprendizagem, as relações humanas e a produção de conhecimentos nestes espaços. São alguns dos objetivos que motivam a oferta de mais uma edição do curso de formação para professores que vem sendo promovido pelo Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS (PEP) desde 2011.

    Em 2016 o curso intitula-se “Educação Patrimonial, Cidadania e Direitos Humanos: desafios do tempo presente”, e iniciará no dia 26 de agosto, sexta-feira, às 14h. Serão sete encontros, sempre nas sextas, das 14h às 19:30h, com pausa para o lanche e convivência. Os temas abordados, sempre em uma perspectiva voltada ao trabalho nas escolas, serão: patrimônio cultural e educação; ditaduras e ensino na Educação Básica; liberdade docente e o projeto “Escola sem Partido”; relações étnico-raciais; estado laico e liberdade religiosa; diversidade e relações de gênero; e violência Direitos Humanos.

    A carga horária será de 40h com certificado, em um curso que envolverá palestras com debate, oficinas, relatos de experiência e rodas de conversa. As inscrições serão gratuitas, e iniciarão na próxima semana, dia 03 de agosto, quando divulgaremos a programação completa. O público-alvo são, especialmente, professoras e professores da rede pública de ensino com atuação efetiva em sala de aula. Caso as vagas não sejam todas preenchidas por estes, serão inscritos professores de redes privadas, educadores atuantes em espaços não formais de educação, e estudantes de cursos de graduação em licenciaturas.

 Informações podem ser obtidas pelo e-mail acaoeducativa@smarh.rs.gov.br.

    Programe-se, converse com colegas de sua escola e participem!

Agora você pode baixar a publicação “PEP em Revista”!

Deixe um comentário

2016.07.13 Capa PEP em Revista vol 1Em março deste ano realizamos o evento de lançamento da publicação “PEP em Revista: o Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS”, produzida com recursos do edital Proext MEC 2015/2016 para registrar as ações que vem sendo desenvolvidas na parceria entre o APERS e a UFRGS desde 2009. O volume, organizado pelas servidoras do APERS Clarissa Sommer e Nôva Brando, e pela prof.ª Carla Simone Rodeghero (História/UFRGS),  foi produzido por elas com contribuição de toda a equipe presente no Programa em 2015 – grupo que pode ser conhecido nas páginas da publicação.

Os exemplares estão sendo distribuídos no APERS para professores, profissionais de instituições de memória e patrimônio, e demais interessados. Agora, disponibilizamos também online, para que você possa baixar e conhecer mais sobre este trabalho! Acesse clicando aqui.

Estudantes de Arquivologia produzem vídeo sobre o Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS

Deixe um comentário

Ao longo deste semestre nossa equipe do Programa de Educação Patrimonial recebeu as e os estudantes Fabiano Nunes, Letícia Prauchner, Paula Sant’Anna, Sharon Daniela Nuñez e William Albano, da disciplina de Difusão em Arquivos oferecida pelo curso de Arquivologia da UFRGS, e ministrada pelo Prof. Dr. Moisés Rockembach. O objetivo dos encontros foi viabilizar a realização do trabalho final da disciplina, já que o grupo optou por abordar a difusão por meio da Educação Patrimonial.

Nas visitas das(os) estudantes ao APERS, apresentamos o Programa e as concepções que vêm embasando este trabalho, realizamos visita guiada pela instituição, oportunizamos encontro com toda a equipe do PEP em uma de suas reuniões, assim como organizamos a observação e filmagem de algumas oficinas, momentos nos quais puderam ter contato com professores e estudantes da Educação Básica.

O resultado foi apresentado na UFRGS, e disponibilizado no YouTube. Assista e divulgue! Através de nossas redes vamos difundido o APERS, seu acervo, e seu potencial enquanto espaço educativo e cultural. Agradecemos ao grupo e ao professor Moisés pelo reconhecimento ao trabalho desenvolvido. Clique aqui para acessar o vídeo.

Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS 2016: escolas contempladas

Deixe um comentário

2016.01.20 para Regulamento PEP 2016

Hoje compartilhamos a lista das escolas contempladas para participação no Programa de Educação Patrimonial UFRGS-APERS em 2016, conforme o regulamento anteriormente divulgado. Confira a lista das escolas a seguir:

1 – Escola Estadual Fernando Gomes (Porto Alegre)
2 – Colégio Estadual Augusto Meyer (Guaíba)
3 – Escola Municipal de Ensino Fundamental Aramy Silva (Porto Alegre)
4 – Escola Estadual de Ensino Fundamental Érico Veríssimo (Porto Alegre)
5 – Escola Estadual de Ensino Fundamental Planalto Canoense (Canoas)
6 – Colégio Estadual Paraná (Porto Alegre)
7 – Colégio Romano Senhor Bom Jesus (Porto Alegre)
8 – Colégio Romano São Mateus (Porto Alegre)
9 – Colégio Romano Santa Marta (Porto Alegre
10 – Escola Municipal de Ensino Fundamental Wenceslau Fontoura (Porto Alegre)
11 – Escola Municipal de Educação Básica Alberto Santos Dumont (Sapucaia do Sul)
12 – Escola Municipal de Ensino Fundamental Justino Camboim (EJA) (Sapucaia do Sul)
13 – Escola Municipal de Ensino Fundamental Justino Camboim (Sapucaia do Sul)
14 – Escola Municipal de Educação Básica João de Barro (Sapucaia do Sul)
15 – Colégio de Aplicação da UFRGS (Porto Alegre)
16* – Escola Municipal de Ensino Fundamental Anisio Teixeira (Porto Alegre)
17* – Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr. Ferreira de Abreu (Porto Alegre)
18* – Escola Estadual de Ensino Médio Rafaela Remião (Porto Alegre)
19* – Escola Estadual de Ensino Médio Baltazar de Oliveira Garcia (Porto Alegre)
20* – Escola Municipal de Ensino Fundamental Pedro Vicente (Viamão)
21* – Escola Estadual de Ensino Fundamental Vila Cruzeiro do Sul (Porto Alegre)
22* – Escola Técnica Estadual Frederico G. Schmidt (São Leopoldo)
23* – Escola Municipal de Ensino Fundamental São Pedro (Porto Alegre)
24* – Escola Municipal de Ensino Fundamental Jerônimo Porto (Viamão)
25* – Escola Estadual Padre Nunes (Gravataí)
26* – Escola Estadual de Ensino Municipal Polisinos (São Leopoldo)
27* – Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr. Oswaldo Aranha (Porto Alegre)
28* – Escola Municipal de Ensino Fundamental Herbert José de Souza (Alvorada)

 * Inicialmente prevíamos inscrever até 15 escolas, mas devido à grande procura e interesse, estamos adaptando nossa agenda para acolher o maior número de escolas e turmas possíveis! Entretanto, a partir da 16ª (décima sexta) escola inscrita, de acordo com a ordem de recebimento da documentação, não está garantido o agendamento para todas as oficinas solicitadas. A quantidade e datas por escola serão definidas através de contato telefônico nos próximos dias.

Dúvidas podem ser elucidadas pelo e-mail acaoeducativa@smarh.rs.gov.br.

Agradecemos a participação de todas e todos!

Older Entries

%d blogueiros gostam disto: