Visitas Guiadas ao APERS – Fevereiro 2020

Deixe um comentário

Visitas Guiadas APERS

No mês de Fevereiro foram realizadas duas visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público do RS. Visitaram nossa instituição:

Dia 12: a família de nosso servidor Alvaro Antonio Klafre: filho André e a esposa Isabel, com a finalidade de conhecer o acervo e o conjunto arquitetônico do APERS.

Dia 19: 29 estudantes acompanhados pelo professor Marcelo da Silva, do Programa Jovem Aprendiz do Instituto Leonardo Murialdo.

Guia: Iara Gomide

Lembramos que semanalmente oferecemos visitas com duração de 1h30min em horários fixos: nas segundas-feiras às 14h30min e nas sextas-feiras às 10h. Para agendamento de grupos em outros horários, contate-nos pelo e-mail visitas@planejamento.rs.gov.br ou ligue para (51) 3288 9134.

Visitas guiadas ao APERS – Janeiro 2020

Deixe um comentário

Visitas Guiadas APERS

No mês de janeiro foram realizadas cinco visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público do RS. Visitaram nossa instituição:

Dia 10: nesta quinta-feira visitaram o Arquivo as professoras Gisele Soares Vieira, Aline Pereira da Silva e Camila Gonçalves Rodrigues, do SENAC/RS com a finalidade de conhecer o acervo e os processos técnicos do APERS.

Dia 13: nesta segunda-feira recebemos a visita de Natally Ferrari, funcionária do 5º Tabelionato de Notas de Porto Alegre (Tabelionato Manica) para conhecer nosso acervo.

Dia 14: recebemos a visita de Sedinei Beber, servidor da Secretaria da Fazenda, com objetivo de conhecer nosso acervo e o conjunto arquitetônico.

Dia 17: nesta sexta-feira recebemos a visita de Luiz Carlos Weizenmann, especialista em Direito Notarial e Registral, com objetivo de conhecer as instalações do acervo do Arquivo.

Dia 20: 12 estudantes acompanhados pelo professor Marcelo da Silva, do Programa Jovem Aprendiz do Instituto Leonardo Murialdo.

Guia: Iara Gomide.

Lembramos que oferecemos, semanalmente, visitas guiadas ao conjunto arquitetônico, com duração de 1h30min, nas segundas-feiras às 14h30min e nas sextas-feiras às 10h. Para agendamento de grupos em outros horários, contate-nos pelo e-mail visitas@planejamento.rs.gov.br ou ligue para (51) 3288 9134.

Visitas guiadas ao APERS – Dezembro 2019

Deixe um comentário

Visitas Guiadas APERS

No mês de dezembro foram realizadas 05 visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público RS. Visitaram nossa instituição:

Dia 03: nesta terça-feira visitaram o Arquivo os estagiários Bernardo S. Pereira e Guilherme P. de Moura, da Secretaria de Trabalho e Assistência Social.

Dia 06: 06 alunos do Programa Jovem Aprendiz do Instituto Leonardo Murialdo, acompanhados pelo professor Marcelo da Silva.

Dia 17: Profª Valéria Monaretto, da Faculdade de Letras da UFRGS, acompanhada por Joseanne S. Morais, Greice N. Nascimento, Gênova Maria Pulz, Luciana E. Fernandes, Maria C.S. Machado e Maria Angélica Jacques.

Dia 19: pela manhã 18 alunos do Programa SENAC-RS Comunidade, acompanhados pelo professor Marcio Oliveira, Orientador de Educação Profissional.

Dia 27: à tarde 19 alunos do Programa SENAC-RS Comunidade, acompanhados pela professora Cintia Castro Verardi, Orientadora de Educação Profissional.

Guia: Iara Gomide.

Lembramos que oferecemos, semanalmente, visitas guiadas ao conjunto arquitetônico, com duração de 1h30min, nas segundas-feiras às 14h30min e nas sextas-feiras às 10h. Agende sua visita pelo e-mail visitas@planejamento.rs.gov.br ou ligue para (51) 3288 9134.

Visitas guiadas ao APERS – Novembro 2019

Deixe um comentário

Visitas Guiadas APERS

No mês de novembro foram realizadas 14 visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público RS. Visitaram nossa instituição:

Dia 05: nesta terça-feira visitou o Arquivo o músico Andre Neto.

Dia 06: a Vereadora Lourdes Sprenger, acompanhada de sua assessora Larissa Garcia e sua mãe Minervina Garcia.

Dia 08: Prof. Fabio Ramos Barbosa Filho, da Faculdade de Letras da UFRGS, com suas alunas Daniela da Rosa Novo, Raíssa Gabriela Mores e Marina Carvalho Dummer.

Dia 09: na manhã de sábado recebemos turma de 15 estudantes do curso de História da UNISC, da disciplina de História e Educação Patrimonial, acompanhados pelo Prof. Eder Silva Silveira. A visita teve como enfoque as ações educativas desenvolvidas pelo Arquivo.

Dia 11: Sr. Fábio Gonçalves Gomes de Campinas – SP, da empresa Data-Center.

Dia 12: pela manhã 24 alunos do Programa SENAC-RS Comunidade, acompanhados pela professora Patrícia do Couto Borges.

Dia 18: pela manhã 11 alunos do Programa SENAC-RS Comunidade, acompanhados pela professora Angelita Franco Cardoso, Orientadora de Educação Profissional.

Dia 19: 46 alunos acompanhados pelo professor de História Cristiano, da Escola Estadual Antônio F. Lisboa.

Dia 19: na noite de terça-feira 19 estudantes do curso de História da Unilasalle, da disciplina de História do Brasil IV, estiveram o APERS acompanhados pela Professora Danielle Herbele Viegas. Além de apropriarem-se da instituição globalmente, o objetivo do grupo era conhecer os processos de indenização a ex-presos políticos.

Dia 21: 18 alunos acompanhados pelo professor Marcelo da Silva do Programa Jovem Aprendiz do Instituto Leonardo Murialdo.

Dia 22: Evano Lara de Lima, aluno do Curso de Arquivologia da UFRGS.

Dia 28: 34 alunos acompanhados pela professora Janice Maria Minks, da E.M.E.F. João Muck, Parobé-RS.

Dia 28: Lucas Muller, estagiário do Curso de Arquivologia da UFRGS.

Dia 30: cerca de 50 pessoas participaram do projeto Caminhos da Matriz, com visita ao conjunto arquitetônico do APERS, Memorial da Assembleia Legislativa do RS e Solar dos Câmara.

Guias: Clarissa Sommer e Iara Gomide.

Lembre-se: semanalmente oferecemos, nas segundas-feiras às 14h30min e nas sextas-feiras às 10h, visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do APERS com duração de 1h30min. Para visita de grupos em horários específicos, agende pelo e-mail visitas@planejamento.rs.gov.br ou ligue para (51) 3288-9134.

Exposição virtual “Caminhos dos Arquivos – Nossas Histórias, Nossas Heranças”: arquivos e futebol

Deixe um comentário

Aqui estamos, retomando as atividades em nosso blog e demais mídias sociais, após uma pausa que se estendeu desde o final de novembro de 2019. Hoje postaremos os conteúdos pendentes de novembro e as notícias previamente programadas para o dia. Na próxima quarta postaremos os conteúdos de dezembro e seguiremos com a programação normal. Que 2020 seja produtivo e permita nos mantermos conectados!

____________________________________________________________________________________________

O futebol é um romance. Assim como nos bons livros, o final é sempre inesperado”. Paulo Coelho

Chegamos à quinta edição da série de postagens mensais sobre o Programa Caminhos dos Arquivos, do qual faz parte o projeto de exposições, em módulo virtual, denominado “Caminhos dos Arquivos: Nossas Histórias, Nossas Heranças”. Hoje destacamos as instituições Arquivo do Sport Club Internacional, Biblioteca do Sport Club Internacional e Museu do Grêmio, compartilhando seus serviços e trajetórias:

2018.05.23 Foto Banner Inter

Arquivo Histórico Sport Club Internacional

O Arquivo Histórico do Sport Club Internacional foi criado em 2012. Neste mesmo ano foi cadastrado no Cadastro Nacional de Entidades Custodiadoras de Acervos Arquivísticos (CODEARQ). O acervo é composto por documentos em diversos suportes que registram a história do futebol, de esportes amadores e de toda e qualquer ação que preserve a história desportiva regional e/ou nacional. Possui a finalidade de preservar documentos e doações como registros de memória, assegurando às futuras gerações o acesso ao patrimônio cultural do Sport Club Internacional e a divulgação do acervo em ações de postagens em mídias sociais, compartilhando com a sociedade em geral a documentação do clube e as doações (participações) enviadas por torcedores.Serviços Prestados: Atendimento a pesquisadores com agendamento prévio.

Endereço: Av. Padre Cacique, 891, 2º andar do Gigantinho, bairro Menino Deus, Porto Alegre/RS

Contatos: (51) 3230-4671 | arquivohistorico@internacional.com.br | Site | Blog | Facebook

Biblioatual7

Biblioteca Zeferino Brazil- Fundação de Educação e Cultura do Sport Club Internacional

A Fundação de Educação e Cultura do Sport Club Internacional (FECI) surgiu pela iniciativa de torcedores, nos anos 20 e 30, que queriam um departamento que se integrasse na vida dos colorados. É a mais antiga das fundações ligadas a clubes de futebol no mundo e possui um acervo composto por mais de 80 mil obras das mais diversas áreas do conhecimento humano, com especialização na área futebolística. Sua criação é resultado da fusão de três departamentos do Inter: o da biblioteca, o departamento cultural e o assistencial, sendo a biblioteca nomeada de “Biblioteca Zeferino Brasil do Sport Club Internacional”. Seu homenageado, Zeferino Brasil, registrado como Zeferino Antônio de Souza Brazil, nasceu em 24 de abril de 1870, no distrito de Taquari. Mudou-se para Porto Alegre em 1879. Trabalhou no Tesouro do Estado e para vários jornais, como Jornal do Comércio, Correio do Povo, Gazeta do Comércio e Última Hora. Foi escritor e durante sua jornada, usando inúmeros pseudônimos, publicou obras como: Vovó Musa, Visão do ópio, Juca, O letrado e Alma Gaucha, relançadas pela Fundação de Educação e Cultura do Sport Club Internacional.A Biblioteca do Internacional foi oficialmente disposta no estatuto do clube em 1944, precisamente no dia 04/04, na gestão do presidente Abelard Jaques Noronha. A mesma foi idealizada pelo médico colorado Saul Totta e teve como paraninfo o historiador e escritor Olyntho San Martim. Em 1978 foi declarada de utilidade pública, sob o processo de nº4623/78, pela Secretaria de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, e integra os Sistemas Estadual e Nacional de Bibliotecas Públicas. Ressalta-se o ineditismo do Sport Club Internacional de manter uma Biblioteca num clube de futebol que presta serviços a comunidade como a disponibilização de empréstimo domiciliar e consulta local para estudo e pesquisa.

Endereço: Av. Padre Cacique, 891, 2º andar do Gigantinho, bairro Menino Deus, Porto Alegre/RS.

Contatos: (51)32304671 | biblioteca@internacional.com.br | Site | Blog 

Horário de Funcionamento: Segunda a Sexta-Feira das 8h-18h

1 - Fachada Museu do Grêmio

Museu do Grêmio – Museu Hermínio Bittencourt

Inaugurado no dia 12 de Dezembro de 1984 sob a forma de Sala de Troféus, o Museu do Grêmio surgiu a partir da organização de uma comissão constituída pelo ex-presidente Hermínio Bittencourt, Henrique Amábile Filho e Ema F. Coelho de Souza. O trabalho de organização do acervo de taças, documentos e objetos da memória do Clube foi iniciado em julho de 1983 e logo foi acrescido da colaboração de Raimundo Bordim e Helio Devinar. A reinauguração do espaço, já com sua estrutura e exposição completa de museu, foi em 19 de dezembro de 1988. O trabalho contínuo da equipe liderada por Ema Coelho de Souza motivou a renovação do Museu ainda na década de 1990. Fechado à visitação para uma grande reforma em 1999, manteve as atividades internas por cinco anos, atendendo torcedores e pesquisadores. Até que em 19 de setembro de 2004 foi inaugurado o Memorial Hermínio Bittencourt, com uma exposição redesenhada e renovada. O local logo se tornou ponto de encontro dos gremistas, e sempre será lembrado por quem viveu os últimos anos de utilização do Estádio Olímpico Monumental. Foi no final de 2011 que começou o projeto do novo museu para a Arena do Grêmio, a cargo da empresa Muse & Mather, especializada em museus e exposições. O planejamento foi dividido em duas grandes etapas, e em 19 de dezembro de 2012 foi realizada uma celebração de pré-inauguração para marcar a transferência . Foi aberto ao público, em sua primeira fase, no dia 19 de dezembro de 2015. A área compreende 785 m² de exposição, devendo alcançar um total de 1.500 m² na fase 2, mais que o dobro do espaço no Estádio Olímpico. O Museu introduziu uma concepção moderna de arquitetura e exposição, oferecendo uma nova forma de acesso à informação, aliada às novas tecnologias para que o visitante obtenha maior interação e autonomia em sua experiência. Na Galeria de Troféus o visitante encontra as principais taças conquistadas pelo Grêmio desde 1904, quando ganhou seu primeiro título. Além da exposição há os monitores interativos. Na Sala de Experiência Imersiva, com uma projeção de 360 graus dos principais momentos da história do Clube, o torcedor é levado ao clima dos grandes jogos. Ainda o Museu contempla uma área dedicada especialmente à Baixada, ao Olímpico e à Arena – e a relação dos estádios com a história de Porto Alegre. Há maquetes dos três estádios apresentando objetos e personagens, além da projeção de um curta-metragem que homenageia o Estádio Olímpico, casa do Tricolor por 58 anos e palco das maiores conquistas até então. A exposição também conta a história do Grêmio através de réplicas dos uniformes utilizados desde 1903, mostrando a evolução das cores e modelos até a atual camisa azul, preta e branca. Entre as camisas históricas expostas, estão as utilizadas por grandes ídolos nos principais momentos da trajetória do Clube.O espaço tem a finalidade de preservar o acervo documental, assim como a história e memória do clube, ressignificando, investigando e finalmente promovendo o acesso ao acervo (tridimensional e documental), bem como à pesquisa e capacitação científica e social referentes à história do Clube inserido no desenvolvimento de Porto Alegre.A equipe de organização técnica dedica-se constantemente à pesquisa de elementos de memória do passado e da preservação da história do Clube na atualidade, construída diariamente com os torcedores, os jogadores, a comunidade e o estádio. O Museu do Grêmio se abastece também da pesquisa de outros museus, periódicos e doações de torcedores. Outra fonte de resgate é o contato direto com personagens históricos, além do depoimento de familiares de gremistas que contribuíram para a trajetória tricolor. Acervo documental: estatutos, atas, recibos, cartas, súmulas de jogos, currículos, legislação desportiva, fotografias, filmes, publicações produzidas pelo próprio clube, etc; Acervo museológico: troféus, medalhas, moedas, bandejas comemorativas, joias, uniformes, bolas, faixas, flâmulas, bandeiras, etc; Coleções: livros, jornais e revistas nacionais e internacionais.

Endereço: Av. Padre Leopoldo Brentano, 110, Bairro Humaitá, Porto Alegre/RS

Contatos: (51) 3218-2018 | memorial@gremio.net | Site

Horário de Funcionamento: Segunda a Sexta das 9h às 18h

Dia 25/11 é dia de debater “Moradia popular: a cidade em disputa no pós-Abolição”

Deixe um comentário

Nesse Novembro Negro, o Arquivo Público promove, em parceria com o GT Emancipações e pós-Abolição da ANPUH-RS e com o Coletivo Quilombonja, o seminário “Moradia popular: a cidade em disputa no pós-Abolição“, que ocorrerá em nosso auditório no dia 25 de novembro, entre 09h e 18h.

2019.11.20 evento quilombonja2

Você já reparou na impactante arte do material? Ela foi produzida pelos estudantes José da Silva Martins e Taylor Felipe dos Santos, respectivamente do 7º e do 9º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Nossa Senhora de Fátima, localizada no bairro Bom Jesus, em Porto Alegre/RS. Nessa Escola nasceu o Coletivo Quilombonja, coordenado pelo professor Bruno Xavier Silveira, da Geografia.

Provocados a pensar sobre o tema do evento, Taylor e José colocam no papel os processos de segregação e luta por moradia vividos em nossa cidade. Perguntamos o que eles quiseram representar com o desenho. Nas palavras de Taylor,

[A imagem] significa uma… como é que eu posso te dizer, uma disputa de poder. Uma territorialidade. Uma disputa entre nós, que somos pobres, e os ricos – os brancos que são os ricos. Como nós moramos mais em comunidade, nós somos mais da favela, nós somos pobres. E os ricos são os que moram em apartamentos, chiques, essas coisas, têm piscina, têm casa boa. Tudo isso. Muitos deles não trabalham, nós temos que trabalhar para ter nossas coisas, e temos que lutar para conquistar nossas coisas. Então isso quer dizer que todo mundo tem que ter os direitos iguais, porque que nem muitos de nós aqui, negros que trabalhamos quase um mês inteiro pra ganhar metade de um salário no final do mês. Isso não é justo. E isso não faz a gente diferente dos brancos, porque nós temos que ganhar a mesma quantidade que eles ganham, porque nós trabalhamos da mesma forma que eles trabalham. Às vezes a gente até trabalha mais que eles, e eles ganham mais do que nós. E muitos deles ganham sentados. Eu quero dizer que é uma territorialidade, e é uma disputa de poder. Então, o personagem ali do meio, ele está cortando porque isto é injusto, todo mundo tem que ter direitos iguais.

José explica que “o desenho é uma representação da desigualdade social e esses negócios, tipo, a favela de um lado, e a cidade de gente rica do outro lado, dai o homem branco divide ali, com uma tesoura”. Argumenta que a segregação das populações se dá muitas vezes pelo argumento de que na favela tem muita violência, como os tiroteios, e que meninos pretos, moradores de favela como ele, não poderiam pisar nas “zonas de rico”. Mas finaliza apostando nos “bons estudos” como um caminho para ter oportunidades e romper com esse ciclo.

Vamos debater sobre o tema? O evento é gratuito e não necessita inscrição prévia. Participe!

Visitas guiadas ao APERS – Outubro 2019

Deixe um comentário

Visitas Guiadas APERS

No mês de outubro foram realizadas oito visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do Arquivo Público do RS. Saiba quem foram nossos(as) visitantes:

Dia 03: visitaram o Arquivo naquela quinta-feira a Professora Manuela Catafesta e sete alunos do Curso de Arquitetura de Extensão da Faculdade Ritter. Também acompanharam a visita Diego Gomide e Lucas Damasceno.

Dia 14: na tarde de segunda-feira recebemos a família Nunes: senhor Artur, senhora Magda e o filho André. Também acompanharam a visita o estagiário do APERS Luiz Otávio Martins, do curso História da PUCRS, e o servidor Álvaro Klafke.

Dia 14: visita na noite de segunda-feira, com foco nas ações educativas do APERS. Recebemos 23 estudantes da disciplina de Introdução à Prática e Estágio, do curso de Licenciatura em História da UFRGS, acompanhados pela professora Carla Meinerz.

Dia 16: nesta quarta-feira, recebemos 11 alunos da E.E.E.F. Professora Thereza Noronha Carvalho, acompanhados pelos professores Alexander Silva, Gustavo Monteiro, Milton M. Braga, Andreia Fraga de Bem e Fatima Silveira. Também acompanhou a visita a estagiária do APERS Elisa Costa, do curso de História da PUCRS.

Dia 19: na tarde de sábado, recebemos 22 escoteiros da Tropa Caetés (Tropa 1) do Grupo Escoteiro Georg Black, acompanhados pelos chefes Carlos Eduardo Klein, Thiago Yuki Kajiwara e Tatiane G. M. Voelcker.

Dia 22: na noite de terça-feira recebemos nove estudantes do Seminário de História Pública, ministrado pelo professor Benito Bisso Schmidt a estudantes do curso de Bacharelado em História da UFRGS. A visita teve como principal objetivo debater o trabalho desenvolvido por historiadores dentro de instituições arquivísticas. Foto de Renata Coutinho.

Dia 25: sexta-feira pela manhã recebemos a visita do Professor Fábio Ramos Barbosa Filho, da UFRGS.

Dia 30: na tarde de quarta-feira recebemos 17 jovens acompanhados pelo professor Marcelo Silva, do Programa Jovem Aprendiz – Instituto Leonardo Murialdo.

Guias: Clarissa Alves e Iara Gomide.

Lembre-se: semanalmente oferecemos, nas segundas-feiras às 14h30min e nas sextas-feiras às 10h, visitas guiadas ao conjunto arquitetônico do APERS com duração de 1h30min. Para visita de grupos em horários específicos, agende pelo e-mail visitas@planejamento.rs.gov.br ou ligue para (51) 3288-9134.

Participe da III Semana Nacional de Arquivos!

Deixe um comentário

Cartaz ASCOM III SNA 1

Relatórios APERS 2016 – DIPAD: Ações educativas e culturais

Deixe um comentário

O Arquivo Público do Rio Grande do Sul possui uma série de atividades na área de Ação Educativa, sobretudo as vinculadas ao Programa de Educação Patrimonial, consolidadas e reconhecidas pelas mais diversas instituições ligadas à educação. De modo geral, as atividades são desenvolvidas dentro da própria instituição.

APERS? Presente, professor!Na intenção de darmos continuidade e estendermos essa aproximação, elaboramos em 2014 o projeto APERS? Presente, Professor? Propostas Pedagógicas a partir de Fontes Arquivísticas que pretendeu levar um pouco do Arquivo Público até a escola, a partir da construção de propostas pedagógicas que tiveram como ponto de partida os documentos custodiados pela instituição. O objetivo caracterizou-se pela disponibilização virtual de atividades que pudessem ser desenvolvidas pelos professores nas salas de aula da educação básica. Em 2016 se deu a publicação e disponibilização da Coletânea da IIª Edição do Projeto APERS? Presente, professor!. As propostas que compõe esta coletânea foram disponibilizadas, no formato PDF, no Blog Institucional do APERS ao longo de 2015 e foram construídas com fontes arquivísticas, a partir do eixo temático História e Direitos Humanos.

Outra atividade que demandou tempo das equipes da Divisão de Preservação, Acesso e Difusão foi a elaboração do projeto Estágio Curricular para o Curso de História. O estágio foi desenvolvido entre os dias 29 de setembro e 26 de outubro, e foi oferecido para alunos dos cursos de graduação em História, tanto bacharelado quanto licenciatura.

2016-11-09-foto

Com uma carga horária de 50 horas, distribuídas em 12 encontros, os estagiários puderam discutir e vivenciar, saberes e fazeres de um historiador dentro de uma instituição arquivística. No primeiro encontro, foram apresentados ao APERS por meio de uma Visita Guiada e de conversa sobre as atividades, em geral, desenvolvidas pelo arquivo. Nos segundo e terceiro encontros, foram abordados assuntos relacionados à Classificação, Avaliação e Descrição Documental. Além de leituras, foram propostas duas atividades com documentos do Poder Executivo, para as quais o contato com o Plano de Classificação e a Tabela de Temporalidade (IN02/2014 SIARQ/RS) e as normas de descrição da NOBRADE se faziam necessárias para realização dos exercícios. No quarto encontro, foram trabalhados aspectos da indexação de documentos, umas das etapas da descrição documental, na qual foram utilizados documentos do Poder Judiciário. Nesse encontro, de forma prática, os alunos puderam conhecer o banco de dados do Arquivo AAP (Administração de Acervos Públicos) e realizar atividades práticas de alimentação do site.

Nos quinto e sexto encontros, os estagiários entraram em contato com as áreas de Preservação e de Conservação. Realizaram leitura e debates sobre o tema e observaram as condições do arquivo e dos acervos a partir desse prisma. Também puderam realizar algumas atividades práticas de conservação como higienização, desmetalização, feitura de capas e costuras. Os próximos dois encontros, o sétimo e oitavo, foram destinados ao Atendimento ao Pesquisador. Além de leituras sobre o papel do historiador que atua em arquivos no suporte à pesquisa, conheceram os diferentes instrumentos de pesquisa disponíveis para acesso aos documentos dos poderes legislativo, judiciário e executivo. Depois disso, realizaram atividades de pedidos e de busca de documentação.

Para os últimos quatro encontros, ficaram reservadas as temáticas da Difusão e das Ações Educativas. Para a primeira, além da proposta de leitura e discussão de texto sobre o assunto e apresentação das atividades de difusão desenvolvidas pelo APERS, os alunos, tiveram que escrever um texto, divulgando um conjunto documental, Acervo da Vara de Família e Sucessão, custodiado pelo Arquivo. Por fim, foram apresentados às ações educativas desenvolvidas pelo APERS e conheceram um pouco mais sobre os serviços pedagógicos de outros arquivos, nacionais e internacionais. E como exercício, construíram uma atividade pedagógica a partir de documentos da Comissão Especial de Indenização.

Dessa forma, os estagiários puderam conhecer, problematizar e realizar algumas tarefas que compõem cada uma dessas atividades desenvolvidas pelos servidores dos APERS. Acreditamos que a proposta inicial, de oportunizar o contato de estudantes dos Cursos de História com os trabalhos desenvolvidos em instituições arquivísticas foi cumprido e que, para eles, além das instituições de educação básica e de ensino superior, os arquivos se transformaram em campo de atuação profissional. Segue a descrição das atividades:

  • Planejamento;
  • Elaboração e submissão do Programa do Estágio à direção do APERS;
  • Elaboração de material de divulgação;
  • Reunião com a Equipe do Estágio Curricular;
  • Alteração do Programa original (alteração de datas);
  • Recebimentos de indicação, organização e inclusão de Bibliografia no Programa do Estágio Curricular;
  • Contatos Universidades (UFRGS, PUC, Unisinos e FAPA) – prospecção de demanda pelo estágio Curricular;
  • Finalização do material de divulgação após alterações de datas;
  • Divulgação do Estágio Curricular (Blog);
  • Divulgação Estágio Curricular Universidades;
  • Início das Inscrições pelo e-mail apers@;
  • Contato Maria Lúcia Ricardo Souto para autorização de utilização de texto sobre conservação e reparos;
  • Reserva do Auditório e da Sala de Reuniões para atividades do Estágio;
  • Agenda Expresso – convite|registro atividades dos integrantes da equipe;
  • Lista de Informações sobre o Estágio para disponibilizar na Recepção do APERS;
  • Elaboração de Apresentação/slides para o primeiro encontro;
  • Elaboração de Ficha de Avaliação;
  • Acompanhamento do e-mail APERS;
  • Planejamento e execução das atividades realizadas no encontro de Apresentação da Instituição (Nôva e Caroline);
  • Planejamento e execução das atividades realizadas nos encontros de Classificação, Avaliação e Descrição (Viviane);
  • Planejamento e execução das atividades realizadas nos encontros de Indexação (Roberta);
  • Planejamento e execução das atividades realizadas nos encontros (dois) de Conservação e Preservação (Nôva);
  • Planejamento e execução das atividades realizadas nos encontros (dois) de Atendimento ao Pesquisador (Caroline)
  • Planejamento, elaboração de materiais e execução das atividades realizadas nos encontros (dois) de Pesquisa Histórica e Difusão de Acervos (Nôva);
  • Planejamento, elaboração de materiais e execução das atividades realizadas nos encontros (dois) de Ação Educativa (Nôva e Caroline);
  • Elaboração e entrega, por e-mail, de certificado de conclusão do Estágio;
  • Organização Pasta Servidor e materiais físicos;
  • Elaboração de Notícia para o Blog sobre a Iª Edição do Estágio.

Trabalharam na organização do Estágio: Caroline Acco Baseggio, Nôva Marques Brando, Roberta Capelão Valença Scholz, e Viviane Portella de Portella. Nôva Marques Brando foi responsável também pelo projeto APERS? Presente, professor!

Notícias relacionadas:

Balanço 2016 do APERS

Relatórios APERS 2016 – DIPAD: Divulga APERS

Relatórios APERS 2016 – DIPAD: Programa de Educação Patrimonial UFRGS|APERS

Coletânea da IIª Edição do Projeto APERS? Presente, professor!

Deixe um comentário

Capa Coletanea    Como encerramento da IIª Edição do Projeto APERS? Presente, professor – Propostas Pedagógicas a partir de Fontes Arquivísticas, o Arquivo Público lança a publicação de uma Coletânea com seis propostas pedagógicas publicadas no Blog ao longo do ano de 2015 (clique aqui para acessar). Todas elas estão organizadas a partir do eixo temático História e Educação em Direitos Humanos, no qual a ideia de que o conhecimento histórico, construído a partir de vestígios do passado, no caso específico aqui, de documentos salvaguardados pelo Arquivo, pode contribuir para uma educação em direitos humanos.

    Para construí-las, a equipe do projeto utilizou como fonte documentos dos Acervos do Poder Executivo, do Poder Judiciário e do Tabelionato. Cada uma dessas publicações foi elaborada a partir de olhares mais específicos dentro do eixo temático. São elas: (1) Ditadura e Democracia: perseguições e participações políticas; (2) Relações de Gênero: construindo a equidade; (3) Relações Étnico-raciais no Brasil; (4) Democracia e a garantia dos direitos políticos; (5) Segurança Pública e Integridade Física: um direito de todos; (6) A luta pela terra e o direito à propriedade.

   Esperamos que a temática do eixo e seus assuntos específicos promovam importantes discussões e que auxiliem no desenvolvimento de importantes competências e habilidades junto aos alunos; que a partir das fontes arquivísticas, de outras fontes incorporadas nas propostas, das atividades e leituras sugeridas, ocorram aprendizagens significativas capazes de promover o respeito, a defesa, a proteção, e a construção de uma cultura dos Direitos Humanos.

APERS participa do Seminário de Ensino de História do Curso de História da UFRGS

Deixe um comentário

Na última terça-feira à noite, dia 10 de novembro, a historiadora do Arquivo Público do RS, Nôva Brando, participou da aula de Seminário de Ensino de História: Teoria e Prática do Curso de História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a convite do Professor da disciplina, Enrique Padrós. O objetivo da aula, que também contou com a presença do Professor da Rede Municipal de Ensino da cidade de Cachoeirinha, Ramiro Reis, foi apresentar aos futuros professores de história, experiências desenvolvidas na área do ensino e da docência.

SAM_0966

Na primeira parte da aula, o Professor Ramiro compartilhou com os graduandos do curso algumas das atividades que tem desenvolvido com seus alunos do Ensino Fundamental, dentre elas, a construção de um vídeo que problematizou algumas questões ligadas à Ditadura Civil-militar e à atual Democracia.

Logo LaranjaNa segunda parte do encontro, foi a vez de Nôva Brando apresentar algumas das propostas pedagógicas que compõem os três volumes da Coletânea da Iª Edição do projeto APERS? Presente, professor? – Propostas pedagógicas a partir de Fontes Arquivísticas.

Com o objetivo de levar um pouco do Arquivo Público do RS até a escola, por meio desse projeto, o APERS reconhece a importância da divulgação do material em espaços de formação de professores e, com isso, já deixa registrado o agradecimento pelo convite e pela oportunidade.

Acesse abaixo os volumes da Coletânea do Projeto APERS? Presente, professor!:

APERS? Presente, professor! – IIª Edição/2015

Deixe um comentário

Cartaz Divulgação Projeto

Professora e professor, o Arquivo Público do Rio Grande do Sul, na figura do projeto APERS? Presente, professor!, já em sua 2ª Edição, pede licença para fazer parte do seu planejamento de aula e para entrar na sua classe. Queremos compartilhar com vocês, importantes informações guardadas nas estantes dessa Instituição e um pouco da aventura que é a construção do conhecimento histórico a partir dos vestígios deixados por homens e mulheres do passado.

No ano de 2014, disponibilizamos 16 propostas pedagógicas, organizadas em três coletâneas: (1) Resistência à Ditadura Civil-militar – das fontes arquivísticas para a sala de aula, 50 anos depois (clique aqui para acessar); (2) Cativeiro e Resistência – A escravidão negra no Rio Grande do Sul a partir de fontes arquivísticas (clique aqui para acessar); (3) A Transversalidade nas Fontes – diversificadas fontes arquivísticas para diferentes trabalhos pedagógicos (clique aqui para acessar). Para o ano de 2015, vamos elaborar e disponibilizar, virtualmente, propostas pedagógicas organizadas em tono do eixo temático História e Educação em Direitos Humanos.

Segundo as Diretrizes Nacionais de Educação em Direitos Humanos, a Educação em DH, um dos eixos fundamentais do direito à educação, refere-se ao uso de concepções e práticas educativas fundadas nos direitos humanos e em seus processos de promoção, proteção, defesa e aplicação na vida cotidiana e cidadã de sujeitos de direitos e responsabilidades individuais e coletivas. Ainda conforme tal legislação, assim como é mencionado também no Programa Mundial para Educação em Direitos Humanos quando fala em sua inserção holística nos contextos educativos, deverá ser considerada na construção dos Projetos Político-Pedagógicos (PPP); dos Regimentos Escolares; dos Planos de Desenvolvimento Institucionais (PDI); dos Programas Pedagógicos de curso (PPC) das instituições de Educação Superior; dos materiais didáticos e pedagógicos; do modelo de ensino, pesquisa e extensão; de gestão, bem como dos diferentes processos de avaliação.

Essas propostas pedagógicas, em número de seis, serão disponibilizadas virtualmente no Blog do Arquivo, sempre em formato PDF, nas últimas semanas dos meses de abril, maio, junho, agosto, setembro e outubro. Cada proposta pedagógica contará com texto de suporte temático para professor, fonte arquivística digitalizada, propostas de atividades a partir do texto e da fonte e sugestões metodológicas para a condução dos trabalhos em sala de aula.

Dessa forma, esperamos contribuir para o processo de ensino-aprendizagem dos Direitos Humanos no âmbito da educação escolar por meio da utilização de documentos custodiados pelo Arquivo.

* A publicação a proposta do mês de abril será publicada dia 06.05.2015.

Atualizado em 05.06.2015

Coletânea da Iª Edição do Projeto APERS? Presente, professor!

1 Comentário

     Com o encerramento da Iª Edição do Projeto APERS? Presente, professor – Propostas Pedagógicas a partir de Fonte Arquivísticas, o Arquivo Público do RS lança a publicação de uma Coletânea com as dezesseis propostas pedagógicas publicadas no Blog ao longo do ano de 2014. Divididas em três volumes, foram sistematizadas conforme os três eixos temáticos trabalhados.

Capa_Coletanea - Volume 1O Volume 1, chamado de A Resistência à Ditadura Civil-militar – das fontes arquivísticas para a sala de aula, 50 anos depois (49 Mb) são encontradas oito propostas de trabalho pedagógico que abordam diversos aspectos da Ditadura Civil-militar no Brasil, a partir de processos de indenização de ex-presos políticos do período da Ditadura que compõem o Acervo da Comissão Especial de Indenização. São elas: (1) Os Anos de Chumbo da Ditadura e a Luta Armada no RS; (2) A Ditadura vista do lado de lá da Fronteira – o mundo dos exílios; (3) Conexões Repressivas e Redes de Solidariedade: repressão e resistência no Cone Sul; (4) Esquemas Repressivos e Tortura; (5) Fim da Ditadura: Abertura Política e Anistia; (6) Processo de Redemocratização: rupturas e permanências; (7) Democracia e Justiça de Transição; e (8) A luta por Memória, Verdade e Justiça.

Capa_Coletanea - Volume 2O Volume 2, chamado de Cativeiro e Resistência – A escravidão negra no Rio Grande do Sul a partir de fontes arquivísticas (20 Mb) é composto por quatro propostas de trabalho pedagógico que discutem a escravidão negra no Brasil, a partir da utilização de registros de compra e venda e de alforrias, de inventários e de testamentos que compõem o Acervo do Tabelionato e do Judiciário. São elas: (1) Compra e Venda de Negros Escravizados: da relação de coisificação à relação entre sujeitos; (2) Herança de Pai para Filho: resistência e conquistas nos registros de testamento; (3) Resistência à Escravidão: uma história de luta registrada nos Processos Crimes; e (4) A Experiência do Cativeiro, a Resistência e a Liberdade.

Capa_Coletanea - Volume 3No Volume 3, chamado de A Transversalidade nas Fontes – diversificadas fontes arquivísticas para diferentes trabalhos pedagógicos (48 Mb) também são encontradas quatro propostas cujo objetivo é o trabalho com os temas transversais, recomendados pelas Diretrizes Curriculares para a Educação Básica. Para construí-las, foram utilizados processos judiciais e administrativos, termos de investigação policial, relatórios e fichas de registros dos Acervos do Judiciário e do Executivo. São elas: (1) História das Mulheres e das Relações Familiares; (2) Mobilidade Urbana e Violência no Trânsito; (3) Sociedade, Violência e Políticas Públicas de Segurança; e (4) Saúde – História e Políticas Públicas.

     Esperamos que essa coletânea contribua de alguma forma com os trabalhos desenvolvidos em sala de aula pelos professores e advertimos que em breve serão divulgadas novas informações a respeito da IIª Edição do Projeto.

AfricaNoArquivo – Compartilhando a produção do Projeto (II)

Deixe um comentário

2015.03.25 AfricaNoArquivo II imagem

Hoje damos sequência à disponibilização dos materiais que compõe a Caixa Pedagógica AfricaNoArquivo. O “Material de Apoio à Professora e ao Professor!”, a seleção de páginas do inventário de Felisbina da Silva Antunes, a carta de liberdade da Rita e o testamento do Antonio Gaia já estão aqui. Agora, você pode baixar também:

– Carta de Liberdade de Faustino (Jaguarão, 1866) Liberto aos 18 anos com a condição de servir em um dos corpos do Exército por 12 anos no lugar de seu senhor. Possível problematizar o contexto da Guerra do Paraguai e a realidade de uma região de fronteira.

– Processo-crime de insurreição escrava na Aldeia dos Anjos (Comarca de Porto Alegre,1863) Tratando-se de um processo com cerca de 260 páginas, fizemos um recorte optando por digitalizar e transcrever sua abertura, o depoimento, o julgamento e a sentença relacionados ao réu Bento, apresentando a história registrada no documento a partir de sua versão. Contribui para debater a agência e a resistência dos escravizados em uma região (Gravataí) muito próxima aos estudantes que estão em contato com a caixa pedagógica. Interessante notar que esta insurreição já foi objeto das pesquisas do historiador Wagner Pedroso, que utilizou esse processo e diversos outros documentos do acervo do APERS. Acesse sua dissertação de mestrado e um artigo.

– Escritura de compra e venda de Felizarda e seus três filhos (Vila de Porto Alegre/Continente de Rio Grande de São Pedro, 1798) Documento registra a venda de Felizarda e seus filhos “mulatinhos” Francisco, Antonio e Felisbino pela quantia de 305$600. Permite questionar a formação de famílias, a paternidade muitas vezes relacionada aos próprios senhores, as transações mercantis com vidas humanas…

Aos que já acompanharam a postagem do mês passado e leram o material de apoio fica claro que a proposta da Caixa Pedagógica parte da exploração dos documentos em todo o seu potencial, incentivando que cada estudante se debruce sobre eles como pesquisadores, investigando informações, contextos e conceitos. A partir daí estarão aptos à próxima etapa: utilizar o conhecimento adquirido para explorar o jogo de tabuleiro, que será disponibilizado no mês seguinte com a cartela de regras.

Ressaltamos que os documentos que compõe a Caixa são apenas exemplares selecionados dentro de um acervo riquíssimo. A utilização dos mesmos pode e deve motivar novas pesquisas e desdobramentos.

Nesse sentido, reforçamos o convite para que sigam acompanhando as postagens relacionadas ao Projeto AfricaNoArquivo, e para que compartilhem conosco através do e-mail acaoeducativa@sarh.rs.gov.br registros de suas experiências com o material, como reflexões, opiniões dos estudantes e fotos de atividades realizadas nas escolas. Tudo poderá contribuir para a difusão e a valorização desse trabalho, instigando desdobramentos!

Relatórios 2014 – DIPEP: Projeto APERS? Presente, Professor! – Propostas Pedagógicas a partir de Fontes Arquivísticas

Deixe um comentário

Cartaz Divulgação

O Arquivo Público do Rio Grande do Sul (APERS) possui uma série de atividades na área de Ação Educativa, sobretudo as vinculadas ao Programa de Educação Patrimonial, consolidadas e reconhecidas pelas mais diversas instituições ligadas à educação. De modo geral, quase todas as atividades são desenvolvidas dentro da própria instituição. Na intenção de darmos continuidade e estendermos essa aproximação, elaboramos o projeto “APERS? Presente, Professor? Propostas Pedagógicas a partir de Fontes Arquivísticas” que pretendeu levar um pouco do Arquivo Público do RS até a escola, a partir da construção de propostas pedagógicas que tiveram como ponto de partida os documentos custodiados pela instituição.

Elas foram organizadas em três eixos temáticos: o primeiro deles, Resistência à Ditadura Civil-militar – das fontes arquivísticas para a sala de aula, 50 anos depois, constituem uma série de oito propostas elaboradas a partir de processos de indenização de ex-presos políticos do período da Ditadura; o segundo, Cativeiro e Resistência – a escravidão negra no Rio Grande do Sul a partir de fontes arquivísticas, formam um conjunto de quatro publicações construídas a partir dos documentos da escravidão, presentes nos acervos do judiciário e do tabelionato; e o terceiro, Transversalidade nas Fontes – diversas fontes arquivísticas para diferentes trabalhos pedagógicos, englobam quatro produções pensadas a partir dos acervos do judiciário e do executivo. Essas propostas foram disponibilizadas, no formato PDF, no Blog do Arquivo e no Blog Resistência em Arquivo.

Este projeto teve por objetivos, portanto: disponibilizar materiais pedagógicos, construídos a partir de documentos de arquivo, para o trabalho em sala de aula; contribuir, a partir de mais uma ação dentro da perspectiva da Difusão Cultural, para a divulgação dos acervos do Arquivo e das suas potencialidades; trabalhar junto à Área das Ações Educativas do APERS para fortalecer nosso vínculo com os professores e com as escolas, já solidificado por meio do Programa de Educação Patrimonial, a partir de propostas que aproximem o Arquivo dos trabalhos desenvolvidos na Educação Básica; contribuir para o uso de fontes arquivísticas no trabalho pedagógico desenvolvidas nas escolas de Educação Básica; colaborar com o Programa de Educação Patrimonial naquilo que diz respeito à construção de um suporte pedagógico do Arquivo que evidencie as possibilidades de continuidade de trabalhos na escola a partir das propostas teórico-metodológicas trabalhadas nas Oficinas e nos Cursos de Formação em Educação Patrimonial oferecidos pelo APERS; contribuir para o trabalho de divulgação e de discussão acerca da temática Ditadura e Direitos Humanos, já desenvolvidos permanentemente pelo APERS por meio do Programa de Educação Patrimonial e em outras ações, a partir de propostas pedagógicas vinculadas ao Acervo da Comissão Especial de Indenização, destinadas ao trabalho nas escolas; auxiliar na permanente divulgação dos Acervos custodiados pelo APERS, registrados nos Projetos “Catálogos da Escravidão e Cartas de Liberdade” que dizem respeito ao período da escravidão negra no RS; contribuir para a expansão até as escolas dos trabalhos pedagógicos, já desenvolvido pela oficina “Tesouros da Família Arquivo” e pelos cursos de formação “Aplicando a Lei 10.639 – Patrimônio, Cultura e História da África e Afro-Brasileira”; ajudar na divulgação de acervos do Poder Executivo, com propostas pedagógicas ligadas aos temas transversais presentes no currículo como, por exemplo, meio ambiente, saúde […]; Além disso, construir propostas que permitam a continuidade na escola das discussões presentes na vivência da oficina “Desvendando o Arquivo Público – Historiador por um dia”; e a partir das contribuições do Projeto “Onde estão as mulheres no APERS?”, divulgar acervos com potencialidades de trabalhos pedagógicos direcionados às questões de gênero, também conteúdo transversal nos currículos escolares.

Em 2014 foram produzidas 16 propostas pedagógicas, somando 661 visualizações no blog institucional. Confira aqui o relatório completo da Iª Edição do Projeto produzido por sua coordenação e aqui o relatório de autoavaliação produzido pela estagiaria que compôs a equipe nessa primeira etapa de elaboração das propostas pedagógicas. Como encerramento dessa Primeira Edição do Projeto, ocorrerá a publicação de uma coletânea em três volumes, organizados a partir dos eixos temáticos.

Ainda como perspectiva de resultados do projeto, a equipe aguarda a efetivação de um Convênio junto à Secretária de Educação, para que seja divulgado no site da instituição as propostas pedagógicas. Da mesma forma, aguarda a divulgação de suas propostas pedagógicas no site do Laboratório de Ensino de História e Educação da UFRGS.

Para saber um pouco mais sobre o Projeto, você pode acessar aqui a entrevista concedida pela Historiadora Nôva Brando à Radio Assembleia.

Confira em abril, aqui em nosso Blog Institucional, informações e novidades da Segunda Edição do Projeto!

APERS? Presente, professor! – Saúde – História e Políticas Públicas

Deixe um comentário

2014.12.24 Saúde e Políticas Públicas_BlogHoje estamos disponibilizando a última proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! desse ano de 2014. Ela está inserida dentro do eixo temático A Transversalidade nas Fontes – diversas fontes arquivísticas para diferentes trabalhos pedagógicos e recebeu o nome de Saúde – História e Políticas Públicas que tem como objetivos (a) desnaturalizar a ideia, que talvez para muitos jovens seja óbvia, de que todos sempre tiveram acesso aos cuidados e avanços da medicina e que o Estado, o poder público, sempre ofereceu serviços a população que por eles procurou e (b) auxiliar na construção da noção de que o acesso universal garantido pelo Estado foi uma conquista da população. Acesse aqui o arquivo da proposta.

Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia das fontes utilizadas na construção da proposta, disponibilizamos aqui as Fichas completas de Registro da Delegacia Especial de Segurança Pessoal e Sanitária. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

Um ótimo trabalho!

APERS? Presente, professor! – A Luta por Memória, Verdade e Justiça

Deixe um comentário

2014.12.10 Memoria Verdade e Justica_Blog   Hoje disponibilizamos a décima quinta proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor que está inserida dentro do eixo temático A Resistência à Ditadura Civil-militar – das fontes arquivísticas para a sala de aula, 50 anos depois.

   Denominada de A Luta por Memória, Verdade e Justiça, essa proposta tem como objetivo auxiliar na compreensão de que a memória, a verdade e a justiça são direitos que devem ser reconhecidos e garantidos a qualquer cidadão que vive em uma democracia. Para construí- la, a equipe do projeto utilizou como fonte o processo de indenização do ex-preso político, Jorge Fischer Nunes. Acesse aqui o arquivo da proposta.

    O professor pode acessar aqui uma cópia dos documentos selecionados e de outros documentos que não compuseram a proposta, mas que compõem o processo de Jorge Fischer Nunes (que não pode ser disponibilizado na íntegra, devido ao seu tamanho). Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

    Um ótimo trabalho!

APERS? Presente, professor! – A Experiência do Cativeiro, a Resistência e a Liberdade

Deixe um comentário

2014.11.26 Resistencia e Liberdade_BlogNesta quarta, estamos disponibilizando a décima quarta proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! Ela está inserida dentro do eixo temático Cativeiro e Resistência – a escravidão negra no Rio Grande do Sul a partir de fontes arquivísticas e recebeu o nome de A Experiência do Cativeiro, a Resistência e a Liberdade. Tem como proposta abrir possibilidades de reflexões acerca da concessão de alforrias como uma conquista, resultante do empenho pessoal do negro cativo em lutar por ela, seja por meio do pagamento em pecúlio ou com prestação de serviços. Acesse aqui o arquivo da proposta.

Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia das fontes utilizadas na construção da proposta, disponibilizamos aqui um arquivo com a cartas de liberdade em separado. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

Desejamos um bom trabalho.

APERS? Presente, professor! – Democracia e Justiça de Transição

Deixe um comentário

2014.11.12 Democracia e Justica de Transicao_Blog   Hoje disponibilizamos a décima terceira proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! que está inserida dentro do eixo temático A Resistência à Ditadura Civil-militar – das fontes arquivísticas para a sala de aula, 50 anos depois.

     Denominada de Democracia e Justiça de Transição, essa proposta tem como objetivo auxiliar no reconhecimento da importância de uma efetiva justiça de transição nos processos de (re)construção da democracia. Para construí- la, a equipe do projeto utilizou como fonte o processo de indenização do ex-preso político do período, Luiz Eurico Tejera Lisboa. Acesse aqui o arquivo da proposta.

     O professor pode acessar aqui uma cópia dos documentos selecionados e de outros documentos que não compuseram a proposta, mas que compõem o processo de Luiz Eurico (o processo completo de Luiz Eurico possui mais de 500 páginas, dessa forma, não foi possível disponibilizá-lo na integra). Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

     Bom trabalho!

APERS? Presente, professor! – Sociedade, Violência e Políticas de Segurança

Deixe um comentário

2014.10.22 Sociedade e Violência_BlogHoje estamos disponibilizando a décima segunda proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! Ela está inserida dentro do eixo temático A Transversalidade nas Fontes – diversas fontes arquivísticas para diferentes trabalhos pedagógicos e recebeu o nome de Sociedade, Violência e Políticas de Segurança que tem como objetivo discutir violência e políticas de segurança sobre o prisma dos Direitos Humanos na tentativa de conciliar a ideia de punição ao agente que cometeu um crime às condições necessárias para que esse sujeito retorne à vida em sociedade. Acesse aqui o arquivo da proposta.

Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia das fontes utilizadas na construção da proposta, disponibilizamos aqui a documentação referente ao Presídio Central e aqui os documentos que dizem respeito ao Presídio de Itaqui. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

Desejamos um ótimo trabalho!

APERS? Presente, professor! – O Processo de Redemocratização: Rupturas e Permanências

Deixe um comentário

2014.10.08 Redemocratização_BlogHoje disponibilizamos a décima primeira proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor que está inserida dentro do eixo temático A Resistência à Ditadura Civil-militar – das fontes arquivísticas para a sala de aula, 50 anos depois.

Denominada de O Processo de Redemocratização: Rupturas e Permanências, essa proposta tem como objetivo auxiliar na compreensão do processo de redemocratização vivido pelo Brasil na transição da ditadura para a democracia. Para construí- la, a equipe do projeto utilizou como fonte dois processos de indenização de ex-presos políticos do período, Inácio da Silva Mafra e de Antônio Cunha Losada. Acesse aqui o arquivo da proposta.

Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia na íntegra das fontes utilizada na construção da proposta, clique aqui para acessar o primeiro processo e aqui para acessar o segundo. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

Bom trabalho!

APERS? Presente, professor! – Resistência à Escravidão: uma história de luta registrada nos processos crimes

Deixe um comentário

2014.09.24 Crime e Resistência_Blog     Nesta quarta, estamos disponibilizando a décima proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! Ela está inserida dentro do eixo temático Cativeiro e Resistência – a escravidão negra no Rio Grande do Sul a partir de fontes arquivísticas e recebeu o nome de Resistência à Escravidão: uma história de luta registrada nos processos crimes. Tem como proposta a problematização de formas de resistência encontradas nos registros de processos crimes nos quais negros escravizados foram identificados como vítimas ou réus. Acesse aqui o arquivo da proposta.

     Sempre que possível, disponibilizamos na íntegra, em versão PDF, a documentação utilizada na construção da proposta, para que o professor acesse, caso seja de seu interesse. No entanto, por motivos de preservação, optamos por não digitalizar, por completo, o processo-crime utilizado nessa proposta. Nesse caso, o professor encontrará aqui, somente as partes da fonte utilizadas na elaboração desse material pedagógico. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

     Desejamos um bom trabalho!

APERS? Presente, professor! – O Fim da Ditadura: Anistia e Abertura Política

Deixe um comentário

2014.09.10 O Fim da Ditadura_BlogHoje disponibilizamos a nona proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor que está inserida dentro do eixo temático A Resistência à Ditadura Civil-militar – das fontes arquivísticas para a sala de aula, 50 anos depois.

Denominada de O Fim da Ditadura: Abertura Política e Anistia, essa proposta tem como objetivo auxiliar na compreensão desse período da História do Brasil conhecido como Abertura Política, no qual lutas pela redemocratização do país, dentre elas a luta pela Anistia, foram forjadas por diversos setores da sociedade. Para construí- la, a equipe do projeto utilizou como fonte dois processos de indenização de ex-presas políticas do período, Ana Lúcia Oliveira e Terezinha Burmeister. Acesse aqui o arquivo da proposta.

Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia na íntegra das fontes utilizada na construção da proposta, clique aqui para acessar o primeiro processo e aqui para acessar o segundo. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

Desejamos um ótimo trabalho!

APERS? Presente, professor! – Mobilidade Urbana e Violência no Trânsito

1 Comentário

2014.08.27 Mobilidade Urbana_BlogHoje estamos disponibilizando a oitava proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! Ela está inserida dentro do eixo temático A Transversalidade nas Fontes – diversas fontes arquivísticas para diferentes trabalhos pedagógicos e recebeu o nome de Mobilidade Urbana e Violência no Trânsito, que tem como objetivo a problematização, a partir de um documento de Investigação Policial, da paisagem urbana atual, do seu funcionamento e de suas contradições a partir da historicização do desenvolvimento das cidades e do transporte urbano. Vamos abordar o tema da violência no trânsito como uma evidência do desrespeito ao direito à mobilidade urbana e à cidade, que entendemos ser estendido a todos os habitantes de uma determinada circunscrição territorial.

Acreditamos que esse material pedagógico, aliado a um referencial que perceba o acesso a múltiplas formas de sociabilidade dentro de uma cidade como um direito que dever ser estendido e garantido a todos, consiga auxiliar o professor no encaminhamento do complexo trabalho de desnaturalização das difíceis relações vividas dentro de um espaço urbano e de construção, junto aos alunos, de outras possibilidades de organizarmos as relações urbanas. Acesse aqui o arquivo da proposta.

Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia na íntegra do fonte utilizada na construção da proposta, clique aqui. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

Bom trabalho!

APERS? Presente, professor! – Esquemas Repressivos e Tortura

Deixe um comentário

2014.08.13 Esquemas Repressivos e Tortura_Blog   Hoje disponibilizamos a sétima proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! que está inserida dentro do eixo temático A Resistência à Ditadura Civil-militar – das fontes arquivísticas para a sala de aula, 50 anos depois.

  Denominada de Esquemas Repressivos e Tortura, essa proposta tem como objetivo auxiliar na compreensão da construção de todo um aparato repressivo que sustentou a ditadura e da utilização da tortura como método sistemático aplicado por esse esquema, montado para varrer do território nacional qualquer tipo de oposição ao regime. Para construí-la, a equipe do projeto utilizou como fonte um processo de indenização de um ex-preso político do período, Antônio Pinheiro Salles. Acesse aqui o arquivo da proposta.

     Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia na íntegra do fonte utilizada na construção da proposta, clique aqui. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

     Desejamos um bom trabalho!

.

Post atualizado em 20 de agosto de 2014 – correção textual da proposta pedagógica.

APERS? Presente, professor! – Herança de Pai para Filho: resistência e conquistas nos registros de testamento

Deixe um comentário

2014.07.30 Herança de Pai para Filho_BlogNesta quarta, estamos disponibilizando a sexta proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! Ela está inserida dentro do eixo temático Cativeiro e Resistência – a escravidão negra no Rio Grande do Sul a partir de fontes arquivísticas e recebeu o nome de Herança de Pai para Filho: resistência e conquistas nos registros de testamento. Tem como proposta a problematização das formas de resistência e das possibilidades de conquistas agenciadas por negros escravizados dentro do sistema escravista e as rupturas e permanências das condições de vida da população negra em nosso país. Acesse aqui o arquivo da proposta.

Caso o professor tenha interesse em  acessar uma  cópia  na  íntegra  da  fonte  utilizada  na  construção  da  proposta,  clique  em:  processo 1, processo 2. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

Ótimo trabalho professores!

APERS? Presente, professor! – História das Mulheres e das Relações Familiares

Deixe um comentário

2014.06.25 História das Mulheres_Blog

Hoje estamos disponibilizando a quarta proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! Ela está inserida dentro do eixo temático A Transversalidade nas Fontes – diversas fontes arquivísticas para diferentes trabalhos pedagógicos e recebeu o nome de História das Mulheres e das Relações Familiares. Tem como proposta a problematização, a partir de processos de desquite, das relações nas quais estiveram envolvidas mulheres que viveram em contextos históricos diferentes dos nossos. Com ela, pretendemos contribuir para processo-ensino-aprendizagem de desnaturalização e de historicização das relações nas quais estiveram e ainda estão envolvidas as mulheres. Acreditamos que essa proposta, aliada a um referencial antissexista e afirmativo naquilo que diz respeito ao debate em torno da discriminação ainda sofrida pelas mulheres, consiga auxiliar o professor no encaminhamento do trabalho complexo que é discutir as relações de gênero e problematizar os papéis sociais atribuídos às mulheres, bem como a invenção de múltiplas formas de resistência e de luta por esses sujeitos desenvolvidas. Acesse aqui o arquivo da proposta.
Caso o professor tenha interesse em acessar a cópia na íntegra das fontes utilizadas na construção da proposta, clique aqui: processos 1 e 2; processos 3, 4 e 5; e processo 6. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.
Bom trabalho, professora e professor!

APERS? Presente, professor! – Compra e venda de negros escravizados: da relação de coisificação à relação entre sujeitos

Deixe um comentário

2014.05.28 Compra e Venda

Nesta quarta, estamos disponibilizando a segunda proposta pedagógica do Projeto APERS? Presente, professor! Ela está inserida dentro do eixo temático Cativeiro e Resistência – a escravidão negra no Rio Grande do Sul a partir de fontes arquivísticas e recebeu o nome de Compra e venda de negros escravizados: da relação de coisificação à relação entre sujeitos. Tem como proposta a problematização, a partir de documentos de compra e venda de escravos, sobre o tráfico de negros escravizados e as suas transformações no decorrer do período no qual esteve vigente o sistema escravista de trabalho e possíveis tensões entre a agência do negro escravizado na condução de sua história e sua condição de propriedade. Além disso, trará consigo, possibilidades de trabalhos com temas atuais. Acesse aqui o arquivo da proposta.

Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia na íntegra do fonte utilizada na construção da proposta, clique aqui. Para acessar as propostas anteriores, clique aqui.

O Arquivo deseja um bom trabalho, professora e professor!

APERS? Presente, professor! – Os Anos de Chumbo da Ditadura e a Luta Armada no Rio Grande do Sul

Deixe um comentário

2014.05.14 Os Anos de Chumbo   Hoje iniciaremos as postagens das propostas pedagógicas do Projeto APERS? Presente, professor! Elas trazem consigo possibilidades de trabalhos pedagógicos em sala de aula a partir de diversas fontes arquivísticas.

   A primeira proposta está inserida dentro do eixo temático A Resistência à Ditadura Civil-militar – das fontes arquivísticas para a sala de aula, 50 anos depois e recebeu o nome de Os anos de chumbo da Ditadura e a Luta Armada no Rio Grande do Sul. Ela propõe uma problematização acerca das ações armada e da repressão estatal levada acabo no Rio Grande do Sul. Para construí-la a equipe do projeto utilizou como fonte um processo de indenização de um ex-preso político do período. Acesse aqui o arquivo da proposta.

   Caso o professor tenha interesse em acessar uma cópia na íntegra do fonte utilizada na construção da proposta, clique aqui.

   O Arquivo deseja um bom trabalho, professora e professor!

APERS? Presente, professor! Novo Projeto de Ação Educativa do Arquivo

1 Comentário

2014.04.30 Banner Face_Projeto APERS (1)

     O Arquivo Público do Rio Grande do Sul (APERS), além das atribuições que lhe compete na área de gestão documental, possui uma significativa trajetória na área de Difusão Cultural. Dentre as ações desenvolvidas no sentido de divulgar os acervos custodiados pela instituição, as ações educativas e pedagógicas ocupam lugar privilegiado. Em parceria com o Departamento de História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, possui um Programa de Educação Patrimonial que aproxima a educação básica e superior do mundo dos arquivos, das fontes arquivísticas e da discussão a respeito de patrimônio. De modo geral, todas as ações são desenvolvidas dentro da própria instituição, sejam elas as Oficinas de Educação Patrimonial com alunos da educação básica, sejam os diversos cursos destinados aos professores e aos estudantes de licenciaturas.

    Na intenção de darmos continuidade e de estendermos essa aproximação, elaboramos o Projeto APERS? Presente, professor! – Propostas Pedagógicas a partir de Fontes Arquivísticas. O resultado das ações previstas nele, levará um pouco do Arquivo Público até a escola e até o professor, a partir da construção de propostas pedagógicas que tenham como ponto de partida os documentos custodiados por essa instituição. Elas serão disponibilizadas em formato PDF no Blog Institucional do Arquivo nas segundas e nas quartas quartas-feiras de cada mês, de maio até dezembro desse ano.

      As propostas serão organizadas em três grandes eixos temáticos: (1) Ditadura Civil-militar no Brasil; (2) Escravidão no Brasil; e (3) Temas Transversais. O conjunto de publicações do primeiro eixo denomina-se A Resistência à Ditadura Civil-militar – das fontes arquivísticas para a sala de aula, 50 anos depois. Para a construção das propostas pedagógicas desse eixo, a equipe do projeto utilizará como fontes o Acervo da Comissão Especial de Indenização composto por processos de indenização de ex-presos políticos do período da Ditadura. Elas estarão disponíveis mensalmente no Blog, sempre nas segundas quartas-feiras de cada mês a partir de maio.

      Já o conjunto de publicações do segundo eixo, chama-se Cativeiro e Resistência – a escravidão negra no Rio Grande do Sul a partir de fontes arquivísticas. Construiremos as propostas desse eixo a partir de testamentos, inventários, documentos de compra e venda, processos crimes e cartas de liberdade, documentos sobre a escravidão que compõem diferentes acervos salvaguardado pelo Arquivo. Estarão disponíveis bimensalmente no Blog, sempre nas quartas quartas-feiras de cada mês a partir de junho.

    Para o conjunto de publicações do terceiro eixo, que recebeu o nome de A Transversalidade nas Fontes – diversificadas fontes arquivísticas para diferentes trabalhos pedagógicos, elaboraremos propostas a partir de documentos diversos de diferentes secretarias do Poder Executivo. Composto de temáticas variadas, planejaremos as propostas desse eixo, de modo que se adéquem aos temas transversais apontados nas legislações sobre a Educação Básica. Também estarão disponíveis bimensalmente no Blog, sempre nas quartas quartas-feiras de cada mês a partir de maio próximo (clique aqui para visualizar o calendário de postagens das propostas dos três eixos temáticos).

     Cada proposta pedagógica contará com texto de suporte temático para professor, texto didático-pedagógico para o aluno, fonte arquivística digitalizada, propostas de atividades a partir do texto e da fonte e sugestões metodológicas para a condução dos trabalhos em sala de aula. Ressaltamos, no entanto, que entendemos essa produção exatamente como uma proposta, cabendo ao professor o uso de sua total autonomia para avaliá-la, modificá-la e trabalhá-la em aula conforme seus princípios político-pedagógicos e seus métodos didáticos.

     É com grande satisfação que convidamos a todos, desde já, a acessar o Blog do Arquivo e a baixar as propostas que aqui serão disponibilizadas, incorporando-as ao planejamento de suas aulas, conforme seu objetivo e conforme os interesses específicos dos contextos nos quais se desenvolve o processo de ensino-aprendizagem de suas turmas.

    Professora e professor, a mochila do APERS está cheia de ideias e estamos ansiosos pelo momento de compartilhamento e de construção de conhecimentos!

Older Entries

%d blogueiros gostam disto: